ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Deputados retomam as discussões que podem mudar o texto-base da reforma da Previdência, e aprovam regras mais brandas para professores. A 1ª fase da votação deve ser concluída hoje, mas a data do 2º turno ainda é incerta. A possível indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador nos EUA gera críticas. E o filho do presidente diz ter apoio do Itamaraty e que já fritou hambúrguer nos EUA. O governo da Bahia confirma o rompimento de barragem de água no interior; 500 pessoas estão sem casa.

INTERNACIONAIS

Por Blog do BG

Dólar opera em queda com expectativas de cortes de juros pelo Fed

O dólar operou em baixa ao longo desta sexta-feira, 12, refletindo as expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) deve realizar cortes nas taxas básicas de juros dos Estados Unidos já na próxima reunião de política monetária, marcada para 31 de julho.

Próximo ao horário de fechamento das bolsas de Nova York, o dólar recuava para 107,86 ienes, enquanto o euro avançava a US$ 1,1273 e a libra tinha ganho a US$ 1,2572. O índice DXY, que mede a força da moeda americana contra uma cesta de outras seis divisas fortes, fechou em baixa de 0,25%, a 96,810 pontos. Na comparação semanal, a queda foi de 0,49%.

O mercado segue com expectativas de que o Fed cortará juros. Para além de estimular a economia americana, a adoção de uma política monetária mais acomodatícia teria como efeito, também, a depreciação do dólar, o que já está sendo antecipada por investidores.

Já a lira turca recuou nesta sexta-feira ante o dólar, após a notícia de que o governo local já começou a receber um sistema antimísseis da Rússia, medida criticada pelos EUA, que já ameaçam impor sanções à Turquia por conta disso. Próximo ao horário de fechamento em Nova York, o dólar avançava a 5,7185 liras turcas.

A consultoria Capital Economics acredita que os preços do petróleo devem cair no segundo semestre do ano, apesar das tensões do Golfo Pérsico. Com isso, a expectativa é que o dólar canadense deve se depreciar. No entanto, hoje, perto do horário de fechamento em Nova York nesta sexta-feira, o dólar recuava a 1,3035 dólares canadenses.

Estadão Conteúdo

Fonte: Blog do BG

 

NACIONAIS

Reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante sessão que vota de destaques da reforma da Previdência nesta sexta-feira (12), em Brasília — Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilO presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante sessão que vota de destaques da reforma da Previdência nesta sexta-feira (12), em Brasília — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Câmara aprovou uma mudança na reforma da Previdência que beneficia professores que já estão próximos da idade de aposentadoria. A alteração é um dos destaques que continuam sendo analisados pelos deputados e que modificam o texto-base aprovado pelo plenário, na quarta.

A maratona para análise das propostas foi retomada no início da tarde para votar 8 itens que restavam (ASSISTA AO VIVO). Na sessão que começou ontem e terminou na madrugada, os deputados aprovaram três mudanças, e suavizaram as regras para aposentadoria de mulheres, homens e deu privilégios a policiais federais.

O que foi aprovado até agora:

A previsão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, é de que a 1ª fase da votação seja concluída ainda hoje. Já a data para a votação da reforma em 2º turno está incerta e pode ser que fique para agosto. Antes de voltar ao plenário, o texto precisa passar novamente pela comissão especial.

Eduardo Bolsonaro em Washington

“Tenho vivência pelo mundo, já fritei hambúrguer nos EUA”, diz Eduardo Bolsonaro

A possível nomeação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, um dos cinco filhos do presidente Jair Bolsonaro, ao posto de embaixador do Brasil nos EUA gerou críticas de políticos, diplomatas e no meio jurídico.

O ministro do STF Marco Aurélio Mello afirmou que o caso configura nepotismo. Segundo ele, a Constituição afasta a possibilidade de o presidente nomear o filho.

No Itamaraty, diplomatas disseram não se lembrar de um precedente como esse, a nomeação de um parente de primeiro grau de um presidente da República para uma embaixada.

Ao comentar a intenção de indicar o filho para a embaixada, o presidente Bolsonaro afirmou que não está “preocupado com crítica”.

Já Eduardo Bolsonaro se reuniu com o Ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e disse ter apoio do chanceler para a vaga. Ao se considerar apto para assumir o cargo, o deputado lembrou antigas experiências nos EUA, como “fritar hambúrguer” e estudos para aprimorar o idioma inglês.

Pente-fino do INSS

O INSS começou o pente-fino em benefícios previdenciários, como pensão por morte, aposentadoria por idade e o BPC, pago a idosos de baixa renda. A previsão é de que 3 milhões de benefícios sejam avaliados para combate a fraudes.

Rompimento na Bahia

Imagens aéreas da barragem que se rompeu na Bahia

Imagens aéreas da barragem que se rompeu na Bahia

O governo da Bahia confirmou o rompimento da barragem de água do Quati, que inundou as cidades de Coronel João Sá e Pedro Alexandre. Cerca de 500 pessoas estão desalojadas. No início da noite, os bombeiros aumentaram a área isolada em torno do Rio do Peixe, por conta do risco de novos rompimentos de barragens na região.

Queda de aeronave

Aeronave cai em Atibaia e deixa dois mortos — Foto: Bombeiros/DivulgaçãoAeronave cai em Atibaia e deixa dois mortos — Foto: Bombeiros/Divulgação

Uma aeronave de pequeno porte caiu no quintal de um sítio, em Atibaia (SP), e deixou 2 mortos. As vítimas são o piloto e o passageiro do avião. Moradores não se feriram. Ainda não há informações sobre a identidade das vítimas. O avião partiu 12h15 do Campo de Marte, na capital paulista. O Cenipa investiga a queda.

Também teve isso…

 Ayelet Gundar-Goshen e Ayòbámi Adébáyò discursam na Flip 2019 — Foto: Walter Craveiro/Flip/DivulgaçãoAyelet Gundar-Goshen e Ayòbámi Adébáyò discursam na Flip 2019 — Foto: Walter Craveiro/Flip/Divulgação

 

Por Blog do BG

‘Gostaríamos de ter feito outra reforma’, diz Dilma sobre a Previdência

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que gostaria de ter feito uma reforma da Previdência em seu governo e que iniciou um planejamento nesse sentido na ocasião, mas que o processo de impeachment a impediu de conclui-lo.

“Gostaríamos de ter feito uma reforma bem diferente dessa até porque achávamos que tínhamos que manter vários direitos adquiridos, mas também que era necessário, na medida em que nós mesmos fomos responsáveis pelo aumento da expectativa de vida no país”, disse.

Ao lado da escritora espanhola Pilar del Río, Dilma visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cela em que ele é mantido na superintendência da PF em Curitiba.

A ex-presidente classificou como “estarrecedora” a liberação de emendas do governo Jair Bolsonaro (PSL) para parlamentares para viabilizar a aprovação do texto da reforma nesta quarta-feira (10). Questionada como ocorreria a negociação com o Congresso em seu governo, a petista afirmou que não fez e não faria essa liberação.

Para ela, há um temor de empobrecimento dos idosos brasileiros com a reforma. “O que vai acontecer agora? O que está acontecendo no Chile: aposentados que chegaram ao fim da vida de trabalho e não têm recursos suficientes para sobreviver”, apontou.

Em 2016, seu último ano de mandato, a possibilidade de uma reforma no governo petista chegou a ser discutida. Na época, a então presidente declarou que “a Previdência Social precisa ser sustentável para um horizonte muito além” de seu governo.

Dilma ainda comentou os vazamentos de conversas entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz e atual ministro da Justiça Sergio Moro. Para ela, as mensagens deixam claro que o processo que condenou Lula foi viciado, mas que isso não representa um comprometimento de todos os casos investigados pela operação.

“Não estou dizendo que em relação a todos os réus está viciado. O que temos de dado claro é que, no caso do presidente Lula, houve uma tentativa deliberada e clara do juiz e dos procuradores no sentido de evitar que o presidente tivesse qualquer possibilidade de influenciar na eleição na qual ele era o mais votado pelas pesquisas”, declarou.

Para a petista, é clara a afirmação do procurador Deltan Dallagnol de que as provas contra Lula eram frágeis e que, com a condenação posterior por Moro, houve perda de credibilidade do Judiciário brasileiro em todo o mundo.

“Um juiz que é capaz de funcionar como assessor da acusação, em outros momentos como dirigente da acusação não é um juiz isento nem parcial. Isso coloca um problema seríssimo para a Justiça brasileira que é a perda de credibilidade aos olhos não só da população, mas do mundo. Isso é inadmissível num país que se diz democrático. Estado democrático de Direito sem imparcialidade da Justiça não existe”, disse.

Ela comparou ainda os vazamentos das conversas entre os procuradores e o atual ministro e os de 2016, em meio às investigações da Lava Jato. Na ocasião, Moro divulgou o áudio de uma conversa entre a então presidente e Lula, que acabava de ser nomeado para a o cargo de ministro da Casa Civil e ela pedia que ele usasse o termo de posse em caso de “necessidade”.

“Foi em nome do combate à corrupção”, ironizou. “O raciocínio é uma bomba atômica em cima do sistema de Justiça desse país”, continuou.

Folhapress

 

Previdência projeta Maia para eleição de 2022

Foto: Luis Macedo/Agência Câmara 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou nesta quinta-feira, 11, para uma reunião na casa do deputado Elmar Nascimento (BA), líder de seu partido, quando foi abordado por colegas que o chamaram de “Senhor Reforma”. Embora o tema do encontro fosse a continuidade da votação da reforma da Previdência, aliados lhe deram dicas sobre como tornar sua imagem mais popular e atrair votos até a eleição de 2022. Tratado como presidenciável por muitos de seus pares, Maia sorriu.

Desde que conseguiu cumprir a promessa de “entregar” aprovado o texto-base da proposta sobre mudanças no sistema de aposentadoria, antes do recesso parlamentar, Maia viu crescerem as apostas sobre uma eventual candidatura à sucessão do presidente Jair Bolsonaro. Em conversas reservadas, ele não nega a intenção de entrar no páreo, mas afirma que sabe o seu tamanho e precisa examinar a posição das “nuvens”, que cada dia está de um jeito.

A aproximação de Maia com o governador João Doria (PSDB) – pré-candidato à sucessão de Bolsonaro – incomoda o Palácio do Planalto. Nos bastidores do governo há comentários de que o deputado também pode compor chapa com Doria, repetindo a dobradinha PSDB-DEM que comanda o Bandeirantes. Em São Paulo, o vice-governador Rodrigo Garcia é do DEM.

“Você pode ser o nosso candidato, mas vamos ter de modernizá-lo”, disse a Maia o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), presidente do Solidariedade, na reunião de ontem, que teve a presença de ministros e do secretário especial da Previdência, Rogério Marinho. “Esse cabelinho caindo na testa não vai dar. Além disso, você precisa sorrir, olhar para o eleitor quando apertar a mão dele e parar de ficar checando mensagem no celular na hora da conversa”, emendou Paulinho da Força. Após a “receita”, arrematou: “E também falta um programa popular”.

De todas as dicas recebidas, Maia tem investido mais na plataforma, que, segundo ele, não é de campanha. Depois da Previdência, a ideia é tocar uma agenda na Câmara que dê prioridade a medidas para destravar o crescimento e retomar o emprego, como a reforma tributária.

Maia adotou como mote uma frase que diz ter parafraseado do governador do Rio Grande do Sul, o tucano Eduardo Leite: “Coragem mesmo precisa quem tem a ousadia de ser ponderado”. Três meses depois de ter dito ao jornal O Estado de S. Paulo que o governo Bolsonaro é “um deserto de ideias”, ele se movimenta agora com o objetivo de construir um programa para o País.

‘Rodriguetes’

Ao lado de deputados de primeiro mandato que ficaram conhecidos como “rodriguetes”, o presidente da Câmara decidiu acelerar projetos de lei sobre modernização do Estado. Alguns já tramitam na Casa e precisam apenas de alterações pontuais para deslanchar. O pacote inclui melhorias na gestão de desempenho no serviço público e criação de uma política de governo digital na União, Estados e municípios.

As conversas de Maia fluíam bem com o ministro da Economia, Paulo Guedes, mas, desde que ele criticou o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a Previdência, o caldo entornou. Até hoje a relação entre os dois está estremecida. Maia, porém, se reúne quase toda a semana com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Informado de que famílias com salários de dois a três mínimos caem com frequência no cheque especial, o deputado quer aprovar um projeto que reduza a taxa de juros para essa modalidade. Trata-se de um programa bem popular.

O placar de votação da reforma, com 379 votos a favor – 71 a mais do que o mínimo – surpreendeu até o governo. “Nós não teríamos conseguido chegar até aqui sem Rodrigo Maia”, admitiu o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO).

Folhapress

Comments

‘Não estou preocupado com crítica’, diz Bolsonaro sobre indicar o filho como embaixador nos EUA

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta sexta-feira (12) que não está “preocupado com crítica” ao comentar a possibilidade de indicar um dos seus cinco filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), como embaixador do Brasil em Washington.

Bolsonaro voltou a abordar o assunto durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais. O presidente anunciou na quinta-feira (11) que está no “radar” a indicação do parlamentar para chefiar a embaixada nos Estados Unidos (EUA). O presidente disse que vai esperar o “momento certo” para tomar a decisão.

“Se eu vou indicá-lo ou não, vou esperar o momento certo se vou ou não. Quanto à crítica, não estou preocupado com crítica”, afirmou.

Nesta sexta, Eduardo se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e disse ter o “apoio” do chanceler para o cargo. Segundo o deputado, ele se reunirá até domingo com o pai para definir a formalização ou não de sua indicação para o posto no exterior.

A indicação do nome de qualquer embaixador tem que ser aprovada pelo Senado. A representação do Brasil em Washington está sem embaixador desde abril, quando o diplomata Sergio Amaral foi transferido da chancelaria para o escritório do Itamaraty em São Paulo.

A possível nomeação de Eduardo Bolsonaro gerou críticas de políticos, diplomatas e no meio jurídico.

‘Nepotismo’

Para o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, o caso configura nepotismo. De acordo com o ministro, a Constituição afasta a possibilidade de o presidente nomear o filho.

A súmula vinculante 13 do Supremo Tribunal Federal diz que “a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica, investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta, em qualquer dos poderes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição”.

‘Capacitado’

Na transmissão ao vivo desta sexta, Bolsonaro voltou a afirmar que Eduardo é capacitado para o cargo, pois fala inglês e espanhol e tem amizade com os filhos do presidente norte-americano Donald Trump.

O presidente considera o filho, em razão de sua formação, “muito melhor” do que ele e ressaltou que o deputado preside a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara.

Para exercer o cargo diplomático, Eduardo, que completou 35 anos nesta semana (idade mínima para chefiar a embaixada), terá de passar por uma sabatina e uma votação na Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, além de uma votação no plenário da Casa.

O filho do presidente teria ainda que renunciar ao seu cargo de parlamentar – em 2018 se tornou o deputado federal mais votado da história do país, com 1,8 milhão de votos em São Paulo.

Bolsonaro também declarou na transmissão que a nomeação do filho como embaixador não seria um caso de nepotismo. Eduardo foi na mesma linha ao ser questionado sobre o assunto nesta sexta.

“Foi descartada. A súmula vinculante do Supremo, que trata do nepotismo, permite a indicação política do presidente. Então, acredito que isso não seria óbice a uma possível nomeação”, disse o deputado.

G1

Comments

Deputados decidem manter regra de cálculo que reduz valor da pensão na reforma

Os deputados rejeitaram, nesta sexta-feira (12), a primeira das quatro propostas apresentadas pelo PT que tentam abrandar regras na reforma da Previdência. A oposição queria derrubar a fórmula de cálculo das pensões, proposta pelo governo.

Por 328 votos a 156, a Câmara decidiu manter o modelo de cálculo defendido pela equipe do ministro Paulo Guedes.

No projeto original da reforma, enviado em fevereiro, o governo propôs que a pensão fosse cortada para 60% do benefício mais 10% por dependente adicional, até o limite de 100%.

O PT queria manter a atual regra de cálculo da pensão por morte, que determina o pagamento de 100% do benefício recebido ou a receber.

Se tivesse sido aprovada, a medida poderia provocar um impacto de R$ 162 bilhões ao longo de dez anos, de acordo com cálculos de técnicos do legislativo.

A Câmara analisa mudanças propostas ao texto-base aprovado na quarta-feira em plenário pelos deputados. Encerrada a votação em primeiro turno, o texto volta para a comissão especial, onde será avalizado. O próximo passo é uma votação em segundo turno em plenário.

Folhapress

Fonte: Blog do BG

Por G1 RN

 

Contos clássicos fazem sucesso com as crianças no Parque das Dunas — Foto: Tiago Lima

Contos clássicos fazem sucesso com as crianças no Parque das Dunas — Foto: Tiago Lima

O fim de semana tem grande programação cultural no Parque das Dunas, em Natal. Os eventos acontecem no sábado (13) e domingo (14) e a entrada no local custa R$ 1.

O Festival Camomila abre as atividades às 9h do sábado, com atividades gratuitas que visam práticas de relaxamento e autoconhecimento em meio à natureza. Haverá, além de yoga e rodas de mantras, um show musical com o grupo Atmadas, às 16h (veja a programação completa).

No domingo, será a vez dos projetos Bosque Encena em Som da Mata entrarem em ação. Às 10h, terá, no anfiteatro Pau-brasil, a apresentação do Contos Clássicos da Companhia Era Uma Vez, que vai contar as histórias da Pequena Sereia, Cinderela e Branca de Neve com música e magia para as crianças.

Toni Gregório é atração do Som da Mata — Foto: Tiago LimaToni Gregório é atração do Som da Mata — Foto: Tiago Lima

No período da tarde, às 16h30, também no anfiteatro Pau-brasil, o guitarrista potiguar Toni Gregório se apresenta no Som da Mata. Ele estará acompanhado de Anderson Melo na bateria e Ismael Miranda no contrabaixo. O show vai passar por uma mistura de ritmos e gêneros, como tango, afro, samba, xote e músicas de vídeo games.

Serviço

  • Local: Parque das Dunas
  • Dias: 13 e 14 de julho
  • Hora: Sábado (9h às 16h) e domingo (10h e 16h30)
  • Acesso ao Parque: R$ 1– os eventos são gratuitos

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu