ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

 

economista Gustavo Montezano é escolhido para substituir Joaquim Levy na presidência do BNDES. Bolsonaro veta a gratuidade no despacho de bagagem em voos domésticos, e assina medida para agilizar a venda de bens do tráfico. Abalada por crise e alvo da Lava Jato, a Odebrecht pede recuperação judicial. Casado com o fundador do “The Intercept”, o deputado David Miranda relata à PF ameaças de morte. O Irã diz que vai romper o acordo nuclear com as potências ocidentais e aumentar seus estoques de urânio enriquecido.

INTERNACIONAIS

Tensão no Oriente Médio

Irã deve aumentar estoque de urânio enriquecido em dez dias

Irã deve aumentar estoque de urânio enriquecido em dez dias

O Irã anunciou que vai aumentar no prazo de 10 dias o seu estoque de urânio enriquecido e romper o acordo nuclear assinado em 2015. O país não vai mais estabelecer um limite para o volume do material que produz.

Lancha que o governo dos EUA diz pertencer à Guarda Revolucionária do Irã — Foto: U.S. Department of Defense via AP

Lancha que o governo dos EUA diz pertencer à Guarda Revolucionária do Irã — Foto: U.S. Department of Defense via AP

Já os EUA divulgaram novas imagens que, segundo o Pentágono, provam que o Irã atacou um dos petroleiros danificados no Golfo de Omã, na semana passada. O regime de Teerã nega a acusação. O governo americano anunciou que enviará mais mil militares ao Oriente Médio. A tensão cresce.

Alerta no Canadá

Policiais trabalham na festa do Tronto Raptors no centro de Toronto — Foto: Reuters/Nick Turchiaro-USA TODAY Sports

Policiais trabalham na festa do Toronto Raptors no centro de Toronto — Foto: Reuters/Nick Turchiaro-USA TODAY Sports

Quatro pessoas foram baleadas na praça Nathan Philip’s Square, em Toronto, onde havia uma multidão comemorando o título da NBA do Toronto Raptors. Três pessoas foram detidas. O premiê Justin Trudeau participava da comemoração, mas nada sofreu.

NACIONAIS

Sob nova direção

O economista Gustavo Montezano, novo presidente do BNDES — Foto: Divulgação/Ministério da Economia

O economista Gustavo Montezano, novo presidente do BNDES — Foto: Divulgação/Ministério da Economia

O engenheiro e economista Gustavo Montezano foi escolhido pelo ministro Paulo Guedes para ser o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES). Ex-sócio do banco BTG e atual secretário de Desestatização do governo, Montezano substituirá Joaquim Levy, que pediu demissão ontem, após Bolsonaro dizer que ele estava com a “cabeça a prêmio”.

Recuperação judicial

Fachada da sede da Odebrecht em SP — Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

Fachada da sede da Odebrecht em SP — Foto: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

De acordo com o processo enviado à Justiça, dívidas superiores a R$ 80 bilhões poderiam ser renegociadas, o que tornaria o processo o maior já feito no Brasil — superando a recuperação da Oi em 2016, de R$ 64 bilhões.

Abalada pela recessão da economia e pelos escândalos revelados pela Lava Jato, a Odebrecht perdeu mais de 200 mil mil funcionários nos últimos anos. A receita caiu 20%.

Malas despachadas

Bolsonaro vetou trecho da medida provisória aprovada no Congresso que isentava de cobrança o despacho de bagagens de até 23 kg em voos domésticos. Com o veto, as companhias aéreas poderão continuar a cobrar. A bagagem de mão, limitada a 10 kg, continua gratuita.

Bens do tráfico

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, ao assinar a MP sobre venda de bens de traficantes — Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, ao assinar a MP sobre venda de bens de traficantes — Foto: Alan Santos/PR

Ao lado do ministro Sérgio Moro, Bolsonaro assinou uma medida provisória que facilita a venda de bens confiscados de traficantes de drogas. A proposta foi elaborada por Moro. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a MP permitirá converter mais rapidamente em dinheiro o que for apreendido.

Reforma da Previdência

A comissão da Câmara que discute a reforma da Previdência já pode discutir nesta terça-feira (17) o parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) que alterou a proposta do governo. A exigência de abrir 2 sessões em plenário para contar prazo foi cumprida hoje.

Ameça de morte

O deputado David Miranda (PSOL - RJ) durante sessão no plenário da Câmara dos Deputados em maio deste ano — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado David Miranda (PSOL – RJ) durante sessão no plenário da Câmara dos Deputados em maio deste ano — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) disse que encaminhou à PF ameaças de morte contra ele e sua família. O parlamentar é casado com jornalista Glenn Greenwald, fundador do site “The Intercept”, que na semana passada divulgou supostas mensagens vazadas da força-tarefa da Lava Jato. A superintendência da polícia em Brasília disse que está investigando o caso.

Também teve isso…

 

Por Blog do BG

Ao lado de Moro, Bolsonaro diz ter se tornado ‘alvo compensador para inimigos’

Na semana em que o ministro Sergio Moro (Justiça) prestará esclarecimento ao Senado sobre o vazamento de suas conversas com o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que ele e seus ministros se tornaram “alvo compensador para inimigos”.

“Nós passamos a ser alvos compensadores para inimigos. Então atirar em vossa excelência, para os inimigos, é motivo de satisfação. Mas quando se tem a verdade e Deus ao seu lado, ninguém nos atinge”, disse Bolsonaro.

A declaração foi feita nesta segunda (17) em cerimônia no Palácio do Planalto, na qual o presidente sentou-se ao lado de Moro e dirigiu a ele uma série de elogios.

“Eu acho que o Sergio Moro não é muito de jogar futebol não, né?”, brincou o presidente. Após um sinal negativo do ministro com a cabeça, o presidente disse que “O Sergio Moro está fazendo hoje mais um gol de bicicleta do meio do campo”.

Ao falar em “alvo compensador”, Bolsonaro menciona termo usado com frequência pelo ministro general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), um de seus principais conselheiros.

Nesta segunda, Bolsonaro assinou medida provisória para atender a demandas do Ministério da Justiça. O texto tem como objetivo facilitar a venda de bens apreendidos pelo combate ao tráfico de drogas. De acordo com a assessoria de imprensa do Planalto, a MP permitirá ainda a contratação temporária de engenheiros para viabilizar a construção de presídios.

Ao receber elogios do presidente, que referiu-se ao ministro como “corajoso”, Moro foi aplaudido. Sua mulher, a advogada Rosângela Moro, também foi aclamada depois de o próprio Bolsonaro pegar uma cadeira na plateia para que ela se sentasse no palco em que estavam as autoridades.

“O homem que é o símbolo que quer mudar o seu país. Que em cima daquilo que ele aprendeu, daquilo que ele se propôs, a servir a pátria como juiz, estava fazendo muito bem e nos orgulhava a todos”, afirmou o presidente.

As declarações elogiosas ocorrem no momento em que a conduta de Moro como juiz à frente da Lava Jato em Curitiba vem sendo questionada após vazamento de mensagens em que ele aparece trocando colaborações com o procurador Deltan Dallagnol.
As conversas foram reveladas pelo site The Intercept Brasil na semana passada. Moro se ofereceu para prestar esclarecimentos em uma comissão no Senado na quarta (19), numa tentativa de evitar que seja aberta uma CPI (comissão parlamentar de inquérito).

Segundo a legislação, é papel do juiz se manter imparcial diante da acusação e da defesa. Juízes que estão de alguma forma comprometidos com uma das partes devem se considerar suspeitos e, portanto, impedidos de julgar a ação. Quando isso acontece, o caso é enviado para outro magistrado. Sentenças proferidas por juízes suspeitos podem vir a ser anuladas.

Em seu discurso, Moro disse estar disposto a debater a MP com o Congresso.

“Claro que estamos à disposição para o debate com o Congresso para que ela [a medida provisória] seja eventualmente aprimorada e reformulada, mas, enfim, são medidas pontuais, relevantes e urgentes e contaram, evidentemente, com o apoio do nosso presidente Jair Bolsonaro”, afirmou.

O presidente, por sua vez, disse que vê renascer no país a confiança no governo.

Ele pediu que sua equipe mantenha a liberdade de diálogo e que evite desentendimentos. Isso ocorre depois de ele ter demitido, por meio de declarações à imprensa, dois de seus auxiliares nos últimos dias.

“Não podemos ter desentendimento entre nós. Uma palavrinha esquisita aqui e outra de vocês lá a gente releva e toca o barco”, disse.

Desde a última quinta (13), houve três baixas no governo: a saída do ministro Santos Cruz da Secretaria de Governo e o anúncio pela imprensa de que ele demitiria o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha. Depois de dizer em entrevista que “estava por aqui” com Joaquim Levy, o economista deixou o comando do BNDES no domingo (16).

Folhapress

Comments

Diminuir imposto de importação de smartphone pode prejudicar indústria,, diz associação

A Abinee, associação brasileira do setor de eletrônicos, criticou a medida em estudo pelo governo para reduzir o imposto de importação de produtos como smartphones e computadores.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou no último domingo (16), por sua conta no Twitter, que

os impostos poderiam cair de 16% para 4%.

Humberto Barbato, presidente da associação, diz que retirar o imposto dos produtos importados, mas manter a cobrança das mesmas alíquotas praticadas hoje sobre insumos usados na indústria prejudicaria a competitividade das empresas estabelecidas no Brasil.

“É preciso rever a tarifa, mas não só de um determinado tipo de bem. É preciso rever a tarifa que incide nos produtos que fabricamos”, disse em entrevista à Folha.

Barbato criticou o fato de a proposta de desoneração vir de um governo que tinha como promessa não privilegiar setores escolhidos.

“Estamos sendo de certa forma escolhidos, mas de modo inverso, algo não muito producente. Se você diz para mim que não vou ser escolhido como setor privilegiado, também não quero ser escolhido como setor preterido”, disse.

Segundo ele, a discussão sobre a possível mudança torna o mercado brasileiro inseguro para a atração de investimentos de fora em um momento em que o país precisa retomar a geração de empregos.

Ele também criticou o fato de o governo discutir uma desoneração que, em sua avaliação, traria poucos ganhos para o Brasil, levando em conta que o mercado local já é maduro (com grande quantidade de aparelhos por pessoa).

“Não sei onde o celular vai aumentar a produtividade da economia, a automação industrial.”

Segundo o presidente da Abinee, o que torna celulares caros no Brasil não são os impostos de importação, mas sim custos específicos do mercado local, como a necessidade do transporte dos aparelhos em carro-forte ou com escolta.

Barbato afirma que 90% dos eletrônicos consumidos no Brasil são fabricados no próprio país.

Folhapress

CommentsComments

Bolsonaro veta isenção de cobrança de bagagem em voos domésticos

O presidente Jair Bolsonaro vetou hoje (17) a regulamentação de franquia de bagagem inserida por emenda parlamentar na tramitação da Medida Provisória (MP) 863. A MP, que foi apresentada pelo governo de Michel Temer, autoriza até 100% de capital estrangeiro em companhias aéreas e foi aprovada pelo Congresso Nacional em maio deste ano. Segundo informações da assessoria de imprensa do governo, o veto se deu por razões de interesse público e violação ao devido processo legislativo.

Os deputados incluiram no texto original da MP a volta da franquia mínima de bagagem no transporte aéreo doméstico e internacional. De acordo com o destaque, que foi vetado por Jair Bolsonaro, o passageiro poderia levar, sem cobrança adicional, uma mala de até 23 kg nas aeronaves a partir de 31 assentos. Essa é a mesma franquia existente à época em que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) editou resolução permitindo a cobrança.

Na Câmara dos Deputados, parlamentares contrários à volta da franquia alertaram para o fato de que o setor tem liberdade tarifária, o que implicaria o aumento das passagens. Os deputados que votaram a favor da volta da franquia destacaram que o argumento de diminuição do preço para justificar a cobrança pelo despacho de malas não se concretizou desde 2017.

O porta-voz da Presidência, Otávio Rego Barros, disse que a decisão do presidente foi tomada analisando vários aspectos, por razões de interesse público e suas consequências para o mercado nacional e que não há existe previsão da emissão de outra medida provisória. A partir do veto o tema continua sendo objeto da resolução da Agência Nacional de Aviação Civil
(Anac).

Agência Brasil

 

LOCAIS

OAB media acordo entre Governo do Estado e corporações militares

A Ordem dos Advogados do Brasil — Seccional Rio Grande do Norte — fez o papel de mediadora em reunião promovida nesta segunda-feira (17), na sede da Governadoria. A vice-presidente Rossana Fonseca representou a OAB/RN na audiência, que estabeleceu as bases do acordo entre o Governo do Estado e representantes da Polícia Militar (PM-RN) e do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBM-RN) para evitar a paralisação das duas categorias. O vice-governador Antenor Roberto representou a gestão estadual.

Durante o encontro, os membros das duas corporações militares aceitaram a proposta formulada pelo Poder Executivo e decidiram encerrar o movimento de paralisação deflagrado no início do dia. O Governo se comprometeu com as associações de praças e oficiais que apresentará até setembro o projeto de lei que reestrutura as carreiras e reduz as distorções salariais entre os militares estaduais e a Polícia Civil.

Além de atuar como mediadora na formatação do acordo entre Governo e militares, a OAB/RN vai participar do grupo de trabalho a ser formado pela administração estadual para a elaboração do projeto de lei, assim como a Associação dos Advogados do RN, que também esteve representada na reunião da Governadoria pela sua presidente, Kátia Nunes. “A OAB deu sua contribuição ao diálogo estabelecido entre o Governo, a PM e o Corpo dos Bombeiros. Felizmente, o bom debate produziu um acordo benéfico para todos, principalmente para a sociedade, que não será prejudicada com a paralisação de serviços essenciais na área da Segurança Pública”, avalia a vice-presidente Rossana Fonseca.

O secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Civil, Francisco Araújo, também ressaltou a união de esforços para a celebração do acordo. “A proposta foi construída com todas as mãos. Apresentamos a proposta possível, que inclui o envio do projeto de reestruturação em setembro e os aumentos sejam efetivados a partir de março de 2020”, explicou ele.

O Governo ainda garantiu aos policiais e bombeiros que os recursos extras, a serem recebidos até o fim do ano, serão destinados ao pagamento dos salários dos agentes de segurança pública que estão em atraso. A medida segue a política da gestão estadual de pagar os salários integrais dos agentes de segurança pública – ativos, inativos e pensionistas – dentro do mês trabalhado e na primeira data determinada pela área econômica.

A reunião contou ainda com a presença dos comandantes da PM-RN, coronel Alarico Azevedo, e do CBM-RN, coronel Monteiro Júnior, além do secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, e a secretária Virgínia Ferreira (Administração). Os deputados estaduais Kelps Lima e Coronel Azevedo também participaram do encontro.

As entidades representativas da tropa foram representadas pelo capitão PM Robson Teixeira, presidente da Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Rio Grande do Norte (ASSOFME); o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtententes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBM-RN), o cabo PM Roberto Campos, presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM-RN (ACS); e soldado Rodrigo Marimbondo, presidente da Associação de Bombeiros Militares do RN (ABM-RN).

Comments

Crea-RN e entidades de classe discutem ações contra projeto que revoga a lei do salário-mínimo profissional do Sistema.

A Presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias, reuniu os representantes das entidades de classe, diretoria e câmaras especializadas, no final da tarde desta segunda-feira (17), com o intuito de discutir providências em relação ao projeto apresentado pelo deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL/RS) que sugere a revogação da Lei 4.950-A/1966, que estabelece o salário-mínimo dos profissionais do Sistema Confea, Crea e Mútua.

“Fomos surpreendidos com a apresentação do Projeto de Lei nº 3.451/2019 que tem como objetivo revogar uma lei que está em vigor desde 1966 e que beneficia profissionais de diversas áreas”, ressaltou a presidente do Crea-RN, Ana Adalgisa Dias.

A ideia, discutida durante a reunião, foi a de elaborar uma carta para explicar os prejuízos que essa possível revogação irá provocar na vida de milhares de trabalhadores das áreas de engenharia, agronomia e geociências.

O assessor jurídico do Crea-RN, Murilo Mariz, explicou que o documento que será elaborado e apresentado pelo Conselho, com apoio das entidades de classe, vai “desconfigurar a ilegalidade que o parlamentar aponta constar na Lei 4.950-A/1966”.

Outra iniciativa, sugerida pelos representantes das entidades de classe, é que todos os parlamentares da bancada federal potiguar sejam visitados. “Vamos buscar o apoio de todos para tentar barrar essa revogação”, disse Francisco Auricélio de Oliveira Costa, representante da Associação Norte-Rio-Grandense dos Engenheiros Agrônomos (Anea).

 

Por Anderson Barbosa e Leonardo Erys, G1 RN

 

Participaram da reunião vice-governador, secretário de Segurança, comandantes das corporações e membros de associações — Foto: Arquivo Pessoal

Participaram da reunião vice-governador, secretário de Segurança, comandantes das corporações e membros de associações — Foto: Arquivo Pessoal

A paralisação dos policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte foi encerrada na tarde desta segunda-feira (17), após reunião envolvendo membros do governo do RN e representantes de associações de policiais e bombeiros militares. Em assembleia ocorrida após o encontro, eles decidiram aceitar a proposta consensual e dar fim à manifestação, que havia sido iniciada nesta manhã. Com isso, as categorias já voltaram ao trabalho normal.

Entre os acordos definidos na reunião está o comprometimento do Executivo para a elaboração de um projeto de lei que visa reduzir as diferenças salariais entre profissionais das polícias Civil e Militar. Outro acordo é para implantação por parte do governo de promoções e níveis dos policiais e bombeiros que estão atrasados.

“Não era exatamente o que queríamos, mas os policiais e bombeiros decidiram concordar com o que foi proposto pelo governo, até entendendo a necessidade que a população tem nesse serviço. Seguiremos, no entanto, acompanhando essas evoluções. Não admitimos nenhum retrocesso no que foi compactuado”, explicou o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, subtenente PM Eliabe Marques.

“Apresentamos a proposta possível, que inclui o envio do projeto de reestruturação em setembro e os aumentos sejam efetivados a partir de março de 2020”, disse o secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Civil, Francisco Araújo.

O governo do Rio Grande do Norte garantiu aos policiais e bombeiros que os recursos extras, que serão recebidos até o fim do ano, serão destinados ao pagamento dos salários dos agentes de segurança pública que estão em atraso.

Participaram da reunião o vice-governador Antenor Roberto, o secretário de Segurança Pública, coronel Francisco Araújo Silva, além dos comandantes das corporações, coronéis Alarico Azevedo (PM) e Luiz Monteiro da Silva (CBM), além de membros de associações de classes e representante da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional RN.

Por reajuste salarial, pagamento de folhas atrasadas e recomposição de efetivo, policiais e bombeiros militares do RN realizam protesto no Centro Administrativo do Estado — Foto: Ednaldo Lima/Inter TV Cabugi

Por reajuste salarial, pagamento de folhas atrasadas e recomposição de efetivo, policiais e bombeiros militares do RN realizam protesto no Centro Administrativo do Estado — Foto: Ednaldo Lima/Inter TV Cabugi

A paralisação

PMs e bombeiros militares pararam as atividades por volta das 8h desta segunda-feira (17). Um acampamento foi montado na frente da Governadoria, no Centro Administrativo do Estado, como forma de pressionar o governo a receber a diretoria das associações.

Sobre a segurança nas ruas, o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, subtenente PM Eliabe Marques, disse ao G1 que as viaturas deveriam ficar aquarteladas e os efetivos que foram trabalhar eram suficientes apenas para garantir a segurança do patrimônio das próprias corporações.

Viaturas do 9º Batalhão da PM não saíram às ruas na manhã desta segunda-feira (17) — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi

Viaturas do 9º Batalhão da PM não saíram às ruas na manhã desta segunda-feira (17) — Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi

O comércio não foi afetado pela paralisação. A Polícia Civil manteve o atendimento normal nas delegacias e outros agentes da segurança pública, como servidores do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) e agentes penitenciários, também seguiram trabalhando normalmente.

Batalhões

Pela manhã e início da tarde, equipes da Inter TV Cabugi foram a três dos quatro batalhões da PM, em Natal.

  • No 9º BPM, que atende aos bairros da Zona Oeste da cidade, nenhuma viatura havia saído do quartel até as 12h.
  • No 1º BPM, que atende aos bairros da Zona Leste, nenhuma viatura havia deixado a unidade até as 12h. Porém, os policiais de plantão disseram que dois carros deveriam sair até o final da manhã.
  • No 5º BPM, que atende aos bairro da Zona Sul, três viaturas haviam deixado a unidade até as 12h45. O efetivo é considerado normal quando não há ocorrências que exijam um reforço maior nas ruas.

Apesar de a Inter TV Cabugi não ter ido ao 4º BPM – unidade que atende aos bairros da Zona Norte – policiais ouvidos pelo G1 disseram que apenas uma viatura estava circulando na região até as 12h15.

Reforço

Ainda no final da manhã, o prefeito de Natal Álvaro Dias usou uma rede social para anunciar que a Guarda Municipal seria utilizada nas ruas para reforçar a segurança da população em Natal, principalmente nos terminais e corredores de ônibus durante a paralisação. “Vamos manter um Gabinete de acompanhamento da crise e contato permanente com o Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública) para uma atuação integrada e reforçar a segurança nos terminais e corredores de ônibus”, afirmou.

Fonte: G1 RN

Por G1 RN

 

Mostra reúne cerca de 2 mil espectadores por dia — Foto: Divulgação

Mostra reúne cerca de 2 mil espectadores por dia — Foto: Divulgação

Abriram nesta segunda-feira (17) as inscrições para profissionais que queiram ter suas produções exibidas na 6ª Mostra de Cinema de Gostoso, que acontece em novembro no município de São Miguel do Gostoso, no litoral Norte potiguar. Os interessados em se inscrever podem acessar a página do evento (clique AQUI) até o dia 23 de agosto para participar.

A Mostra será na Praia do Maceió. A população poderá acompanhar os curtas e longas-metragens na beira do mar. O evento conta com 600 cadeiras espreguiçadeiras espalhadas pela areia apontadas para a tela, que também fica na praia. O festival, que acontece durante cinco dias, tem média de 2 mil pessoas por noite.

Nas telas, o público pode assistir aos mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros. Serão exibidos mais de 60 filmes de todo o país, entre as mostras Competitiva, Panorama, Infantil e Sessões Especiais. Os filmes da Mostra Competitiva concorrem ao Troféu Luís da Câmara Cascudo, através do voto popular ao melhor curta e longa-metragem. Também será concedido o Prêmio da Crítica, a partir da votação de jornalistas e críticos de cinema.

Também fazem parte da programação debates com produtores, diretores e atores dos filmes exibidos, além de um seminário sobre o mercado audiovisual.

A Mostra de Cinema de Gostoso acontece neste ano entre os dias 8 e 12 de novembro.

Cursos de Formação

São oferecidos cursos de formação técnica e audiovisual para jovens de São Miguel do Gostoso nos meses que antecedem a Mostra. Desde 2013 foram ministradas 37 oficinas e produzidos 15 curtas-metragens, todos exibidos nas edições da Mostra de Cinema de Gostoso.

Desde 2015, passou a existir o Coletivo Nós do Audiovisual, formado por um grupo de alunos, com o objetivo de ampliar as possibilidades de realização de novos projetos, de forma autônoma, apontando para profissionalização no setor audiovisual do estado.

Em 2019, a intenção é que sejam realizadas novamente oficinas, que incluem Linguagem Audiovisual, Roteiro, Produção, Montagem e a realização de quatro curtas-metragens, que serão exibidos na Mostra.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu