ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Governo confirma que vai liberar saques de contas do FGTS e do PIS, e prevê injetar R$ 63 bi na economia. Na Argentina, Bolsonaro volta a defender a indicação do filho como embaixadorDodge critica decisão de Toffoli que suspendeu investigações com dados do Coaf. MEC lança plano para elevar verba privada nas universidades federais. O PDT suspende Tabata Amaral e mais 7 que votaram pró-reforma da Previdência. MP devolve inquérito sobre o incêndio no Ninho do Urubu à polícia. Megatraficante El Chapo terá que cumprir prisão perpétua nos EUA. Surto de ebola faz a OMS declarar emergência internacional. E o Instagram começa a esconder o número de curtidas.

INTERNACIONAIS

El Chapo

Mexicano El Chapo é condenado a prisão perpétua nos EUA

Mexicano El Chapo é condenado a prisão perpétua nos EUA

O ex-chefe do maior cartel de drogas do mundo, o traficante mexicano El Chapo, foi condenado à prisão perpétua nos EUA. A sentença saiu cinco meses após o julgamento, que considerou o traficante culpado em 10 acusações.

Um dos fundadores do cartel de Sinaloa foi preso em 2016 e extraditado do México para os Estados Unidos em 2017. Desde então, ele ficou praticamente isolado do mundo exterior, em prisão solitária, por ter um histórico de fugas de cadeias mexicanas.

NACIONAIS

Saques do FGTS

Bolsonaro confirmou que o governo vai anunciar nos próximos dias a liberação de saques de contas ativas e inativas do FGTS e do PIS-Pasep. A medida é uma tentativa para aquecer a economia com a injeção de R$ 63 bilhões no mercado, segundo a previsão do ministro Paulo Guedes.

A equipe econômica vai apresentar amanhã para Bolsonaro mais de uma proposta de saque do FGTS, segundo o colunista Valdo Cruz. As medidas vão de saque único a retirada anual, que funcionaria como 14º salário.

Bolsonaro no Mercosul

Bolsonaro participa em Santa Fé, na Argentina, da 54ª cúpula de chefes de Estado do Mercosul — Foto: Alan Santos/PRBolsonaro participa em Santa Fé, na Argentina, da 54ª cúpula de chefes de Estado do Mercosul — Foto: Alan Santos/PR

O presidente passou o dia na Argentina, onde assumiu temporariamente o comando do Mercosul. Os governos de Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai anunciaram o fim da cobrança da taxa de deslocamento de telefone celular, o chamado roaming internacional, entre os países. Para começar a valer, medida ainda precisa ser aprovada pelo Congresso.

Ao discursar, Bolsonaro afirmou que o bloco deve se concentrar em três áreas, sendo uma delas as negociações externas, com “zelo nas indicações das embaixadas”.

Depois, em entrevista, o presidente disse que, desde 2003, os embaixadores brasileiros nos EUA não fizeram “nada de bom” para o Brasil, e voltou a defender a indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil em Washington.

“Imagina se o filho do Macri fosse embaixador no Brasil? Ligando pra mim, querendo falar comigo, quando ele seria atendido? Amanhã, semana que vem ou imediatamente? É essa que é a intenção”, explicou.

Inquéritos suspensos

A procuradora-geral Raquel Dodge disse ver com ‘preocupação’ a decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, que suspendeu inquéritos com dados do Coaf compartilhados com o MP e a PF sem autorização da Justiça.

A decisão de Toffoli também recebeu críticas da associação de procuradores. A ANPR disse em nota que a medida é prejudicial. As forças-tarefas da Lava Jato e da Greenfield divulgaram nota dizendo que a medida cria risco a investigações.

O plenário do STF analisará o tema em 21 de novembro. Até lá, o Coaf compartilhará somente dados simplificados com MP.

A medida foi tomada após um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidente. Ele é alvo de inquérito no RJ que envolve o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Ensino superior

MEC lança programa para reestruturar o financiamento do ensino público superior

MEC lança programa para reestruturar o financiamento do ensino público superior

O Ministério da Educação anunciou um plano para incentivar a parceria de universidades federais com a iniciativa privada, e elevar a verba das instituições, que poderão fazer PPPs, criar fundo com doações e vender nomes de prédios. O programa, que se chamará “Future-se”, ainda passará por consulta pública antes de seguir para o Congresso.

Caça aos ‘infiéis’

Deputada Tabata Amaral — Foto: Will Shutter/ Câmara dos DeputadosDeputada Tabata Amaral — Foto: Will Shutter/ Câmara dos Deputados

PDT anunciou que suspendeu as atividades partidárias da deputada Tabata Amaral e outros 7 parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência. Eles não poderão falar pelo partido, até que o processo que pode resultar na expulsão deles, seja concluído.

Na segunda, o PSB também decidiu abrir processo para definir a situação dos deputados ‘infiéis’ da sigla que contrariaram a determinação partidária na votação em 1º turno da reforma.

Ninho do Urubu

MPRJ diz que ainda não há provas para denunciar oito pessoas por incêndio no Flamengo

MPRJ diz que ainda não há provas para denunciar oito pessoas por incêndio no Flamengo

O Ministério Público do RJ devolveu à Polícia Civil o inquérito sobre a tragédia do Ninho do Urubu, o Centro de Treinamento do Flamengo, onde 10 atletas de base do time morreram durante um incêndio, em fevereiro. Segundo o MP, as provas apresentadas pela polícia não são suficientes para denunciar à Justiça os oito indiciados no caso, entre eles, o ex-presidente do clube, Eduardo Bandeira Mello.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Presidente confirma que quer reduzir alíquota do IR para máximo de 25%

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (17) que o governo vai trabalhar por uma reforma tributária mexendo apenas em impostos federais, com perspectiva de redução da carga tributária ao longo dos anos. Uma das mudanças seria a redução da alíquota máxima do imposto de renda (IR) para 25%. Atualmente, pessoas físicas pagam até 27,5% e pessoas jurídicas, como empresas, pagam até 34% de IR. Outra ideia do governo é unificar impostos e contribuições federais, como PIS, Cofins, IPI e IOF, em um imposto único.

“O que nós queremos fazer, conforme explanação do Marcos Cintra, no dia de ontem, na reunião de ministros, é mexer só com os tributos federais. Uma tabela de imposto de renda de, no máximo, 25%, e dar uma adequada. E nós queremos, segundo o próprio Onyx Lorenzoni falou, no dia de ontem, na reunião, nós queremos, ano a ano, ir reduzindo nossa carga tributária”, afirmou o presidente em entrevista a jornalistas logo após participar da cúpula do Mercosul, em Santa Fé, na Argentina.

O Brasil assumiu a presidência pro-tempore do bloco pelos próximos seis meses. Durante seu discurso na cúpula, Bolsonaro afirmou que pretende trabalhar pela redução de tarifas e ampliação de acordos comerciais. O presidente retorna ainda na tarde desta quarta-feira para Brasília.

Ainda na entrevista, Bolsonaro disse que esta semana devem ser anunciadas novas regras para saques de contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). “É uma pequena injeção na economia e é bem-vindo isso daí, porque começa a economia, segundo os especialistas, a dar sinais de recuperação”, disse.

Perguntado sobre a possibilidade do Senado reincluir estados e municípios na reforma da Previdência, o presidente ponderou que isso deveria ser feito em um projeto paralelo, para evitar que o texto tenha retornar à Câmara dos Deputados.

“Eu acho que não é o caso de mexer nessa proposta, porque ela voltaria para a Câmara. Pode ser uma PEC paralela, é outra história para ser discutida”, disse

Comments

Guedes elogia ideia para reincluir estados na reforma da Previdência

A reinclusão dos estados e dos municípios na reforma da Previdência pelo Senado ajudaria o país, disse hoje (17) o ministro da Economia, Paulo Guedes. Em entrevista a jornalistas em Santa Fé, Argentina, onde ocorre a reunião de cúpula do Mercosul, ele elogiou a ideia de reinserir as prefeituras e os governos estaduais na reforma por meio de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) paralela.

Reafirmando que a inclusão dos servidores públicos estaduais e municipais resultaria numa economia adicional de R$ 350 bilhões, Guedes não quis comentar mais detalhes sobre o texto aprovado em primeiro turno pela Câmara dos Deputados na última sexta-feira (12). Ele, no entanto, se disse confiante nos esforços do Congresso, tanto para aprovar a reforma da Previdência como para reincluir os governos locais.

“Vamos esperar o trabalho do Congresso porque eu confio no Congresso. Ainda tem segundo turno [na Câmara], tem Senado. Está se falando que Senado vai incluir estados e municípios. São mais R$ 350 bilhões. Isso é importante para o Brasil, ajuda bastante. Então tem muita coisa para acontecer”, declarou o ministro, na primeira manifestação pública após a votação na Câmara.

O ministro esclareceu que a economia total para o governo federal nos próximos dez anos, estimada em R$ 900 bilhões, ficou inferior à estimativa inicial de R$ 1 trilhão pedida pela equipe econômica. No entanto, disse ficar contente se os estados e os municípios voltarem para a reforma. “Nós estamos falando do Brasil, não é só da União. Se voltam R$ 350 bilhões via Senado, isso é bom para o Brasil, porque Estados e municípios também participam desse ajuste que o sistema previdenciário precisa”, acrescentou.

Capitalização

O ministro não quis comentar a intenção do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de encaminhar uma nova PEC ao longo do segundo semestre para reinserir a capitalização, sistema em que cada trabalhador tem uma conta individual de Previdência. Ele, no entanto, defendeu a proposta, dizendo que ela ajudará o país a retomar o crescimento.

“Essas reformas são importantes. Em relação à Previdência, o que temos dito é que o sistema de repartição [em que os trabalhadores na ativa financiam as atuais aposentadorias] está condenado. Então, gostaríamos de mudar o eixo para um sistema de capitalização, que bota o Brasil pra crescer. O Brasil pode crescer 4%, 5% ao ano se tiver um mecanismo automático de acumulação de recursos”, declarou.

Mercosul

Sobre o Mercosul, Guedes disse que, paralelamente à reforma da Previdência, o governo trabalhou para concluir o acordo entre o Mercosul e a União Europeia e agora busca dar continuidade a abertura comercial gradativa da economia brasileira. “O mundo inteiro cresceu muito mais que a economia brasileira nos últimos 30 anos porque eram economias que estavam integradas. Todo mundo crescendo junto. E o Brasil ficou para trás. Queremos sair do modelo de substituição de importações para um modelo de integração competitiva com as economias globais. Em serviços, em investimentos, em comércio”, comentou.

Sobre uma eventual moeda única entre o Brasil e a Argentina, levantada pelo presidente Jair Bolsonaro em visita ao país vizinho no mês passado, Guedes disse que a ideia é discutida “num horizonte distante” e não tem previsão de entrar em vigor tão cedo e pode até nunca avançar, dependendo do resultado das eleições presidenciais argentinas, no fim de outubro.

“Como a Argentina está com inflação alta, poderia ser mais oportuno [para os argentinos] tentar acelerar a convergência para uma moeda comum. Mas, do ponto de vista objetivo, não teve nada. Foi uma conversa. Estávamos falando de um horizonte mais distante onde desembocaríamos depois de uma integração econômica. Evidente que se isso fosse acelerado poderia ajudar na situação argentina, mas não é algo simples. Teria que ser muito estudado. Se muda o ciclo político, pode ser até impossível”, concluiu o ministro.

Agência Brasil

Comments

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro lançará nesta quinta-feira (18) um pacote de medidas de estímulo à economia e de desburocratização da máquina pública.

O anúncio será feito em evento em comemoração aos 200 dias de seu mandato, que será promovido no Palácio do Planalto e no qual será apresentado também um balanço do período.

Na cerimônia, o presidente revogará decretos administrativos que hoje não têm mais efeito prático, em um esforço para simplificar as regras vigentes.

Ele também assinará iniciativa que facilita a abertura e o encerramento de empresas, com novas regras para autenticação de documentos. A mudança era prevista em medida provisória que perdeu efeito neste mês.

O presidente irá regulamentar ainda a criação de um selo único, chamado Arte, que permitirá a venda de produtos artesanais com origem animal em todo o país.

Atualmente, essa comercialização é limitada à região de produção e de fiscalização do processo. Com o selo, o governo espera estimular a fabricação de produtos como queijo, mel e embutidos.

O pacote também pode incluir a liberação de saques de contas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo Serviço), no valor de R$ 42 bilhões, e do PIS-Pasep, no montante de R$ 21 bilhões.

A medida, no entanto, ainda está em fase de finalização, o que pode atrasar o seu anúncio para o final desta semana.

Outra iniciativa, que também há expectativa de anúncio, é a venda de imóveis da União. A previsão é de que ela eleve a arrecadação deste ano em até R$ 1 bilhão e, do primeiro trimestre de 2020, em mais R$ 4 bilhões.

O pacote presidencial também incluirá iniciativas na área social, como a criação do programa federal Casa Dia, uma rede de atendimento, acolhimento e assistência a idosos.

No evento, o governo federal ainda ressaltará medidas liberais adotadas na área trabalhista, como a permissão de trabalho para setores da economia aos domingos e feriados.

O presidente quer transformar essa autorização feita por meio de portaria em lei, usando uma medida provisória que já está pronta para ser analisada pelo plenário da Câmara.

Por causa do elevado número de anúncios, o Ministério da Economia avalia adiar para a sexta-feira (19) a estimativa de economia com a versão aprovada em primeiro turno da reforma previdenciária.

Folhapress

Comments

Brasil está entre os que mais confiam na imprensa, aponta pesquisa Ipsos

A pesquisa Trust in the Media, confiança na mídia, realizada em 27 países pela Ipsos, mostra o Brasil empatado com a Alemanha como o terceiro país em que mais se confia na imprensa. Índia e China lideram.

Dos 1.000 brasileiros adultos que participaram do levantamento, realizado em janeiro e fevereiro, 65% responderam confiar em jornais e revistas, o mesmo percentual para emissoras de televisão e rádio. Sites de notícias vieram a seguir, com 58%.

Os indianos apresentam o maior percentual de confiança na imprensa (77%), seguidos dos chineses (67%). Depois de brasileiros e alemães, vêm sul-africanos (64%), malaios e canadenses (62% em cada um dos dois países).

Na média dos 27 países, 47% confiam em jornais e revistas, 65% em televisão e rádio e 58% em sites.

A margem de erro para a pesquisa no Brasil é de 3,1 pontos percentuais.

Folhapress

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Por G1 RN

 

Mossoró Motoshow acontece neste fim de semana — Foto: Divulgação

Mossoró Motoshow acontece neste fim de semana — Foto: Divulgação

O Mossoró Motoshow, um evento de exposição de motocicletas, vai acontecer nesta sexta-feira (19) e sábado (20) na Arena Partage, em Mossoró, com entrada gratuita. A programação conta ainda com música e área de alimentação.

Essa é a 13ª edição do evento, que começa às 18h30 nos dois dias. A programação musical terá as bandas RobinzBand, Rádio Moscou e Alfredo e Os Caras, além de covers do Queen e Elvis Presley.

Idealizado pelo Moto Clube Carcarás do Asfalto, o Mossoró Motoshow busca gerar a paixão pelo motociclismo. O evento tem uma média de público de 20 mil pessoas, entre expositores e visitantes.

Além das exposições e dos shows, o espaço também contará com um food park com diversas opções de comidas e bebidas.

Serviço

  • Onde? Arena Partage – Partage Shopping Mossoró
  • Quando? Sexta-feira (19) e sábado (20)
  • Horário? A partir das 18h30
  • Quanto? Entrada gratuita

Fonte: G1 RN

 

Por G1 RN

 

Fórum discute boas práticas de fabricação da água mineral no Rio Grande do Norte — Foto: Divulgação

Fórum discute boas práticas de fabricação da água mineral no Rio Grande do Norte — Foto: Divulgação

Empresários, distribuidores e revendedores de água mineral natural vão se reúnem nesta quarta-feira (17), desde as 18h, no Fórum “Boas Práticas com a Água Mineral”. O evento acontece na Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte e tem por objetivo estimular a garantia da qualidade da água mineral consumida pela população potiguar.

De acordo com a organização, serão debatidos assuntos que tratam diretamente da segurança alimentar da água, desde o beneficiamento na fonte até a chegada à casa do consumidor. A Cadeia Produtiva da Água Mineral no Estado, o Código Brasileiro de Trânsito, o Novo Modelo de Tributação das Águas Minerais do RN, Armazenamento e Empreendedorismo, são os temas que vão guiar o Fórum.

“Neste evento vamos tratar das responsabilidades de cada um em evitar qualquer tipo de contaminação que possa prejudicar a saúde e o bem-estar da sociedade.”, explica Djalma Barbosa Júnior, coordenador do evento e presidente do Sindicato das Empresas de Água Mineral no RN.

Segundo ele, as Boas Práticas de Fabricação (BPF) são importantes por reduzirem o risco de qualquer tipo de contaminação e misturas inadequadas nos produtos, além de serem fundamentais para garantir a qualidade das atividades e a boa reputação de uma indústria.

Em 10 anos, o setor cresceu 300% no Rio Grande do Norte, segundo dados do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Hoje são produzidos cerca de 507 milhões de litros de água mineral natural ao ano no estado. O setor gera em torno de 10 mil empregos diretos e indiretos.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu