ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE DOMINGO

INTERNACIONAIS

Países reagem a declarações de Trump contra comunicado final de Cúpula do G7

Após abandonar o encontro antes do fim, presidente americano atacou premiê canadense, Justin Trudeau, que conduziu a cúpula em Quebec.

Por G1

 

O anúncio de retirada de apoio ao documento final aconteceu após Trudeau fazer fortes críticas às sobretaxas sobre o aço e alumínio aplicada pelos EUA recentemente. Segundo o primeiro-ministro do Canadá, trata-se de um “insulto” que provocará retaliação a partir do próximo mês.

“É com pesar, mas com absoluta clareza e firmeza, que avançaremos com medidas retaliatórias em 1º de julho, aplicando tarifas equivalentes àquelas que os americanos aplicaram injustamente a nós”, afirmou o anfitrião da conferência, a jornalistas.

“Nós canadenses somos educados, somos razoáveis, mas também não seremos maltratados”

Na sequência, Trump reiterou a ameaça de impor tarifas “aos carros que inundam o mercado americano”, uma decisão que aponta inicialmente para a Alemanha, outro membro proeminente do G7.

Reagindo aos comentários de Trump, o gabinete de Trudeau disse que o primeiro ministro “não disse nada que não havia dito antes – tanto em conversas públicas quanto privadas com o presidente”.

Clima tenso na cúpula

Em entrevista coletiva, antes de deixar a cúpula, Trump ainda tentou manter um “tom conciliador”, chegando a propor uma zona de livre comércio entre os países do G7 e da União Europeia em uma tentativa de responder às acusações de que seria protecionista por impor sobretaxas ao aço e ao alumínio.

O clima tenso da cúpula do G7 deste ano, entretanto, foi ilustrado em uma série de fotos. Uma delas mostra o presidente sentado, com os braços cruzados, olhando com um leve sorriso em direção à chanceler federal alemã, Angela Merkel, e ao presidente francês, Emmanuel Macron, que estavam atrás de uma pesa e pareciam tentar convencê-lo, como destacou a Deutsche Welle.

Trump irritou seus parceiros do G7 com sua agenda “América Primeiro” e prometeu se manter firme até que os produtos norte-americanos tivessem acesso “justo” aos mercados.

Premiê canadense, Justin Trudeau, e presidente americano, Donald Trump, durante encontro na sexta-feira (8) (Foto: Christinne Muschi/ Reuters)

Premiê canadense, Justin Trudeau, e presidente americano, Donald Trump, durante encontro na sexta-feira (8)

(Foto: Christinne Muschi/ Reuters)

O líder americano vem causando constrangimento aos parceiros antigos não só no comércio. Trump retirou os EUA de acordos internacionais, como o pacto nuclear com o Irã – fechado em 2015 com China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha – e o Acordo de Paris sobre mudança climática – assinado por quase 200 países.

França

Em nota, o governo francês afirmou que “a cooperação internacional não pode depender de ataques de raiva e palavras mesquinhas: sejamos sérios e dignos de nossos povos”, segundo a Rádio França Internacional (RFI).

A nota do palácio do Eliseu denuncia a “incoerência” e a “inconsistência” de Trump. “Nós passamos dois dias negociando para concluir um texto e compromissos. Vamos permanecer ligados a ele, e qualquer um que der as costas [ao comunicado conjunto] mostra sua incoerência e inconsistência”, afirma o Palácio do Eliseu em seu comunicado.

“A França e a Europa continuam a apoiar este comunicado, como esperamos de todos os membros signatários”, concluiu.

Especialistas franceses veem na atitude imprevisível de Trump um jeito dele reforçar seu cacife e exibir força para a cúpula de Singapura com o líder norte-coreano, Kim Jong Un, além de rebaixar os aliados.

Líderes posam para foto em encerramento da reunião de cúpula do G7 no Canadá, no sábado (9) (Foto: Yves Herman/Reuterd)

Líderes posam para foto em encerramento da reunião de cúpula do G7 no Canadá, no sábado (9) (Foto: Yves Herman/Reuterd)

Alemanha

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, acusou Trump neste domingo de “destruir a confiança” ao retirar o apoio americano ao comunicado.

“Em questão de segundos, você consegue destruir o sentimento de confiança com apenas 280 caracteres de Twitter. Agora é ainda mais importante que a Europa se mantenha unida e que defenda com mais clareza seus interesses”, afirmou.

“Na verdade, isso não é uma surpresa, pois já havíamos visto esse mesmo comportamento na ocasião do acordo do clima ou do Irã”, disse Maas.

China

O presidente da China, Xi Jinping, que enfrenta uma disputa comercial acirrada com os Estados Unidos, também se manifestou neste domingo (10), dizendo que a China rejeita “políticas comerciais egoístas e míopes” e pediu pela construção de uma economia global aberta. Porém, não fez referência direta ao encontro do G7.

Rússia

O presidente russo, Vladimir Putin, ironizou “o falatório criativo” dos países do G7 e os convidou a “se concentrar nas questões concretas próprias de uma verdadeira cooperação”.

Durante a cúpula, o G7 pediu à Rússia que pare com suas tentativas de “minar os sistemas democráticos” e rejeitou uma proposta de Trump de reintegrar o país ao grupo.

A Rússia foi excluída após a sua anexação da Crimeia em 2014, condenada como um ataque à soberania da Ucrânia.

Fonte: G1

Imbatível, Nadal vence Thiem, conquista 11º título de Roland Garros e se emociona

Rei do saibro, espanhol atropelou o austríaco por 3 sets a 0, apesar de cãibra na mão. Com a vitória, ele agora acumula 17 títulos de Grand Slam

Imbatível, Nadal vence Thiem, conquista 11º título de Roland Garros e se emociona

Por Globoesporte.com, Paris, França

 

Rafael Nadal é mais uma vez campeão de Roland Garros. O espanhol conquistou o 11º título do torneio francês na carreira em sua 24ª final de Grand Slam. Agora já são 17 taças dos quatro maiores torneios do tênis na estante do Touro Miúra. O número 1 do mundo atropelou na final o austríaco Dominic Thiem por 3 sets a 0, parciais 6/4, 6/3 e 6/2. Com direito a presenças ilustres de Zidane e Guga nas arquibancadas de Paris e cãibra na mão no terceiro set, Nadal bateu o próprio recorde e segue mais absoluto que nunca em Roland Garros.

“Impossível acreditar em tudo isso, é mais que um sonho ganhar Roland Garros pela 11ª vez”

– Essa torcida e atmosfera são inigualáveis. Os torcedores da França sabem torcer como poucos. Aguardo todo ano por esse momento. É o melhor torneio do mundo – disse Nadal, tentando conter as lágrimas.

+ Memória: relembre em fotos os 10 primeiros títulos de Nadal em RG

Rafael Nadal alcançou sua 87ª vitória no saibro de Roland Garros. Para Thiem, essa foi a primeira decisão de título Grand Slam da carreira. Nos últimos dois anos, ele havia sido eliminado nas semifinais de Roland Garros. Em dez confrontos entre os tenistas, Nadal acumula agora sete vitórias. O austríaco triunfou em 2016, no Aberto de Buenos Aires, em 2017, no Masters 1000 de Roma, e repetiu o feito no Masters 1000 de Madrid este ano, aliás, foi o único tenista a derrotar Rafael Nadal no saibro em 2018.

No sábado, a romena Simona Halep bateu a americana Sloane Stephens e conquistou seu primeiro título de Grand Slam na carreira para ficar com a taça de Roland Garros na chave feminina. Halep confirmou seu posto de número 1 da WTA.

Os 17 Grand Slams de Nadal

  • Roland Garros – 11 títulos (2005/2006/2007/2008/2010/2011/2012/2013/2014/2017/2018)
  • US Open – 3 títulos (2010/2013/2017)
  • Wimbledon – 2 títulos (2008/2010)
  • Aberto da Austrália – 1 título (2009)

Impressionante!

Em três anos, apenas o argentino Diego Schwartzman conseguiu vencer um set de Nadal em Roland Garros. Nas quartas de final deste ano, o baixinho venceu o primeiro set (6/4) da partida que terminou 3 sets a 1 para o espanhol. Nadal vinha de 38 sets vencidos na sequência – a última derrota tinha sido em uma parcial pelas quartas de final de 2015, quando foi superado por 3 sets a 0 para Novak Djokovic. Em 2016, o espanhol foi eliminado por W.O após sofrer uma lesão e abandonar o torneio antes de disputar a terceira rodada. Em 2017, ele foi campeão sem ceder sets.

Torcida de peso

Na arquibancada de Paris, figuras ilustres estiveram presentes. Ex-técnico do Real Madrid e campeão da Copa do Mundo com a França em 1998, Zidane acompanhou a final de Roland Garros. O cantor Roger Waters, um dos fundadores da lendária banda Pink Floyd, também prestigiou a final. Como não poderia ser diferente, o tricampeão de Roland Garros Gustavo Kuerten até registrou os momentos do jogo em vídeo.

Nadal x Thiem (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

Nadal x Thiem (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

Roger Waters assiste à final de Roland Garros (Foto: Reuters)

Roger Waters assiste à final de Roland Garros (Foto: Reuters)

Hugh Grant Roland Garros (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

Hugh Grant Roland Garros (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

O jogo

O primeiro set foi bastante equilibrado, com incrível estabilidade de Nadal e bela atuação de Dominic Thiem. Mas, mais do que tênis, faltou ao austríaco frieza e maturidade para confirmar o saque com parcial 4/5. Simplesmente, Thiem cometeu quatro erros em sequência e praticamente deu ao rei do saibro o primeiro set.

Nadal x Thiem (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

Nadal x Thiem (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)

No segundo, Nadal mais uma vez começou no saque. Desestabilizado emocionalmente, Thiem não conseguiu manter o mesmo nível na troca de bolas. Logo em seu primeiro serviço, o austríaco foi quebrado pelo espanhol e durante o set não conseguiu reagir, ao contrário do que tinha acontecido no primeiro – 2 sets a zero com parcial 6/3.

No set derradeiro, Thiem começou no saque. Mas, já no primeiro game, o austríaco levou sete minutos para confirmar o serviço. Quando ia vencendo por 3 sets a 1, Nadal teve cãibra na mão e precisou receber atendimento. Pois nem com dores o espanhol deu chance para uma reação austríaca. Nadal atropelou o Thiem com 6 a 2 no último set.

Rafael Nadal recebe atendimento na mão (Foto: Reuters)

Rafael Nadal recebe atendimento na mão (Foto: Reuters)

O recorde

O recorde de títulos em Roland Garros já era de Nadal antes mesmo da vitória diante de Thiem. Atrás do espanhol está o francês Max Decugis, com oito títulos, antes da Era Aberta – antes de 1968, quando o esporte passou a ser profissional. Da mesma “era” de Nadal, o tenista mais próximo do rei do saibro é Björn Borg, com seis vitórias. Cinco títulos atrás do Espanhol, o sueco tem atualmente 62 anos. Assim, fica difícil alguém parar Nadal. Mas, será que é possível?

Os campeões na Era Nadal

2018 Rafael Nadal Espanha
2017 Rafael Nadal Espanha
2016 Novak Djokovic Sérvia
2015 Stan Wawrinka Suíça
2014 Rafael Nadal Espanha
2013 Rafael Nadal Espanha
2012 Rafael Nadal Espanha
2011 Rafael Nadal Espanha
2010 Rafael Nadal Espanha
2009 Roger Federer Suíça
2008 Rafael Nadal Espanha
2007 Rafael Nadal Espanha
2006 Rafael Nadal Espanha
2005 Rafael Nadal Espanha

NACIONAIS

 

VAMOS FICAR DE OLHO NISSO

Após O STF Liberar A Fraude, A DATAFOLHA Vem Pra Cima Com As Pesquisas Fajutas!

STF proíbe voto impresso. Urnas não podem ser auditadas. Logo em seguida, Datafolha divulga pesquisa onde Lula lidera as pesquisas. Próximo passo é o STF passar por cima de tudo e liberar a candidatura de presidiário?…

Já era esperado: 1. STF barra voto impresso 2. Pesquisas tendenciosas anestesiam a opinião pública com resultados artificiais 3. O restante da obra é feito pelas urnas “vote em Zé e eleja João”.

Fonte: Notícias Brasil On Line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sign up
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.
We do not share your personal details with anyone.
0