PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

TV divulga a continuação da troca de mensagens entre Neymar e Najila Trindade. ‘Tá doido’, disse a modelo após o jogador afirmar que ela também é culpada por marcas de suposta agressão. Ao deixar a delegacia em que prestou depoimento sobre a divulgação de fotos da mulher que o acusa, Neymar agradeceu aos fãs que o esperavam: ‘Me senti amado’. Bolsonaro volta ao Brasil após viagem oficial à Argentina. Pais das meninas que morreram atingidas por uma rochaem montanha no Chile falam ao G1. No Reino Unido, May deixa liderança do Partido Conservador, mas continua no cargo de premiê até que o sucessor seja eleito. A inflação de maio e o fim das inscrições para o Sisu.

INTERNACIONAIS

Theresa May: saindo de cena

A primeira-ministra britânica Theresa May — Foto: Pascal Rossignol / ReutersA primeira-ministra britânica Theresa May — Foto: Pascal Rossignol / Reuters

Theresa May deixa hoje a liderança do Partido Conservador. Ela permanece, porém, como primeira-ministra do Reino Unido até que seu sucessor seja eleito, o que deve acontecer na segunda quinzena de julho.

Membros de seu partido terão uma semana para se inscrever e concorrer à liderança e, consequentemente, ao cargo de premiê, já que o Partido Conservador ocupa a maioria na Câmara dos Comuns.

De acordo com a BBC, 11 políticos confirmaram intenção de participar do processo. Entre os mais conhecidos estão o ex-prefeito de Londres, Boris Johnson, e ex-ministros e secretários, como Michael Gove, Andrea Leadsom e Jeremy Hunt.

Por Reuters

 

Dano causado por explosão em um prédio na Suécia — Foto: Jeppe Gustafsson/TT News Agency/Reuters

Dano causado por explosão em um prédio na Suécia — Foto: Jeppe Gustafsson/TT News Agency/Reuters

Um prédio na cidade sueca de Linkoping foi danificado e 19 pessoas tiveram ferimentos leves. A polícia suspeita que pode ter sido pela explosão de uma bomba.

Os agentes investigam o que aconteceu. A rádio pública sueca relatou que uma explosão destruiu os vidros e os terraços de um prédio residencial de cinco andares e danificou edifícios vizinhos.

Uma parte dos feridos foi levada a um hospital universitário da cidade.

Prédios na região foram isolados com faixas, mas não há planos para tirar as pessoas das casas.

A causa da explosão não é clara, mas na Suécia, houve casos de explosivos serem usados em ataques entre gangues rivais nos últimos anos.

Fonte: G1

NACIONAIS

Novas mensagens no caso Neymar

Neymar presta depoimento na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática

Neymar presta depoimento na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática

A TV Record divulgou sequência da conversa entre Neymar e Najila Trindade Mendes de Souza, em 16 de maio, dia seguinte ao suposto estupro‘Tá doido?’, diz a jovem em mensagem após o jogador afirmar que ela também foi culpada pelas marcas nas nádegas porque ‘pedia mais’.

O advogado disse que Najila deve comparecer hoje de manhã à delegacia que conduz o inquérito, em São Paulo. Mas o vídeo na íntegrasó deve ser entregue à polícia depois que ele for estudado pela defesa.

A delegada Juliana Lopes Bussacos, que investiga a acusação contra Neymar na Delegacia de Defesa da Mulher, na Zona Sul de São Paulo, tem em mãos uma carta precatória com duas perguntas que devem ser feitas a Najila no inquérito que apura a exposição de imagens íntimas dela em redes sociais, em apuração no Rio de Janeiro. A primeira delas:se Najila confirma que as conversas expostas por Neymar foram realizadas. E a segunda: se ela autorizou a publicação ou se compartilhou as imagens e mensagens com outras pessoas ou grupos.

Ontem, Neymar prestou depoimento na delegacia no Rio que investiga o crime virtual. ‘Me senti muito amado’, disse o atacante ao deixar o local. O Jogador foi intimado em inquérito relativo à divulgação de imagens íntimas de modelo que o acusa de estupro.

Inflação

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens— Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, de maio. Em abril, a inflação foi de 0,57%, abaixo da taxa de 0,75% de março, maior taxa para um mês de abril desde 2016. A inflação de abril foi pressionada principalmente pela alta dos preços de alimentos, combustíveis e remédios.

Nos 4 primeiros meses de 2019, a inflação se situou em 2,09%.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2019 encerra nesta sexta-feira o período de inscrições para estudantes que querem concorrer a uma vaga no ensino superior. Os candidatos interessados devem se cadastrar no site do Sisu (http://www.sisu.mec.gov.br) até as 23h59. O resultado será divulgado na segunda-feira.

São 59 mil vagas em 1,7 mil cursos de 76 instituições em todo o país.

O Sisu é um sistema de seleção que usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de seleção para universidades públicas de todo o país.

Tragédia nos Andes

Pais de meninas mortas no Chile falam sobre acidente

Pais de meninas mortas no Chile falam sobre acidente

Os pais das duas meninas brasileiras mortas no reservatório de El Yeso, no Chile, disseram que não havia sinalização no local sobre risco de queda de rochas nem uma barreira física para impedir a entrada de pedestres.

Foi a primeira vez que os pais de Khálida Trabulsi Lisboa, de 3 anos, e Isadora Bringel, de 7 anos, contaram detalhes da tragédia. Na segunda-feira (3), as duas crianças morreram atingidas por pedaços de uma rocha que se desprendeu de uma montanha nos Andes, em um local que costuma atrair turistas.

Carros para Argentina

Fábrica da Jeep, em Goiana: FCA, dona da Jeep, vai deixar de enviar 20 mil carros para a Argentina em 2019 — Foto: Inês Campelo / Jeep / DivulgaçãoFábrica da Jeep, em Goiana: FCA, dona da Jeep, vai deixar de enviar 20 mil carros para a Argentina em 2019 — Foto: Inês Campelo / Jeep / Divulgação

Diante da crise na Argentina, o Brasil deve deixar de exportar 240 mil veículos para o país em 2019, estima a associação das fabricantes, a Anfavea. Os argentinos são os maiores clientes da indústria nacional, e o número representa 7,6% da previsão de produção para o ano, de 3,14 milhões de veículos, feita pela própria Anfavea, no início de 2019.

A Anfavea estuda agora rever projeção do envio de veículos para outros países.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Ministro da Educação fala em fortalecer faculdades particulares e setor privado

Depois de desferir críticas e bloquear o orçamento das universidades públicas federais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta quinta-feira, 6, que o crescimento do ensino superior no Brasil será pela rede privada. Ele defendeu ainda o fortalecimento e mais liberdade para a atuação das faculdades particulares.

“Existe espaço para as universidades federais, para as estaduais, mas olhando para o Brasil dos próximos anos é muito claro que não há condição do atual estado de contas do setor público, de nós sociedade, pagadores de imposto, atender a essa demanda (do ensino superior)”, disse durante a abertura do Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular, em Belo Horizonte.

“Queremos que a sociedade possa buscar sua felicidade, seus sonhos. Isso só é possível com um ensino superior baseado fortemente na iniciativa privada e livre”, afirmou Weintraub após destacar que o Ministério da Educação (MEC) quer a “liberdade” do setor e que vai trabalhar para reduzir as regras que hoje existem na área.

“Esse governo defende o viés liberal na economia e conservador nos costumes. Se há duas pessoas honestas tendo uma relação econômica livre, porque alguém tem que interferir? Para quê criar um monte de regras entre uma pessoa que quer estudar e um grupo que quer ensinar?”, defendeu o ministro.

Questionado sobre quais regras pretende alterar e como pretende dar mais liberdade para a rede privada de ensino, o ministro não respondeu. Durante o discurso, Weintraub disse apenas de forma genérica que quer uma regulação menos rígida.

“Nós acreditamos que a maioria dos brasileiros são de boa fé. Quem está livre, com CPF e nomes limpos, é uma pessoa de boa fé e vai ser tratada assim no MEC. Quem tiver má fé, a Justiça é quem vai cuidar delas”, disse.

Em sua fala, voltada para donos e dirigentes de faculdades particulares, Weintraub fez uma previsão otimista para a economia brasileira para os próximos meses. Segundo ele, com a agenda atual, que segue a “ciência econômica”, o País deve chegar ao fim do ano com crescimento de 3% do PIB. “Ao passo que abandamos essas besteiras do desenvolvimentismo, o Brasil vai migrar para o seu potencial econômico e nenhum setor vai crescer tanto quanto o de serviços, especialmente o da educação”, disse.

ESTADÃO CONTEÚDO

 

Relator da Previdência pode mudar regra para servidor perto da aposentaria

Na reta final da elaboração do parecer da reforma da Previdência, as pressões sobre o relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), por mudanças no texto continuam. As regras para servidores públicos são o principal alvo de reclamações, segundo apurou o Estadão/Broadcast, além do impasse sobre a permanência ou exclusão de Estados e municípios.

O relator está sensível a alterar regras para servidores que ingressaram até 2003 e que estão hoje mais próximos da aposentadoria. Como eles têm direito a se aposentar com o último salário da carreira (integralidade) e reajustes iguais aos da ativa (paridade) – benefícios considerados “privilégios” pelo governo -, a proposta original propõe exigir deles as idades mínimas finais de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres em troca da manutenção do direito ao valor integral.

Os servidores até teriam a opção de se aposentar antes, com a mesma transição que os demais funcionários públicos, mas perderiam a integralidade e receberiam a média dos salários – um valor provavelmente menor, ainda que acima do teto do INSS (hoje em R$ 5,8 mil).

Essas condições das idades mínimas finais sempre geraram resistências no grupo e agora pode ser mudada no relatório. Na terça-feira, na reunião com MDB o relator mencionou como exemplo um pedágio de 100% sobre o tempo que falta para se aposentar para que os servidores possam ter direito aos benefícios.

A grande dúvida nos bastidores é se haverá mudanças também na transição para os trabalhadores da iniciativa privada. Entre participantes da discussão, há a visão de que a flexibilização para servidores ditos privilegiados precisaria vir acompanhada de um aceno também aos trabalhadores vinculados ao INSS para evitar a pecha de que o governo e o Congresso cederam apenas ao lobby das corporações. Tudo, porém, ainda está sendo analisado com cuidado, principalmente devido ao impacto na economia esperada com a proposta.

Os servidores também querem que Moreira flexibilize as regras propostas para pensão por morte e alíquotas previdenciárias (que poderão chegar a 22% para quem ganha acima de R$ 39 mil ao mês).

O relator, por sua vez, ainda tenta construir alternativas para as mudanças nas regras do benefícios assistencial a idosos de baixa renda (BPC) e a aposentadoria rural. No entanto, lideranças no Congresso continuam alertando que esses pontos acabarão sendo excluídos da proposta.

Nesta quinta-feira, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), que está à frente de uma das principais forças políticas no Parlamento, esteve com o relator e com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, pedindo a exclusão dos trabalhadores rurais da proposta.

Outros pontos que estão sendo fechados pelo relator são o abono salarial – que pode ficar restrito a quem ganha até 1,4 salário mínimo ou ter uma transição, como antecipou o Estadão/Broadcast  e a pensão para pessoas com deficiência.

O relator tem se manifestado de forma favorável à permanência de Estados e municípios na reforma, mas ainda há resistência de lideranças. Hoje mais cedo, o presidente da comissão especial da reforma, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), recomendou aos governadores “calçar a sandália da humildade” para pedir ingresso na reforma. Existe o risco de uma emenda que retira os governos regionais ser votada em separado na comissão.

Moreira passou o dia reunido com técnicos para fechar o texto do relatório, rotina que deve se repetir na sexta-feira e no fim de semana. Ele pretende entregar o parecer na segunda-feira (10), mas não descartou adiar a entrega do texto para terça (11), quando haverá uma reunião com todos os governadores em Brasília.

Enquanto isso, o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), começa a discutir com Ramos e lideranças na Casa a possibilidade de firmar um acordo de procedimentos na comissão para dar ritmo aos trabalhos, sem obstrução excessiva pela oposição. A ideia é tentar diminuir o tempo de fala dos parlamentares, assegurando a oportunidade de todos falarem. Vitor Hugo evita, porém, prever um calendário de votação.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: Fátima Bezerra joga para a plateia. RN ou PT?

Resultado de imagem para fatima bezerra bokus

O Estado do Rio Grande do Norte é dos que sofre mais o efeito da falta de uma reforma da previdência no Brasil.

A nossa pirâmide entre receitas de servidores ativos e pagamentos dos inativos é umas das mais nefastas e desequilibradas do Brasil e os nossos aposentados já sofrem o pão que o diabo amassou com os atrasos dos seus salários há pelo menos 30 meses.

A Governadora do Estado, Fátima Bezerra está ganhando de presente uma aprovação da reforma da qual será uma das maiores beneficiadas.

Fátima em vez de jogar a favor e convocar a bancada potiguar para dizer que não concorda com ponto A ou B da reforma, ela faz questão de demostrar publicamente que não concorda com a reforma da previdência como fez nesta quinta-feira negando em minutos que tivesse assinado a carta de apoio a reforma com outros 24 governadores.

Só ela e o comunista Flávio Dino do Maranhão negaram em minutos essa posição, nem os companheiros de partido do PT no Nordeste como os governadores do Piauí e do Ceará agiram na velocidade de Fátima.

Como ficam os deputados federais do RN vendo o desgaste do que é aprovar a reforma e a governadora do próprio estado que eles representam jogando a população contra eles?

Fátima vai pensar no RN ou vai ficar flertando com a política e os interesses do PT nesse caso?

Assinar carta com governadores do Nordeste dizendo que a reforma é necessária mais não concorda com vários pontos e fazer de conta para depois ficar bem na foto.

E se a Câmara dos Deputados resolver deixar de fora os estados justamente porque alguns governadores só querem os louros de reforma sem ônus nenhum e cada um tiver que fazer sua reforma da previdência, o que será do seu governo Fátima?

 

‘Nem precisava de lei’, diz Bolsonaro sobre cadeirinhas para crianças em veículos

O presidente Jair Bolsonaro se defendeu nesta quinta-feira, 6, durante live no Facebook, das críticas ao projeto que muda a legislação de trânsito, alterando penalidades aplicadas. Ele afirmou que, em relação às cadeirinhas para crianças, as multas eram, na prática, contestadas na Justiça e retiradas.

“Qualquer pessoa era multada, recorria ao Judiciário e ganhava. Não tinha multagem nem a perda de pontos”, disse. Ele disse ainda que, se um dispositivo aumenta a segurança para as crianças, os pais não precisam de leis para adotá-los. “Se tem algo para que o seu filho fique protegido, nem precisava de lei”.

O presidente acrescentou que vai abrir uma enquete na rede social sobre o uso de radar móvel. “Se você gosta de tomar multa, bota lá que é a favor, se não, vota contra. No meu voto vou botar para acabar com o radar móvel”, disse.

Estado mostrou nesta quarta-feira, 5, que uso de cadeirinhas pode levar a uma redução de pelo menos 60% nas mortes de crianças no trânsito, segundo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS). O órgão indica que mecanismos de restrições para crianças em veículos são “altamente eficazes na redução de ferimentos e mortes”. Desde que o uso se tornou obrigatório no Brasil, o número de mortes de crianças de 0 a 9 anos no trânsito caiu 12,5%.

Em relatório para segurança viária, de 2018, a OMS indicou que 84 países têm legislação nacional de retenção para crianças – em levantamento que inclui o Brasil. Entre estes, 33 países, com 9% da população mundial, cumprem critérios de melhores práticas em sistemas de retenção para crianças.

Na terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro enviou um projeto de lei à Câmara dos Deputados em que, entre outros pontos, põe fim às multas a quem não transportar crianças com os equipamentos.

O analista de sistemas Giuliano Russo Fusari, de 37 anos, conhece a importância por experiência própria. Em 2014, sofreu um acidente de carro quando estava com os dois filhos – um menino de 5 e uma menina de 1 ano e 3 meses. As crianças não se feriram.

ESTADÃO CONTEÚDO

 

LOCAIS

SAÚDE: Com Cipriano Maia no comando, salve-se quem puder

O Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia é um gênio da administração hospitalar.

Ele autorizou a Procuradoria do Estado a informar que não iria renovar a locação do prédio do Hospital Ruy Pereira porque a secretária de saúde não precisa mais da unidade.

O Secretario só esqueceu de combinar com os russos onde iria colocar do dia para a noite os pacientes dos 80 leitos clínicos de enfermaria e os 10 leitos de UTI do Ruy Pereira fora as outras demandas da unidade.

A atitude do secretario beirou tanto a irresponsabilidade que ele se tornou unanimidade entre as associações e sindicatos de médicos do Estado.

Não bastante também a rejeição da população e dos pacientes que se encontram na unidade, os diretores das outras unidades de saúde da capital mencionadas com válvulas de escape foram unanimes em informar que tiveram conhecimento da decisão de Cipriano pela imprensa e que não tem plano e estrutura para absolver a demanda do Ruy Pereira.

Cipriano vendo a alopração do que fez mandou a assessoria da secretaria informar nesta quinta que ainda não é certeza fechar o Ruy Pereira. Mas o desgaste já estava grande e só trouxe a tona a roleta russa feita pelo administrador da saúde do estado.

Com Cipriano no comando, salve-se quem puder…

Fonte: Blog do BG

 

É preciso o Estado endurecer contra rebeliões nos presídios, diz Baltazar

Baltazar reiterou que o Estado não pode abrir mão do mando nas penitenciárias porque esta é a única forma de garantir a segurança pública no RN

Por Agora RN

 

Juiz de Execuções Penais, Henrique Baltazar. Foto: José Aldenir / Agora RN.

O Juiz da vara das execuções penais do Rio Grande do Norte, Henrique Baltazar, alertou para a necessidade do Estado “manter a rigidez” para conter uma nova onda de violência no presídio de Alcaçuz, a exemplo do que aconteceu em janeiro de 2017.

Ao comentar o ocorrido ali na última quarta-feira, 5, quando houve um princípio de rebelião, Henrique Baltazar lembrou que “as facções criminosas estão querendo voltar a ter o controle dos presídios e que estes pequenos incidentes têm, justamente, a intenção de se transformar em coisa maior”.

Em entrevista ao programa Agora em Debate, do jornalista Roberto Guedes, Baltazar mostrou um panorama da atual situação em que se encontra o sistema penitenciário do Estado.

Hoje, segundo ele, o sistema carcerário se encontra sob controle, mas o Estado precisa seguir melhorando as condições de trabalho dos agentes penitenciários, a despeito do ambiente de corte nos investimentos públicos.

Para o magistrado, uma das alternativas seria ampliar progressivamente a articulação com as demais forças de segurança para “combater o principal adversário do sistema que são as facções criminosas”.

Acrescentou que o trabalho nos presídios não pode ser considerado como acabado e advertiu: “Ele deve ser constante, porque as facções vão continuar sempre lutando para ter mais controle e impedir que o Estado continue atuando firmemente”.

Baltazar reiterou que o Estado não pode abrir mão do mando nas penitenciárias porque esta é a única forma de garantir a segurança pública no RN.

Sobre a atuação das polícias militar e civil, o juiz foi enfático. De acordo com ele, os números do CIOSP e da Central de Flagrantes mostram que ambas têm realizado um trabalho indispensável no combate ao crime, porém é necessário que ele vá além no que diz respeito ao cumprimento de penas.

“Muita gente é presa, mas não adianta nada prender e o crime continuar dentro da prisão”, frisou.

Sobre a possível abertura de mais três pavilhões no complexo de Alcaçuz o juiz alertou que não será possível ampliar o número de vagas sem ter um pessoal qualificado e suficiente para gerir a administração dos locais.

“Ampliar o número de vagas sem ter o controle absoluto pode se tornar uma situação grave e decorrer em transtornos futuros, com novos ataques ou mesmo rebeliões”, alertou.

Por fim, Henrique Baltazar fez um apelo: “É preciso nomear mais agentes, e não só isso, é preciso manter um aperfeiçoamento contínuo desses agentes”.

Fonte: Agora RN

 

Corrida por aposentadorias é medo da reforma, diz Nereu Linhares

Para o presidente do Ipern, a reforma a nível nacional proposta pelo governo federal trouxe tanta insegurança aos servidores que provocou uma enxurrada de pedidos de aposentadoria

 

Por Agora RN

 

Nereu Linhares, o Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais. Foto: José Aldenir / Agora RN.

O presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais (Ipern), Nereu Linhares, atribuiu nesta quarta-feira, 5, à falta de conhecimento sobre a Previdência as dificuldades atravessadas hoje pelo RN.

“A previdência foi colocada em uma situação difícil em virtude de más gestões e ignorância sobre esse tema”, afirmou.

Para o presidente do Ipern, a reforma a nível nacional proposta pelo governo federal trouxe tanta insegurança aos servidores que provocou uma enxurrada de pedidos de aposentadoria, o que vai agravar ainda mais o problema.

“Estes pedidos causaram um aumento de despesas na folha da previdência e uma diminuição de receita”, explicou.

Sobre a reforma proposta pelo governo Bolsonaro, Nereu interpreta que está havendo uma tentativa de privatização do atual sistema de partição, o que na opinião dele “agrada mais os bancos do que aos servidores”.

Ao programa “Agora Debate”, do jornalista Roberto Guedes, exibido de segunda à sexta pela 97,9 FM, sempre a partir das 18 horas, Nereu fez o seguinte comentário:

“A reforma como está proposta não é bom para ninguém, nem para servidores públicos, nem para os estados, ela só é boa para os bancos. O que se vê hoje é uma tentativa de privatizar a previdência. Tanto que o que se vê hoje proposto de previdência complementar, é que ela seja custeada exclusivamente pelos trabalhadores, sem que o estado interfira. Isso para os bancos e mercado financeiro é maravilhoso, já para os servidores, não”.

O presidente do Ipern aproveitou para reiterar uma crítica antiga às gestões anteriores do RN, que, segundo ele, usaram mal o dinheiro arrecadado na previdência do estado.

“Mais de trinta anos atrás tínhamos uma previdência superavitária no Rio Grande do Norte. Naquele momento foram construídos casas e conjuntos com dinheiro da previdência. Aqui tinha também o crédito natalino, onde era pago o décimo quarto salário aos servidores, isso também com o dinheiro da previdência. Além de ter também centro clínico, farmácia popular e os empréstimos feitos pelo Ipern, tudo vindo da previdência. Então não tem previdência que se sustente. O dinheiro acabou e ficam dizendo que não sabem como isso ocorreu. Se tivessem deixado o dinheiro lá para render como tem que ser, isso não teria acontecido”, encerrou.

Fonte: Agora RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu