PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

MP aponta indícios de que o senador Flávio Bolsonaro praticou lavagem de dinheiro com a compra e venda de apartamentos. Nos EUA, o pai dele, o presidente Jair Bolsonaro, é homenageado em Dallas. Cortes na educação: reitores de institutos federais se reúnem com o ministro Abraham Weintraub. Ministo da Justiça Sérgio Moroconcedeu entrevista à GloboNews. IBGE divulga os números do desemprego no 1º trimestre.

INTERNACIONAIS

Eleições nos EUA

Os pré-candidatos à presidência americana até terça-feira (14). — Foto: Fotos: AP, Reuters e Twitter. Montagem: G1

Os pré-candidatos à presidência americana até terça-feira (14). — Foto: Fotos: AP, Reuters e Twitter. Montagem: G1

A disputa presidencial americana, marcada para novembro de 2020, já começou. Até ontem, 23 pré-candidatos já declararam a intenção de concorrer à nomeação democrata. No lado republicano, um candidato concorre à nomeação além do atual presidente, Donald Trump.

G1 reuniu os nomes dos que já anunciaram que vão concorrer, de acordo com informações do jornal “The New York Times” e da agência Associated Press (AP), assim como daqueles que já estão qualificados para os debates. Veja quem são os pré-candidatos.

Fogo devastador

Grupo de bombeiros do Serviço Florestal dos EUA combatem incêndio Camp Fire, em Paradise, na Califórnia — Foto: Stephen Lam / Reuters

Grupo de bombeiros do Serviço Florestal dos EUA combatem incêndio Camp Fire, em Paradise, na Califórnia — Foto: Stephen Lam / Reuters

Uma faísca em uma linha de alta tensão elétrica operada pela empresa PG&E foi a causadora do incêndio mais mortífero da história da Califórnia, nos Estados Unidos, que no ano passado matou 85 pessoas ao consumir em chamas uma cidade de 26.000 habitantes. Os dados são do Departamento Florestal e de Proteção contra Incêndios.

Voos para Venezuela suspensos

O governo dos Estados Unidos suspendeu todos os serviços aéreos – de passageiros e cargas – para a Venezuela, alegando questões de segurança. O departamento de Transportes informou que a decisão foi adotada de acordo com os departamentos de Estado e de Segurança Interna, após a conclusão de que “as condições na Venezuela ameaçam a segurança de passageiros, aeronaves e tripulações que viajam para ou a partir daquele país”.

Líder separatista preso

Jose Antonio Urruticoetxea Bengoetxea, conhecido como ‘Josu Ternera’, ex-líder do grupo separatista basco ETA, em imagem de arquivo de arquivo de 3 de setembro de 2000, na França — Foto: Bob Edme/ Arquivo / AP Photo

Jose Antonio Urruticoetxea Bengoetxea, conhecido como ‘Josu Ternera’, ex-líder do grupo separatista basco ETA, em imagem de arquivo de arquivo de 3 de setembro de 2000, na França — Foto: Bob Edme/ Arquivo / AP Photo

O histórico líder da organização terrorista e separatista ETA, José Antonio Urrutikoetxea Bengoechea, conhecido como “Josu Ternera”, foi preso nesta quinta-feira, na França. Ternera estava foragido desde 2002.

‘The Big Bang Theory’

Elenco de The Big Bang Theory se reúne em jantar antes do último episódio da série — Foto: Reprodução / Instagram / KaleyCuoco

Elenco de The Big Bang Theory se reúne em jantar antes do último episódio da série — Foto: Reprodução / Instagram / KaleyCuoco

Comédia mais longa da TV americana, ‘The Big Bang Theory’ termina hoje após 12 temporadas. Na despedida da série, o G1 responde a dúvidas sobre o futuro dos atores, spin-off, recorde, prêmios e o que vai acontecer no episódio final.

NACIONAIS

Indícios de lavagem de dinheiro

Flávio Bolsonaro comprou e vendeu imóveis para lavagem de dinheiro, segundo o MP

Flávio Bolsonaro comprou e vendeu imóveis para lavagem de dinheiro, segundo o MP

Um relatório do Ministério Público do Rio (MP-RJ) aponta que há indícios de que o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente, comprou e vendeu imóveis para lavar dinheiro. De acordo com o documento, também há elementos que indicam a prática de organização criminosa em seu gabinete na Assembleia Legislativa (Alerj), quando era deputado estadual. O documento sigiloso foi obtido pela revista “Veja”, e as informações foram confirmadas pela TV Globo.

O relatório foi usado pelo MP para justificar à Justiça o pedido de quebra do sigilo bancário e fiscal de 95 pessoas e empresas relacionadas a Flávio. Relatório aponta que senador lucrou mais de R$ 3 milhões com negociação de 19 imóveis.

Flávio Bolsonaro: Em nota, o senador disse que as informações da revista sobre seu patrimônio não são verdadeiras, que continua sendo vítima de vazamentos de informações do processo que está em segredo de Justiça e afirmou que sempre declarou o seu patrimônio à Receita Federal e que a renda dele é compatível com tudo o que foi declarado.

Bolsonaro em Dallas

Bolsonaro causa polêmica ao chamar manifestantes de ‘idiotas úteis’ e ‘massa de manobra’

Bolsonaro causa polêmica ao chamar manifestantes de ‘idiotas úteis’ e ‘massa de manobra’

Jair Bolsonaro será homenageado hoje em Dallas, nos Estados Unidos, com a entrega do prêmio “Personalidade do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-EUA. Antes, ele irá se reunir com empresários. Ontem, se reuniu com o ex-presidente americano George W. Bush.

Nos EUA, o presidente disse que tem se informado pela internet sobre as manifestações contra os cortes na Educação que aconteceram em dezenas de cidades brasileiras. Ele disse que bloqueia verba porque precisa, e chamou manifestantes de ‘idiotas úteis’ e ‘massa de manobra’, declaração que esquentou os protestos no país.

Protestos contra cortes na Educação

Professores e alunos protestam em todo o país contra cortes na educação

Professores e alunos protestam em todo o país contra cortes na educação

Mais de 200 cidades registram protestos e paralisações contra cortes na Educação. Todos os estados e o DF tiveram manifestações, segundo levantamento do G1. Atos foram convocados por estudantes, movimentos sociais, partidos e sindicatos.

Ministro da Educação

Ministro da Educação diz que governos anteriores são culpados pela crise na pasta

Ministro da Educação diz que governos anteriores são culpados pela crise na pasta

Convocado pela Câmara dos Deputados para explicar cortes na Educação, o ministro Abraham Weintraub afirmou não ser responsável pelo atual contingenciamento de verbas no setor e que a prioridade do governo é o ensino básico, fundamental e técnico.

“Não somos responsáveis pelo contingenciamento atual. Este governo, que tem quatro meses, não é responsável pela situação”.

A sessão foi tensa e tumultuada, e foi convocada para o mesmo dia das manifestações contra o bloqueio de verbas anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Houve protestos em cidades de todos os estados e no Distrito Federal. Universidades e escolas também fizeram paralisações.

Hoje, Weintraub se reúne com reitores da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

Entrevista à GloboNews

Sérgio Moro concede entrevista à GloboNews — Foto: Reprodução / GloboNews

Sérgio Moro concede entrevista à GloboNews — Foto: Reprodução / GloboNews

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou em entrevista à GloboNewsque, se houver alguma “invalidade”, caberá ao Supremo Tribunal Federal ou ao Congresso Nacional revisar o decreto do presidente Jair Bolsonaro que mudou regras sobre uso de armas e de munições. Leia mais aqui.

Desemprego

 — Foto: Valdecir Galor / SMCS

Foto: Valdecir Galor / SMCS

Saem hoje dados detalhados do 1º trimestre sobre o desemprego. A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,7% no trimestre encerrado em março, atingindo 13,4 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2018.

Exclusivo: mortes em ações da polícia no RJ

 — Foto: Infografia: Guilherme Luiz Pinheiro / G1

Foto: Infografia: Guilherme Luiz Pinheiro / G1

Em pouco mais de três anos, só 3,5% das investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sobre mortes em operações policiais chegaram à Justiça. Os dados são de um levantamento exclusivo do G1 com base em informações do grupo de promotores responsável por averiguar se nos casos de “mortes por intervenção legal” – antes chamados de “autos de resistência” – há execuções ou óbitos que poderiam ter sido evitados.

Desde que foi criado, em janeiro de 2016, até abril de 2019, o Grupo de Atualização Especializada em Segurança Pública (Gaesp) abriu 1.379 investigações. Só 49 viraram denúncias e foram encaminhadas à Justiça.

Eduardo da Fonte

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) será interrogado hoje por um juiz auxiliar do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, na ação penal na qual responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O deputado pernambucano é acusado de receber R$ 300 mil da construtora UTC para beneficiar a empresa com um contrato na Petrobras. O caso teria ocorrido entre 2009 e 2010, durante seu mandato anterior como deputado federal.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Na Índia, governo destina mais verba para vacas do que para mulheres

“O governo nunca vai deixar de honrar as vacas”. Foi assim que o ministro interino das Finanças da Índia, Piyush Goyal, anunciou, em fevereiro deste ano, que destinaria 7,5 bilhões de rúpias (R$ 420 milhões) do orçamento do país para um programa que visa a aumentar a produção de leite e garantir o bem-estar desses animais.

No mesmo orçamento, o governo reservou apenas 4,1 bilhões de rúpias (R$ 232 milhões) para os principais programas voltados às mulheres, segundo levantamento da economista Ritu Dewan, ex-diretora do departamento de economia da Universidade de Mumbai e vice-presidente da Sociedade Indiana de Economia do Trabalho.

Isso porque existem 497 milhões de mulheres na Índia, contra 190 milhões de vacas. “Ou seja, existe mais dinheiro para proteção de vacas do que de mulheres na Índia”, disse Dewan à Folha.

A vaca é um animal sagrado para os indianos e os laticínios são uma das principais fontes de proteínas da população.

Durante o governo de Narendra Modi, foram implementadas várias políticas de proteção a esses animais que agradaram à base nacionalista hindu do premiê.

A maioria dos estados já havia proibido o abate de bovinos, mas, após assumir, Modi apertou o cerco contra abatedouros clandestinos e contrabando dessa carne.

Extremistas hindus, chamados “guardiões das vacas”, passaram a perseguir pessoas que transportam vacas, assim como suspeitos de matá-las ou consumir sua carne.

De acordo com a organização de checagem de fatos Fact Checker, aumentou em 1.033% o número de linchamentos de pessoas acusadas de comer carne bovina ou de matar os animais entre 2014, primeiro ano do governo Modi, e 2018.

Desde que o premiê assumiu, houve 120 linchamentos relacionados a vacas e 46 mortes. Os ataques dos “guardiões” normalmente são filmados —os vídeos costumam viralizar no WhatsApp.

Simplesmente transportar vacas se tornou uma atividade de risco. Em 2017, um homem de 55 anos que levava gado em um caminhão morreu após ser linchado por 200 pessoas no Rajastão.

Os “guardiões das vacas” barraram cinco caminhões na estrada, retiraram os homens muçulmanos de dentro dos veículos e os espancaram com barras de ferro. Eles levavam os animais a uma fábrica de laticínios, e não para serem abatidos —o que é ilegal no estado.

Os 11 homens que transportavam o gado foram detidos e acusados de contrabando de vacas. Nenhum dos envolvidos no linchamento foi preso, embora a polícia tenha aberto uma investigação.

A veneração desses animais é aparente nas cidades, onde pontes e alguns postes foram pintados com frases como “salve as vacas” e “seja vegetariano”.

“A vaca é a nossa mãe, então, quando alguém mata nossa mãe, deve ser punida com prisão perpétua, no mínimo, e multa”, disse à Folha Deepak Tiwari, que trabalha na área de tecnologia da empresa de eletricidade de Déli.

Tiwari é membro da Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS), a organização fundamentalista hindu que apoia o partido governista, oBJP —e de onde veio o primeiro-ministro. A entidade pressiona pelo endurecimento das medidas de proteção aos animais.

A candidata do BJP à Lok Sabha (Câmara) em Bhopal, Sadhvi Pragya Singh Thakur, afirmou recentemente que urina de vaca (Gaumutra) curou o câncer de seio que ela tinha.

Pouco depois, seu médico veio a público dizer que ela passou por três cirurgias para controlar a doença. Mesmo assim, muitas pessoas continuaram afirmando que foi o xixi de vaca que a curou, uma superstição que existe há décadas.

“O uso da religião como instrumento de mobilização política não é novo. Mas hoje milhões de pessoas na Índia estão sendo manipuladas desta maneira”, Jagdeep Chhokar, fundador da Associação para Reformas Democráticas na Índia.

Outros analistas dizem que não é justo acusar Modi de usar a religião para manter sua base. “É uma simplificação incorreta dizer que ele só tem apoio porque manipula as pessoas pela religião”, disse Apurv Mishra, pesquisador sênior da India Foundation.

Modi condena os linchamentos, mas diz que seu governo não pode ser responsabilizado. Em janeiro, afirmou: “Ninguém deve apoiar esses incidentes, isso é totalmente errado e condenável”. Ele afirma que os linchamentos não começaram em 2014 e que há uso político do tema.

(mais…)

 

Globo apura denúncias de assédios feitas contra o ator Caio Blat por atriz

Sétimo Guardião

A Globo afirmou nesta quarta-feira (15) que está apurando uma denúncia de assédio feita contra o ator Caio Blat, 38, no ar atualmente em “O Sétimo Guardião”. A queixa teria sido feita por uma atriz, colega de elenco dele, segundo informações do colunista Léo Dias, do UOL.

Procurada, o setor de comunicação da emissora informou que “todo relato de desrespeito na Globo é apurado criteriosamente, assim que tomamos conhecimento dele —como é o caso agora. A ouvidoria da empresa já foi acionada”.

O blog do Léo Dias afirmou ter conversado com uma atriz que fez a denúncia contra o ator. Segundo a publicação ela pediu para não ter o nome revelado, mas teria dito que não é a única a reclamar do comportamento do Blat. Ao todo, cinco mulheres já teriam feito relatos desse tipo.

Ainda de acordo com o blog, Blat teria organizado uma festa de confraternização com em sua casa no Rio, nesta terça-feira (14), mas alguns atores teriam recusado o convite por conta da denúncia.

Em nota encaminhada ao blog do Leo Dias, o ator disse que a denúncia é “mentirosa” e que o assédio é uma atitude covarde assim como acusá-lo sem provas.

F5 / FOLHA

Comments

Bolsonaro afirma que o filho Flávio é inocente e especula sobre traição de Queiroz

Jair Bolsonaro tem feito, em reuniões privadas com políticos e setores aos quais é afeito, defesa enfática de seu filho, o senador Flávio (PSL-RJ), acossado por investigação do Ministério Público do Rio. Fez questão de incluir o assunto em fala, por exemplo, a evangélicos. O presidente sustenta que o rebento é inocente, que não vão achar nada contra ele, “muito menos” elo com milícia. A aliados, repetiu que a família é alvo de perseguição e fez ilações sobre o outrora amigo Fabrício Queiroz.

Pessoas próximas a Bolsonaro enfatizam que ele se distanciou do ex-policial que levou o clã para o centro de investigação sobre desvio de salários e ligações com milicianos. Dizem que ele não tem contato com Queiroz e que hoje especula se o ex-amigo não atua para prejudicar sua família.

Deputados simpáticos a Bolsonaro dizem que o presidente ainda não entendeu a gravidade do caso — nem que ele trará consequências não só para o filho, mas para seu próprio futuro político.

PAINEL FOLHA

Congresso facilita internação de usuário de drogas e endurece pena de grande traficante

Senado aprovou nesta quarta-feira, 15, mudanças na política sobre drogas, facilitando a internação involuntária de dependentes e fortalecendo as comunidades terapêuticas, além de endurecer penas para traficantes ligados a grupos organizados; por outro lado, a pena aplicada ao pequeno traficante poderá ser reduzida. A proposta, que vai à sanção presidencial, foi apresentada pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, em 2013, quando ainda era deputado federal.

Uma das principais mudanças aprovadas afeta a internação de usuários de drogas em centros de tratamento contra a própria vontade. Pela regra atual, familiares, representantes legais ou profissionais responsáveis pela condução da terapia podem determinar o fim do tratamento. Agora, a liberação da internação involuntária somente poderá ser autorizada pelo médico. “É um projeto de largo alcance social”, afirmou o relator do projeto, senador Styvenson Valentim (Pode-RN).

A proposta amplia ainda a participação das comunidades terapêuticas no atendimento dos dependentes, uma das políticas já adotadas por Terra à frente da área. A nova determinação classifica como prioritária a abstinência do paciente, deixando em segundo plano a estratégia de redução de danos, há 30 anos usada no País. O governo já prepara uma medida provisória com regras mais duras para essas comunidades.

Terra afirmou que a estratégia tem como objetivo padronizar o atendimento. Uma das exigências é de que as unidades tenham sempre um centro de saúde como referência, para caso de urgência e para atendimento de outras doenças dos acolhidos.

Por definição, as comunidades terapêuticas não podem fazer internação involuntária, sem a anuência do paciente. Mas o presidente da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract), Paulo Kurlander, afirma não ser incomum isso ocorrer em falsas instituições. Para ele, a regulamentação por medida provisória poderá melhorar o atendimento.

Penas

O projeto aprovado nesta quarta também aumenta a pena mínima para o traficante que comandar organização criminosa, de 5 para 8 anos de reclusão, com máximo de 15 anos. O projeto permite a alienação de objetos de qualquer natureza usados no tráfico.

Para tentar evitar a aplicação de grandes penas a pequenos traficantes, a proposta cria um atenuante na lei. O projeto prevê a redução da pena quando o acusado não for reincidente e não integrar organização criminosa, ou se as circunstâncias do fato e a quantidade apreendida demonstrarem o menor potencial lesivo da conduta. Nesse caso, a pena deverá ser reduzida de um sexto a dois terços.

O senador Humberto Costa (PT-PE) defendeu a definição de parâmetro mínimo de porte de droga para diferenciar usuário de traficante e a facilitação do processo de importação e comercialização de derivados e produtos à base do princípio ativo da maconha, para uso terapêutico. A sugestão não foi aceita.

ESTADÃO CONTEÚDO

Senadores querem votar projeto que anula decreto das armas de Bolsonaro

Senadores articulam votar na semana que vem, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, os projetos que anulam os efeitos do decreto sobre armamento assinado pelo presidente Jair Bolsonaro. O ato facilita porte de arma de fogo para 19 categorias, entre elas políticos, caminhoneiros e moradores de área rural, e enfrenta resistências no Congresso.

A presidente da CCJ no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), escolheu o senador Veneziano Vital do Rego (PSB-PB) para relatar três projetos de decreto legislativo que cancelam os efeitos do ato de Bolsonaro. As propostas foram apresentadas pelos senadores Eliziane Gama (Cidadania-MA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Fabiano Contarato (Rede-ES) e pela bancada do PT na Casa. Depois da CCJ, a proposta seguirá para o plenário do Senado.

Na semana passada, a consultoria legislativa do Senado emitiu um parecer afirmando que o ato de Bolsonaro extrapolou o limite de regulamentação de um decreto presidencial.

Além dos projetos, a Rede protocolou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a corte cancele o decreto de Bolsonaro. O senador Randolfe Rodrigues anunciou que terá uma reunião nesta quinta-feira, 16, com a relatora da ação, ministra Rosa Weber. “Se o Supremo não suspender, que esta Casa (o Senado) faça o quanto antes”, disse o parlamentar. O MPF entrou nesta semana com um pedido para a Justiça anular o decreto.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu