PONTO DE VISTA: A VERDADE, MAIS CEDO OU MAIS TARDE, SEMPRE VEM A TONA, ATÉ MESMO NOS ERROS DE QUEM A QUER ESCONDER

Caro(a) leitor(a),

Na coluna PONTO DE VISTA desta segunda-feira estou reproduzindo aqui um artigo do Jornal da Cidade On Line que mostra até que ponto chegou o debate nessa polarização político-ideológica no nosso país. Sob o “manto sagrado” de uma Constituição capenga, que só privilegia os seus legisladores (corja de políticos ladrões, corruptos e bandidos), a imprensa ideologizada a utiliza como escudo para fazer coisas absurdas, invocando sempre a liberdade de expressão e os direitos individuais, unilateralmente, para o que lhes convêm em detrimento da liberdade e dos direitos dos homens da justiça. Essa forma tosca e covarde da interpretação da lei chega ao cúmulo de uma inversão de valores, diante de uma justiça completamente inerte diante dessa pseudo-constituição, que nos faz sentir completos idiotas  como nunca, nenhum palhaço se sentiu no centro de um picadeiro. Palavras como bizarro, funesto, surreal já não são mais capazes de medir ou expressar com precisão o que tudo isso nos parece. Só nos resta esperar que, como mostra artigo a seguir, esses canalhas tropecem nos próprios erros e se afoguem na própria lama. 

Erro de edição da Folha revela dado crucial: Deltan doava ganhos de palestras para entidades anticorrupção

A Folha em sua caminhada nefasta em parceria como o submundo do crime representado pelo pseudo jornalista Glenn Greenwald e a sua patota do famigerado site The Intercept, neste domingo (14) promoveu a deturpação de mensagens roubadas com um objetivo específico: destruição de uma reputação construída com um trabalho verdadeiramente nobre e patriótico, contra a corrupção. Destruição da reputação de Deltan Dallagnol.

O título:

Deltan montou plano para lucrar com fama da Lava Jato, apontam mensagens.

Mentira deslavada. A própria matéria desmente a picaretagem editorial.

No afã de conseguir rapidamente elementos que possibilitem soltar na marra o homenzinho que cumpre pena em Curitiba, os dois parceiros, Folha e The Intercept, cometem um erro crucial, que desmonta toda a narrativa da esdrúxula matéria.

Uma das mensagens divulgadas demonstra claramente a destinação que Dallagnol dava para os valores obtidos com as suas palestras.

“custos decorrentes da Lava Jato ou destinação a entidades anticorrupção”.

Sim, Dallagnol utilizava o dinheiro que ganhava com o seu trabalho em suas palestras, em custos decorrentes da Lava Jato ou em doações para entidades anticorrupção.

Quer atitude mais louvável?

Para quem tiver paciência de analisar tudo com atenção, verá que os criminosos acabam dando um aval de bom caráter, dignidade e patriotismo ao procurador.

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sign up
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.
We do not share your personal details with anyone.
0