OPINIÃO: PROJETO “INOVA EDUCAÇÃO”, NECESSÁRIO?

Afinal, o que é e qual a importância do Projeto “Inova Educação” do governador João Doria? Na coluna OPINIÃO, desta quarta-feira, Deborah Braga apresenta alguns detalhes do projeto recém encaminhado ao Palácio dos Bandeirantes e opina sobre a sua importância.

O Projeto “Inova Educação”, apresentado nesta última segunda-feira por João Doria, e a sua suma importância

 

Na segunda-feira (6) deste mês, o governador do estado de São Paulo, João Doria, apresentou no Palácio dos Bandeirantes o projeto pedagógico “Inova Educação”, a ser implementado nas escolas estaduais de São Paulo a partir de 2020. Os estudantes beneficiados com o projeto serão aqueles matriculados nos últimos anos dos ensinos Fundamental e Médio. A ideia é proporcionar aos jovens mais tempo dentro das escolas. O projeto prevê sete aulas por dia de 45 minutos, em vez das atuais seis, mantendo os alunos envolvidos nas atividades escolares por 15 minutos a mais por dia. As aulas a serem incluídas na grade pertencerão a novas disciplinas, divididas assim:

02 aulas da disciplina “Projeto de Vida” +  02 aulas de uma disciplina Eletiva + 01 aula da disciplina Tecnologia

A disciplina “Projeto de Vida” se trata de desenvolver atividades que voltem o pensamento dos jovens para sonhos, trabalho e carreira, com o intuito de se definir os seus objetivos de vida e de iniciar o seu planejamento. A disciplina Tecnologia traz conhecimentos em computação, mídia digital etc. As disciplinas Eletivas deverão ser apresentadas aos estudantes para que possam fazer as suas escolhas de acordo com o seu perfil ou interesse. Dentre as disciplinas Eletivas, estarão temas como teatro, comunicação, empreendedorismo, ética e cidadania e educação financeira.

Ainda este ano, o modelo deve ser implementado em 24 escolas em parceira com o Instituto Ayrton Senna, que acompanhará os resultados que servirão de modelo para as demais escolas da rede estadual em 2020.

O projeto parece promissor e, uma vez passado o período de experiência, gostaria de vê-lo implementado nas demais redes públicas, particulares e em todo o Brasil. Todos esses temas apresentados no projeto são críticos e essenciais na formação de indivíduos, enquanto indivíduos e também enquanto parte de comunidades.

Em um país atolado em dívidas, educação financeira deveria ser classificado como caso de vida ou morte. Em um país em que as pessoas contam as horas para sair do trabalho e apresentam baixa taxa de produtividade, “Projeto de Vida” é caso de vida ou morte. Em um país onde estão sendo abertas pelo menos 53 operações especiais de investigação de corrupção por ano desde 2016, ética e cidadania é caso de vida ou morte.

O tema Educação Financeira timidamente começa a surgir em uma escola ou outra no Brasil. Algumas atitudes têm trazido certa animosidade. O game Poupadin, para Android e PC, foi desenvolvido pela UFPA, no intuito de ensinar crianças dicas de economia e administração financeira (clique para conhecer melhor o game e o programa envolvido). Em Curitiba, “Shows gratuitos de humor promovem educação financeira nas escolas e ruas da cidadania” com o objetivo de estimular crianças, jovens e adultos a repensarem a prioridade dos gastos (veja matéria na íntegra em Band News Curitiba – 96,3 FM). A educação financeira pode nos ensinar muito mais do que imaginamos. Ela nos ensina que longo prazo, às vezes, não é só uma opção, mas uma necessidade. Ela nos ensina a ter paciência.

Educação Financeira, ética e Cidadania, “Projeto de Vida”, todos eles nos ensinam sobre comunidade e o quanto as nossas atitudes têm a ver com os outros e o quanto a atitude dos outros têm a ver conosco. Eu espero poder ler sobre atitudes como essas muitas mais vezes nos próximos meses.

 

Autoria: Deborah Braga

Deixe uma resposta

Fechar Menu