CAI A VERSÃO DO INSTITUTO LULA NO CASO DO TERRENO ONDE SERIA CONSTRUÍDA SUA SEDE.

Como venho dizendo um a um, todos os corruptos irão para a cadeia, pois esse processo de lavagem de roupa iniciado pela Lava Jato não tem volta, pois finalmente o povo acordou e descobriu o seu poder. E o poder do povo está nas redes sociais, que a cada dia fica mais forte. Afinal de contas, hoje em dia, cada brasileiro tem pelo menos um celular. 

Nessa reportagem vocês vão ficar sabendo novidades sobre o processo do terreno do Instituto Lula. Leiam:

 que

Aqueles milhares de recibos confeccionados por Roberto Teixeira e seu contador, que continham datas inexistentes e sem lastro financeiro, são realmente ideologicamente falsos.

Não é verdade que Marisa Letícia tenha pago a locação com dinheiro vivo durante toda a integralidade do contrato. Não é verdade que Glaucos Costa Marques tenha comprado o apartamento. Glaucos foi um mero ‘laranja’ de Lula, a pedido do primo, o travesso pecuarista José Carlos Bumlai.

Da mesma forma, o terreno onde seria instalado o Instituto Lula também seria adquirido pelo ilustre ‘laranja’, por R$ 650 mil.

Quem compraria o imóvel para Lula também seria a Odebrecht, da mesma forma que comprou o apartamento. A grana chegou a ser disponibilizada.

Para tanto, a empresa fez um depósito de R$ 800 mil na conta de Glaucos CostaMarques. Desse dinheiro, R$ 150 mil seria a comissão do empresário por ter cedido o seu nome na compra do apartamento. E R$ 650 mil seria o valor disponibilizado para pagamento do terreno, localizado na Rua Dr. Haberbeck Brandão, nº 178.

Como o negócio não se efetivou, havendo a desistência do Instituto na compra do malfadado terreno, Glaucos sustentava que teria efetuado a devolução de R$ 650 mil para a Odebrecht, o valor que seria pago no imóvel, através de seu primo Bumlai, que negou em seu depoimento ao juiz Sérgio Moro.

Bumlai mentiu.

A versão de Glaucos é comprovada num email somente agora juntado aos autos por Marcelo Odebrecht. Veja:

O email demonstra com clareza que Bumlai, ‘o pecuarista’, mentiu em seu depoimento, quando afirmou que não participou ativamente das negociações. Bumlai foi a ponte entre o ‘laranja’ e a Odebrecht em prol dos interesses escusos do meliante Lula.

Gradativamente, a verdade vai se estabelecendo.

Fonte: JORNAL DA CIDADE ON LINE

Um comentário em “CAI A VERSÃO DO INSTITUTO LULA NO CASO DO TERRENO ONDE SERIA CONSTRUÍDA SUA SEDE.

  • 14 de março de 2018 em 02:45
    Permalink

    Enfim ne? Ninguém aguenta mais tanta enrolação…triste. 🙁

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sign up
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.
We do not share your personal details with anyone.
0