ATUAÇÃO DO FENÔMENO LA NIÑA VAI GARANTIR 20% A MAIS DE CHUVAS EM 2018

Na nossa seção de Boas Notícias de hoje uma notícia que não poderia ser melhor para o nosso estado quanto ao clima. A previsão é de um ciclo de 10 anos de bons invernos. A inteligência e boa vontade dos nossos gestores públicos não se voltou para a solução de um problema tão grave durante tantas décadas. Ao contrário transforaram esse grave problema em fonte de renda para eles mesmos em detrimento do sofrimento e morte de tantos conterrâneos durante tanto tempo. Ficamos a mercê da misericórdia da natureza para termos um pouco de trégua desse fenômeno que tem castigado tanto a nossa gente, que é a seca. De qualquer forma vamos comemorar e esperar que a próxima geração de gestores públicos sejam realmente servidores públicos.

Meteorologista Luiz Carlos Molion, da UFAL, afirma que resfriamento do Oceano Pacífico deve permanecer até 2019

O professor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Luiz Carlos Molion, especialista em hidrologia e meteorologia, fala que o próximo período chuvoso vai trazer 20% de chuvas acima da média em 2018.

A razão para o aumento das chuvas, segundo o climatologistas, é a ocorrência do fenômeno “La Niña”, quando ocorre resfriamento do Oceano Pacífico. “Este ano, o fenômeno será bem mais forte. Já ocupa 40 milhões de quilômetros do oceano. Este grande volume água fria garante um período chuvoso. Com isso, dá para perceber que quando ocorre uma La Niña forte, a região receberá muitas chuvas”, detalha.

Segundo o especialista, o fenômeno deverá permanecer até abril de 2019. A partir de 2020, a tendência é de que o clima se estabilize, com chuvas dentro da normalidade. Além disso, ele chama a atenção para o outro acontecimento climático. “Entre 2020 e 2030, o sol está entrando no período de mínimo de atividade. Desta forma, quando o sol produz menos energia, há aumento de nuvens. Isso garante a normalidade das chuvas para toda a década”, finaliza.

Nos últimos sete anos, a região semiárida do Nordeste esteve sob a influência do fenômeno El Niño, quando ocorre aumenta da temperatura do Oceano Pacífico, o inverso de La Niña.

No Rio Grande do Norte, 92% do território está no semiárido, o chamado Polígono das Secas, que engloba as regiões Central, Oeste e quase toda região Agreste. No semiárido o período de inverno vai de fevereiro a maio, com exceção da região agreste onde o período chuvoso se estende até o mês de agosto.

Média anual de chuva por região, do semiárido

* Central- 630.4 mm (74.9% da chuva ocorre no período de fevereiro a maio)

* Oeste- 778.4 mm (75.6% da chuva ocorre de fevereiro a maio)

* Agreste- 639.1 mm (83% da chuva ocorre no período de fevereiro a agosto)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Sign up
Lost your password? Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.
We do not share your personal details with anyone.
0