ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE SÁBADO

Por Rosane Mendes e Murillo Velasco, TV Anhanguera e G1 GO

 


Médium João de Deus atende na Casa Dom Inácio Loyola pela 1ª vez após denúncias de abuso sexual — Foto: Murillo Velasco/ G1

Médium João de Deus atende na Casa Dom Inácio Loyola pela 1ª vez após denúncias de abuso sexual — Foto: Murillo Velasco/ G1

O Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) informou à TV Anhanguera, neste sábado (15), que João de Deus, procurado pela polícia por denúncias de abuso sexual, pode ter tentado ocultar patrimônio, e que isso levou o órgão a acelerar o pedido de prisão do líder religioso.

Segundo o jornal “O Globo”, as investigações apontam que o líder religioso retirou R$ 35 milhões de contas e aplicações financeiras desde que as primeiras denúncias de abuso vieram à tona.

A Justiça decretou a prisão preventiva de João de Deus na sexta-feira (14), após mais de 300 denúncias de abuso sexual feitas por mulheres que o procuraram para receber atendimento. Ele nega as acusações.

A Polícia Civil de Goiás disse neste sábado (15) que negocia com defesa de João de Deus para que ele se entregue, mas ainda não há prazo. O advogado de João de Deus disse que o médium irá se entregar, mas que não sabe quando. Para o MP-GO, o médium já é considerado foragido da Justiça.

“A gente já tem informações de que há providências do investigado buscando ocultar patrimônio. Este fato está sendo apurado e todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas pelo MP-GO”, disse a promotora Gabriella de Queiroz Clementino.

“Claro que esta notícia de ocultação e patrimônio reforça ainda mais os fundamentos da prisão”, afirmou.

G1 tentou contato com o advogado de João de Deus, Alberto Toron, para tratar do assunto, mas as ligações não foram atendidas até a última atualização desta reportagem.

A força-tarefa do Ministério Público divulgou que já recebeu 335 mensagens e contatos por telefones de mulheres que denunciam o médium por abuso sexual. Os relatos chegaram de pessoas de seis países diferentes, além de 13 estados do Brasil e o Distrito Federal.

MP diz que médium está foragido

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes, afirmou que a corporação segue negociando neste sábado (15) com a defesa de João de Deus para que ele se entregue, mas ainda não há prazo para que isso ocorra.

“O que a defesa pode te falar com certeza é que João de Deus se apresentará, mas não posso dizer quando e nem onde”, disse o advogado Alberto Toron, que representa o médium.

O MP-GO já o considera foragido. “Pela lei, desde que o mandado de prisão é expedido, até o momento em que o alvo deste mandado é preso, seja por ação da autoridade policial ou por apresentação, ele é considerado foragido. Todos os endereços foram visitados pela polícia e ele realmente não foi encontrado”, disse Gabriella Clementino. Veja nota completa do MP.

Fonte: G1

Por Fabiano Costa, G1 — Brasília

 


O presidente da Itália, Sergio Mattarella — Foto: Reuters

O presidente da Itália, Sergio Mattarella — Foto: Reuters

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, enviou uma carta ao presidente Michel Temeragradecendo ao chefe de Estado brasileiro pela decisão de assinar o decreto que determina a extradição do italiano Cesare Battisti ao país europeu.

Na carta divulgada no Twitter pelo governo italiano, Mattarella afirmou que o gesto de Temer é “um testemunho significativo da amizade antiga e sólida entre o Brasil e a Itália”.

O presidente da Itália ressaltou na mensagem que o caso Cesare Battisti é “complexo e delicado” e “desperta sentimentos de participação na opinião pública” italiana (leia a íntegra da carta traduzida ao final desta reportagem).

Nesta sexta-feira (14), o presidente brasileiro determinou que o italiano seja extraditado para a Itália. A decisão foi tomada um dia após o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogar uma liminar (decisão provisória) que impedia a extradição de Battisti até que o Supremo voltasse a analisar o caso.

O magistrado também decretou a prisão do italiano, que é considerado foragido pela Polícia Federal (PF). O nome de Battisti já consta na lista de procurados pelo Brasil e pela Interpol, a polícia internacional.

Cesare Battisti é considerado foragido da Justiça brasileira

Cesare Battisti é considerado foragido da Justiça brasileira

À espera da prisão e, consequente, extradição de Battisti, o governo italiano já enviou ao Brasil uma aeronave militar para levá-lo de volta para a Itália. O avião está no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo. Três agentes italianos também vieram ao Brasil para fazer a escolta de Battisti para o país europeu no momento em que ele for capturado pela Polícia Federal.

Responsável pela defesa de Battisti, o advogado Igor Tamasauskas disse à TV Globo que não tem informação de onde está o cliente dele.

“Eu não tenho informação de onde ele [Battisti] se encontra. Ele sabe as consequências que sofrerá se se entregar e sabe as consequências que sofrerá se não se entregar. E essa é uma decisão íntima, exclusiva dele, que o advogado não toma parte”, afirmou o defensor.

A defesa de Battisti protocolou nesta sexta no Supremo um recursono qual pede a revogação da prisão preventiva do italiano decretada por Fux. Na mesma peça judicial, os advogados solicitam que a Suprema Corte proíba a extradição.

Após o anúncio da decisão de Temer, a defesa do italiano ajuizou no STF um novo documento para reiterar pedido para que o presidente seja impedido de extraditá-lo até que o recurso apresentado seja julgado pelo plenário do tribunal. Tecnicamente, o pedido pede “efeito suspensivo” ao recurso apresentado, ou seja, para que nenhum ato possa ser praticado.

Decreto assinado pelo presidente Michel Temer autorizando a extradição de Battisi — Foto: Reprodução/'Diário Oficial'Decreto assinado pelo presidente Michel Temer autorizando a extradição de Battisi — Foto: Reprodução/'Diário Oficial'

Decreto assinado pelo presidente Michel Temer autorizando a extradição de Battisi — Foto: Reprodução/’Diário Oficial’

“Senhor presidente, quero expressar meu mais sincero agradecimento pela decisão de Vossa Excelência sobre o caso do cidadão italiano Cesare Battisti, definitivamente condenado pela Justiça italiana por crimes gravíssimos e que até hoje se subtraiu à execução das relativas sentenças”, escreveu a Temer o presidente da Itália em trecho da carta enviada ao Palácio do Planalto.

Mattarella disse ainda ter apreciado muito a decisão do colega brasileiro, que, segundo ele, “ajuda a levar justiça” às vítimas dos crimes pelos quais Battisti foi condenado na Itália.

“Ao reiterar-lhe os sentimentos de amizade e gratidão meus e do nosso país, aproveito a ocasião para trasmitir a Vossa Excelência as mais cordiais saudações e os melhores votos para as iminentes festividades”, concluiu o presidente italiano na carta.

Quirinale

@Quirinale

Caso , il Presidente ha inviato al Presidente della Repubblica Federativa del Michel il seguente messaggio:

Entenda o caso Battisti

Escritor e ex-integrante da organização de esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Cesare Battisti é considerado foragido pelas autoridades brasileiras — Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Escritor e ex-integrante da organização de esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Cesare Battisti é considerado foragido pelas autoridades brasileiras — Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

  • A novela de Cesare Battisti no Brasil teve início durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010). O italiano fugiu para o Brasil para evitar uma extradição para a Itália, onde ele foi condenado à prisão perpétua por conta de quatro homicídios ocorridos no país europeu na década de 1970
  • À época, Battisti fazia parte da organização Proletários Armados pelo Comunismo. Ele foi condenado pela Justiça italiana por quatro homicídios praticados entre 1978 e 1979 contra um guarda carcerário, um agente de polícia, um militante neofascista e um joalheiro de Milão (o filho do joalheiro ficou paraplégico, depois de também ser atingido). O italiano se declara inocente
  • Antes de fugir para o Brasil, Battisti passou por outros dois países. Em 1981, ele conseguiu fugir da penitenciária de Frosinone, perto de Roma, onde cumpria pena pela morte do joalheiro, e se refugiou na França. No ano seguinte, ele se mudou para o México
  • Battisti retornou para a França em 1990 e lá passou a atuar como escritor de livros policiais. Em 2005, ele decidiu deixar a Europa após o Conselho de Estado da França ter autorizado a extradição dele para a Itália. Logo em seguida, ele embarca para o Brasil
  • Em 2007, o italiano foi preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro e passou a cumprir prisão preventiva (sem prazo determinado) aguardando uma posição final sobre o pedido de extradição apresentado por Roma ao Palácio do Planalto
  • Battisti conseguiu obter do governo Lula, em 2009, o status de refugiado político, baseado no “fundado temor de perseguição por opinião política”, contrariando decisão do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare)
  • No fim de 2009, o STF julgou “procedente” o pedido de extradição feito pela Itália, entretanto, deixou a palavra final ao presidente da República
  • Lula negou a solicitação do governo italiano em 31 de dezembro de 2010, último dia do governo do petista. Battisti deixou a penitenciária da Papuda, em Brasília, em junho de 2011, após ficar quatro anos na cadeia à espera de uma posição das autoridades brasileiras sobre o pedido de extradição
  • A decisão de Lula gerou mal-estar diplomático com a Itália, que se estendeu pelo governo Dilma Rousseff
  • Roma não desistiu da extradição e retomou conversas com o Brasil após Temer chegar à Presidência em razão do impeachment de Dilma
  • No momento em que identificou as movimentações diplomáticas entre Brasil e Itália, a defesa de Battisti se antecipou e pediu ao Supremo uma liminar para impedir a entrega do italiano para as autoridades do país europeu. Na ocasião, Fux concedeu a liminar, a mesma que ele revogou nesta semana

Bolsonaro

Apesar de ainda não ter assumido a Presidência da República, o presidente eleito Jair Bolsonaro já estava dando sinais às autoridades de Roma de que, assim que tomasse posse, iria determinar a entrega do italiano.

Nesta sexta-feira, dia seguinte ao despacho de Fux que mandou prender Battisti, o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, comentou em uma rede social a decisão do magistrado brasileiro e disse que apreciaria se Bolsonaro ajudasse o governo da Itália “presenteando” com a entrega do ex-militante de esquerda.

“Darei grande valor ao presidente @jairbolsonaro se ele ajudar a Itália a ter justiça, “presenteando” Battisti com um futuro na sua terra natal”, declarou o ministro italiano no Twitter.

No mesmo dia, Bolsonaro respondeu a Salvini pelo Twitter em uma mensagem escrita em português e italiano.

“Obrigado pela consideração de sempre, Senhor Ministro do Interior da Itália. Que tudo seja normalizado brevemente no caso deste terrorista assassino defendido pelos companheiros de ideais brasileiros! Conte conosco!”

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Grazie per la vostra considerazione, Ministro dell’Interno d’Italia. Lascia che tutto si normalizzi brevemente nel caso di questo terrorista assassino difeso dai compagni degli ideali brasiliani! Conta su di noi!

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Obrigado pela consideração de sempre, Senhor Ministro do Interior da Itália. Que tudo seja normalizado brevemente no caso deste terrorista assassino defendido pelos companheiros de ideais brasileiros! Conte conosco!

2,585 people are talking about this

Leia a íntegra da carta enviada pelo presidente italiano a Temer:

Roma, 14 de dezembro de 2014

Senhor Presidente,

Quero expressar meu mais sincero agradecimento pela decisão de Vossa Excelência sobre o caso do cidadão italiano Cesare Battisti, definitivamente condenado pela Justiça italiana por crimes gravíssimos e que até hoje se subtraiu à execução das relativas sentenças.

O gesto de Vossa Excelência constitui o significativo testemunho da antiga e sólida amizade entre Brasil e Itália e revela a sensibilidade para com uma situação complexa e delicada, que suscita sentimentos de intensa participação na opinião pública do nosso País.

Tenho grande apreço pela determinação da decisão de Vossa Excelência, que contribui a fazer justiça às vítimas dos delitos pelos quais Cesare Battisti foi condenado pelo Estado italiano.

Ao reiterar-lhe os sentimentos de amizade e gratidão meus e do nosso País, aproveito a ocasião para trasmitir a Vossa Excelência as mais cordiais saudações e os melhores votos para as iminentes festividades.

Assinado, Sergio Mattarella

Fonte: G1

Por G1


Presidente da COP 24, Michal Kurtyka, comemora a aprovação do "livro de regras de Katowice", que regula o Acordo de Paris. — Foto: Twitter/Michal Kurtyka

Presidente da COP 24, Michal Kurtyka, comemora a aprovação do “livro de regras de Katowice”, que regula o Acordo de Paris. — Foto: Twitter/Michal Kurtyka

Depois de duas semanas de conversações e dois anos de trabalho, quase 200 países superaram, neste sábado (15), as divisões políticas para chegar a um consenso sobre uma estrutura mais detalhada para o Acordo de Paris de 2015, que visa limitar o aumento da temperatura média mundial para, no máximo, 2ºC até o fim do século.

As informações são das agências EFE e Reuters.

Após as intensas negociações que começaram no último dia 2, os representantes de 197 países concordaram com o chamado “livro de regras” que governará a luta contra o aquecimento global nas próximas décadas. O Acordo de Paris estabelece que os compromissos de cada país para reduzir os gases estufa — as chamadas “contribuições nacionais” — são voluntários.

“Foi um longo caminho, não foi uma tarefa fácil. O impacto deste pacote de medidas é positivo para o mundo”, comemorou o presidente da COP24, o polonês Michal Kurtyka, depois de uma reta final agonizante de negociações, que terminou mais de 24 horas atrasada. A previsão inicial era de que a conferência terminasse na sexta (14).

O acordo final inclui uma referência a um relatório científico do IPCC que apela para a importância do compromisso “urgente e sem precedentes” para limitar o aumento da temperatura global a 1,5ºC.

Várias controvérsias adiaram a plenária — inclusive a recusa tardia do Brasil em modificar o atual sistema que regulamenta o mercado de carbono. A discussão foi adiada para o próximo ano, quando o Chile irá sediar a conferência. No mês passado, o Brasil anunciou que não seria mais o anfitrião da COP 25.

Discordâncias

Antes do início das negociações, muitos esperavam que o acordo não fosse tão robusto quanto necessário. A unidade que sustentou as negociações de Paris está fragmentada. Além disso, o presidente dos EUA, Donald Trump, pretende retirar seu país — um dos maiores emissores do mundo — do Acordo de Paris.

No entanto, uma decisão de oito páginas foi criticada por alguns países e grupos ecológicos por não insistir em maiores ambições sobre os cortes de emissões o suficiente para conter o aumento das temperaturas.

“A maior parte do livro de regras para o Acordo de Paris foi criado, o que é algo para se agradecer. Mas o fato de os países terem que ser arrastados e gritados para a linha de chegada mostra que algumas nações não acordaram para o apelo urgente do relatório do IPCC”, disse Mohamed Adow, líder internacional em clima da Christian Aid.

Na semana passada, a Arábia Saudita, os Estados Unidos, a Rússia e o Kuwait se recusaram acolher as conclusões do relatório. O texto da decisão agora apenas expressa gratidão pelo trabalho no relatório e convida as partes a usar as informações nele contidas.

Para muitos estados e ilhas de baixa altitude que estão em risco de elevação do nível do mar, isso não é forte o suficiente, mas teve que ser aceito em troca de outros ganhos.

“Os desafios serão com alguns dos maiores participantes, em termos de aumentar suas responsabilidades e o que é necessário para realmente operacionalizar o Acordo de Paris”, disse Simon Stiell, ministro do Meio Ambiente de Grenada, à Reuters.

Fonte: G1

João de Deus retirou R$ 35 milhões de contas bancárias após primeiras denúncias, dizem investigadores

Ainda sem conseguir localizar o paradeiro do médium João de Deus , investigadores identificaram movimentações recentes nas contas bancárias em nome dele. Segundo estes investigadores, na quarta-feira passada, dia 12, quando as primeiras denúncias de abuso sexual já eram conhecidas, foram retirados cerca de R$ 35 milhões de contas bancárias em nome de João de Deus.

A descoberta destas operações fez com que a Polícia de Goiás e o Ministério Público do estado acelerassem o processo para pedir a prisão do médium. O dinheiro foi retirado de aplicações que João de Deus tem em instituições bancárias. Depois das denúncias, vizinhos relataram que ele não mais voltou à sua casa em Abadiânia .

A ordem de prisão contra o médium já está disponível em sistema do Conselho Nacional de Justiça. Assim, qualquer autoridade policial no país pode efetuar sua prisão, caso o localize em outro estado. Para o MP, João de Deus é oficialmente considerado foragido da Justiça . A Polícia Civil, que vem negociando a apresentação do médium, ainda evita usar esse termo.O delegado geral da Polícia Civil do estado, André Fernandes, afirmou que a rendição do médium está confirmada. Acusado por centenas de mulheres de abusar sexualmente delas durante sessões espirituais na cidade de Abadiânia, o líder teve a prisão decretada nesta sexta-feira, mas não foi localizado até o momento pelas autoridades. A Polícia Civil e o MP do estado têm interpretações diferentes sobre o status do acusado, que nega os crimes atribuídos a ele.

O paradeiro do líder religioso é incerto. Sua última aparição em público foi na quarta-feira, na casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Ele permaneceu no local por apenas oito minutos. Um advogado amigo de João de Deus disse que a defesa do médium teme pela integridade física dele na prisão. Em nota, na sexta-feira, o advogado Toron havia classificado a ordem de prisão como “inaceitável”, já que a defesa não teria tido acesso, na ocasião, ao pedido de prisão do Ministério Público Estadual de Goiás nem ao teor do depoimento das vítimas.

Nesta manhã, enquanto o marido era alvo de buscas, a mulher de João de Deus, Ana Keyla Teixeira Lourenço, compareceu à festa de natal da Casa da Sopa, entidade mantida pelo centro religioso do marido, em Abadiânia. Ela discursou a moradores da comunidade sem fazer referência ao médium e deixou o local às pressas em seguida.

— Que os nossos lares continuem cheios de amor, de respeito, de carinho. Eu queria agradecer neste momento a todas as pessoas que aqui estão presentes. Muito obrigada — destacou Ana Keyla, ao microfone, cercada de seguidores do médium e da segurança pessoal da sua família.

Famoso pela realização de “cirurgias espirituais”, João Teixeira de Farias, o médium João de Deus, já atendeu celebridades, políticos e altos funcionários públicos do Brasil e do mundo. Agora, no entanto, ele é alvo de uma série de acusações de abuso sexual. O caso veio à tona com a revelação, no último sábado (8), de relatos de mulheres que acusam o médium de se aproveitar da autoridade de líder espiritual para abusar sexualmente delas. As histórias foram contadas no programa “Conversa com Bial” e no jornal O GLOBO .

Pelo menos dez mulheres ouvidas pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) afirmaram que um grupo de funcionários do médium era conivente com os abusos sexuais cometidos durantes as sessões espirituais em Abadiânia. De acordo com os relatos, os abusos ocorriam em uma sala reservada apenas em momentos de atendimento individualizado. Se havia uma terceira pessoa no local, ela era orientada a ficar com os olhos fechados ou mesmo vendados.

Ao menos quatro funcionários que não ficavam nesta sala, mas eram próximos ao médium e suspeitos de saberem do que ocorria, já foram identificados pelo MP de São Paulo. Os nomes não foram divulgados.

O Globo

 

Eduardo Bolsonaro diz que país não abrigará criminoso como Battisti

O filho do presidente eleito, Eduardo Bolsonaro, afirmou neste sábado (15) que o Brasil deixará de ser o paraíso dos criminosos estrangeiros, fazendo referência ao italiano Cesare Battisti, considerado por ele como “o caso mais famoso”.

Em sua conta no Twitter, o deputado federal relembrou que Battisti “matou um policial, assassinou um pai na frente do filho, foi condenado na Itália por 4 homicídios qualificados (no Brasil é crime hediondo), fugiu para o Brasil, Lula determinou que seguisse em liberdade e agora o STF decidiu extraditá-lo”.

A mensagem, que diz que Battisti está foragido, é acompanhada de uma foto em que o italiano aparece ao lado de representantes do Partido Trabalhista(PT), incluindo o ex-senador Eduardo Suplicy.

Em uma segunda publicação, Eduardo Bolsonaro ainda ressalta que no Brasil, além de Battisti, há ainda pelo menos dois sequestradores paraguaios e certamente outros bandidos condenados internacionalmente. (ANSA)

IstoÉ

Comments

Foragido, João de Deus deve se entregar às autoridades neste domingo (16)

Foragido da Justiça, João de Deus informou às autoridades que deve se entregar amanhã, em Goiás, apurou o Estado. A data foi fixada há pouco, em negociação com a defesa. O médium é suspeito de abusar sexualmente de mulheres que buscavam atendimento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola.

A Polícia Civil suspeita que ele esteja fora de Goiás. Nas negociações realizadas hoje, uma das hipóteses era de que agentes fossem até o local onde ele está para fazer a prisão e o transporte até Goiás. Em virtude da idade e da natureza do crime de que é acusado, a expectativa é de que ele fique em uma cela individual. A prisão preventiva contra o líder espiritual foi decretada no fim da manhã de sexta-feira, 14.

Integrantes do grupo destacado para fazer a investigação e as negociações, no entanto, ainda colocam em dúvida se o acerto será de fato cumprido. Para eles, a defesa do médium deverá aguardar o resultado do pedido de habeas corpus. Se a medida for concedida antes de ele se apresentar, seria possível evitar um desgaste ainda maior para o médium, que atrai anualmente para a cidade goiana de Abadiânia 120 mil fiéis – 40% deles estrangeiros.

O advogado de defesa de João de Deus, Alberto Zacharias Toron, no entanto, assegurou em entrevista que seu cliente vai se entregar antes da apresentação do habeas corpus. A ação será proposta segunda.

Os relatos de abuso sexual vieram à tona há uma semana, quando o programa Conversa com Bial apresentou depoimentos de mulheres que se sentiram abusadas. Dois dias depois que os primeiros relatos foram divulgados, o Ministério Público e a Polícia Civil de Goiás formaram forças-tarefas para investigar os casos. Já foram coletados mais de 330 depoimentos. Desse total, 30 mulheres formalizaram até o momento as acusações.

Nesta semana, somente na cidade de Abadiânia, onde funciona a Casa Dom Inácio, foram iniciados três inquéritos. Eles se juntam a outros três que já haviam sido abertos antes de os depoimentos contra João de Deus serem divulgados na TV.

João de Deus não é visto publicamente desde quarta, quando visitou a casa Dom Inácio de Loyola e, em pronunciamento rápido, garantiu inocência e disse estar a disposição da Justiça. Depois de a prisão preventiva ser decretada, a Polícia Civil já percorreu mais de 20 endereços em busca do médium. Sua casa em Abadiânia, no entanto, ainda não foi alvo de buscas.

Estadão Conteúdo

Comments

Ministério Público afirma que João de Deus já é considerado foragido

O Ministério Público (MP) do Estado de Goiás informou hoje (15), por nota, que o médium João de Deus já é considerado foragido. Segundo o MP, ele não foi encontrado em todos os endereços possíveis e o comparecimento espontâneo não ocorreu nas 24 horas seguintes à ordem de prisão.

Dessa forma, acrescentou o MP estadual, João de Deus pode ser preso por qualquer autoridade policial brasileira ou estrangeira, com auxílio da Interpol, caso saia do país.

Segundo o Ministério Público, a condição de foragido se estabelece mesmo com a negociação entre os advogados do médium e as autoridades. João de Deus já foi alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual. Sua prisão foi decretada ontem (14) pela Justiça de Goiás.

Na manhã de hoje (15), a Secretaria de Segurança Pública de Goiás afirmou que não havia prazo determinado para considerar o médium foragido. As buscas estão sob responsabilidade da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil de Goiás.

As denúncias contra João de Deus começaram a vir a público na sexta-feira (7) quando a mídia divulgou as primeiras denúncias de abuso sexual. A partir daí, outras mulheres que afirmam ser vítimas do médium começaram a procurar as autoridades e a imprensa.

£•Agência Brasil

Comments

Empresas pressionam por redução dos subsídios que encarecem conta de luz

As empresas estão pressionando para que os subsídios embutidos na conta de luz de todos os consumidores previstos para 2019 sejam menores do que os previstos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), órgão que regula o setor. A Aneel projeta R$ 21 bilhões em subsídios, mas a Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace) calcula que poderiam ser reduzidos para R$ 12,5 bilhões. A Abrace vai defender a redução na reunião da diretoria da Aneel na próxima terça-feira, quando o orçamento será votado.

Se as sugestões da Abrace forem acatadas, a conta de luz poderia cair 5% no ano que vem, segundo a associação. Caso o orçamento seja aprovado da forma como está, deve haver um aumento de 2,5% nas contas.

Os subsídios são cobrados por meio de uma taxa na conta de luz e beneficiam diversos grupos de interesse. Na prática, o consumidor residencial paga um valor mais alto para permitir que outros clientes possam ter descontos tarifários.

Entre os beneficiados estão agricultores e empresas que fornecem serviços públicos de água, esgoto e saneamento. Têm direito a esse desconto a cadeia de energias incentivadas, como eólicas e solares, e os consumidores que adquirem essa energia. Também há subsídios para o pagamento do combustível usado em termoelétricas a gás, diesel e óleo combustível no Norte do País, para o programa Luz para Todos, população de baixa renda e produtores de carvão mineral, por exemplo.

O superintendente da Associação Brasileira das Indústrias de Vidro (Abividro), Lucien Belmonte, diz que o custo dos subsídios no preço de energia retira a competitividade da indústria. “Subsídios sempre distorcem a economia. É preciso discutir aquilo que deve ser mantido e o que deve ser extinto em termos de política pública”, diz.

“Levantamos mais de 15 itens que tiveram o orçamento superestimado. Não entendo por que a Aneel errou tanto nos cálculos, e sempre para mais. Qualquer erro traz impactos para a conta do consumidor”, diz o presidente da Abrace, Edvaldo Alves de Santana.

Segundo a Abrace, a maior estimativa de gastos contestados é a de despesas com compra de combustíveis por usinas térmicas no Norte do País. Santana disse que a Aneel incluiu R$ 3,2 bilhões a mais do que o necessário. O valor calculado considera que as usinas funcionariam 24 horas por dia e sete dias por semana, o que não é usual. Além disso, a conta considera combustível além da capacidade de consumo das usinas.

No caso da Tarifa Social, programa de descontos para a população de baixa renda, a Aneel considerou gastos de R$ 2,51 bilhões, R$ 500 milhões a mais que o necessário, diz a Abrace. Para o cálculo, o órgão regulador usou uma taxa de crescimento vegetativo no número de beneficiários, embora a quantidade de famílias com direito ao desconto venha caindo ano a ano. Procurada, a Aneel não se quis se manifestar.

Estadão Conteúdo

Comments

Vereador investigado por participação pede federalização do caso Marielle Franco

O vereador Marcello Siciliano (PHS-RJ), investigado no inquérito que apura o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em abril deste ano, pediu hoje (15) a federalização do caso e maior transparência nas investigações. Ele disse que a federalização é um ato que deve ser solicitado pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Siciliano negou seu envolvimento na morte de Marielle Franco, de quem se disse muito amigo, e lembrou que quando ocorreu a primeira denúncia, ele se mostrou à disposição da Justiça. Passados nove meses do crime, o vereador disse que permanece à disposição das autoridades 24 horas por dia.

O vereador qualificou de midiática a operação feita ontem (14) de busca e apreensão pelo Ministério Público do Estado e Polícia Civil em sua residência e em seu gabinete na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Ele atribuiu o fato à proximidade do fim da intervenção federal no Rio de Janeiro e à pressão exercida por parte da sociedade, da Anistia Internacional e organizações de direitos humanos para resolver o crime, que têm repercussão internacional.

“Eu quero também que isso seja desvendado, mas de forma verídica, de forma digna. Eu não sei porque resolveram me pegar para ‘cristo’ desse crime que eu não cometi, não tive participação, nunca teria”. O vereador acrescentou que a operação de ontem (14) foi um”desrespeito à minha família, à minha história de vida, um desrespeito contra meus filhos, minha mãe, e um desrespeito também à família da Marielle. Um desrespeito a todos aqueles que gostam e que querem realmente a verdadeira verdade e não uma pessoa criada, que é o que estão fazendo comigo”, ressaltou.

Transparência

Marcello Siciliano reiterou o pedido feito ontem (14), quando depôs na Delegação de Proteção ao Meio Ambiente, na Cidade da Polícia, de maior transparência para o caso.

O carro onde se encontravam Marielle Franco e Anderson Gomes foi alvejado quando passava pelo bairro do Estácio, zona norte do Rio de Janeiro. Os autores dos disparos estavam em outro veículo e fugiram. No mês seguinte ao crime, um ex-miliciano que depôs na condição de testemunha citou o nome de Siciliano. Além do vereador, o depoente implicou o ex-policial militar Orlando de Araújo, conhecido como Orlando Curicica, que atualmente está preso em decorrência de condenação por outros crimes.

Segundo a testemunha, o homicídio estaria relacionado com a atuação de Marielle em áreas comandadas por milicianos vinculados à Orlando Curicica, na zona oeste do Rio de Janeiro. Na época, Siciliano já havia negado participação no crime. O ex-policial também refutou as acusações.

Grilagem

O vereador negou também qualquer interesse em questões fundiárias que, segundo entrevista do secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, general Richard Nunes, ao jornal Estado de São Paulo, teriam sido o real motivo do assassinato de Marielle, diante de sua interferência em interesses de milicianos sobre loteamento de terras na periferia da capital fluminense.

Siciliano assegurou não ter participação em grilagens. Disse que o único fracionamento de terra em que se meteu foi há 20 anos, em Vargem Grande, onde inclusive morou com a família durante mais de dez anos. Negou participação em loteamentos na comunidade Nova Palmares, onde estariam tentando atribuir vínculos a ele. “Qual será a próxima? Será que vão tentar me matar e dizer que eu fui uma queima de arquivo porque estava chegando (ao esclarecimento do caso)?”

Segundo Siciliano, “mataram uma vereadora e estão me matando junto. Estão querendo me jogar em uma jaula. Eu peço a federalização desse caso. Ninguém mais do que eu quer a transparência disso”.

Também disse ter entregado todos os documentos, computador e celular à polícia. “Eu não devo nada, não temo nada. Tudo meu foi entregue na delegacia”. De acordo com o vereador, a Delegacia de Homicídios não tem mais condição de seguir adiante com esse processo, que deve ser tornado público para todos.

Aconselhado por vereadores a pedir proteção policial, Siciliano disse que vai avaliar essa hipótese com seus advogados Carlos Lube e Daniel Fiúza, que o acompanhavam durante a entrevista.

Agência Brasil

 

Por G1 RN

 


Fest Bossa & Jazz segue até este domingo (16) em Pipa, no Litoral Sul potiguar — Foto: Brunno Martins

Fest Bossa & Jazz segue até este domingo (16) em Pipa, no Litoral Sul potiguar — Foto: Brunno Martins

Com bandeirolas espalhadas pelos quatro cantos e musicalidade a cada esquina da Praia da Pipa, no Litoral Sul potiguar, a edição 2018 do Fest Bossa & Jazz atrai público de vários estados e países neste fim de semana. São crianças e adultos envolvidos na atmosfera que do evento, que conta , com oficinas, workshops, Pocket Shows da tarde na orla da praia ou nos polos noturnos distribuídos pela avenida Baía dos Golfinhos.

A agitação do Fest permanece na praia até este domingo (16) com programação que passeia pelo jazz, bossa, blues, rock, R&B, samba e reggae. E o melhor, é tudo gratuito!

O clima é de descontração. O formato inédito oferecido pela organização com pontos descentralizados, shows que não param e circulam por vários lugares, agradou a muitos. A potiguar Aline Freitas que já conhecia o evento nas edições anteriores é uma das que aprovou. “Cheguei aqui e fui surpreendida pelo Festival totalmente diferenciado, espalhado por Pipa, com música de alta qualidade, proporcionando lazer, diversão e, ao mesmo tempo, conforto ao transitar pelas ruas”, disse.

Um grupo de amigos formado pela potiguar Eliomaya Mirelle, a pernambucana Thammy Farias, o cearense Sérgio de Sousa e o argentino Emiliano Andía, que se conheceram em Pipa, aproveitou para curtir o Festival em grande estilo.

“Todos estamos viajando sozinhos e chegar aqui no meio do Fest Bossa & Jazz foi a maior surpresa”, disse Sérgio. A potiguar Eliomaya já tinha ouvido falar muito do evento. “Conhecia o Festival, mas na Pipa foi a primeira vez e ainda pude fazer novas amizades. Tudo novo ”, explica Eliomaya.

Fest Bossa & Jazz na Praia da Pipa, no RN — Foto: Brunno Martins

Fest Bossa & Jazz na Praia da Pipa, no RN — Foto: Brunno Martins

Animada com a boa repercussão, Juçara Figueiredo, realizadora do Fest Bossa & Jazz fala sobre essa nova maneira de executar o evento em Pipa.

“O nosso maior desafio era manter a essência, oferecendo a boa música através de renomados artistas do cenário local e nacional com vários pocket shows, abrindo a possibilidade de o público usufruir diferentes estilos simultaneamente. E, claro, mantendo a característica de ser gratuito e também promover atividades paralelas aos shows como as oficinas, workshops e Master Class”, explica.

Para este sábado (15), Workshop de Gaita com Flávio Guimarães às 14h, na Vila da Pipa Shopping; Master Class de Trompete com Antônio de Pádua, às 15h, também na Vila da Pipa. Já as oficinas “Instrumentos Recicláveis” – Alexandre Ferro e “Reciclando com Arte” – Mônica Lira e Marlene Brasil, acontecem no Kanto da Pipa no mesmo horário. Os Pocket Shows da tarde ocorrem das 15h às 17h e na line-up nomes como Sâmela Ramos, Parahyba Ska Jazz, Los Chaskys, Duo Maresia e Nida Lira.

Na noite, a partir das 19h30, cortejo com a Bossa & Jazz Street Band e em seguida Pris Dené & Tricomas Jazz Band, Família Pádua, Di Steffano Quarteto, Orquestra Filarmônica Mons. Honório, Parahyba Ska Jazz, Taryn Szpilman e finaliza com duas Jam Sessions, uma na Muxima’s e no Kanto da Pipa. Até domingo (16), muita coisa vai rolar.

Ao todo, no evento, são 17 atrações, 48 Pocket Shows, além de oficinas, workshop e Jam Session.

Dupladora de Frozen

Na sexta-feira à tarde houve o Talk Show com Taryn Szpilman, no Kanto da Pipa. Um grupo de crianças participou de um bate papo com a dubladora da personagem Elsa, do filme infantil Frozen. Taryn dubla a voz da rainha Elsa, que luta contra a terrível maldição de inverno eterno, que está provocando o congelamento do reino.

Dupladora conversou com crianças durante o Fest Bossa e Jazz — Foto: Brunno Martins

Dupladora conversou com crianças durante o Fest Bossa e Jazz — Foto: Brunno Martins

As crianças fizeram perguntas e passaram a entender como funciona o processo de uma dublagem no cinema. A canção “Let It Go”, traduzida para o português “Livre estou”, foi cantada por Taryn e os baixinhos no final da talk show.

“Foi muito gratificante conversar com as crianças e explicar um pouco como é o trabalho do dublador. A importância de se dedicar a leitura e até mesmo aprender outros idiomas. Me surpreendeu bastante o quanto elas estão envolvidas com o aprendizado do processo da dublagem”, comentou Taryn.

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Claudia Leitte é uma das atrações deste sábado (15) no Carnatal 2018 — Foto: Divulgação/Carnatal

Claudia Leitte é uma das atrações deste sábado (15) no Carnatal 2018 — Foto: Divulgação/Carnatal

Acontece neste sábado (15) a terceira noite do Carnatal – um dos maiores carnavais fora de época do país. Claudia Leitte, Jammil, Ricardo Chaves e Bell Marques são algumas das principais atrações.

Esta é a 28ª edição da micareta, que começou na quinta (13) e vai até o domingo (16). A festa atrai milhares de foliões ao entorno da Arena das Dunas, na Zona Sul de Natal.

Confira abaixo a programação completa.

Bell Marques participou também da segunda noite de Carnatal, nesta sexta-feira (14). — Foto: Augusto César Gomes

Bell Marques participou também da segunda noite de Carnatal, nesta sexta-feira (14). — Foto: Augusto César Gomes

Sábado (15/12)

  • 17h: abertura dos portões
  • 18h: Palco Uber (na concentração)
  • 18h30: Vumbora – Bell Marques
  • 19h: Me Abraça – Durval Lelys
  • 19h30: Bicho – Ricardo Chaves
  • 21h30: Largadinho – Claudia Leitte
  • Estação Skol – Jammil

Domingo (16/12)

  • 17h: abertura dos portões
  • 12h: Vumbora Day – Rafa e Pipo Marques (como uma das grandes novidades do Carnatal 28, o projeto ‘Vumbora Day’ será no domingo de Carnatal, começando na área de hospitalidade do Arena das Dunas e encerrando no bloco Vumbora. Os foliões que adquirirem o abadá para o Vumbora Day terão acesso a uma feijoada exclusiva, a partir das 12h com banda e DJs locais e uma super festa. Após o evento, os foliões terão acesso exclusivo ao bloco Vumbora comandado neste dia pela dupla Rafa e Pipo Marques).
  • 17h: Palco Uber (na concentração)
  • 17h30: Coruja – Ivete Sangalo
  • 18h30: PSI – Psirico
  • 19h30: Bicho – Ricardo Chaves
  • Estação Skol – Atração surpresa

Neste sábado (15) e também no domingo (16), as interdições do trânsito nas ruas do entorno da Arena das Dunas começam às 15h. Confira AQUIas rotas alternativas.

Fonte: G1RN

Com capacidade dobrada, novo pavilhão do Centro de Convenções é inaugurado
Espaço foi requalificado de 14,2 mil m² para 23,6 mil m², ampliando sua capacidade de 6 para 13 mil pessoas. Pavilhão agora pode sediar vários eventos simultaneamente

Governo do RN / Divulgação

Empreendimento recebeu investimento de R$ 40 milhões

O Governo do Rio Grande do Norte inaugurou neste sábado, 15, o novo pavilhão do Centro de Convenções de Natal. O evento contou com a presença do governador Robinson Faria, do ministro de Turismo, Vinícius Lummertz, e do prefeito de Natal, Álvaro Dias, além de secretários e gestores estaduais e municipais e representantes do trade turístico.

O Centro de Convenções recebeu um investimento na ordem de R$ 40 milhões, recursos assegurados pelo Programa de Aceleração do Crescimento – PAC Turismo, com contrapartida do Governo do Estado de R$ 10 milhões.

Com obra executada pelas secretarias estaduais de Turismo e Infraestrutura, o espaço foi requalificado de 14,2 mil m² para 23,6 mil m², ampliando sua capacidade de 6 para 13 mil pessoas. O novo pavilhão agora pode sediar vários eventos simultaneamente, já que sua estrutura, com dois pisos, é modulada, pois possui configuração flexível e uso de divisórias móveis sobre trilhos que podem dividir o espaço em três grandes salas. Também estão previstas 573 vagas de estacionamento.

O governador Robinson Faria disse que a obra incrementa o turismo no Estado, já que o equipamento de grande porte está situado em frente ao cartão postal da capital potiguar e ao lado de uma das melhores redes hoteleiras do País.

“É um legado que estamos entregando ao RN, pois vai possibilitar o turismo o ano inteiro, o que conhecemos por turismo de eventos, como congressos. Nós já somos um dos pontos turísticos mais cobiçados do Brasil mas faltava um equipamento como este, maior e melhor equipado, que viesse para dar suporte a grandes eventos”, afirmou.

Ministro do Turismo, Vinícius Lummertz lembrou do potencial turístico da cidade ressaltando a importância do empreendimento. “Este é um dos maiores vãos livres do país que veio para colocar o Rio Grande do Norte na rota dos grandes eventos. Vocês já tem uma posição geográfica estratégica e histórica, além de uma bela cidade. Cada um de nós tem consciência de que foi um ano difícil, mas acredito que vamos melhorar e devemos acreditar no desenvolvimento do turismo e das relações internacionais dada a posição geográfica do Nordeste e, especificamente, deste estado”, destacou.

Na ocasião, o ministro fez a entrega do Selo Prodetur + Turismo, documento que habilita o Estado a pleitear recursos de até R$ 500 milhões para projetos na área.

Fonte: Agora RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu