ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE SÁBADO

Por G1 — Brasília

 


Ciro Gomes diz que não quer tomar lado, que se deve votar com a democracia

Ciro Gomes diz que não quer tomar lado, que se deve votar com a democracia

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, derrotado no primeiro turno, divulgou um vídeo neste sábado (27) no qual diz que não quer tomar lado na disputa presidencial e pede que a população vote pela democracia, contra a intolerância e pelo pluralismo.

Ele afirmou também que “ninguém está obrigado a votar contra convicções e ideologias”.

Ciro acrescentou que decidiu não se posicionar por uma “razão muito prática”, mas não quis revelar, neste momento, qual o motivo, porque, se não pode ajudar, não quer “atrapalhar”.

Neste domingo (28), os eleitores vão decidir quem será o presidente do Brasil pelos próximos quatro anos. Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) disputam o segundo turno.

“Claro que todo mundo preferia que eu, com meu estilo, tomasse um lado e participasse da campanha. Mas eu não quero fazer isso por uma razão muito prática, que eu não quero dizer agora, porque, se eu não posso ajudar, atrapalhar é o que eu não quero”, disse Ciro.

“Eu quero que Deus, como disse lá no primeiro dia, abençoe essa grande nação para que todo mundo possa caminhar amanhã para votar, votar compreendendo a necessidade de votar com a democracia, votar contra a intolerância, votar pelo pluralismo”, completou o pedetita.

Uma declaração pública de apoio de Ciro era esperada pela campanha do candidato do PT, Fernando Haddad, desde o fim da votação do dia 7 de outubro. Três dias após o primeiro turno, o PDT se reuniu e decidiu dar “apoio crítico” ao petista, mas afirmou que não participaria da campanha.

O PT costurou acordos com o PSB para disputas regionais, o que ajudou a isolar o PDT na disputa ao Planalto.

Em sabatina na TVE Bahia, nesta sexta (26), Haddad disse que ainda esperava uma declaração mais contundente de apoio de Ciro Gomes.

“Eu espero um gesto do Ciro, até porque eu já fiz vários a ele. […] Do meu ponto de vista, o Ciro é um amigo, é uma pessoa que tem uma folha de serviços prestados muito importantes, e agora com a volta dele esperamos uma declaração de apoio”, disse Haddad.

Mais cedo, neste sábado, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa declarou voto em Haddad e disse que a candidatura de Jair Bolsonaro “inspira medo”.

Terceiro lugar

No primeiro turno, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, ficou em terceiro lugar. Ex-governador do Ceará e ex-ministro da Integração Nacional, ele recebeu 13,3 milhões de votos (12,47%).

No dia da votação em primeiro turno, logo após a confirmação o resultado, Ciro Gomes foi questionado sobre quem apoiaria no segundo turno e respondeu “ele, não”, uma referência ao movimento #EleNão, contrário a Jair Bolsonaro.

Fonte: G1

Por G1 — Brasília

 


Jair Bolsonaro faz campanha pelas redes sociais

Jair Bolsonaro faz campanha pelas redes sociais

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse neste sábado (27) que a forma de mudar o país é por meio da “defesa das leis” e da “obediência à Constituição”. Em publicação no Twitter, ele também defendeu a família e a propriedade privada.

Na véspera da votação, marcada para este domingo (28), o candidato passou a manhã em casa, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele recebeu a visita do pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

“A forma de mudarmos o Brasil será através da defesa das leis e da obediência à Constituição, Assim, novamente, ressaltamos que faremos tudo na forma da Lei!”, afirmou na rede social.

Ele disse, ainda, que todo cidadão “deve obedecer às leis e cumprir com seus deveres” para “gozar de seus plenos direitos”.

Família e propriedade

O candidato do PSL também defendeu a família e a propriedade privada. Bolsonaro disse que os bens materias, quando adiquiridos de forma honesta, são propriedade privada e não podem ser “roubados”, “invadidos” ou “expropriados”.

“Os frutos de nossas ações afetivas tem um nome: família. Os frutos materiais dessas escolhas, quando gerados de forma honesta em uma economia de livre iniciativa, têm nome: propriedade privada! Seu celular, seu relógio, sua poupança, sua casa, sua moto, seu carro, sua terra são frutos de seu trabalho e de suas escolhas! São sagrados e não podem ser roubados, invadidos ou expropriados!”, afirmou.

Bolsonaro também afirmou que as pessoas devem ter “liberdade de fazer suas escolhas e viver com os frutos dessas escolhas”, desde que “não interfiram em aspectos essenciais da vida do próximo”.

Nesta semana, depois de encontro com produtores rurais, Bolsonaro criticou invasões de fazendas. Ele disse que o produtor rural quer “segurança jurídica para terra”.

“Eles querem uma segurança jurídica para sua terra. Você não pode acordar hoje e de repente tomar conhecimento no jornal que a sua fazenda vai ser demarcada como terra indígena. Você não pode ter sua fazenda invadida e de repente você entra com uma ação de integração de posse e de acordo com lado ideológica daquele governador ele não cumpre a reintegração de posse”, afirmou.

O candidato disse, ainda, que, se eleito, as ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) serão tipificadas como terrorismo.

“No que depender de mim, as ações do MST serão tipificadas como terrorismo. Esse pessoal não pode continuar levando terror ao campo e ficar imune em nome do movimento social”, afirmou.

Fonte: G1

Novo presidente terá de enfrentar PIB global em declínio

O novo presidente do Brasil, a ser eleito neste domingo, terá perdido o mais recente ciclo de expansão da economia mundial, e vai assumir as rédeas do oitavo maior PIB do planeta em meio a uma tendência de desaceleração em 2019.

Indicadores reunidos por diferentes organizações ao longo dos últimos meses apontam que as tensões comerciais – em especial entre China e Estados Unidos –, o aperto das condições financeiras em mercados emergentes e os riscos políticos em todo o globo – inclusive no Brasil – devem frear a performance global.

O sinal de alerta para o fim de um ciclo de alta foi soado há um mês pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que reúne 36 países – Brasil excluído. Desde então, os sinais de alerta para o começo de uma nova desaceleração se multiplicam.

Se até o fim de 2017 e o início do ano, a perspectiva era de expansão generalizada do PIB, o cenário hoje apresenta disparidades nacionais importantes, o que levou a organização a revisar os prognósticos de crescimento para baixo: 3,7% em 2018 e em 2019.

O porcentual pode parecer elevado, mas esconde situações díspares que podem trazer instabilidade para todos. O comércio internacional vem se contraindo, o nível de investimento é inferior ao estimado há dois anos e a massa salarial registra crescimento marginal na maior parte dos países da OCDE, mesmo com o desemprego abaixo dos níveis pré-crise internacional.

O resultado é que 10 países, mais o conjunto da zona do euro – 19 nações – tiveram uma revisão do PIB para baixo, incluindo EUA, Alemanha, França, Itália, Reino Unido, Brasil e Argentina. Apenas quatro nações – Austrália, China, Japão e Rússia – ficaram estáveis.

Nos últimos dias, a sondagem trimestral realizada pela agência Reuters com 500 economistas de todo o mundo indicou a expectativa de desaceleração em 41 dos 44 mercados estudados. Na Europa, por exemplo, um dos fantasmas que pairam sobre o bloco de 28 países é o Brexit, o divórcio entre União Europeia e Reino Unido.

A seis meses do início da separação, os termos da ruptura ainda são desconhecidos. O resultado é que índices de bolsas de valores como o DAX, de Frankfurt, referência no continente, confirmam a chegada de uma nova fase de instabilidade também para empresas e investidores, com queda de 14% desde janeiro, segunda pior desde 2011.

Comparado a uma cesta de moedas de parceiros comerciais americanos, o dólar vem se tornando outro fator de instabilidade ao registrar nas últimas semanas o mais alto valor em 25 anos. Ao longo da história, essa realidade vem acompanhada de importações mais caras para países como o Brasil e de aumento da taxa básica de juros do banco central americano – e, por extensão, em grande parte do mundo.

Se de fato acontecer, o garrote na liquidez encerrará um ciclo de quase 10 anos de expansão, com efeitos ainda imprevisíveis – mas com potencial recessivo, como estima o prêmio Nobel de Economia, Edmundo Phelps.

Dólar

A cotação do dólar, que produz uma taxa de câmbio desfavorável para os países importadores, também pressiona para cima o preço do petróleo, cujo barril saiu de menos de US$ 50 há um ano para mais de US$ 65 nos últimos dias. Mas os principais sintomas da encruzilhada da economia mundial vêm das duas maiores potências: Estados Unidos e China. A economia americana deve crescer 2,9%, em 2018, e 2,7%, em 2019, confirmando uma fase de opulência, mas com viés de baixa. Já a chinesa tende à desaceleração, com crescimentos de 6,7% e 6,4% nos dois anos, ambos inferiores ao índice de 2017, 6,9%.

Essa situação leva analistas a acreditarem que a expansão da economia mundial será desigual de país para país, e não mais generalizada. Dentre todos, talvez o principal dos fatores de incerteza é a possível guerra comercial entre EUA e China. O confronto, se se aprofundar, poderia custar até 0,7% do PIB por ano à economia chinesa, segundo estudo de Prashant Chandran, diretor de derivativos da consultoria Western Asset.

Para Jean-Paul Betbeze, presidente da Betbeze Conseil, de Paris, e ex-economista-chefe do banco Crédit Agricole, a economia mundial enfrenta riscos múltiplos, nas bolsas, no sistema financeiro, nas taxas de câmbio e na política monetária, na desaceleração da China e na instabilidade política.

Preste atenção

Fatores: Diferentes organizações ao longo dos últimos meses reuniram indicadores apontando que as tensões comerciais, o aperto das condições financeiras em mercados emergentes e os riscos políticos em todo o globo devem frear a performance global.

OCDE: A organização, que reúne 36 países, emitiu seu sinal de alerta há um mês. Se até o fim de 2017 e o início do ano, a perspectiva era de expansão generalizada do PIB, o cenário hoje apresenta disparidades nacionais importantes. Os prognósticos de crescimento foram revisados para baixo: 3,7% em 2018 e em 2019.

Câmbio: A cotação do dólar, que produz uma taxa de câmbio desfavorável para os países importadores, também é um agravante para a desaceleração.

Potências: Os principais sintomas da encruzilhada da economia mundial vêm dos Estados Unidos e da China. Se o confronto entre os dois se aprofundar, poderá custar até 0,7% do PIB por ano à economia chinesa.

Estadão Conteúdo

Comments

TSE recebe partidos para mostrar como será a apuração

Integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) receberam hoje representantes de partidos e instituições que vão acompanhar a apuração da votação do segundo turno das eleições amanhã (28). As agremiações vão monitorar, na sede do Tribunal, o recebimento das informações das zonas eleitorais e a totalização dos votos.

A presidente da corte, ministra Rosa Weber, convidou as 35 legendas em funcionamento no país, o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso Nacional, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Ministério Público e a Polícia Federal, além da missão internacional da Organização dos Estados Americanos (OEA), entre outras instituições.

Na reunião de apresentação, estiveram presentes representantes do PSL, partido do candidato Jair Bolsonaro; do PTB; da Sociedade Brasileira de Computação (SBC); do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e da missão da OEA. Eles foram recebidos pelo secretário-geral da presidência da Corte, Estevão Waterloo, pelo diretor-geral, Rodrigo Fleury, além de outros gestores e técnicos do Tribunal.

Eles conheceram o centro de operações do Tribunal, onde são monitoradas as 460 mil seções eleitorais. No local ficam os servidores para onde são enviados os resultados das votações para a totalização processada no Tribunal.

Foi explicado que após o encerramento da votação, os resultados em cada urna serão transmitidos ao centro de controle. Contudo, em razão do fuso horário e do encerramento mais tarde nas cidades mais a oeste do país, a divulgação dos resultados da votação para presidente terá início às 19h.

Também foi mostrada a sala-cofre onde ficam o sistema que assegura o isolamento das urnas. Segundo o TSE, há seis níveis de segurança no local e somente três servidores têm acesso à sala.

O TSE ainda não tem a confirmação de quem acompanhará a apuração amanhã (28).

Agência Brasil

Comments

Em SP, França, com 51% dos votos válidos, e Doria, com 49%, chegam ao dia da eleição em empate técnico

Na véspera do segundo turno para governador de São Paulo, Márcio França (PSB) e João Doria (PSDB) estão tecnicamente empatados, com o socialista numericamente à frente pela primeira vez, com 51% dos votos válidos, ante 49% do tucano.

Segundo a pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (27), é a primeira vez que há empate técnico entre os dois.

Nessa situação, de acordo com o instituto, não é possível afirmar qual candidato será o vencedor neste domingo (28). Para a contabilidade dos votos válidos são excluídos os votos em branco ou nulos e os indecisos -é assim que a Justiça Eleitoral contabiliza e divulga o resultado oficial.

As entrevistas foram feitas nesta sexta-feira (26) e sábado (27). Foram ouvidas 5.093 pessoas em 73 municípios para a sondagem, registrada na Justiça Eleitoral com o código SP-03417/2018. Os contratantes da pesquisa foram a Folha e a TV Globo.

França, que tenta a reeleição, confirmou no levantamento a tendência de crescimento das últimas semanas. O atual governador tinha 48% dos votos válidos na pesquisa de quinta-feira (25), ante 52% de Doria. Na da semana anterior, o postulante do PSB acumulava 47%, enquanto o do PSDB somava 53%.

No levantamento deste sábado, a taxa de indecisos é de 7%, e o percentual de eleitores que pretendem votar em branco ou anular soma 9%. Essas duas faixas do eleitorado, na avaliação do instituto, contribuem para deixar o resultado final em aberto, já que parte dessas pessoas deve optar por um dos dois candidatos.

Na contabilidade do total de votos, também há empate técnico -o nome do PSB possui 43% e o do PSDB obtém 42%.

A associação com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) continuou surtindo efeito na campanha do tucano, que estimulou abertamente desde o dia do primeiro turno a dobradinha “BolsoDoria”. Doria é o favorito entre os eleitores do capitão reformado no estado: 72% declararam voto no ex-prefeito, ante 28% que escolhem França.

O candidato do PSB também buscou uma aproximação, mais velada, com a candidatura de Bolsonaro. França obteve o apoio do senador eleito Major Olímpio (PSL-SP), coordenador da campanha do presidenciável no estado e um dos principais aliados dele.

França é o preferido entre os eleitores paulistas que votam em Fernando Haddad (PT). Dos que apoiam o petista na corrida ao Planalto, 86% escolhem o candidato do PSB para o Palácio dos Bandeirantes. Os outros 14% optam por Doria.

Acirrada desde o primeiro momento, a campanha em São Paulo no segundo turno teve uma subida de tom na reta final, com troca de acusações e bate-boca nos debates de televisão.

O ex-prefeito da capital usou inflamada retórica antipetista, buscando colar em França a pecha de aliado do PT, socialista e esquerdista. O atual governador, também seguindo a linha adotada no primeiro turno, se esforçou para qualificar o tucano como alguém que não honra sua palavra.

De acordo com a pesquisa, 38% dos eleitores assistiram ao debate da Globo, o último antes da votação, na noite de quinta-feira (25). No programa, os dois candidatos retomaram os ataques mútuos, depois de um encontro morno no evento promovido por Folha, UOL e SBT, na terça (23).

Quando questionados sobre qual candidato se saiu melhor no confronto da Globo, 44% dos entrevistados não souberam informar, 27% disseram que França foi o melhor, 23% responderam que foi Doria e 6% consideraram que houve empate.

Entre os que assistiram ao debate, 45% avaliaram que o político do PSB teve desempenho superior e 38% acharam que o melhor foi o postulante do PSDB.

Doria foi o candidato mais votado no primeiro turno, com 32% dos votos válidos, ante 22% de França, e durante quase toda a disputa do segundo turno liderou de forma isolada. Nos últimos dias, porém, a intenção de voto no tucano vem oscilando para baixo.

Em comparação com a pesquisa anterior, o ex-prefeito perdeu votos principalmente entre os mais jovens (queda de 47% para 41%), entre os menos instruídos (de 56% para 47%), entre os moradores da região metropolitana (de 55% para 46%) e entre os habitantes de cidades com até 50 mil habitantes (de 64% para 54%).

Folhapress

Comments

Joaquim Barbosa desmente Bolsonaro sobre julgamento do mensalão

Depois de declarar seu voto ao candidato Fernando Haddad (PT), o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa usou novamente sua conta no Twitter, desta vez para rebater mensagens do candidato Jair Bolsonaro (PSL).

“Desde 2014, jamais emiti opinião sobre a conhecida Ação Penal 470. Mudei de atividade profissional. Virei a página. Mas vou esclarecer às pessoas sem conhecimento técnico o seguinte: 1) a AP 470 envolvia sobretudo líderes e presidentes de partidos. Bolsonaro não era líder nem presidente de partido. Ele não fazia parte do processo do mensalão. Só se julga quem é parte no processo. Portanto, eu jamais poderia tê-lo absolvido ou exonerado. Ou julgado. É falso, portanto, o que ele vem dizendo por aí”, escreveu.

O candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro , comentou no Twitter o apoio do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa a Fernando Haddad (PT) , anunciado neste sábado. O capitão da reserva destacou que Barbosa já disse que “só Bolsonaro não foi comprado pelo PT.”

“Em suas redes sociais, Joaquim barbosa divulga voto em Haddad, mas já está na história que ele mesmo disse que só Bolsonaro não foi comprado pelo PT no esquema de corrupção conhecido como Mensalão, que feria gravamente a democracia do nosso país anulando o Poder Legislativo”, escreveu Bolsonaro em sua rede social ao mostrar o vídeo em que o próprio Barbosa inocenta-o.

Confira os tuítes de Joaquim Barbosa

Joaquim Barbosa

@joaquimboficial

Faço um esclarecimento público para desmentir uma manipulação que vem sendo feita ao longo desta triste campanha eleitoral. Até a data de hoje eu ignorei completamente o uso do meu nome na campanha por um dos candidatos. Mudei de ideia porque hoje reiterou-se a manipulação.

Joaquim Barbosa

@joaquimboficial

a manipulação foi reiterada em resposta ao exercício, por mim, da liberdade de dizer em quem vou votar amanha. Seguinte:

Joaquim Barbosa

@joaquimboficial

desde 2014 jamais emiti opinião sobre a conhecida Ação Penal 470. Mudei de atividade profissional. Virei a página. Mas vou esclarecer às pessoas sem conhecimento técnico o seguinte: 1) a AP 470 envolvia sobretudo líderes e presidentes de partidos.

Joaquim Barbosa

@joaquimboficial

desde 2014 jamais emiti opinião sobre a conhecida Ação Penal 470. Mudei de atividade profissional. Virei a página. Mas vou esclarecer às pessoas sem conhecimento técnico o seguinte: 1) a AP 470 envolvia sobretudo líderes e presidentes de partidos.

Confira o tuíte de Bolsonaro

Jair Bolsonaro 1️⃣7️⃣

@jairbolsonaro

Em suas redes sociais, Joaquim barbosa divulga voto em Haddad, mas já está na história que ele mesmo disse que só Bolsonaro não foi comprado pelo PT no esquema de corrupção conhecido como Mensalão, que feria gravamente a democracia do nosso país anulando o Poder Legislativo.

 

Justiça Eleitoral alerta que Roger Waters pode ser preso se fizer manifestação política em show

A Justiça Eleitoral do Paraná determinou que a produção do cantor Roger Waters seja advertida sobre as restrições de manifestações políticas, previstas na lei eleitoral, que ocorrem a partir das 22h do dia que antecede as eleições. O artista britânico faz show às 21h30 deste sábado, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. Caso faça alguma manifestação pública em cima do palco em prol ou contra candidatos entre 22h e meia-noite, poderá ser multado. Já após meia-noite, qualquer manifestação política pode configurar boca de urna, e o artista pode ser preso.

A decisão foi baseada em um pedido do Ministério Público Eleitoral. No requerimento, a promotora de Justiça Eleitoral Cláudia Madalozo anexou reportagens de cobertura de apresentações feitas recentemente por Roger Waters no Brasil, nas quais ele se manifesta politiciamente contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL). As manifestações anteriores, de acordo com a promotora, justificaram o pedido de providência preventivo.

Em uma apresentação em São Paulo, o cantor britânico projetou no telão uma lista de políticos mundiais classificados como “neofascistas”, pondo Jair Bolsonaro ao lado de nomes como o presidente russo Vladimir Putin e o americano Donald Trump. Após se apresentar em Salvador, Waters fez uma homenagem nas redes sociais ao mestre de capoeira assassinado após uma discussão política, Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê.

Já no Rio de Janeiro, o cantor prestou homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada em março. No Maracanã, Waters recebeu a filha, a viúva e a irmã de Marielle, que entregaram a ele uma camiseta com a frase: “Lute como Marielle Franco”. Em seguida, o britânico ofereceu o microfone para que elas puxassem um coro de “ele não”, referindo-se a Bolsonaro.

A apresentação de Curitiba será a penúltima da turnê que o cantor faz pelo Brasil. A despedida do artista britânico será na terça-feira, dia 30, em Porto Alegre.

Extra

Comments

PESQUISA CNT/MDA VOTOS VÁLIDOS: Bolsonaro tem 56,8%; Haddad, 43,2%

O candidato a Presidência Jair Bolsonaro (PSL) tem 56,8% das intenções de votos válidos contra 43,2% de Fernando Haddad (PT), segundo pesquisa do instituto MDA, encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), divulgada neste sábado (27), véspera do segundo turno eleitoral.

São considerados votos válidos aqueles que excluem brancos e nulos, ou seja, os que necessariamente são declarados a favor de uma candidatura. É preciso considerar que nas pesquisas de intenção de voto não é possível estimar o índice de abstenção, quando os eleitores não comparecem à votação.

Resultado

Jair Bolsonaro (PSL): 56,8%
Fernando Haddad (PT): 43,2%

Sobre a pesquisa

O instituto MDA ouviu 2.002 eleitores entre dos dias 26 e 27 de outubro em 137 municípios de 25 unidades da federação e tem nível de confiança de 95%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TSE com o número BR-06933/2018.

Fonte: Blog do BG

LOCAIS

Urnas eletrônicas são sorteadas no TRE-RN para auditoria no segundo turno

A comissão de Auditoria do Funcionamento das Urnas Eletrônicas do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN) promoveu neste sábado (27), véspera do segundo turno das Eleições 2018, o sorteio das seis seções eleitorais que terão suas urnas auditadas. As seções sorteadas pertencem aos municípios de Natal, Baraúna, São Tomé, Ceará-Mirim, São Fernando e Santo Antônio.

Estiveram presentes no sorteio o Presidente do TRE-RN, Desembargador Glauber Rêgo, o Vice-presidente e Corregedor Eleitoral, Desembargador Cornélio Alves, o Presidente da Comissão de Auditoria do Funcionamento das Urnas Eletrônicas do TRE-RN, juiz Ivanaldo Bezerra Ferreira dos Santos, a Diretora Geral, Simone Mello, o representante do Ministério Público, Procurador Victor Manuel, o Secretário de Tecnologia da Informação, Marcos Maia, e membros da comissão. Além disso, servidores deste Regional Eleitoral, representantes de partidos e coligações e imprensa assistiram ao sorteio.

Confira a lista das seções sorteadas e seus respectivos endereços:

Natal – Seção 370 da 69ª ZE: Escola Estadual Prof. Paulo Pinheiro de Viveiros, Rua do Pastoril, S/N – Nova Natal, Lagoa Azul

Baraúna – Seção 095 da 58ª ZE: Grupo Escolar Manoel Barros Rua do Horto Florestal, S/N, Centro

São Tomé – Seção 029 da 19ª ZE: Jardim Escola Brincando e Aprendendo, Rua Padre Ramiro Varela S/N, Centro

Ceará-Mirim – Seção 079 da 06ª ZE: Escola Municipal José Venâncio, Distrito de Várzea de Dentro, S/N, Zona Rural

São Fernando – Seção 052 da 23ª ZE: Escola Estadual Monsenhor Walfredo Gurgel, Av. Major Jose Antao, 78, Centro

Santo Antônio – Seção 040 da 13ª ZE: Creche Professora Ana Rosa de Araújo, Rua Central, S/N

As três primeiras urnas eletrônicas sorteadas serão submetidas à votação paralela, que é idêntica à oficial. O procedimento acontece simultaneamente à votação convencional, das 08h00 às 17h00, no Fórum Eleitoral de Natal, e é aberto ao público externo. Todos os trabalhos serão filmados e acompanhados por auditores, que fiscalizam as atividades desenvolvidas, e um representante do Ministério Público.

Nas outras três urnas, a auditoria será realizada na própria Seção Eleitoral (local de votação), com o propósito de verificar a autenticidade e integridade dos sistemas utilizados na votação. O propósito final da auditoria é verificar a correspondência entre os votos constantes nos boletins de urnas e no relatório do Sistema, a fim de comprovar que os votos foram contabilizados corretamente pela urna eletrônica.

Por G1 RN — Natal

 


Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira foram distribuídos na manhã deste sábado (27) para reforçar a segurança de 73 municípios do Rio Grande do Norte no 2º turno das eleições, que acontecem neste domingo (28). A medida atende a solicitação do Tribunal Superior Eleitoral.

Cerca de 2.500 de militares saíram do 17º Grupo de Artilharia de Campanha em Santos Reis, em Santos Reis, na zona Leste de Natal, às 7h.

As tropas são formadas com militares do próprio Rio Grande do Norte, da Bahia, da Paraíba e de Pernambuco. Eles serão distribuídos em 616 locais de votação, representadas por 28 zonas eleitorais.

A ação é relativa à Operação de Garantia da Votação e Apuração (GVA) 2018 e tem o objetivo de garantir a normalidade e segurança nos locais de votação e apuração durante todo o pleito eleitoral.

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Militares das Forças Armadas são distribuídos para reforçar segurança nas eleições no RN — Foto: Pedro Vitorino

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Sorteio acontece neste sábado — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Sorteio acontece neste sábado — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) realiza neste sábado (27), às 9h, o sorteio de seis seções eleitorais que terão suas urnas eletrônicas auditadas pela Justiça Eleitoral no domingo, durante o segundo turno das eleições para presidente e governo. O sorteio acontece no plenário do TRE, através da Comissão de Auditoria do Funcionamento das Urnas Eletrônicas.

Estarão presentes no sorteio o presidente do TRE, Glauber Rêgo, o vice-presidente e corregedor eleitoral, Cornélio Alves, o juiz Ivanaldo Bezerra Ferreira dos Santos, presidente da comissão, além de dirigentes, secretários e servidores da Justiça Eleitoral, representantes das coligações partidárias, do Ministério Público, da OAB e da imprensa.

Inicialmente haverá o sorteio de três urnas eletrônicas, as quais serão submetidas à votação paralela, que é idêntica à oficial. A intenção é comprovar a correspondência entre os votos que estão nos boletins das urnas e no relatório do sistema e ver se a contabilidade está correta. Para as três últimas urnas sorteadas, a auditoria será realizada na própria seção eleitoral. Os trabalhos serão acompanhados e registrados por auditores e um representante do Ministério Público.

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu