ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE DOMINGO

NACIONAIS

DOMINGO, 27/05/2018, 16:34

Política

Senado convoca sessão para votar urgência de projeto sobre fretes

Preço mínimo para fretes é uma das reivindicações dos caminhoneiros, que entraram no sétimo dia de paralisação. O desafio é conseguir quórum, já que os senadores costumam voltar para Brasília às terças.

Eunício Oliveira assumiu a presidência do Senado após mandado de Renan Calheiros. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil (Crédito: )

Fonte: CBN

Exército não atende Temer, governo acabou e povo vai às ruas (Veja o Vídeo)

Só assim passaremos o Brasil à limpo.

O movimento dos caminhoneiros prossegue e fica evidente que a Força Nacional não atendeu e nem vai atender a determinação do presidente Michel Temer, hoje um cadáver insepulto.

Não resta outra alternativa, Temer precisa sair, pois mesmo com o sofrimento do desabastecimento, a população apoia a greve.

Não resta outra saída para o moribundo.

Temer, caso tenha um pouco de hombridade, tem que renunciar.

Se não o fizer, fatalmente será defenestrado do cargo.

Temer vai responder por todos os crimes que cometeu.

Será futuramente mais um ex-presidente preso por corrupção.

Só assim passaremos o Brasil à limpo.

A hora também é de desmoralização da grande mídia, omissa e comprometida. O movimento está irradiado em todo o país. Milhares de pessoas, hoje – domingo 27/05/18, entre Blumenau//SC e Gaspar/SC. Publique vídeos e fotografias da sua cidade e região, também. COMPARTILHE para que a vergonhosa falta de cobertura do movimento pela imprensa brasileira seja visto e assimilado por todo o Brasil e exterior.

Publicado por Luiz Carlos Nemetz em Domingo, 27 de maio de 2018

Fonte: Jornal da Cidade On Line

 

Alimentação é insuficiente para bilhões de animais e já há mortandade, diz associação

Perdas poderão levar a aumento de preços para consumidores nas próximas semanas e meses

SÃO PAULO

A mortandade animal já é uma realidade devido à falta de ração e de espaço, em consequência da paralisação nos transportes, informou a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).

Segundo a associação, um bilhão de aves e 20 milhões de suínos estão recebendo alimentação insuficiente.

A associação também diz que, por falta de condições de transporte pelas rodovias brasileiras, milhares de toneladas de alimentos estão ameaçadas de perderem prazo de validade, enquanto o consumidor já enfrenta a escassez de produtos.

Com risco de canibalização e condições críticas para os animais, 64 milhões de aves adultas e pintinhos já morreram, e um número maior deverá ser sacrificado em cumprimento às recomendações da Organização Mundial de Saúde Animal e das normas sanitárias vigentes no Brasil.  Milhões de suínos também estão ameaçados.

Segundo a associação, os reflexos sociais, ambientais e econômicos são incalculáveis.  Hoje, a ABPA registrou 167 plantas frigoríficas de aves e suínos paradas.  Mais de 234 mil trabalhadores estão com atividades suspensas.

Segundo a associação, as dificuldades enfrentadas pelo setor terão impacto nos consumidores.

“As carnes suína, de frango e os ovos, proteínas que antes eram abundantes e com preços acessíveis, poderão se tornar significativamente mais caras ao consumidor caso a greve se estenda ainda mais. “A mortandade cria uma grave barreira para a recuperação da produção do setor nas próximas semanas e meses”, disse a ABPA em seu nota.

A ABPA representa 150 empresas e quase 100% do setor de aves e de suínos do Brasil. A organização diz que não tem poupado esforços para garantir o bem-estar animal e minimizar as consequências da greve dos caminhoneiros.

Segundo ela, consequências da greve criaram desabastecimento e pararam produções.

“O desabastecimento de alimentos para o consumidor também já é fato, uma vez que milhares de toneladas de carnes e outros produtos deixaram de ser transportados para os centros de distribuição desde o dia 21 de maio, data do início da greve. Outras milhares de toneladas não foram produzidas pelas fábricas, que foram obrigadas a paralisar a produção por não terem mais onde estocar produtos.”

A ABPA diz que a situação é caótica não só para o mercado nacional. Aproximadamente 100 mil toneladas de carne de aves e de suínos deixaram de ser exportadas na última semana. O impacto na balança comercial já é estimado em US$ 350 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão).

Diante desse quadro de calamidade no setor, apelamos para a sensibilidade das lideranças do movimento grevista dos caminhoneiros, da Polícia Federal, das polícias estaduais e municipais pela liberação da passagem dos caminhões carregados com ração, cargas vivas, carnes e outros alimentos em caminhões frigoríficos.

“É importante que todos saibam: após o final da greve, a regularização do abastecimento de alimentos para a população poderá levar até dois meses”, disse a ABPA em nota.

Fonte: Folha Uol

Forças de segurança escoltam caminhões para garantir abastecimento de combustível

Em ao menos 11 estados, polícia e exército atuaram para assegurar que veículos fizessem o transporte. Neste domingo (27), greve de caminhoneiros chega ao 7º dia.

Este post tem um comentário

  1. Minha nossa aonde vamos parar? Preocupada com a situação em nosso país… 🙁

Deixe uma resposta

Fechar Menu