ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSE DOMINGO

Por G1

 


Estragos em propriedade en Carita, na Indonésia, que foi atingida por tsunami neste sábado (22). — Foto: AP Photo/Fauzy Chaniago

Estragos em propriedade en Carita, na Indonésia, que foi atingida por tsunami neste sábado (22). — Foto: AP Photo/Fauzy Chaniago

Um tsunami atingiu as ilhas de Sumatra e Java na noite de sábado (22) e deixou 222 mortos e 843 feridos, de acordo com o último balanço divulgado pela Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB) da Indonésia. As operações de buscas continuam e, até o momento, não há registro de vítimas estrangeiras.

fenômeno não foi precedido por um terremoto, o que normalmente dá às autoridades tempo para transmitir um alerta e preparar a população. As ondas gigantes teriam sido provocadas por deslizamentos sob a água causados por erupções do vulcão Anak Krakatoa, que fica em uma ilha.

Na Indonésia, tsunami deixa 222 mortos; número pode crescer

Na Indonésia, tsunami deixa 222 mortos; número pode crescer

Os socorristas e ambulâncias têm encontrado dificuldades para alcançar as áreas afetadas, porque algumas estradas estão bloqueadas por detritos de casas danificadas, carros virados e árvores caídas.

“O número de vítimas pode aumentar, pois não nos chegaram informações de todas as áreas afetadas”, afirmou em comunicado o porta-voz da BNPB, Sutopo Purwo Nugroho.

Por volta das 21h30 de sábado (12h, no horário de Brasília), ao menos duas ondas gigantes devastaram boa parte das regiões de Pandeglang, South Lampung, Serang e Tanggamus, no estreito de Sunda. De acordo com testemunhas, a segunda onda foi muito maior e mais forte do que a primeira.

Não há registro de brasileiros atingidos

Em nota, o Itamaraty informou que “até o momento”, não há registro de brasileiros entre os atingidos. O governo brasileiro acrescentou que acompanha a situação na Indonésia por meio da Embaixada do Brasil em Jacarta e da Divisão de Assistência Consular (DAC) em Brasília.

Para casos de emergência, o telefone do plantão consular da Embaixada em Jacarta é +62 811 800 662. Em Brasília, o Núcleo de Assistência a Brasileiros pode ser acionado pelos telefones +55 61 2030-8803/8804 (das 8h às 20h) e + 55 61 98197-2284 (plantão consular, das 20h às 8h).

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Moradores da região costeira relataram não terem visto ou sentido nenhum sinal de alerta, como um recuo das águas ou um terremoto, antes que ondas de 2 a 3 metros de altura chegassem à costa, segundo relatos da imprensa. Porém, autoridades disseram que uma sirene de alerta disparou em algumas áreas.

O último balanço oficial indica a destruição de 556 casas, nove hotéis, 60 barracas de comida e 350 barcos.

As autoridades recomendaram que a população permaneça longe da costa por temer novos tsunamis. Malásia e Austrália disseram que estão prontos para prestar assistência se necessário.

Palco atingido

Em Java, a região turística de Pandenglang, a cerca de 100 km de Jacarta, foi a mais afetada e já registra 164 mortes e 624 feridos. Centenas de casas e hotéis ficaram muitos danificados. A região concentra as praias mais procuradas pelos visitantes como Tanjung Lesung, Sumur, Teluk Lada, Penimbang e Carita.

Em Tanjung Lesung, a onda gigante atingiu um palco onde acontecia um show e arrastou a estrutura contra o público. Alguns integrantes do grupo “Seventeen”, que fazia o show, e parte dos espectadores morreram. Veja o vídeo:

Tsunami na Indonésia: vídeo registra momento em que palco é atingido

Tsunami na Indonésia: vídeo registra momento em que palco é atingido

Sem alerta

Em Anyer, cidade litorânea de Java situada a 100 km a oeste de Jacarta, não houve forma de avisar a população porque não tinham sistema de alarme de tsunami originado por atividade vulcânica. “O sistema de alarme que temos serve para atividade tectônica mais do que vulcânica”, disse Rahmat Triyono, especialista da Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica da Indonésia (BMKG, sigla em indonésio).

O turista norueguês Øystein Lund Andersen contou que fotografava o vulcão quando notou a aproximação da primeira onda, que não foi tão forte.

“Eu tive que correr quando a onda passou pela praia e avançou de 15 a 20 metros [para dentro da cidade]. A onda seguinte entrou na área do hotel onde eu estava e virou carros na estrada. Consegui fugir com minha família para áreas mais altas através de trilhas e por dentro de aldeias, onde fomos atendidos pelos moradores locais”, afirmou no Facebook.

Desabrigados ou desalojados ocupam uma mesquita no distrito de Pandeglang — Foto: Muhammad Bagus Khoirunas / Antara Foto / via Reuters

Desabrigados ou desalojados ocupam uma mesquita no distrito de Pandeglang — Foto: Muhammad Bagus Khoirunas / Antara Foto / via Reuters

Especialistas da Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica e da Agência de Geologia da Indonésia estão tentando determinar com exatidão o que ocorreu já que o tsunami não foi precedido de um terremoto, como geralmente acontece.

As autoridades indicam que houve um deslizamento de terra provocado pela erupção do vulcão Krakatoa sob a água no Estreito de Sunda, que divide as ilhas de Java e Sumatra. Ele entrou em erupção novamente logo após as 21h de sábado (22) e o tsunami ocorreu cerca de meia hora depois, de acordo com a Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica. O incidente teria provoca a formação das ondas devastadoras.

Carro coberto por destroços em área devastada na Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

Carro coberto por destroços em área devastada na Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

História do vulcão

A cratera do Anak Krakatoa, que significa “Filho de Krakatoa” em indonésio, emergiu há cerca de 90 anos, no local onde estava o vulcão Krakatoa, segundo a France Presse.

Em 1883, a ilha que o Krakatoa ocupava foi destruída após uma forte erupção, que provocou uma série de tsunamis e matou mais de 36 mil pessoas – desastre natural considerado um dos piores do mundo.

A ilha só reapareceu anos depois, em 1927, com o nome pelo qual é conhecida atualmente.

Desde o seu nascimento, o Anak Krakatoa se encontra em “estado de atividade eruptiva semiperpétua”. Ele cresce com as erupções que ocorrem a cada dois ou três anos, explicou à AFP o vulcanólogo Ray Cas, da Universidade de Monash, Austrália. “A maioria das erupções são relativamente pequenas na escala das erupções explosivas”, afirmou.

Destruição em Carita, Indonésia — Foto: AP Photo

Destruição em Carita, Indonésia — Foto: AP Photo

Há 10 anos, o Anak Krakatoa está está sob estreita vigilância.

Embora ninguém viva na ilha, o vulcão é um destino popular entre os turistas e importante objeto de estudo para os especialistas. Ele faz parte do Parque Nacional de Ujung Kulo, inscrito no patrimônio da Unesco por sua “beleza natural e flora e fauna muito diversificadas, que refletem uma evolução permanente de processos geológicos”.

Anel de Fogo do Pacífico

O desastre, que ocorre às vésperas das festas de fim de ano, evocou lembranças do tsunami de 26 de dezembro de 2004, ocorrido no Oceano Índico. Nessa ocasião, mais de 230 mil pessoas morreram em 14 países, sendo mais de 120 mil na Indonésia.

O tsunami de sábado também foi o mais recente de uma série de tragédias que atingiram o país neste ano. No dia 28 de setembro, um terremoto de magnitude 7,5 na região central da ilha de Célebes desencadeou um tsunami que deixou mais de 2 mil mortos e mais de 200 mil desalojados, a maioria na cidade de Palu e arredores.

Entre julho e agosto, uma série de tremores na ilha de Lombok, perto da ilha de Bali, deixou 564 mortos e mais de 400 mil deslocados.

Homem inspeciona sua casa destruída por tsunami em Carita, Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

Homem inspeciona sua casa destruída por tsunami em Carita, Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

A Indonésia, um arquipélago de 17 mil ilhas com cerca de 130 vulcões ativos, está em uma das regiões mais propensas a tremores e atividade vulcânica do mundo: o Círculo de Fogo do Pacífico. Cerca de 7 mil tremores atingem essa área por ano, em sua maioria de magnitude moderada.

A região, de cerca de 40 mil km de extensão, tem formato de ferradura e circunda a bacia do Pacífico, abrangendo toda a costa do continente americano, além de Japão, Filipinas, Indonésia, Nova Zelândia e ilhas do Pacífico Sul.

Imagem feita a partir de um vídeo mostra o vulcão Krakatoa em erupção na Indonésia em 22 de dezembro de 2018 — Foto: TV One / via AP Photo

Imagem feita a partir de um vídeo mostra o vulcão Krakatoa em erupção na Indonésia em 22 de dezembro de 2018 — Foto: TV One / via AP Photo

Na província de Banten, soldado examina morador que ficou ferido em tsunami — Foto: Antara Foto/Muhammad Bagus Khoirunas/ via REUTERSNa província de Banten, soldado examina morador que ficou ferido em tsunami — Foto: Antara Foto/Muhammad Bagus Khoirunas/ via REUTERS

Na província de Banten, soldado examina morador que ficou ferido em tsunami — Foto: Antara Foto/Muhammad Bagus Khoirunas/ via REUTERS

Moradores inspecionam danos em casas na praia de Carita — Foto: AFP Photo

Moradores inspecionam danos em casas na praia de Carita — Foto: AFP Photo

Casa danificada em Pandeglang — Foto: Muhammad Bagus Khoirunas / Antara Fotos / via Reuters

Casa danificada em Pandeglang — Foto: Muhammad Bagus Khoirunas / Antara Fotos / via Reuters

Corpos de vítimas recuperados ao longo da praia de Carita na Indonésia — Foto: AFP Photo

Corpos de vítimas recuperados ao longo da praia de Carita na Indonésia — Foto: AFP Photo

Moradores deixam área afetada por ondas gigantes — Foto: AFP Photo

Moradores deixam área afetada por ondas gigantes — Foto: AFP Photo

Casa totalmente destruída na praia de Carita — Foto: AFP Photo

Casa totalmente destruída na praia de Carita — Foto: AFP Photo

Fonte: G1

 

Por G1

 


Tsunami na Indonésia: integrantes da banda Seventeen permanecem desaparecidos

Tsunami na Indonésia: integrantes da banda Seventeen permanecem desaparecidos

Uma onda gigantes atingiu o palco e interrompeu um show da banda “Seventeen” na praia de Tanjung Lesung, na Indonésia, onde um tsunami provocou mais de 220 mortes e 800 feridos.

Um vídeo exibido pela CNN e emissoras asiáticas mostram o momento dramático em que a onda atinge o palco e o público.

Embedded video

Channel NewsAsia

@ChannelNewsAsia

VIDEO: The moment there was pandemonium after wave crashes into concert at resort in western Java, while Indonesia’s was performing http://cna.asia/2Rcy2DL

Warning: Some might find this video distressing.

O vocalista do grupo, Riefian “Ifan” Fajarsyah, publicou na manhã deste domingo (23) um vídeo em que confirma a morte do baixista e de um produtor da banda, além do desaparecimento de outros integrantes. Também há espectadores entre as vítimas.

Segundo o Channel NewsAsia, a banda se apresentava em um resort, durante uma festa de final de ano da concessionária de energia elétrica Perusahaan Listrik Negara.

Um membro da equipe que acompanhava a banda, Zack, disse em um vídeo que ele sobreviveu porque se segurou em parte do palco. De acordo com a agências de AP, a banda divulgou uma nota: “A onda varreu todo mundo do local. Infelizmente, quando ela voltou, nossos membros não puderam se salvar. Alguns não encontraram lugares para segurar”.

O tsunami não foi precedido por um terremoto, o que normalmente dá às autoridades tempo para transmitir um alerta e preparar a população. As ondas gigantes teriam sido provocadas por deslizamentos subaquáticos causados por erupções do vulcão Anak Krakatoa.

“Quando o incidente aconteceu, muitos turistas estavam nas praias ao longo de Pandeglang, em Java”, disse o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB) da Indonésia, Sutopo Purwo Nugroho.

Corpos de vítimas recuperados ao longo da praia de Carita na Indonésia — Foto: AFP Photo

Corpos de vítimas recuperados ao longo da praia de Carita na Indonésia — Foto: AFP Photo

Pandeglang é a área mais destruída e com o maior número de vítimas. Outros distritos muito afetados foram os de Lampung do Sul e de Serang.

O porta-voz da BNPB disse que a causa do tsunami ainda está sob investigação, embora tenha dito que o mais provável é que tenha sido consequência da erupção do vulcão Krakatoa.

Homem inspeciona sua casa destruída por tsunami em Carita, Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

Homem inspeciona sua casa destruída por tsunami em Carita, Indonésia — Foto: Dian Triyuli Handoko/ AP Photo

A região turística de Pandenglang, a cerca de 100 km de Jacarta, foi a mais afetada e já registra 164 mortes e 624 feridos. Centenas de casas e hotéis ficaram muitos danificados. A região concentra as praias mais procuradas pelos visitantes como Tanjung Lesung, Sumur, Teluk Lada, Penimbang e Carita.

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Tsunami atinge a Indonésia — Foto: Infografia: Igor Estrella/G1

Fonte: G1

 

Por G1 — Brasília

 


Ernesto Araújo

@ernestofaraujo

A posse do PR Bolsonaro marcará o início de um governo com postura firme e clara na defesa da liberdade. Com esse propósito e frente às violações do regime Ortega contra a liberdade do povo da Nicarágua, nenhum representante desse regime será recebido no evento do dia 1°.

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, informou neste domingo (23) no Twitter que o Brasil não receberá representantes da Nicarágua na posse de Jair Bolsonaro como presidente da República. A posse está marcada para 1º de janeiro, em Brasília.

A Nicarágua enfrenta a maior crise política do país desde a Revolução Sandinista, em 1979.

O governo de Daniel Ortega enfrenta ondas de protestos e greves nacionais, centenas de pessoas já foram mortas e tem havido conflitos nas ruas do país. Além disso, canais de TV contrários ao governo passaram a ser fechados pela polícia local.

“A posse do PR Bolsonaro marcará o início de um governo com postura firme e clara na defesa da liberdade. Com esse propósito e frente às violações do regime Ortega contra a liberdade do povo da Nicarágua, nenhum representante desse regime será recebido no evento do dia 1°”, publicou Araújo no Twitter (veja na imagem acima).

G1 procurou a assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores – para saber se algum representante do governo Ortega chegou a ser convidado – e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

Cuba e Venezuela

Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores informou que o governo chegou a convidar os líderes de Cuba e Venezuela para a posse de Bolsonaro, mas depois os desconvidou a pedido do presidente eleito.

Embora Bolsonaro tenha prometido durante a campanha que faria um governo “sem viés ideológico”, tem adotado postura contrária a países como Cuba, Venezuela e China por avaliar que esses países têm a mesma ideologia do PT.

Segundo o Itamaraty, a equipe de Bolsonaro recomendou que todos os chefes de Estado e de governo dos países com os quais o Brasil mantém relações diplomáticas deveriam ser convidados para a posse.

Mas, ainda de acordo com o ministério, a decisão sobre Cuba e Venezuela foi tomada em um segundo momento, também por recomendação do governo eleito.

Por G1

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (23) pelo jornal “Folha de S.Paula” indica que o brasileiro está otimista com a economia às vésperas da posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Segundo o levantamento, 65% dos entrevistados acham que a situação da economia vai melhorar nos próximos meses. Em agosto, eram 23%.

O índice é o mais alto da série histórica iniciada em 1997, quando o presidente era Fernando Henrique Cardoso.

Para 9%, a economia brasileira vai piorar (eram 31% em agosto), e 24% acham que a situação vai ficar como está (em agosto, eram 41%).

O Datafolha ouviu 2.077 pessoas em 130 municípios nos dias 18 e 19 de dezembro. Veja outras conclusões:

Expectativas dos entrevistados

  • 67% acreditam que estarão em uma situação melhor nos próximos meses
  • 6% acham que situação vai piorar
  • 25% acham que situação vai ficar como está

Desemprego

  • 47% acreditam que o desemprego vai cair
  • 29% acham que vai aumentar
  • 21% acreditam que continuará no mesmo patamar

Inflação

  • para 35%, a inflação vai cair
  • para 27%, vai aumentar
  • 33% acreditam em estabilidade de preços

Poder de compra

  • 43% acham que seu poder de compra vai aumentar
  • 18% acham que vai diminuir
  • 36% acham que vai ficar como está

Situação econômica no país

  • 20% acham que o Brasil melhorou nos últimos meses
  • 37% acham que piorou
  • 42% acham que está na mesma

Vida pessoal

  • 20% acham que sua vida econômica melhorou nos últimos meses
  • 30% acham que piorou
  • 49% acham que ficou como estava

Crise econômica

  • 50% acham que a crise econômica vai acabar logo e o país voltará a crescer
  • 42% acham que a crise ainda deve demorar para acabar
  • 5% acham que a crise já acabou e o Brasil está crescendo de novo

Fonte: G1

 

Nova estrutura de governo exigirá edição de MP e de decretos

Foto: Agência Brasil

A equipe de transição enfrenta uma corrida contra o tempo para formar a estrutura do novo governo, que terá 22 ministérios, com a fusão de pastas e a extinção do Ministério do Trabalho. Segundo informações do Ministério do Planejamento, pasta que passará a integrar o Ministério da Economia, o governo atual precisará editar, nos últimos dias de 2018, uma medida provisória (MP) e diversos decretos para que os futuros ministros e secretários tomem posse em 1º de janeiro.

Por envolver a redistribuição de órgãos em diversas pastas, a extinção do Ministério do Trabalho poderá exigir um projeto de lei. A medida provisória é necessária para a fusão das pastas e a criação das secretarias especiais que herdarão várias funções dos ministérios incorporados. Sem a MP, alguns ministros e secretários nem podem tomar posse. Em tese, o texto pode ser publicado no Diário Oficial da União em edição extraordinária, ou em 31 de dezembro ou em 1º de janeiro.

Orçamento

Além da MP, o governo terá de editar decretos para remanejar a verba de ministérios extintos para os futuros superministérios da Justiça e da Economia. Aprovado na última quarta-feira (19), o Orçamento Geral da União para 2019 estabeleceu as dotações conforme a estrutura atual de governo. O futuro mandatário precisará editar um ou mais decretos de crédito suplementar para remanejar as verbas das pastas que deixarão de existir para os superministérios.

Na prática, os decretos unificarão o orçamento de vários ministérios. No caso do futuro Ministério da Economia, as verbas aprovadas para os Ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços serão fundidos. Isso é possível porque as unidades orçamentárias (departamento, secretaria ou órgão) onde a dotação será gasta continuarão a existir. Somente o ministério ao qual estão submetidas mudará.

Trabalho

No caso do Ministério do Trabalho, o processo é mais complicado porque a pasta será absorvida por dois ministérios: Justiça e Economia. A futura Secretaria Especial de Previdência do Ministério da Economia será responsável pelas áreas que cuidam das relações do trabalho e da fiscalização. A Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade absorverá a atual Secretaria de Políticas Públicas de Emprego, que cuida das políticas de qualificação profissional.

A área que trata dos registros sindicais ficará sob a alçada do Ministério da Justiça. De acordo com técnicos do Ministério do Planejamento que assessoram a equipe de transição, a complexidade da extinção e do desmembramento do Ministério do Trabalho poderá exigir um projeto de lei. O futuro governo tenta incorporar todas as alterações na medida provisória.

Segundo os técnicos, não deve haver mudanças na distribuição dos prédios na Esplanada dos Ministérios porque cada edifício abriga, em média, 3 mil servidores, o que inviabiliza a transferência de móveis, computadores e equipamentos.

Agência Brasil

Comments

Agências bancárias abrem em horário especial nesta segunda-feira

As agências bancárias abrem nesta segunda-feira (24), véspera do Natal, em horário especial para o atendimento ao público.

Nos estados com horário igual ao de Brasília, o período de funcionamento será das 9h às 11h. Estados com 1 ou 2 horas de diferença em relação à Brasília, o atendimento será das 8h às 10h (9h às 11h ou 10h às 12h, em Brasília). Se a diferença for de 3 horas, as agências abrem das 7h às 9h (10h às 12h, em Brasília).

O próximo dia 28 será o último dia útil do ano para atendimento ao público, com expediente normal para a realização de todas as operações bancárias. Já no dia 31 de dezembro (segunda-feira), as instituições financeiras não abrem para atendimento.

A população poderá utilizar os canais alternativos de atendimento bancário, como mobile e internet banking, caixas eletrônicos, banco por telefone e correspondentes para fazer transações financeiras.

Os carnês e contas de consumo (como água, energia, telefone e etc) vencidos no feriado poderão ser pagos sem acréscimo no dia útil seguinte. Normalmente, os tributos já estão com as datas ajustadas ao calendário de feriados, sejam federais, estaduais ou municipais.

Os clientes também podem agendar os pagamentos das contas de consumo ou pagá-las (as que têm código de barras) nos próprios caixas automáticos. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser agendados ou pagos por meio do DDA (Débito Direto Autorizado).

Agência Brasil

Comments

Sem ceia, Lula passará Natal sozinho na Polícia Federal

Abatido com a derrota do PT nas eleições e a chegada de Jair Bolsonaro (PSL) ao poder, o ex-presidente Lula passará o Natal sozinho e sem direito a nenhum privilégio. A Polícia Federal (PF) em Curitiba, onde o petista cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, não autoriza visitas de familiares em feriados, tampouco a entrada de comidas especiais.

A ceia de amanhã seguirá o cardápio padrão, com arroz, feijão, salada e um tipo de carne. Podem completar o menu comidas não perecíveis, como chocolates e frutas secas, levadas pelas visitas.

A família do petista antecipou a celebração para a última quinta-feira. Lula recebeu os filhos um dia após a disputa entre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, que pretendia soltar quem cumpre pena após condenação em segunda instância, como o petista, e Dias Toffoli, que cassou a liminar. O cardápio da visita foi apenas um lanche.

Nesta segunda-feira, petistas pretendem fazer uma celebração na “Vigília Lula Livre”, pequeno espaço com tendas num terreno em frente à PF. Haverá ato ecumênico e será servida ceia.

— Desde a prisão, foi definido que não deveríamos deixá-lo sozinho. Numa data dessas, é mais simbólico e importante que ele não se sinta só — diz Luiz Marinho, presidente do PT-SP, que irá ao evento.

Na noite de réveillon, o tratamento a Lula na PF deve ser o mesmo. E os petistas pretendem fazer uma celebração. Segundo Marinho, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, deve ir ao Ano-Novo.

Dirigentes do PT evitam falar em previsão de público para os atos. Em abril, quando Lula chegou à prisão, o entorno da PF foi tomado por centenas de barracas e dezenas de ônibus de movimentos sociais. Com o tempo, a mobilização esfriou.

O Globo

Comments

Plano de ministra para flexibilizar fiscalização de frigoríficos pode afetar exportação de carne brasileira

Representantes do setor agrícola e exportadores consideram temerário o plano da futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de flexibilizar a fiscalização do Estado no processamento de carnes dentro dos frigoríficos. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Tereza Cristina afirmou que pretende acabar com a fiscalização diária feita por servidores e substituí-la por “práticas de autocontrole” adotadas pelos próprios frigoríficos, com auditorias periódicas do governo.

A proposta da ministra foi confirmada pelo futuro secretário executivo da pasta, Marcos Montes.

Segundo o presidente da Associação do Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, o Brasil tem acordos comerciais com vários países que podem ser desfeitos em caso de uma decisão unilateral a respeito da vigilância sanitária, colocando em risco sua liderança no setor.

Castro destaca que, neste mercado, quem diz o que deve ser feito é o comprador.

— É ele quem faz a exigência, e, no caso de não cumprimento, ele não compra.

O Brasil hoje é líder global de exportação de carne bovina e de frango. As receitas com as vendas externas dos dois produtos giram na casa dos US$ 14 bilhões por ano.

Imagem arranhada

O atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, também criticou a proposta. Segundo Blairo, no mercado interno, a medida não teria efeitos. Mas, para as exportações, seria necessário renegociar os certificados fitossanitários com todos os países que compram do Brasil. Além disso, seria preciso mudar leis no Congresso que regulam essas medidas, assim como alterar decretos presidenciais e instruções normativas.

Segundo Maggi, após a fiscalização feita pelo governo brasileiro, os países importadores costumam enviar suas próprias missões para checarem os procedimentos. No caso dos Estados Unidos e da Europa, não é aceito sequer que os ajudantes dos fiscais sejam funcionários das empresas vistoriadas.

Castro, da AEB, destaca ainda que o Brasil não é um exemplo mundial em termos de saúde sanitária. Ao contrário, ficou com a imagem arranhada por causa do escândalo revelado pela operação Carne Fraca, que investigou frigoríficos por irregularidades na documentação sobre o processamento de carnes.

O futuro secretário executivo da pasta, Marcos Montes, disse que a proposta ainda precisa ser discutida com as empresas e com o Ministério de Relações Exteriores. Ele explicou que caberia ao Itamaraty auxiliar nas discussões sobre o novo modelo de fiscalização com os países parceiros.

‘Acreditamos nas empresas’

Montes lembrou ainda que o Estado não eliminaria o trabalho dos fiscais, que continuaria sendo feito antes do abate e, posteriormente, no momento da industrialização e da comercialização dos produtos. O abate em si, observou, é uma atividade interna da empresa e, por isso, não seria necessária a presença constante de fiscais.

Ao ser indagado se a qualidade da carne brasileira não poderá piorar com retirada dos fiscais de dentro das indústrias, ele respondeu:

— Ao contrário. As empresas são a parte mais interessada. Nós acreditamos nos empresários. Conversas terão que existir para que haja confiabilidade entre o governo e o setor privado. Isso é importante para o Brasil se assegurar no mercado internacional.

O Globo

Comments

Comissionados são 0,4% da folha salarial de servidores do Governo Federal

Alvo de ameaças de extinção e promessas de enxugamento, os cerca de 23 mil cargos comissionados da Presidência da República e dos ministérios custam apenas 0,4% da folha de pagamento de servidores ativos e inativos do governo federal.

Entre os ocupantes dos chamados cargos de confiança, estão presidentes, diretores, coordenadores, chefes e assessores dos principais órgãos e programas do governo federal. Três em cada quatro integrantes desse grupo de elite do funcionalismo são servidores de carreira – ou seja, não podem ser demitidos e, no máximo, perderiam parte dos vencimentos com o eventual corte dos cargos.

Hoje, os benefícios adicionais pagos aos comissionados custam cerca de R$ 1 bilhão por ano. Em 2018, o gasto total com servidores será de R$ 242 bilhões. No ano que vem, a expectativa é de que chegue a R$ 263 bilhões.

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, já defendeu a extinção de 25 mil cargos, número que até excede o total existente hoje em dia. Ao ser alertado sobre o erro, baixou a estimativa para 20 mil. Em novembro, pouco depois de ser eleito, Jair Bolsonaro falou que pretende cortar “no mínimo” 30% desses cargos.

Após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016, o recém-empossado governo Michel Temer prometeu um corte de 4 mil cargos comissionados. O número de ocupantes desses postos hoje em dia, porém, é maior do que no último mês de Dilma no cargo (22.894 ante 21.766).

O Ministério do Planejamento alega que o corte efetivamente foi feito, em 2017. Questionado sobre o fato de que essa redução não se observa na relação de beneficiados, o ministério afirmou que “existe diferença entre cargos/funções comissionados existentes e ocupados”. E acrescentou que “a meta de redução anunciada foi cumprida e refere-se aos cargos/funções existentes”. Ou seja, o corte pode ter se limitado a cargos que estavam vagos – nesse caso, a economia seria zero.

O ministério alegou também que, a partir de 2017, entraram na soma dos comissionados cerca de 3 mil cargos que já haviam sido criados, com outra nomenclatura, entre 2008 e 2016. Mas a pasta não informou se esses cargos estavam ocupados na época nem se estão hoje em dia.

Reforma

Quando se trata de estimativa de redução de gastos com comissionados, o governo Temer não tem bom retrospecto. A principal reforma promovida pelo presidente foi transformar cerca de 10.462 cargos DAS (Direção e Assessoramento Superior) em FCPE (Função Comissionada do Poder Executivo).

Na época, o governo apresentou dados considerados falhos como justificativa da medida provisória enviada ao Congresso: superestimou os gastos com os DAS ocupados por servidores concursados e projetou um corte de R$ 250 milhões – que, na prática, não ocorreu.

O governo calculou a suposta economia que faria utilizando como referência o valor de um cargo DAS integral, em comparação com o valor de um FCPE (40% menor). Mas o fato é que apenas servidores de carreira que ocupavam cargos DAS foram transformados em FCPE, e esses já não recebiam o valor de um DAS integral.

O cálculo distorcido foi incluído até na medida provisória enviada ao Congresso para trocar o nome dos cargos. Questionado sobre o fato, o ministério admitiu que a alegada economia de R$ 250 milhões poderia ser apenas contábil, mas não concreta.

“Embora a despesa orçamentária de um DAS ocupado por servidor efetivo seja de 60% do valor do DAS, a previsão de disponibilidade orçamentária necessária é de 100% dos DAS, haja vista a possibilidade de, a qualquer tempo, o DAS vir a ser ocupado por servidor sem vínculo ou ser plenamente utilizado pelo servidor efetivo (o servidor efetivo pode optar entre a remuneração do cargo efetivo acrescido de 60% do valor da retribuição do cargo DAS, ou o valor bruto do DAS)”, explicou o ministério.

A reforma promovida por Temer reduziu o número de funcionários não concursados em cargos comissionados: de 6.101, no final da gestão Dilma, passaram a 5.332 agora. Em tese, a redução de pessoal de fora do quadro de servidores de carreira indica menor espaço para a contratação de apadrinhados políticos.

Mas esse possível impacto positivo desaparece quando se analisa o que ocorreu na distribuição dos cargos DAS 5 e 6, os de maior remuneração e poder de decisão – nesse caso, o número de não concursados nesses níveis aumentou tanto em valores absolutos (de 433 para 484) quanto proporcionais (de 54% para 62%). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão Conteúdo

Comments

Câmara gastará R$ 19,5 milhões com novos cargos em 2019

A Câmara dos Deputados vai gastar R$ 19,5 milhões no próximo ano com a criação de 127 novos cargos para as lideranças partidárias. Na semana passada, deputados aprovaram um projeto com novas regras sobre a distribuição de assessores.

Com base no texto e com o desenho da legislatura que assume em 1.º de fevereiro de 2019, há um crescimento no número de assessores e aumento nos gastos com pagamento de salários. O montante e o número de cargos estão previstos no Orçamento 2019. O presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), diz que não houve aumento do orçamento da Câmara. Segundo Maia, as despesas resultantes do projeto serão compensadas com o contingenciamento.

Atualmente, pela regra vigente, dependendo do tamanho da bancada, os partidos podem ter de dois a 134 cargos, entre servidores e comissionados. O novo texto, que passa a valer já para a próxima legislatura, prevê que os partidos poderão ter de 18 a 108 cargos, dependendo do número de deputados eleitos.

Pela regra antiga, partidos como MDB e o PR, por exemplo, poderiam ter 77 cargos em suas lideranças; agora, poderão ter 83. As legendas elegeram, respectivamente, 34 e 33 deputados nas eleições deste ano.

Acesso

A nova regra prevê também que somente os partidos que conseguiram cumprir a cláusula de barreira terão acesso a cargos para suas lideranças. Dessa forma, PHS, Patriota, PRP, PMN, PTC, Rede e DC não terão direito por não terem atingido a cláusula nas eleições de 2018. Para terem direito, esses partidos precisam se unir a outros para cumprir as cotas relativas à cláusula de desempenho.

Durante a aprovação do projeto, houve debate entre os parlamentares sobre o impacto do projeto. Maia rebateu e afirmou que não haveria aumento da despesa, e sim uma adequação, com cortes em investimentos. “Todas as despesas resultantes do projeto serão compensadas com o contingenciamento”, disse a assessoria de Maia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão Conteúdo

Comments

Tite diz que não voltou a convocar Fernandinho por ameaças à família do volante

A seleção brasileira não deve mais contar com os serviços do volante Fernandinho, um dos mais longevos atletas do Manchester City e do próprio elenco verde e amarelo. Quem revelou isso foi o técnico Tite, que disse ainda que deixou de convocar o atleta contra a sua vontade.

No que dependesse do treinador do Brasil, Fernandinho continuaria a ser chamado para defender a seleção mesmo após o desempenho ruim diante da Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. Em seu segundo Mundial – ele também esteve na derrota por 7 a 1 contra a Alemanha em 2014 -, o atleta passou de pilar do time a um dos bodes expiatórios da ira dos fãs.

Tite pensou em convocá-lo para o novo ciclo da seleção, que atualmente está em preparação para a Copa América de 2019. No entanto, o volante revelou que se tornou alvo de ameaças de torcedores nas redes sociais, inclusive com ataques diretos à sua família. E, assim, decidiu que não aceitaria mais defender o Brasil caso fosse chamado.

O técnico afirmou, em entrevista ao SporTV, que insistiu para contar com o futebol de Fernandinho. “O primeiro atleta que senti vontade de convocar foi o Fernandinho. O número um. Ele é um jogador extraordinário, joga muito. Eu o preservei um pouquinho. Aí entrei em contato com ele, o Edu (Gaspar, diretor de futebol da seleção) entrou. Mas essa crueldade chegou à família dele e ele disse que prometeu à família que não vai voltar”, explicou.

A recusa do volante não foi aceita logo de cara por Tite, que prometeu voltar a convocá-lo caso o jogador mude de ideia no futuro. “Eu disse (a Fernandinho): ‘Conversa de novo’. Fui falar pessoalmente com ele porque a seleção brasileira tem muito orgulho de ter um atleta com essa dignidade e competência profissional. Não sou burro de convocador jogador ruim. Chega de Barbosas”, afirmou, em referência ao ex-goleiro da seleção na Copa de 1950, que sofreu até os últimos dias da vida, crucificado pelo gol sofrido contra o Uruguai na final daquele torneio.

Estadão Conteúdo

Fonte: Blog do BG

 

[FOTO E VÍDEO] Fortes chuvas destelham casas e provocam prejuízos em Currais Novos

Fortes chuvas fora de época, registradas na tarde deste domingo (23), surpreenderam os currais-novenses trazendo a boa notícia para quem estava precisando de água, mas também provocando transtornos.

As fortes águas destelharam casas e comércios, derrubaram árvores, danificaram veículos, arrancaram placas publicitárias e provocaram prejuízos em vários pontos da cidade. Em alguns pontos da cidade, chegaram a ser registrados 100 mm de água, segundo moradores.

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu