ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA TERÇA-FEIRA

Terça-feira, 11 de setembro

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado.


Por G1

 

Fraude no Paraná. O ex-governador Beto Richa (PSDB) foi preso, suspeito de chefiar uma organização criminosa que superfaturou uma licitação de R$ 70 milhões para manutenção de estradas. A mulher dele e o ex-chefe de gabinete também foram presos. Eleições 2018: o PT anuncia Fernando Haddad como candidato a presidente no lugar de Lula. Bolsonaro deixa a UTI. E os últimos números da corrida pelo Planalto, segundo o Ibope. Nos EUA, as homenagens às vítimas do 11 de setembro, 17 anos após o atentado. E o candidato brasileiro a concorrer ao Oscar. O que foi notícia nesta terça-feira:

NACIONAIS

Beto Richa preso

Beto Richa é preso junto com a mulher em Curitiba

Beto Richa é preso junto com a mulher em Curitiba

Beto Richa, ex-governador do Paraná e candidato ao Senado pelo PSDB, foi preso hoje de manhã em Curitiba. Ele foi alvo de duas operações: uma da PF, em nova fase da Lava Jato, e outra do Ministério Público do Paraná — pela qual foi preso. O MP-PR diz que o tucano é chefe de uma organização criminosa que fraudou uma licitação de mais de R$ 70 milhões para manutenção de estradas rurais no Paraná em 2011.

Novo candidato do PT

Fernando Haddad, em frente à Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba — Foto: Giuliano Gomes/PRPress

Fernando Haddad, em frente à Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba — Foto: Giuliano Gomes/PRPress

O Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou hoje à tarde que Fernando Haddad concorrerá à Presidência da República pela legenda no lugar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve o registro de candidatura rejeitado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na nova formação, a candidata à vice-presidência será Manuela D’Ávila, do PCdoB.

Agressor de Bolsonaro

Agressor de Jair Bolsonaro presta depoimento à Justiça

Agressor de Jair Bolsonaro presta depoimento à Justiça

“Incidente”. Esta foi a palavra usada por Adélio Bispo de Oliveira para se referir à facada que deu no candidato à Presidência Jair Bolsonaro em Juiz de Fora, MG, na última quinta-feira (6). Em entrevista de custódia, que foi gravada, o acusado aparentou calma e respondeu de forma articulada às perguntas da juíza que o interrogou.

Nova pesquisa Ibope

Pesquisas Ibope / eleição presidencial 2018
  • Jair Bolsonaro (PSL): 26%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Marina Silva (Rede): 9%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
  • Fernando Haddad (PT): 8%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Henrique Meirelles (MDB): 3%
  • Vera (PSTU): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): %
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 19%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

Datafolha

Datafolha divulga pesquisa de intenção de voto para presidente

Datafolha divulga pesquisa de intenção de voto para presidente

RECORTES DA PESQUISA

Recortes da pesquisa Datafolha de intenção de voto para presidente da República divulgada ontem revelam quais são as preferências dos entrevistados de acordo com sexo, idade, escolaridade, renda e região.

HORÁRIO ELEITORAL

64% dos eleitores assistiram aos blocos dos presidenciáveis no horário eleitoral gratuito na TV, e 36% do eleitorado considera a propaganda dos candidatos à Presidência “muito importante” para a decisão do voto. Foi o que revelou pesquisa Datafolha divulgada hoje sobre como os eleitores acompanham o horário eleitoral gratuito na TV.

Entrevista G1 e CBN

Vera Lúcia (PSTU) é entrevistada pelo G1 e pela CBN

Vera Lúcia (PSTU) é entrevistada pelo G1 e pela CBN

A candidata Vera Lúcia, do PSTU, participou de sabatina feita pelo G1e pela CBN nesta terça-feira. Na entrevista, a presidenciável defendeu revogar mandatos e disse que, se eleita, população dirá o que Congresso vai fazer.

Fato ou Fake

 — Foto: Alexandre Mauro/G1

— Foto: Alexandre Mauro/G1

Veja o que é #Fato ou #Fake na entrevista de Vera Lúcia para o G1 e a CBN. Já foram sabatinados Geraldo Alckmin, do PSDB, Amoêdo, do Partido Novo, Eymael, do DC e Meirelles, do MDB. Cabo Daciolo não compareceu. Veja agenda.

Candidatos em viagem

Selo número de visitas candidatos — Foto: Alexandre Mauro/G1

Selo número de visitas candidatos — Foto: Alexandre Mauro/G1

São Paulo foi o principal destino dos candidatos à Presidência da República na primeira metade da campanha eleitoral. O estado abriga 33 milhões de eleitores — ou seja, 1 em cada 5 pessoas aptas a votar em outubro. Quatro estados não receberam nenhum presidenciável: Roraima, que vive uma grave crise migratória, Amazonas, Maranhão e Rio Grande do Norte.

Campanha na rua

Veja abaixo as atividades de campanha dos candidatos à Presidência nesta terça-feira:

Entrevistas nos estados

G1 também começou a série de entrevistas com os candidatos ao governo em SP, RJ, MG, DF e PE. Veja abaixo:

Por que o dólar está tão valorizado?

moeda americana fechou a terça-feira em alta, cotada a R$ 4,15. Falta pouco para ela bater nova máxima histórica. Mas por que o dólar vem se valorizando tanto nas últimas semanas? G1 separou 6 pontos que ajudam a entender o motivo. Entre as justificativas então a indefinição eleitoral e a alta dos juros nos Estados Unidos.

Brasil no Oscar

Assista ao trailer de 'O Grande Circo Místico', de Cacá Digues

Assista ao trailer de ‘O Grande Circo Místico’, de Cacá Digues

O filme “O Grande Circo Místico”, dirigido por Cacá Diegues, foi indicado para representar o Brasil no Oscar 2019. O longa concorreu com outras 21 obras e tenta agora um entre os cinco lugares na categoria de Melhor Filme de Língua Estrangeira da premiação. O filme é estrelado por Mariana Ximenes, Bruna Linzmeyer, Jesuíta Barbosa, Juliano Cazarré e Antonio Fagundes. Os indicados ao prêmio serão revelados no dia 22 de janeiro e a cerimônia mais importante do cinema mundial será em 24 de fevereiro.

Fonte: G1

Nas redes sociais, Bolsonaro comemora rejeição de denúncia no STF

O perfil oficial do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no Facebook comemorou com um grito de guerra militar a rejeição da denúncia apresentada contra ele por suposto crime de racismo pelo STF (Supremo Tribunal Federal), nesta terça-feira (11).

“SELVA!”, diz a mensagem, seguida de um emoticon da bandeira do Brasil e outro de uma mão com polegar para cima, sinal de positivo. Na postagem, ele reproduziu o artigo 53 da Constituição Federal e um tuíte do perfil oficial do STF informando o resultado de 3 a 2 na 1ª Turma da Corte.

“Os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos”, diz o item da Carta Magna, constantemente citado por Bolsonaro quando ele foi questionado sobre a denúncia da PGR (Procuradoria-Geral da República).

Bolsonaro está internado na UTI do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde a última sexta-feira (7). No dia anterior ele levou uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG) e passou por cirurgia de emergência na Santa Casa do município mineiro.

Comments

PESQUISA IBOPE: Haddad é o único que mantém nível de rejeição; demais candidatos reduzem índice negativo

O Ibope também quis saber dos eleitores a taxa de rejeição, ou seja, candidatos em que o eleitor não votaria de jeito nenhum.

Nesse quesito, Haddad foi o único que não viu seu número cair, se mantendo em 23%. Bolsonaro, após o ataque sofrido na semana passada, viu sua rejeição recuar de 44% para 41%.

Confira os números

Bolsonaro: de 44% para 41%
Marina: de 26% para 24%
Haddad: manteve 23%
Alckmin: de 22% para 19%
Ciro: de 20% para 17%
Meirelles: 11’%
Cabo Daciolo: 11%
Eymael: 11%
Boulos: 11%
Vera: 11%
Amoêdo: 10%
Alvaro Dias: de 13% para 9%
João Goulart Filho: 8%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 11%

Sobre a pesquisa

A pesquisa ouviu 2.002 eleitores, de todo o território nacional, entre os dias 8 e 10 de setembro. Registrado no TSE sob o código BR-05221/2018, o levantamento tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Comments

Alckmin terá de ‘recomeçar de novo’, diz aliado

Nilson Leitão, líder do PSDB na Câmara, disse a O Antagonista que após o atentado contra Jair Bolsonaro e a entrada de Fernando Haddad na disputa presidencial, o candidato Geraldo Alckmin terá de “recomeçar de novo”.

O deputado está otimista.

“Iniciou a tendência de crescimento. Ele [Alckmin] subiu 2 pontos percentuais após o ocorrido com o Bolsonaro.”

Na avaliação de Leitão, a esquerda tende a se unir em torno de Haddad, esvaziando Ciro Gomes e Marina Silva.

“Haddad é mais um concorrente no páreo. Geraldo terá que superar os três.”

O Antagonista

Comments

PESQUISA IBOPE: Bolsonaro empata tecnicamente com todos os adversários no segundo turno

O Ibope divulgou sua primeira pesquisa eleitoral realizada após o ataque sofrido por Jair Bolsonaro também analisando o segundo turno.

Nas quatro simulações feitas para segundo turno, todas contando com Bolsonaro na disputa, em todas o candidato do PSL empata na margem de erro, situação bem melhor da apresentada na última pesquisa, onde ele perdia de todos, com exceção de Haddad.


Confira os cenários

– Ciro 40% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe/não respondeu: 4%)
– Alckmin 38% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 21%; não sabe/não respondeu: 4%)
– Bolsonaro 38% x 38% Marina (branco/nulo: 20%; não sabe/não respondeu: 4%)
– Haddad 36% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe/não respondeu: 5%)

Sobre a pesquisa

A pesquisa ouviu 2.002 eleitores, de todo o território nacional, entre os dias 8 e 10 de setembro. Registrado no TSE sob o código BR-05221/2018, o levantamento tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Comments

Lula passa a bola pra Haddad e critica a Justiça: “Minha condenação é uma farsa judicial, uma vingança política”; confira carta na íntegra

O ex-presidente Lula escreveu uma carta em que confirma que desistiu da candidatura diante das constantes perdas de recursos judiciais que tentaram a candidatura e diante do prazo dado pela Justiça Eleitoral para substituição do candidato.

Na carta, ele indica ao PT a substituição da candidatura dele pela de Fernando Haddad. No mesmo documento, ele ainda critica as condenações que teve. “Há mais de cinco meses estou preso injustamente […]. Minha condenação é uma farsa judicial, uma vingança política”, escreveu.

Confira carta na íntegra

Meus amigos e minhas amigas,

Vocês já devem saber que os tribunais proibiram minha candidatura a presidente da República. Na verdade, proibiram o povo brasileiro de votar livremente para mudar a triste realidade do país.

Nunca aceitei a injustiça nem vou aceitar. Há mais de 40 anos ando junto com o povo, defendendo a igualdade e a transformação do Brasil num país melhor e mais justo. E foi andando pelo nosso país que vi de perto o sofrimento queimando na alma e a esperança brilhando de novo nos olhos da nossa gente. Vi a indignação com as coisas muito erradas que estão acontecendo e a vontade de melhorar de vida outra vez.

Foi para corrigir tantos erros e renovar a esperança no futuro que decidi ser candidato a presidente. E apesar das mentiras e da perseguição, o povo nos abraçou nas ruas e nos levou à liderança disparada em todas as pesquisas.

Há mais de cinco meses estou preso injustamente. Não cometi nenhum crime e fui condenado pela imprensa muito antes de ser julgado. Continuo desafiando os procuradores da Lava Jato, o juiz Sérgio Moro e o TRF-4 a apresentarem uma única prova contra mim, pois não se pode condenar ninguém por crimes que não praticou, por dinheiro que não desviou, por atos indeterminados.

Minha condenação é uma farsa judicial, uma vingança política, sempre usando medidas de exceção contra mim. Eles não querem prender e interditar apenas o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva. Querem prender e interditar o projeto de Brasil que a maioria aprovou em quatro eleições consecutivas, e que só foi interrompido por um golpe contra uma presidenta legitimamente eleita, que não cometeu crime de responsabilidade, jogando o país no caos.

Vocês me conhecem e sabem que eu jamais desistiria de lutar. Perdi minha companheira Marisa, amargurada com tudo o que aconteceu a nossa família, mas não desisti, até em homenagem a sua memória. Enfrentei as acusações com base na lei e no direito. Denunciei as mentiras e os abusos de autoridade em todos os tribunais, inclusive no Comitê de Direitos Humanos da ONU, que reconheceu meu direito de ser candidato.

A comunidade jurídica, dentro e fora do país, indignou-se com as aberrações cometidas por Sergio Moro e pelo Tribunal de Porto Alegre. Lideranças de todo o mundo denunciaram o atentado à democracia em que meu processo se transformou. A imprensa internacional mostrou ao mundo o que a Globo tentou esconder.

E mesmo assim os tribunais brasileiros me negaram o direito que é garantido pela Constituição a qualquer cidadão, desde que não se chame Luiz Inácio Lula da Silva. Negaram a decisão da ONU, desrespeitando do Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos que o Brasil assinou soberanamente.

Por ação, omissão e protelação, o Judiciário brasileiro privou o país de um processo eleitoral com a presença de todas as forças políticas. Cassaram o direito do povo de votar livremente. Agora querem me proibir de falar ao povo e até de aparecer na televisão. Me censuram, como na época da ditadura.

Talvez nada disso tivesse acontecido se eu não liderasse todas as pesquisas de intenção de votos. Talvez eu não estivesse preso se aceitasse abrir mão da minha candidatura. Mas eu jamais trocaria a minha dignidade pela minha liberdade, pelo compromisso que tenho com o povo brasileiro.

Fui incluído artificialmente na Lei da Ficha Limpa para ser arbitrariamente arrancado da disputa eleitoral, mas não deixarei que façam disto pretexto para aprisionar o futuro do Brasil.

É diante dessas circunstâncias que tenho de tomar uma decisão, no prazo que foi imposto de forma arbitrária. Estou indicando ao PT e à Coligação “O Povo Feliz de Novo” a substituição da minha candidatura pela do companheiro Fernando Haddad, que até este momento desempenhou com extrema lealdade a posição de candidato a vice-presidente.

Fernando Haddad, ministro da Educação em meu governo, foi responsável por uma das mais importantes transformações em nosso país. Juntos, abrimos as portas da Universidade para quase 4 milhões de alunos de escolas públicas, negros, indígenas, filhos de trabalhadores que nunca tiveram antes esta oportunidade. Juntos criamos o Prouni, o novo Fies, as cotas, o Fundeb, o Enem, o Plano Nacional de Educação, o Pronatec e fizemos quatro vezes mais escolas técnicas do que fizeram antes em cem anos. Criamos o futuro.

Haddad é o coordenador do nosso Plano de Governo para tirar o país da crise, recebendo contribuições de milhares de pessoas e discutindo cada ponto comigo. Ele será meu representante nessa batalha para retomarmos o rumo do desenvolvimento e da justiça social.

Se querem calar nossa voz e derrotar nosso projeto para o País, estão muito enganados. Nós continuamos vivos, no coração e na memória do povo. E o nosso nome agora é Haddad.

Ao lado dele, como candidata a vice-presidente, teremos a companheira Manuela D’Ávila, confirmando nossa aliança histórica com o PCdoB, e que também conta com outras forças, como o PROS, setores do PSB, lideranças de outros partidos e, principalmente, com os movimentos sociais, trabalhadores da cidade e do campo, expoentes das forças democráticas e populares.

A nossa lealdade, minha, do Haddad e da Manuela, é com o povo em primeiro lugar. É com os sonhos de quem quer viver outra vez num país em que todos tenham comida na mesa, em que haja emprego, salário digno e proteção da lei para quem trabalha; em que as crianças tenham escola e os jovens tenham futuro; em que as famílias possam comprar o carro, a casa e continuar sonhando e realizando cada vez mais. Um país em que todos tenham oportunidades e ninguém tenha privilégios.

Eu sei que um dia a verdadeira Justiça será feita e será reconhecida minha inocência. E nesse dia eu estarei junto com o Haddad para fazer o governo do povo e da esperança. Nós todos estaremos lá, juntos, para fazer o Brasil feliz de novo.

Quero agradecer a solidariedade dos que me enviam mensagens e cartas, fazem orações e atos públicos pela minha liberdade, que protestam no mundo inteiro contra a perseguição e pela democracia, e especialmente aos que me acompanham diariamente na vigília em frente ao lugar onde estou.

Um homem pode ser injustamente preso, mas as suas ideias, não. Nenhum opressor pode ser maior que o povo. Por isso, nossas ideias vão chegar a todo mundo pela voz do povo, mais alta e mais forte que as mentiras da Globo.

Por isso, quero pedir, de coração, a todos que votariam em mim, que votem no companheiro Fernando Haddad para Presidente da República. E peço que votem nos nossos candidatos a governador, deputado e senador para construirmos um país mais democrático, com soberania, sem a privatização das empresas públicas, com mais justiça social, mais educação, cultura, ciência e tecnologia, com mais segurança, moradia e saúde, com mais emprego, salário digno e reforma agrária.

Nós já somos milhões de Lulas e, de hoje em diante, Fernando Haddad será Lula para milhões de brasileiros.

Até breve, meus amigos e minhas amigas. Até a vitória!

Um abraço do companheiro de sempre,

Luiz Inácio Lula da Silva

Fonte: Blog do BG

 

INTERNACIONAIS

Fúria da Natureza

Nasa divulga imagens do furacão Florence feitas da Estação Espacial Internacional

Nasa divulga imagens do furacão Florence feitas da Estação Espacial Internacional

A Agência Espacial Americana (Nasa) divulgou hoje imagens que dão a dimensão do furacão Florence, que está se aproximando da costa leste dos Estados Unidos. Ele provocou ventos de mais de 220 km/h. O governador da Carolina do Sul, estado que deverá ser o principal alvo do furacão na quinta-feira (13), ordenou a saída obrigatória de um milhão de pessoas.

Curtas e rápidas

Funcionários da Marinha dos EUA se apresentam nesta terça em frente ao Pentágono, em Washington, em cerimônia que relembra os atentados terroristas de 11 de Setembro — Foto: Joshua Roberts/Reuters

Funcionários da Marinha dos EUA se apresentam nesta terça em frente ao Pentágono, em Washington, em cerimônia que relembra os atentados terroristas de 11 de Setembro — Foto: Joshua Roberts/Reuters

 Fonte: G1

LOCAIS

Resposta

Carlos Eduardo rebate MP e diz que não cobrou propina para aumentar tarifas

Segundo o Ministério Público, autorização para o aumento foi feita em troca de recursos a serem utilizados, em forma de doação eleitoral, para a candidatura do pedetista ao Governo do Estado

José Aldenir / Agora RN

Ex-prefeito de Natal e candidato ao Governo do RN, Carlos Eduardo Alves (PDT)

O ex-prefeito de Natal e candidato ao Governo do RN, Carlos Eduardo Alves (PDT) negou ter cobrado propina para aumentar as tarifas do transporte público da capital na época em que administrava o município. Por meio de nota, o pedetista disse que qualquer reajuste feito furante sua gestão seguiu “parâmetros técnicos e somente autorizados depois de aprovados”.

Carlos Eduardo prosseguiu afirmando que em seus 30 anos na política, nunca respondeu a processos de improbidade administrativa ou por desvio de conduta ética, e que confia que “uma investigação isenta” esclarecerá a verdade dos fatos.

Confira a nota de Carlos Eduardo na íntegra:

“EM RESPEITO À VERDADE

Fui prefeito de Natal durante 12 anos. Durante esse tempo, a Prefeitura autorizou reajustes na tarifa de transporte coletivo para atender aumento de custo com trabalhadores, combustível e demais insumos. Reajustes que sempre seguiram parâmetros técnicos e somente autorizados depois de aprovados  por um conselho formado por 31 integrantes da prefeitura, empresas e usuários. Em todo esse período nunca houve uma denúncia de irregularidades nesse assunto;

Em 30 anos de atividade política, exercendo cargos de Deputado Estadual, Secretário de Estado, Vice-Prefeito e Prefeito de Natal por quatro vezes, nunca respondi a nenhum processo de improbidade ou por desvio de conduta ética. Sei que isso deve incomodar a quem não pode dizer a mesma coisa.

Considero estranho que, a pouco mais de 20 dias antes da eleição, surja a abertura de um inquérito para investigar aumento de tarifa no transporte coletivo, autorizado em maio de 2018, quando nem prefeito eu era mais; Tampouco  acredito que o prefeito Álvaro Dias tenha cometido qualquer ilicitude;

Informo que minhas contas de campanha estão disponíveis no TRE e nelas NÃO EXISTE e nem EXISTIRÁ qualquer doação de empresa de ônibus; Podem verificar.

Uma investigação isenta provará essa verdade. E uma divulgação pelos veículos de comunicação igualmente comprometidos com a verdade e desvinculados de interesses ocultos, haverá de reparar esse equívoco”.

Carlos Eduardo
Candidato a Governador
Coligação 100%RN

Caso

O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (MPRN) abriu um inquérito civil para apurar o suposto pagamento de propina, em forma de doação eleitoral, ao ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT).

A investigação aponta que Carlos Eduardo teria acertado o recebimento de propina para autorizar o aumento da tarifa do transporte público em Natal. Segundo o inquérito, aberto com o número 116.2018.000456, a autorização para o aumento da passagem foi feita em troca de recursos a serem utilizados, em forma de doação eleitoral, para a candidatura de Carlos Eduardo Alves ao Governo do Estado. O inquérito foi aberto no dia 28 de agosto e está sob sigilo.

Ainda de acordo com a investigação relatada no documento do MPRN, que é conduzida pelo promotor Márcio Cardoso Santos, o pagamento de propina teria sido feito pelo empresário Agnelo Cândido, que é o atual presidente do Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Natal (Seturn).

Fonte: AGORA RN
Aprovado

Styvenson tem candidatura assegurada pelo Tribunal Regional Eleitoral

Na ação, um cidadão de Rafael Fernandes argumentou que o candidato não havia se desvinculado a tempo da PM no prazo de seis meses anteriores às eleições

José Aldenir / Agora RN
Styvenson Valentim, candidato ao Senado Federal pela Rede Sustentabilidade

O capitão Styvenson Valentim (Rede Sustentabilidade) teve sua candidatura ao Senado Federal assegurada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Norte, na tarde desta terça-feira, 11. Um cidadão residente no município de Rafael Fernandes, a 400 Km de Natal, na região Oeste, foi o responsável por interpor uma ação de inelegibilidade contra Styvenson.

Na ação, que foi protocolada no dia 22 de agosto, Maurício José da Silva Ferreira argumentou que o candidato da Rede não havia se desvinculado a tempo do posto de comandante da unidade da Polícia Militar no prazo de seis meses anteriores ao início do primeiro turno das eleições (7 de outubro).

O juiz federal Francisco Glauber Pessoa Alves entendeu, diante das provas materiais apresentadas pela defesa do capitão Styvenson, que ele havia, sim, de desincompatibilizado da PM no prazo legal e, consequentemente, negou o pedido de Maurício Ferreira, garantindo a elegibilidade do candidato da Rede.

Na época em que a ação foi impetrada, o advogado de Styvenson, Anderson Romão, lembrou que “é importante observar que é estabelecido em lei um regramento para a desincompatibilização dos militares em função de comando e outro para os comandantes de fato e de direito. Quanto aos que ocupam apenas a função de comando e disputam o mandato de senador, o prazo para de desincompatibilizar é igual aos demais servidores públicos: três meses”.

Fonte: AGORA RN
Parecer

Adepol entrega diagnóstico da Segurança do RN para candidatos ao Governo

Pesquisa, intitulada “Eu decido a Segurança Pública do RN”, ouviu a opinião de mais de 8 mil potiguares com relação à sensação de insegurança

José Aldenir / Agora RN
Paoulla Maués, presidente da Adepol

A Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol) entregou aos candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte os resultados de uma pesquisa de opinião pública sobre a atual situação da Segurança Pública no Estado. A solenidade aconteceu na manhã desta terça-feira, 11, no auditório da Assembleia Legislativa.

A pesquisa, intitulada “Eu decido a Segurança Pública do RN”, ouviu a opinião de mais de 8 mil potiguares com relação à sensação de insegurança, quais crimes causam mais preocupação e qual a sugestão de solução desses problemas. A consulta também registrou mais de 3 mil propostas de intervenção para a solução desses problemas.

Os dados foram apresentados em um documento que dividiu a opinião dos entrevistados por mesorregião. Segundo Paoulla Maués, presidente da Associação, de maneira geral, as principais reivindicações são voltadas para a reestruturação das polícias, investimento em tecnologia policial e maior rigidez na legislação penal.

“Ouvir a população é o ponto de partida para que possam ser desenvolvidas dinâmicas sociais e criminais para que esses problemas, respeitando as especificidades de cada região, sejam resolvidos”, explicou a presidente. “O que nós esperamos agora é o comprometimento político do próximo gestor com a vida e com o patrimônio das pessoas”, completou.

Para Fátima Bezerra (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto, para que a crise na segurança pública seja resolvida, é preciso, além de reestruturar o sistema penitenciário do Estado, apostar em medidas preventivas. “Vamos investir em educação e no ensino em tempo integral. Nossos jovens precisam estar nas escolas e não presos”, afirmou.

Brenno Queiroga, do Solidariedade, também sugere medidas educativas preventivas e reafirma a necessidade de investimento na segurança pública. “Um outro ponto que deve ser abordado é a questão da impunidade, que pode ser reduzida com a informatização das polícias e com a valorização desses profissionais”, completa.

Já para Carlos Alberto, candidato pelo PSOL, é preciso investir em trabalhos de ressocialização. “Temos um sistema prisional falho, presos que não trabalham e acabam reincidindo no crime. Isso precisa mudar. Além disso, é necessário recompor o quadro efetivo da polícia e melhorar as condições de trabalho desses profissionais”, completou o candidato.

Dário Barbosa, do PSTU, e Heró Bezerra, do PRTB, também estiveram presentes.

A pesquisa foi elaborada pela Adepol em parceria com a Incubadora de Processos Acadêmicos, Científicos e Tecnológicos Aplicados da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Carlos Eduardo Alves (PDT), Robinson Faria (PSD) e Freitas Jr. (Rede) não compareceram à solenidade.

Fonte: AGORA RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu