ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA SEXTA-FEIRA

Por Guilherme Mazui e Luiz Felipe Barbiéri, G1 — Brasília

 


O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto — Foto: Luiz Felipe Barbiéri/G1

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto — Foto: Luiz Felipe Barbiéri/G1

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta sexta-feira (4) que o presidente Jair Bolsonaro se “equivocou” e que um decreto do governo não prevê o aumento de imposto.

Mais cedo, nesta sexta, Bolsonaro afirmou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciaria a “possibilidade” de reduzir a alíquota máxima do Imposto de Renda. Disse também que o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) seria aumentado.

Bolsonaro sancionou a lei que prorroga até 2023 o incentivo fiscal concedido a empresas nas áreas da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Segundo o ministro, ao sancionar a lei, Bolsonaro assinou um decreto que dá a garantia para a execução dos benefícios fiscais.

“Ele [Bolsonaro] se equivocou. Ele assinou a continuidade do projeto da Sudam e da Sudene. […] Não haverá aumento de impostos”, disse Onyx.

Onyx:

Onyx: “presidente se equivocou ao falar sobre aumento de imposto”

Após a fala de Bolsonaro sobre o aumento do IOF e a mudança no Imposto de Renda, a Receita Federal informou que não haverá aumento de imposto e que uma eventual alteração na tabela do IR só será discutida “posteriormente” e “no tempo correto”.

De acordo com a Consultoria de Orçamento da Câmara, a renúncia fiscal com a prorrogação dos incentivos fiscais na Sudam e na Sudene pode chegar a R$ 10 bilhões.

Segundo o ministro da Casa Civil, o governo encontrou uma solução para compensar a prorrogação de benefícios, que não exige o aumento de impostos.

‘Pauta-bomba’

Embora Bolsonaro tenha chamado o projeto sobre benefícios fiscais de “pauta-bomba”, Onyx explicou que o governo levou em conta o retorno do investimento nas regiões Nortes e Nordeste ao sancionar a lei.

O termo “pauta-bomba” costuma ser utilizado em referência a projetos que provocam aumento nas despesas do governo.

“Para cada real concedido de subsídio lá na Sudam e na Sudene, em média, são mais de R$ 12 em investimentos. Então, tem uma significação importante na geração de emprego, renda e na continuidade de investimentos importantes para a região Nordeste e para a região Norte”, declarou.

Onyx reclamou do fato de o ex-presidente Michel Temer ter deixado para o novo governo a sanção do projeto, aprovado pelo Congresso no ano passado.

“O governo anterior deveria ter sancionado a questão da Sudam e Sudene, ao transferir para o governo com um prazo curtinho de resolução, que vencia ontem o prazo, é claro que foi jogando uma bomba no colo do atual presidente”, afirmou.

Previdência Social

Onyx também comentou sobre “ideia inicial” citado por Bolsonaro de tentar aprovar uma reforma da Previdência com um aumento gradativo da idade mínima para aposentadoria de 62 anos para homens e 57 para mulheres.

Conforme o ministro, ao citar os números, Bolsonaro quis “dar uma tranquilidade” para as pessoas de que a reforma terá um “olhar humano”.

“Quando o presidente fala alguns números e falou no número de 57 e 62, ele quis dar uma tranquilidade para as pessoas, que não vai haver uma ruptura, que vai haver uma transição lenta e gradual, tendo um olhar humano para a reforma da Previdência”, afirmou o chefe da Casa Civil.

O ministro disse que em duas semanas será feita uma apresentação da reforma a Bolsonaro, para ele decidir o melhor modelo.

Fonte: G1

Por Marília Marques, G1 DF

 

O presidente Jair Bolsonarotomou posse na última terça-feira (1º) e, com a troca de governo, os prédios na Esplanada, em Brasília, passaram a receber os nomes dos novos ministérios.

No governo Michel Temer, existiam 29 ministérios, e Bolsonaro reduziu o número a 22 – ele havia prometido reduzir a 15 na campanha eleitoral do ano passado.

O novo presidente criou pastas por meio da junção de ministérios.

Foram criados, por exemplo, o da Economia (Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio), o da Cidadania (Desenvolvimento Social, Esporte e Cultura), o da Justiça (Justiça e Segurança Pública) e o do Desenvolvimento Regional (Integração e Cidades).

FOTOS

Veja fotos de parte dos prédios da Esplanada dos Ministérios com os novos nomes dos ministérios:

Operários trabalham na fachada do Bloco J da Esplanada, onde funcionava o Ministério da Indústria e Comércio Exterior; MDIC foi fundido ao Planejamento e à Fazenda — Foto: Marília Marques/G1

Operários trabalham na fachada do Bloco J da Esplanada, onde funcionava o Ministério da Indústria e Comércio Exterior; MDIC foi fundido ao Planejamento e à Fazenda — Foto: Marília Marques/G1

Prédio onde funciona o Ministério da Economia; letreiro anterior era do Ministério da Fazenda — Foto: Marília Marques/G1

Prédio onde funciona o Ministério da Economia; letreiro anterior era do Ministério da Fazenda — Foto: Marília Marques/G1

Fachada anterior do prédio onde funcionavam os ministérios da Integração Nacional e da Ciência e Tecnologia — Foto: Aline Ramos/G1

Fachada anterior do prédio onde funcionavam os ministérios da Integração Nacional e da Ciência e Tecnologia — Foto: Aline Ramos/G1

Nova fachada do prédio onde passarão a funcionar os ministérios da Ciência e Tecnologia e dos Transportes — Foto: Aline Ramos/G1

Nova fachada do prédio onde passarão a funcionar os ministérios da Ciência e Tecnologia e dos Transportes — Foto: Aline Ramos/G1

Fachada do prédio onde funciona o Ministério dos Direitos Humanos — Foto: Marília Marques/G1

Fachada do prédio onde funciona o Ministério dos Direitos Humanos — Foto: Marília Marques/G1

Fachada do prédio onde funcionava o Ministério do Planejamento; pasta foi unificada à Fazenda para formar Ministério da Economia — Foto: Aline Ramos/G1

Fachada do prédio onde funcionava o Ministério do Planejamento; pasta foi unificada à Fazenda para formar Ministério da Economia — Foto: Aline Ramos/G1

Fonte: G1

 

Por G1 Rio

 


O músico carioca Marcelo Yuka, em foto de 2009 — Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo/Arquivo

O músico carioca Marcelo Yuka, em foto de 2009 — Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo/Arquivo

O músico e compositor Marcelo Yuka, um dos fundadores da banda O Rappa, está internado em estado grave no Hospital Quinta D’Or, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Segundo amigos ouvidos pelo G1 nesta sexta-feira (4), o artista de 53 anos está com um quadro de infecção generalizada. A pedido da família, o hospital não divulgou informações sobre o estado de saúde.

Segundo o amigo e ex-produtor Luiz Fernando Barakat, Yuka sofreu um acidente vascular-cerebral (AVC) na quarta-feira (2). No meio do ano passado, ele já havia tido outro AVC.

Em 2000, Yuka ficou paraplégico ao ser atingido por nove tiros quando tentava impedir um assalto a uma mulher na Tijuca, na Zona Norte do Rio.

O artista era baterista de O Rappa, banda que chegou ao sucesso com o segundo disco, “Rappa Mundi”, em 1996. Yuka é criador de hits como “Pescador de ilusões”, “O que sobrou do céu” e “Minha alma (A paz que eu não quero)”, todos com temas como violência urbana, racismo e desigualdades sociais.

Dois anos após ser baleado, em 2002, ele oficializou sua saída da banda, afirmando ter sido expulso pelos demais integrantes por não concordar com os rumos do grupo.

Criou outra banda, a F.UR.T.O. (Frente Urbana de Trabalhos Organizados), parte de um projeto social que já existia na época de O Rappa. Em 2017, lançou o primeiro albúm solo, “Canções para depois do ódio”, no qual manteve o discurso sempre politizado de suas composições.

O posicionamento político o levou a se filiar ao PSOL, em 2010, e a ser candidato a vice-prefeito do Rio, em 2012, na chapa do hoje deputado federal Marcelo Freixo.

Marcelo Yuka no Programa Conversa com Bial em junho do ano passado — Foto: Reprodução/TV Globo

Marcelo Yuka no Programa Conversa com Bial em junho do ano passado — Foto: Reprodução/TV Globo

Fonte: G1

 

Lula pede para PT evitar ‘bate-boca’ e focar em assuntos econômicos

Em conversa com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e com a presidente cassada Dilma Rousseff na quinta-feira, 3, em Curitiba, onde cumpre pena, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o governo Jair Bolsonaro está usando temas morais ou de comportamento como cortina de fumaça para ações impopulares nas áreas econômica e de direitos sociais.

Segundo Gleisi, Lula orientou o PT a não se perder em “bate-bocas” com integrantes do governo Jair Bolsonaro e concentrar energia nos assuntos que realmente interessam à população.

“Lula nos disse para nos posicionarmos na defesa dos direitos do povo e na retirada de conquistas que tivemos até agora. Bolsonaro vai tentar o tempo inteiro jogar com temas de valores, sobre os quais vamos nos posicionar também, para encobrir a verdadeira pauta do governo”, disse a presidente do PT. “Não temos que ficar o tempo inteiro batendo boca com o Bolsonaro”, completou.

Ela citou como exemplo a proposta feita pelo presidente Jair Bolsonaro de reduzir o teto da alíquota do Imposto de Renda de 27,5% para 25% e aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

“Ele reduz o imposto para os mais ricos, não fala nada sobre quem ganha até cinco salários mínimos, diz que lamenta ter que aumentar o IOF e ainda põe a culpa no Nordeste”, disse Gleisi.

A petista não citou temas específicos, mas enquanto Bolsonaro anunciava as medidas econômicas o tema que dominava as redes sociais era a declaração da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, sobre meninas usarem rosa e meninos, azul.

Estadão Conteúdo

CGU diz não ter recebido demanda por ‘pente-fino’ de ministérios em dezembro

Apesar do pedido de pente-fino nos empenhos de despesas realizadas pelos ministérios em dezembro, a Controladoria-Geral da União (CGU) informou nesta sexta-feira, 4, que “não foi demandada para nenhuma eventual análise específica”. De acordo com o órgão, o pedido de levantamento sobre o fluxo financeiro foi feito pela Casa Civil diretamente às demais pastas.

A CGU destaca que o controle primário do gasto deve ser instituído e mantido pelos gestores responsáveis pelas políticas públicas durante a execução das atividades. Já o controle realizado pela CGU é desenvolvido por diversas linhas de atuação como o Observatório da Despesa Pública (ODP).

“Esse monitoramento é modulado em três temas específicos: compras governamentais, cartão de pagamento e terceirização. O monitoramento é feito de forma continuada por meio de trilhas de auditoria que geram alertas, caso a despesa se enquadre nos critérios preestabelecidos”, disse o órgão em nota à reportagem.

A CGU também monitora os gastos com pessoal por meio da análise da consistência da folha de pagamento e com processos de auditoria em aposentadorias, pensões, admissões e desligamento de servidores. O órgão respondeu ainda que o planejamento anual dos trabalhos da CGU é definido com base em fatores de risco como relevância, volumes de recursos e criticidade.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou ontem um pente-fino nas despesas dos últimos 30 dias do governo Michel Temer. Conforme informou ontem o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o pedido é visto por técnicos do governo como um processo “normal” de revisão de atos. Segundo fontes disseram à reportagem, é comum que os ministérios acelerem os gastos em dezembro para garantirem o uso do espaço fiscal já autorizado para aquele ano. Por isso, na avaliação desses técnicos, a varredura não deve encontrar irregularidades.

Estadão Conteúdo

Comments

Pesquisa mostra que 750 milhões de pessoas querem mudar de país; veja mais desejados com EUA, Canadá e até mesmo o Brasil

(Reprodução/Wikimedia Commons)

A grama dos outros parece mesmo mais verde. É o que mostra uma pesquisa do Instituto Gallup, dos EUA: mais de 750 milhões de pessoas imigrariam para outro país. Como a população adulta do planeta é de mais ou menos 5 bilhões de pessoas, temos que 15% das pessoas entre 15 e 64 anos trocariam de nação se pudessem.

Nas regiões que mais sofrem com pobreza e conflitos armados, as taxas são obviamente maiores.No Haiti (Caribe) e na Albânia (Leste Europeu), 60% da população quer sair. Em Serra Leoa, país africano numa guerra civil permanente, esse número chega a 71% (o país sofria um surto de ebola na época em que a pesquisa foi feita).

Na África subsaariana como um todo, 33% da população, em média, deseja sair de seus países de origem. Em 2012, esse valor era de 30%. Na América Latina e no Caribe, a taxa subiu de 18% para 27%.

O estudo é fruto de uma extensa enquete, que coletou dados de mais de 453 mil adultos em 152 países diferentes, entre 2015 e 2017. As informações foram comparadas com outras duas pesquisas anteriores. Em todas as regiões do planeta, houve um aumento no desejo de mudar permanentemente para outro lugar.

No mesmo barco

Também houve crescimento em países ricos. Na América do Norte (excluindo o México, contabilizado no estudo como parte da América Latina), o número subiu de de 10%, em 2012, para 14% em 2017.

Entre os países-membros da União Europeia, o crescimento foi marginal, de 20 para 21%. Já nos mo grupo dos países europeus “excluídos”, a taxa cresceu de 21% para 26%.

As únicas regiões que mantiveram os números nos últimos anos foram a Oceania, o sul e sudeste asiático e na chamada Comunidade dos Estados Independentes, um grupo formado por 11 antigos membros da União Soviética, como Rússia, Ucrânia e Bielorússia.

Os EUA seguem na liderança como o destino mais desejado pelos que querem começar uma nova vida em outro lugar. Na pesquisa mais recente, ele aparece com 21% de interessados, aproximadamente 158 milhões de pessoas.

Em segundo lugar está o Canadá, destino preferido de 47 milhões de potenciais novos moradores. Na sequência, está a Alemanha (42 milhões), França (36 milhões) e Austrália (36 milhões). A Arábia Saudita (34 milhões) aparece à frente de países de altíssimo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), como Suíça e Japão. O país árabe tem IDH equivalente ao do Chile (nem ruim nem maravilhoso – 39a posição). Mesmo assim, é um destino de sonho no Oriente Médio e na África, em grande parte por abrigar os grandes centros religiosos do islamismo.

Entre os lugares mais procurados, a maior queda é a da procura pelo Reino Unido, que caiu de 7%, em 2012, para 4% (34 milhões), em 2017. O motivo pode ser a decisão de sair da União Europeia, que começou em 2016. E o Brasil, mesmo amargando a 79a posição no ranking de IDH, perto da Argélia e do Equador, aparece na lista, com 6 milhões de pessoas cogitando nosso país como destino.

Super Interessante

 

Polícia Civil deflagra Operação Verão 2019 nas praias do litoral Norte e Sul durante período de veraneio

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte divulgou, nesta sexta-feira (04), os detalhes da Operação Verão 2019, que começou nesta sexta-feira (04) de janeiro indo até o dia 28 de fevereiro. O objetivo é garantir a segurança e tranquilidade dos veranistas, moradores, turistas e comerciantes nas praias do litoral Norte e Sul, durante o período de veraneio.

Entre as praias de Natal e Grande Natal abrangidas pela Operação estão as do Litoral Norte: Redinha Nova, Santa Rita, Genipabu, Barra do Rio, Pitangui, Grançandú, Jacumã, Muriú, Porto Mirim, Barra de Maxaranguape e Maracajaú. Litoral Sul: Pium, Cotovelo, Pirangi do Norte e Pirangi do Sul). Assim como a área do corredor turístico de Natal, da Praia do Forte (incluindo Redinha Velha) até o Morro do Careca (Ponta Negra).

Entre as praias do interior do Estado abrangidas pela Operação estão as do Litoral Norte: São Miguel do Gostoso, Macau e Tibau e as do Litoral Sul: Tibau do Sul/Pipa e Baía Formosa.

Nos dias úteis, de segunda-feira a sexta-feira, as unidades da Polícia Civil funcionarão normalmente durante o dia. Porém, a partir das 18h00min da sexta-feira até 08hs da segunda, as praias abrangidas pela Operação Verão contarão com serviços da Polícia Civil, em regime de plantão.

Durante a Operação, as equipes da Polícia Civil realizarão busca e apreensão de drogas, armas de fogo, veículos (automóveis e motocicletas) que sejam comprovadamente utilizados no tráfico de drogas ou ainda outros objetos relacionados à práticas ilícitas. As equipes também atuarão no combate de crimes violentos letais intencionais e, ainda, combaterão a poluição sonora decorrente de “paredão de som” e similares, para isso a Delegacia Municipal de Touros contará com um decibelímetro auxiliando tais atividades.

Segue orientação de funcionamento dos serviços na Polícia Civil nas praias de Natal e Grande Natal:

Postos fixos da Polícia Civil estarão localizados nas praias de Pirangi do Norte e Barra de Maxaranguape, funcionarão de segunda à sexta-feira, das 08hs às 18hs. Nos finais de semana funcionarão 24 horas sem interrupções.

Equipes das Delegacias Especializadas do Turista, Criança e Adolescente, de Furtos e Roubos, de Narcóticos e de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas prestarão os serviços especializados dentro da Operação Verão.

Dois postos móveis (funcionando em Vans): uma no Litoral Sul: instalada em Pirangi do Norte, em frente ao Cemitério, atendendo as ocorrências de Cotovelo, Pirangi do Sul e Pirangi do Norte. Outra van estará no Litoral Norte: instalada no trevo de Muriú, abrangendo as praias de Jacumã, Porto Mirim e Muriú, integrada com a Polícia Militar e a Guarda Municipal de Ceará-Mirim.

Segue orientação para atendimento no regime de plantão (a partir das 18hs da sexta-feira) nas seguintes áreas do interior do Estado:

Tibau: Delegacia da cidade funcionará em regime de plantão.

Macau: Atendimento no Plantão da 5ª DRPC.

Baía Formosa: Atendimento no Plantão da 6ª DRPC, na cidade de Nova Cruz.

Tibau do Sul/Pipa: Atendimento no Plantão da 6ª DRPC, na cidade de Nova Cruz. A DP de Pipa ficará aberta das 18hs da sexta-feira às 8hs da segunda-feira aos fins de semana.

Touros/ São Miguel do Gostoso: Atendimento no Plantão da 10ª DRPC, na cidade de João Câmara. Haverá a instalação da delegacia móvel no município de Touros.

Homem leva tiro após ser confundido com “Pé-Grande” nos Estados Unidos

CAÇADOR OBCECADO PELO PÉ-GRANDE JÁ ATIROU EM PELO MENOS DUAS PESSOAS (FOTO: FLICKR/DEREK HATFIEL/CREATIVE COMMONS)

Um homem de 27 anos de Montana, nos Estados Unidos, foi baleado por um caçador após ser confudido com o “Pé-Grande” – suposta criatura similar a um macaco que habita florestas norte-americanas.

A vítima contou à polícia que estava na mata preparando-se para praticar tiro ao alvo dias antes do Natal quando alguém começou a atirar nele.

O atirador, ainda não identificado, teria descarregado a arma de dentro de um carro Ford F-150 preto. Depois que parou de atirar, o caçador chegou perto da vítima e percebeu que não era o Pé-Grande, mas sim um humano.

“Pensei que você fosse o Pé-Grande. Se vejo algo parecido com o Pé-Grande, eu apenas disparo”, disse o caçador à vítima, segundo o xerife do condado de Lewis e Clark, Leo Dutton.

O rapaz baleado respondeu que não era a criatura, e ainda ouviu do atirador que deveria usar “algo laranja” para não confundir caçadores.

Dutton falou que estava cético sobre o relato da vítima e, por isso, esperou alguns dias para denunciar o caso. No entanto, dias depois uma mulher declarou que também havia sido baleada por um homem em um Ford-150 preto. Ela forneceu à polícia mais descrições do suspeito.

“Estamos trabalhando para encontrar essa pessoa”, divulgou Dutton. “É de grande preocupação que este indivíduo possa pensar que está tudo bem atirar em qualquer coisa que ele acha que é o Pé-grande.”

Galileu

 

O que pensa Castello Branco, o novo presidente da Petrobras

Roberto Castello Branco (YouTube/Reprodução)

O aumento da competição no setor de petróleo no país vai beneficiar os consumidores brasileiros. A avaliação é do novo presidente da Petrobras, Roberto Castelo Branco, que tomou posse nessa quinta-feira (3), na sede da companhia, no Rio de Janeiro. “Abrindo a economia, tendo mais competidores. Quanto maior a competição, o benefício se dá em favor do consumidor. Se nós tivermos um único produtor, não será bom para o consumidor”, disse Castelo Branco.

Ele explicou o que define como preço justo do produto, conceito igualmente defendido pelo diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural (ANP), Décio Odone, e pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, presentes à solenidade e que discursaram antes dele.

“A Petrobras seguirá o preço de paridade internacional, sem subsídios e sem exploração de poder de monopólio. Nós somos amantes da competição e detestamos a solidão nos mercados. Queremos companhias, queremos competir”, disse Castelo Branco.

Em sua opinião, isso deve funcionar para beneficiar a população, que só assim deverá perceber a redução dos preços dos combustíveis. O executivo criticou a adoção de subsídios pelo governo. “Os preços de mercado são um farol do que podemos produzir mais ou menos”, disse o presidente da estatal.

Campeã

O novo presidente da Petrobras disse ainda que o seu desejo é transformar a empresa numa campeã. Segundo ele, nos últimos dois anos, a gestão da companhia apenas atuou para evitar o seu rebaixamento. Para transformar a petroleira numa campeã, está disposto a aplicar a cartilha liberal, de competição e preços livres, perseguida por toda a equipe econômica do governo recém empossado, disse ele.

Segundo ele, a prioridade é fazer crescer a produção de petróleo no país: “O Brasil é muito rico em recursos naturais e tem um potencial imenso para explorar, especialmente na mineração e no petróleo”, disse. E completou: “Parecemos envergonhados em explorar commodities. Vamos explorar recursos naturais e produzir valor para o Brasil”.

Castello Branco ainda demonstrou interesse em avançar no segmento de gás natural e citou o exemplo japonês, de utilização do combustível para fins automotivos, como alternativa a ser adotada também no país.

Apesar dos poucos comentários sobre desinvestimentos, afirmou que ainda estuda os ativos e modelos de venda que serão adotados, inclusive para a BR Distribuidora.

Privatização

A privatização da Petrobras não está na pauta do governo Bolsonaro, disse Castello Branco. Em uma primeira e rápida coletiva após a cerimônia de posse, o executivo afirmou que “a redução da participação do governo na Petrobras não está sendo discutida”.

Ele evitou adiantar possíveis mudanças que serão feitas na empresa, informando apenas que já viu o Plano de Negócios 2019-2023 da companhia e que, em princípio, achou “muito bom”, mas que ainda precisa olhar com maior detalhamento. “Tive uma visão superficial do Plano de Negócios, vamos avaliar”, disse.

Castello Branco afirmou também que não terá nenhum problema na relação com os sindicatos ligados à companhia e que pretende ter uma relação aberta com a categoria.

Diretoria

Apenas com o novo chefe de gabinete escolhido – o vice-cônsul do Brasil em Nova York, Roberto Ardhenguy -, Castello Branco disse que ainda vai avaliar a nomeação dos seus diretores, e que serão escolhidos “por serem comprometidos com geração de valor”. “A escolha de diretores será feita oportunamente”, disse.

Castello Branco informou ainda que vai avaliar a retomada da construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), cuja continuidade havia sido confirmada pela gestão anterior, de Ivan Monteiro.

O ex-presidente da companhia, inclusive, não compareceu à posse de Castello Branco, que recebeu o crachá com o nome de Roberto C.Branco das mãos da então presidente interina Solange Guedes. Segundo Castello Branco, Monteiro não compareceu por problemas de saúde.

Exame

 

LOCAIS

Polícia Civil prende foragidos da Justiça em Natal e Parnamirim

Equipes da Polícia Civil prenderam dois condenados pela Justiça, mediante cumprimento de mandados de prisão, nesta sexta-feira (04), em Natal. Policiais civis da 7a. e 14a Delegacia de Polícia Civil de Natal prenderam Kleyson Eduardo da Silva Barbosa, 26 anos, no bairro de Felipe Camarão. Kleyson é condenado por um homicídio.

A equipe da 1a. Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim prendeu Laertt da Silva Penha, 38 anos, que era foragido da Justiça, pelo cometimento de crime na região de Caicó.

Comments

Litoral em Parnamirim ganha iluminação pública de LED nos pontos mais movimentados mirando maior segurança

A Prefeitura de Parnamirim, por meio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos – SEMSUR, está executando um cronograma de serviços de iluminação pública no litoral, que inclui a substituição das lâmpadas incandescentes pelas de LED nos pontos mais movimentados, oferecendo maior segurança e comodidade a quem já está chegando na área para curtir o verão deste ano.

Para começar, nesta semana, a SEMSUR realizou um mutirão para que todos os postes em Pirangi, Pium e Cotovelo estejam em perfeito funcionamento. “Essa medida integra as ações da pasta para a Operação Verão no município, garantindo maior segurança aos cidadãos que procuram o litoral para seu descanso e diversão”, disse o Secretário da SEMSUR, Charles Quadros.

Além disso, a SEMSUR instalou lâmpadas de LED nos postes da Praça São Sebastião, tornando mais iluminado o ambiente que costuma reunir multidões em Pirangi do Norte durante as festas populares no veraneio e Carnaval.

“A SEMSUR também instalou lâmpadas de LED nos postes em toda a Avenida São Sebastião, e deu início a este mesmo processo na Avenida Deputado Márcio Marinho, devendo concluir este trabalho na próxima semana”, disse o titular da SEMSUR, Charles Quadros.

A lâmpada de LED é muito mais intensa e econômica. Ilumina três vezes mais do que as lâmpadas do modelo instalado anteriormente. A vida útil da lâmpada de LED é de até 100 mil horas, a do modelo anterior durava apenas 15 mil horas. Além disso, a lâmpada de LED não tem mercúrio, o que representa um benefício para o meio ambiente.

A população pode fazer reivindicações a respeito da iluminação pública de Parnamirim acessando o Portal da Prefeitura no campo Abrir Chamado. “Dessa forma, o cidadão recebe um número de protocolo e acompanha o atendimento, estimado em até 48 horas para ser cumprido”, disse o Secretário Charles.

A SEMSUR alerta a todos os cidadãos a não realizarem a troca de lâmpadas da iluminação pública por conta própria, o que representa um risco à vida, além de ser proibido, configurando crime e roubo de energia. Se forem constatadas mudanças irregulares na iluminação pública, todos os aumentos de potência serão retirados.

Vigilância em Saúde: conheça os serviços do setor em São Gonçalo do Amarante

O setor de Vigilância em Saúde é responsável por coordenar atividades como controle de endemias, zoonoses e vigilância sanitária em São Gonçalo do Amarante. Sua atuação implica diretamente na qualidade de vida dos moradores do município.

Conheça os serviços prestados pelo setor:

Controle de zoonoses:

Opera dentro do município realizando os seguintes serviços:

Recebimento de denúncias para coleta de sangue e testes em animais com suspeita de calazar

Monitoramento de áreas de risco de calazar

Monitoramento de felinos com suspeita de esporotricose (micose subcutânea)

Vacinação de cães e gatos contra raiva. Serviço com disponibilidade diária na sede da Vigilância em Saúde

Projeto São Gonçalo Sem Calazar (Mobiliza os agentes de vigilância para a realização dos testes para detectar a doença. O projeto é direcionado a pequenas comunidades do município)

Controle de endemias:

Combate ao Aedes Aegypti

Agentes casa a casa:

O combate ao mosquito transmissor de doenças como a Dengue, Chickungunya e Zika é feito de diversas maneiras, uma delas é através das equipes de agentes casa a casa. Hoje, o município conta com 40 agentes que operam na área urbana e rural de São Gonçalo. Essas equipes realizam vistorias em imóveis para combater possíveis focos de infestação do mosquito. As visitas são feitas a cada 42 dias.

Trabalho educativo IEC

Esse trabalho se dá através de palestras sobre como combater o Aedes Aegypti, ministradas por profissionais da Vigilância em Saúde em escolas, hospitais, unidades de saúde, comércio e empresas.

O setor de Vigilância também realiza blitzen educativas nas ruas.

Projeto São Gonçalo Unido Contra a Dengue

Trabalho voltado para a conscientização em escolas municipais das áreas de risco, onde há o maior índice de infestação do mosquito. Equipes de saúde são direcionadas a essas localidades para instruir os moradores da região sobre a importância do trabalho contínuo no combate à dengue.

Controle de infestação com borrifação costal

O município disponibiliza o serviço de borrifação com inseticida em áreas com altos índices de infestação do Aedes Aegypti.

Controle de esquistossomose:

O processo se dá em áreas de risco no município, como residências próximas a lagos ou com abastecimento oriundo de poços artesanais. Para que haja o controle, o setor de Vigilância em Saúde distribui coletores para os residentes dessas comunidades. No dia seguinte, as amostras são recolhidas e enviadas ao laboratório do próprio setor. Com o resultado das amostras, caso alguém apresente resultado positivo para o parasita, é emitida a recomendação para procurar uma unidade de saúde.

Vigiagua:

Realiza o monitoramento da qualidade da água que é distribuída para a população. São recolhidas amostras de água nos hospitais, escolas e algumas residências para averiguação junto ao Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN). Com o resultado, a autarquia responsável pela distribuição de água, o SAAE, toma as devidas providências caso haja algum problema com a concentração de cloro na água.

Vigilância sanitária:

A vigilância sanitária é o órgão responsável por eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde. Sendo assim, o órgão inspeciona farmácias, restaurantes, clinicas, UBSs, entre outros estabelecimentos comerciais, buscando manter os ambientes funcionando de forma segura e sem trazer riscos à saúde da população.

Equipe de reconhecimento geográfico:

O município disponibiliza uma equipe de reconhecimento geográfico dentro da Vigilância em Saúde, que tem como função realizar o mapeamento de todas as áreas do município, visando o controle da quantidade de imóveis para a realização de inspeção.

Telefone para contato e WhatsApp: (84) 98152-9740

Fonte: Blog do BG

 

Por G1 RN

 

Um juiz determinou que o governo do Rio Grande do Norte pague o 13º salário de 2018 aos policiais civis, em até cinco dias. A decisão desta quinta-feira (3), no plantão judiciário, ainda estabeleceu multa diária de R$ 10 mil, em caso de descumprimento.

A decisão liminar do juiz plantonista, Roberto Francisco Guedes Lima, atendeu a pedido do Sindicato dos Policiais Civis do estado (Sinpol).

G1 procurou a Procuradoria Geral do Estado e a assessoria do governo, mas ainda não recebeu resposta sobre o assunto.

“O salário é um direito de todo aquele que oferece sua força física e intelectual no desempenho de atividades desenvolvidas no meio social, não podendo ser suprimido senão por um motivo legal e justificável. A falta de pagamento do 13º salário das autoras não se mostra legítima, pois é direito básico de qualquer trabalhador receber a contraprestação salarial devida pelo exercício de suas funções”, considerou o magistrado.

O juiz ainda considerou que, como o pagamento dos servidores é previsto pela lei orçamentária, o gestor não pode, “ancorado na Lei de Responsabilidade Fiscal” negar o pagamento, o que seria considerado um “enriquecimento indevido”.

Conforme a decisão, caso não cumpra a medida, o governo deverá pagar multa diária de R$ 10 mil até o limite do valor que seja equivalente ao total do 13º devido aos servidores.

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 

Peça Os Saltimbancos será atração neste domingo (6) no Parque das Dunas, em Natal — Foto: Divulgação

Peça Os Saltimbancos será atração neste domingo (6) no Parque das Dunas, em Natal — Foto: Divulgação

Retornam neste domingo (6) os projetos que acontecem semanalmente no Parque das Dunas, em Natal. A programação inicia às 10h, com o Bosque Encena recebendo o clássico “Os Saltimbancos”, e, às 16h30, o Som da Mata leva ao palco Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz. As apresentações acontecem sempre aos domingos.

“Os Saltimbancos” é um musical infantil inspirado no conto Os Músicos de Bremen, dos Irmãos Grimm, com letras de Sérgio Bardotti e música de Luis Enriquez Bacalov. No Brasil, o espetáculo ganhou versão em português e músicas adicionais de Chico Buarque de Holanda, que a Companhia Era Uma Vez apresentará no Parque.

Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz (Ticiano D’amore, Henrique Pacheco e Raphael Bender) tocaram juntos pela primeira vez no palco do Som da Mata. De lá pra cá já se passaram quase 13 anos. Depois disso, o grupo gravou CD’s e DVD’s, além de ter feito várias turnês pela Europa e pela Ásia.

E é nesse mesmo palco que eles voltam para apresentar um repertório de choros executados com o peso do Rock’n’Roll, de uma forma própria, passeando pela música popular brasileira e internacional, como os Beatles, por exemplo.

Serviço

  • Local: Anfiteatro Pau-brasil | Parque das Dunas
  • End: Av. Alexandrino de Alencar, s/nº – Tirol
  • Dia: 6 de janeiro de 2019
  • Hora: 10h e 16h30
  • Acesso ao Parque: R$ 1 – Os eventos são gratuitos
Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz sobem ao palco do Som da Mata neste domingo (6) — Foto: Divulgação

Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz sobem ao palco do Som da Mata neste domingo (6) — Foto: Divulgação

Fonte: G1RN

 

Por G1 RN

 

Projeto Vale Luz Cosern chega a Parnamirim neste sábado (5) — Foto: Cosern/Divulgação

Projeto Vale Luz Cosern chega a Parnamirim neste sábado (5) — Foto: Cosern/Divulgação

O projeto Vale Luz Cosern foi ampliado e vai começar a atender, além de Natal, os moradores de Parnamirim, na Região Metropolitana. As atividades começam a partir deste sábado (5), na Praça do Bonor (Rua Cruzeiro do Sul, próximo ao Mercado Novo, bairro Santos Reis) e em frente ao Condomínio Vida Nova (Av. Paulo Afonso, bairro Monte Castelo).

A ampliação do programa da Cosern para Parnamirim vem junto com uma novidade. Além de metal, papel branco, jornais, revistas, caixas de papelão, plásticos e óleo vegetal usado, o programa agora também trocar resíduos eletrônicos (CPU com placa-mãe, notebook, televisor, celular, carregador, copiadora, impressora, monitor, fone de ouvido etc.) por descontos na conta de luz.

Lançado em 2014, o projeto da Neoenergia já recolheu 435 toneladas de resíduos sólidos recicláveis em 19 bairros de Natal e concedeu R$ 114 mil em descontos na conta de luz de 2.875 clientes cadastrados na Cosern até o final de dezembro passado.

Em Natal, o Vale Luz atende os consumidores em 23 pontos de 19 bairros com a tenda itinerante, que serve como ponto de coleta dos materiais. A troca de óleo de cozinha usado por desconto na fatura é feita em parceria com a Indama, empresa responsável pela destinação final dos resíduos oleosos vegetais (soja, canola, girassol, gergelim, amendoim, milho, coco, algodão e mamona, além de azeite de oliva e de dendê).

Projeto Vale Luz Cosern

Cada tipo de resíduo possui um valor específico por quilo. Além de disponibilizar desconto na fatura de energia dos participantes, o projeto estimula a coleta seletiva de resíduos sólidos, encaminhados para Natal Reciclagem, empresa parceira do projeto. A ação possibilita a redução de impactos ambientais causados pelo não desperdício do material que seria jogado no lixo e que poderia levar centenas de anos para se decompor.

O agente do projeto Vale Luz realiza o cadastro do cliente, analisa, pesa o material e emite o valor do desconto. O crédito referente ao peso do resíduo é enviado ao setor de faturamento da Cosern para lançamento do desconto na próxima fatura de energia do beneficiado.

Vale ressaltar que não existe limite para o desconto e o consumidor pode obter 100% de abatimento na fatura de energia. Caso o valor do crédito da pesagem ultrapasse o valor total da conta, o crédito restante será abatido no mês seguinte.

Os interessados nos descontos proporcionados pelo projeto também podem consultar o deslocamento diário do Vale Luz Cosern num aplicativo gratuito para smartphones (disponível para os sistemas Android, IOS e Windows Phone). Basta procurar “Vale Luz” nas lojas de compras dos aplicativos e baixar gratuitamente o app.

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu