ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA SEXTA-FEIRA

Por Camila Bomfim e Renan Ramalho, TV Globo e G1 — Brasília

 


PF vai apurar se organização criminosa atrapalhou investigação da morte de Marielle

PF vai apurar se organização criminosa atrapalhou investigação da morte de Marielle

A nova investigação da Polícia Federal sobre a suposta existência de uma organização criminosa que impede a elucidação da morte da vereadora Marielle Franco deverá apurar se houve má conduta e proteção ilegal a criminosos por parte de policiais civis do Rio de Janeiro.

A TV Globo teve acesso ao pedido de investigação que levou ao novo inquérito. O documento mostra possível “falta de isenção nas investigações” sobre o assassinato de Marielle e seu motorista, Anderson Gomes, em março, com base em depoimentos que também indicam “desvio de conduta de autoridades”.

Nesta quinta (1º), o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou que a Polícia Federal abriu a investigação para apurar a suposta existência de uma organização criminosa que estaria impedindo a elucidação do crime.

A abertura de um novo inquérito sobre o caso foi pedido pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a partir de dois depoimentos colhidos por procuradores federais. Atualmente, a investigação sobre o caso está a cargo da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Um dos depoimentos foi prestado em 22 de agosto pelo ex-policial militar Orlando de Oliveira Araújo, o Orlando da Curicica, um dos principais suspeitos pela morte de Marielle. O outro, de uma testemunha que não teve a identidade revelada, ocorreu no dia 15 de setembro.

Há relatos de que a organização criminosa conta com a participação não só de policiais, mas também de milicianos e integrantes do jogo do bicho no Rio de Janeiro.

Nesta quinta, Raul Jungmann disse que a entrada da PF no caso se torna necessária por envolver, além de organização criminosa, indícios de coação no curso do processo, fraude processual, favorecimento pessoal, patrocínio infiel, exploração de prestigio, falsidade ideológica, fraudes e eventual crime de corrupção.

Em nota divulgada na noite desta sexta-feira (2) pela assessoria do Ministério da Segurança Pública, a pasta afirmou que Jungmann “rechaça” os termos de comunicado divulgado por sindicatos policiais que acusaram o ministro de ter exposto os agentes públicos suspeitos de envolvimento com a suposta organização criminosa.

Leia a íntegra da nota divulgada pela assessoria do Ministério da Segurança Pública:

NOTA À IMPRENSA

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, rechaça os termos da nota dos sindicatos policiais porque em nenhum momento identificou os agentes públicos que poderiam estar envolvidos com uma possível rede de proteção a criminosos.

Limitou-se a informar os termos da determinação expressa recebida da Procuradoria-Geral da República para que a Polícia Federal, a ele subordinada, investigasse essa possibilidade a partir de denúncias graves obtidas pelo Ministério Público Federal.

Esclareceu, por fim, que a medida não configura a federalização das investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de Anderson Gomes, que continuam a cargo das autoridades policiais estaduais.

Assessoria de Comunicação

Ministério da Segurança Pública

Fonte: G1

Por Ana Carolina Moreno, G1


Provas de redação do Enem: todos os anos, candidatos precisam escrever um texto dissertativo-argumentativo no exame — Foto: Celso Tavares/G1Provas de redação do Enem: todos os anos, candidatos precisam escrever um texto dissertativo-argumentativo no exame — Foto: Celso Tavares/G1

Provas de redação do Enem: todos os anos, candidatos precisam escrever um texto dissertativo-argumentativo no exame — Foto: Celso Tavares/G1

Como fazer uma boa redação do Enem? O que vai cair na redação do Enem 2018? Como fazer uma redação passo a passo? Com a proximidade da edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), as buscas no Google sobre a prova de redação aumentaram.

Na última quarta-feira (30), o volume de buscas foi cinco vezes maior do que no início do mês, e três vezes mais alto que no domingo (28). Veja abaixo a evolução das buscas:

Enem 2018: buscas no Google sobre a redação
Entre o início e o fim de outubro, volume buscas sobre a redação do Enem quintuplicou
02/1003/1004/1005/1006/1007/1008/1009/1010/1011/1012/1013/1014/1015/1016/1017/1018/1019/1020/1021/1022/1023/1024/1025/1026/1027/1028/1029/1030/100100255075125
Fonte: Google Trends

Um levantamento elaborado pelo Google Trends e obtido pelo G1 listou as dez perguntas mais frequentes sobre o assunto feitas entre o sábado (27) e a quinta-feira (1º). Veja quais são:

  1. Como fazer uma redação para o Enem?
  2. Como fazer uma boa redação para o Enem?
  3. O que pode cair na redação do Enem 2018?
  4. Como fazer uma redação?
  5. Como começar uma redação?
  6. Qual será o tema da redação do Enem 2018?
  7. O que vai cair na redação do Enem 2018?
  8. Como saber o tema da redação do Enem?
  9. O que é um texto dissertativo-argumentativo?
  10. Como fazer uma redação passo a passo?

Por isso, o G1 ouviu o professor Thiago Braga, professor e autor de redação do Sistema de Ensino pH, no Rio de Janeiro, para tirar as dúvidas dos internautas que vão fazer a prova neste domingo. As dez perguntas foram resumidas em quatro dúvidas principais:

O que é um texto dissertativo-argumentativo?

Segundo Braga, a palavra-chave para entender que o texto dissertativo-argumentativo é “objetividade”. “É a linguagem clara, denotativa, direta”, resume ele.

“Ele é um texto objetivo, feito com uma linguagem imparcial, com preferência à terceira pessoa, e que apresenta opinião sobre o assunto proposto. Esse é um texto que não permite subjetividades excessivas. Tem que ser um texto claro para o leitor.”

Segundo ele, não é um texto parcial, afinal, o estudante precisa tomar um posicionamento. Porém, a linguagem dele tem que ser imparcial.

“É imparcial na linguagem. A linguagem é impessoal, mas o texto é parcial, porque você acaba apresentando sua opinião. A linguagem é que não pode ser”, explicou Braga.

De acordo com o professor, o estudante deve evitar:

  • Usar frases na primeira pessoa do singular
  • Só usar frases na primeira pessoa do plural se houver a ideie da inclusão, usando o pronome “nós” com um sentido de sociedade
  • Usar elementos subjetivos, como reticências ou ponto de exclamação

Como fazer uma boa redação para o Enem?

Antes de mais nada, o candidato precisa saber o que é considerada uma boa redação do Enem. Não é necessariamente a que tem o melhor argumento, ou que defende a melhor proposta de intervenção, mas sim a redação que corresponde às expectativas da banca avaliadora.

Essas expectativas estão resumidas nas cinco competências da redação:

  • Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.
  • Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.
  • Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
  • Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
  • Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Segundo o professor Thiago Braga, a principal ferramenta que o aluno deve ter na hora de escrever uma redação é entender a diferença entre pensamento e raciocínio. “O pensamento é completamente desconexo, solto. E a primeira coisa que o aluno tem que fazer é desenvolver uma linha de raciocínio, pensar no que vai dizer.”

Como fazer uma redação passo a passo?

Planejar a redação, portanto, é o primeiro passo, segundo ele. “E isso não pode ser feito de cabeça, tem que ser planejado em papel.”

Nesse papel, o aluno precisa escrever quatro itens:

  1. Introdução
  2. Desenvolvimento 1
  3. Desenvolvimento 2
  4. Conclusão

Em cada item, o estudante deve listar quais elementos encaixará, antes de começar a redigir o texto. Em algum deles, o professor recomenda que o estudante tente pensar em alguma frase ou pensamento de um autor que se encaixe na argumentação proposta.

“Esse é o básico do básico. Se o aluno sai escrevendo, a tendência é que ele acabe tendo um problema de falar coisas que ele não concatenou, que ele não definiu antes. Isso vai gerar um texto confuso”, diz Thiago Braga.

Nas explicações, foi usado como exemplo o tema “reciclagem”:

  • Introdução:

Esse é o primeiro parágrafo do texto. Braga ressalta que a introdução precisa necessariamente apresentar para o leitor o tema. “É como se o leitor não soubesse qual é o tema”, lembra ele. Além de ter um caráter introdutório, o aluno precisa já no primeiro parágrafo tomar um posicionamento.

No exemplo da “reciclagem”, o autor do texto deveria já se posicionar a respeito do assunto – dizendo, por exemplo, se ele considera a reciclagem importante ou não, ou ressaltando que os índices de lixo reciclado no Brasil atualmente são um problema ambiental.

“Tem que ter dois parágrafos para desenvolver esse tema, sustentando a opinião que ele já apresentou na opinião, e depois precisa de mais um parágrafo para concluir toda a abordagem que ele propôs”, continuou o professor.

  • Desenvolvimento 1 e 2:

Após a introdução, o primeiro parágrafo deve ser dedicado ao primeiro argumento do candidato para sustentar sua posição. Nesse caso, ele pode também aproveitar dados apresentados nos textos motivadores da prova quanto o seu próprio conhecimento sobre o tema – Braga lembra que os temas da redação costumam se inspirar em assuntos que tiveram discussão recente na socidade brasileira e, por isso, faz parte da preparação acompanhar o noticiário.

O parágrafo seguinte deve avançar na argumentação. O aluno “vai escolher um argumento diferente do primeiro, que também sustente aquela tese”, explica Braga.

No exemplo da reciclagem, é possível citar nessas duas partes dados sobre lixões, contaminação da água, poluição do ar, entre outros, que ajudem a explicar o tamanho do problema.

  • Conclusão:

O parágrafo final, além de servir como conclusão da argumentação, precisa conter a proposta de intervenção, que é obrigatória para chegar à nota máxima da redação do Enem.

Nesse caso, também existe um truque, alerta Braga: propostas muito vagas não rendem botas notas.

“Muita gente apela logo para a conscientização, dizendo que as pessoas precisam entender que a reciclagem é importante”, explicou ele, citando o exemplo. “Isso não basta, a banca não fica satisfeita. Tem que ser a criação de uma lei que exija a coleta seletiva em pelo menos tantos por cento das cidades do estado, ou que exija que todas as cidades com tantos habitantes tenham uma coleta seletiva.”

Ele também recomenda que a proposta seja detalhada. No caso da reciclagem, que a lei exija programas de coleta seletiva de um tipo de lixo às segundas e quartas e de outro tipo de lixo às terças e quintas, por exemplo.

Qual será o tema da redação do Enem 2018?

Apesar de essa ser uma das perguntas mais frequentes buscadas pelos internautas no Google, Braga lembra que eles não vão encontrar a resposta na internet. Isso porque o tema da prova de redação é guardado cada vez com mais medidas de segurança, como lacres eletrônicos nos malotes dos cadernos de provas.

Mas o professor lembra que o mais importante para ir bem na prova de redação não é saber o tema com antecedência, e sim praticar o texto dissertativo-argumentativo que siga as cinco competências.

Mesmo assim, muitas pessoas tentam adivinhar qual será o tema proposto. Esse exercício é bom inclusive para que os estudantes pratiquem com redações de assuntos parecidos com os do formato do Enem.

Caso o candidato queira tentar adivinhar um tema, Braga recomenda que, durante todo o ano, ele esteja sempre antenado com as notícias, apesar de que isso não garante o palpite certeiro. Neste ano, Braga diz que alguns dos temas mais citados por estudantes são as “fake news” e o preconceito linguístico – assunto esse que já foi abordado várias vezes nas provas objetivas.

“Eles têm que estar preparados para qualquer tema, até porque muitos dos argumentos usados para um tema servem para outros, eles se entrecruzam. Alguns são argumentos centrais, são coringas, como o respeito à diversidade, à alteridade, ao diferente. Serve para intolerância religiosa, serviria para o preconceito linguístico”, concluiu o professor.

Fonte: G1

Por G1

 


O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 será acompanhado em uma cobertura especial no G1 — Foto: Giaccomo Voccio/G1

O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 será acompanhado em uma cobertura especial no G1 — Foto: Giaccomo Voccio/G1

O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 será acompanhado em uma cobertura especial no G1. Neste domingo (4), equipes de reportagem seguem a rotina dos candidatos em todos os estados e no Distrito Federal.

Pouco antes de o tempo para realização do exame ser encerrado em cada um dos dois dias, o G1 iniciará um programa ao vivo com professores para comentar os pontos mais importantes de cada prova. A resolução das questões será feita por professores do Sistema COC de Ensino, no estúdio em São Paulo.

Tempo real

Pela manhã, a cobertura em tempo real traz informações, fotos e vídeos da chegada dos candidatos aos locais de prova.

É sempre importante lembrar que os portões fecham às 13h, no horário de Brasília. Confira o seu local de provas no site do Inep e veja abaixo quando os portões vão fechar no seu estado, de acordo com o fuso horário:

Enem 2018: veja o horário local de fechamento dos portões do exame nos dias 4 e 11 de novembro — Foto: Arte G1

Enem 2018: veja o horário local de fechamento dos portões do exame nos dias 4 e 11 de novembro — Foto: Arte G1

Programa ao vivo

A partir das 18h30 de domingo (horário de Brasília), começa o programa em vídeo ao vivo com professores. Ele será transmitido direto do estúdio do G1 em São Paulo. Os professores comentarão os níveis de dificuldade de cada uma das provas, o tema da redação e os pontos mais polêmicos das questões que caíram no Enem.

Candidatos que fizeram a prova poderão participar do programa enviando perguntas e comentários pelas redes sociais usando a hashtag #G1Enem.

Resolução das questões

Ao longo da noite de domingo, o G1 trará o gabarito extraoficial das 90 questões de linguagens e ciências humanas, além da resolução comentada preparada pelos professores do COC.

No segundo dia, em 11 de novembro, o G1 voltará a acompanhar todos os desdobramentos das provas de ciências da natureza e matemática.

O gabarito oficial do Enem só será divulgado pelo Ministério da Educação em 14 de novembro, após a segunda prova.

ENEM 2018: PREPARE-SE

Fonte: G1

Por G1

 


O horário de verão de 2018 começa na primeira hora deste domingo (4). À meia-noite, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem adiantar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal) e irá vigorar até o terceiro domingo de fevereiro de 2019 (dia 17).

Horário de verão começa neste final de semana — Foto: Karina Almeida/G1

Horário de verão começa neste final de semana — Foto: Karina Almeida/G1

Neste ano, o horário de verão foi encurtado. Até o ano passado, o horário de verão se iniciava no terceiro domingo do mês de outubro. Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer assinou decreto que encurtou o período de duração do horário de verão, atendendo a pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não ocorresse entre o primeiro e o segundo turno da eleição.

O Palácio do Planalto chegou a informar no início do mês que, a pedido do Ministério da Educação, a entrada em vigor do horário seria adiada para dia 18 de novembro, a fim de não prejudicar provas do Enem, mas acabou decidindo manter a data de 4 de novembro.

Relógios fora de hora

As mudanças na data de início do horário de verão chegaram a causar confusão. No dia 15 de outubro, usuários de telefone celular reclamaram da mudança automática do horário em seus aparelhos para o horário de verão. No Twitter, muitos consumidores reclamaram ter perdido uma hora de sono em pleno retorno de feriado e cobraram explicações da TIM. A maioria relatou ter um iPhone, mas também houve queixas de donos de aparelhos com sistema Android.

Na semana seguinte, mais clientes de operadoras de celular passaram pela mesma situação, em que os relógios de seus aparelhos foram adiantados de forma automática para o horário de verão. Em São Paulo, alguns relógios de rua também foram adiantados e mostravam horário de verão na manhã do domingo (21).

Fim do horário de verão

O fim do horário de verão chegou a ser analisado pelo governo.

Um estudo do Ministério de Minas Energia apontou queda na efetividade da iniciativa, já que o perfil do consumo de eletricidade não estava mais ligado diretamente ao horário, mas sim à temperatura. Os picos de consumo foram registrados nas horas mais quentes do dia.

O Horário Brasileiro de Verão foi instituído pelo então presidente Getúlio Vargas, pela primeira vez, entre 3 de outubro de 1931 até 31 de março de 1932. Sua adoção foi posteriormente revogada em 1933, tendo sido sucedida por períodos de alternância entre sua aplicação ou não, e também por alterações entre os Estados e as regiões que o adotaram ao longo do tempo.

De acordo com o decreto nº 6.558, de 08 de setembro de 2008, modificado pelo decreto nº 9.242, de 15 de dezembro de 2017, a hora de verão fica instituída no Brasil da seguinte forma:

“Fica instituída a hora de verão, a partir de zero do primeiro domingo do mês de novembro de cada ano, até zero hora do terceiro domingo do mês de fevereiro do ano subsequente, em parte do território nacional, adiantada em sessenta minutos em relação à hora legal. No ano em que houver coincidência entre o domingo previsto para o término da hora de verão e o domingo de carnaval, o encerramento da hora de verão dar-se-á no domingo seguinte. A hora de verão vigorará nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal”.

O horário de verão também é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai. Por outro lado, Rússia, China e Japão, por exemplo, não implementam esta medida.

O Ministério de Minas e Energia disponibiliza um perguntas e respostas sobre o horário de verão.

Fonte: G1

General Heleno: “Direitos humanos são para humanos direitos”

Futuro ministro da Defesa, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira rejeita a ideia de que será um Golbery do Couto e Silva do governo de Jair Bolsonaro. Diante da referência à eminência parda do regime militar, mais conhecido como “o bruxo”, e dos comentários de que comandará também a política externa brasileira, o general de Exército mostrou-se indignado.

“Está doida! Estou fora, ainda mais de ser o Golbery do governo. Pode tirar o meu nome disso”, afirmou em entrevista por telefone a VEJA.

Na conversa, o general Heleno indicou que não haverá comunhão do futuro governo com as intenções dos Estados Unidos de intervir militarmente na Venezuela, para derrubar o regime de Nicolás Maduro. Mas esquivou-se de responder sobre outras questões de política externa, como a transferência da embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém, confirmada por Bolsonaro, e os rumores de rompimento de relações do país com Cuba.

“É constitucional que o Brasil não aceita ingerência de países estrangeiros nos assuntos internos e também não fará ingerência nos assuntos internos de outros países. Então, é isso aí”, afirmou o general sobre os rumores em torno da Venezuela.

Cogitado para ser vice-presidente, o general Augusto Heleno passou a ser a escolha de Bolsonaro para o Ministério da Defesa depois que seu partido, o PRP, rejeitou a aliança com o candidato do PSL, em julho passado. Durante a campanha, ele coordenou o programa de governo de Bolsonaro.

Aos 70 anos, Heleno é respeitado nas Forças Armadas, em especial por seu trabalho como comandante da missão de paz da ONU no Haiti. Para a Defesa, indicou que reforçará o Sistema de Monitoramento das Fronteiras (Sisfron), especialmente como meio de impedir que o Brasil se torne um “narcopaís”.

O general reiterou seu polêmico conceito de que “direitos humanos são para humanos direitos” e insistiu que “pessoas normais não têm desvios de conduta”. Mas defendeu uma imediata mudança no sistema penitenciário brasileiro, para permitir que os condenados possam ser recuperados.

Também indicou que a missão de Garantia da Lei e da Ordem no Rio de Janeiro terá prosseguimento no governo de Jair Bolsonaro.

Veja

Para economistas, PIB pode passar de 3% em 2019 se novo governo fizer reformas

A economia brasileira tem potencial de crescer mais de 3% no ano que vem se o novo governo conseguir aprovar as reformas, especialmente a da Previdência, e acelerar as privatizações, segundo economistas ouvidos pela reportagem. A dúvida dos especialistas é quanto à governabilidade do presidente eleito Jair Bolsonaro e sua capacidade de obter o apoio do Congresso e da sociedade para a aprovação das reformas.

“O grande calcanhar de Aquiles do Bolsonaro é a reforma da Previdência. Se ele conseguir passar uma reforma ampla e continuar as micro reformas encaminhadas pelo governo Temer, teríamos chance de um crescimento forte ano que vem, acima de 3%”, afirma o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale. Por enquanto, ele trabalha com uma previsão de crescimento de 2 2%. A projeção incorpora a incerteza em relação à reforma da Previdência.

Entre os economistas, o cenário mas provável para 2019, é de um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)entre 2% e 2,5%. Essa projeção coincide com a mediana do mercado, apontada pelo Boletim Focus, do Banco Central (BC), que está em 2,49%.

“O ponto mais sensível do cenário do governo Bolsonaro é a questão da governabilidade”, alerta Alessandra Ribeiro, sócia da Tendências Consultoria Integrada. Para a economista, que traça um cenário moderadamente otimista por causa da situação ruim das finanças públicas, o mais provável é um crescimento de 2% do PIB para 2019. Nessa estimativa, ela considera uma reforma da Previdência que não será nada extraordinária, nenhum grande pacote de privatizações e concessões e o câmbio apreciando um pouco e fechando 2019 em R$ 3,65. Isso deve permitir que o Banco Central mantenha a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% ao ano até o segundo semestre do ano que vem.

Na opinião do e ex-diretor do BC, Alexandre Schwartsman, há espaço para crescer rapidamente, se o governo conseguir desatar o nó das contas públicas, encaminhar uma boa reforma da Previdência e reduzir a dívida pública. “Se conseguisse fazer isso, a economia poderia crescer de 3% a 3,5% em 2109. Mas não acho que isso vá acontecer.”

O economista não considera que o País cresça 3,5% porque acredita que dificilmente as reformas serão encaminhadas. Na sua opinião, em algum momento o novo presidente vai perceber que será politicamente custosa qualquer agenda que ele queira passar no Congresso.

Além disso, Schwartsman não aposta num cenário agressivo de privatizações, até porque as joias da coroa – Caixa, Banco do Brasil, Petrobrás e Eletrobrás – foram excluídas do pacote. Diante disso, o cenário mais provável para o PIB de 2019, na projeção do economista, varia entre 2% e 2,5%. O crescimento será um pouco mais forte do que o deste ano por causa da fase de “lua de mel” que marca geralmente o início de governos e do avanço do consumo, puxado pelo juro baixo.

Carlos Kawall, economista-chefe do Banco Safra, projeta crescimento de 3% do PIB para 2019, mas admite que será difícil crescer tanto por causa da lenta recuperação do mercado de trabalho, muito apoiado em empregos informais e com de menores salários. “Fazer uma boa reforma da Previdência – não necessariamente a ideal – é imprescindível para melhorarmos as condições financeiras, como queda dos juros, alta da Bolsa, redução do risco Brasil.”

Estadão Conteúdo

Comments

Flávio Bolsonaro e Wilson Witzel vão a Israel conhecer drones de ataque

O futuro governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), e o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) vão viajar, juntos, a Israel, de acordo com informação da coluna de Berenice Seara, do Extra.

Os dois pretendem conhecer um modelo de drone equipado com uma arma, capaz de atirar enquanto sobrevoa uma região. O equipamento pode ser utilizado em operações de segurança no Rio. Witzel e Flávio Bolsonaro querem, ainda, obter informações sobre um equipamento de leitura facial que pode ser instalado nos transportes públicos do estado.

No primeiro encontro entre os dois depois da eleição, na última quarta-feira, Witzel recebeu do futuro senador o apoio à sua proposta de incentivar o “abate” de criminosos que estejam portando armas como fuzis.

Em nota, a assessoria de Witzel, diz que “existe o convite e a possibilidade da viagem do governador eleito para Israel, para conhecer tecnologia desenvolvida por aquele país. A viagem ainda não tem data definida”.

O Globo

Comments

Juíza federal rebate Toffoli: “Maturidade pouco tem a ver com idade”

A juíza federal Carolina Malta, da 36ª Vara Federal de Pernambuco, comentou a declaração de Dias Toffoli sobre “garotos de 25 anos que se tornam juízes sem conhecer a realidade”.

“Entrei aos 23 e o concurso revelou que eu sabia Direito o suficiente para exercer aquele cargo. Hj, 14 anos de magistratura depois, asseguro que maturidade pouco tem a ver com idade.”

Ingressou na advocacia em 1991, tendo sido consultor jurídico na Central Única dos Trabalhadores (CUT) de 1993 a 1994, assessor parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo em 1994 e assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados de 1995 a 2000. Atuou como advogado de três campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições de 1998, 2002 e 2006. Foi subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil da Presidência da República de 2003 a 2005.[1]

Em 2007, foi indicado por Lula para o cargo de advogado-geral da União,[2] permanecendo neste até 2009, quando foi indicado pelo mesmo presidente ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal.

Comments

PT pede doações para encerrar contas da campanha de Haddad

PT Brasil

@ptbrasil

Ajude a encerrar nossas contas e fortaleça a resistência. Contribua e compartilhe!
👉 Doação: http://bit.ly/DOE_Haddad 
👉 Saiba mais: http://bit.ly/FortaleçaDemocracia 

O Partido dos Trabalhadores (PT) está pedindo, em seu perfil oficial no Twitter, ajuda dos eleitores para encerrar as contas da campanha à presidência de Fernando Haddad e de sua vice Manuela D’Ávila (PCdoB), derrotados na eleição por Jair Bolsonaro (PSL). “Ajude a encerrar nossas contas e fortaleça a resistência”, diz a publicação.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as doações para campanhas podem ser feitas por pessoas físicas, por meio de plataformas online. As “vaquinhas” virtuais foram implementadas pela primeira vez nesta eleição. O PT recolherá doações até o dia 15 de novembro.

Comments

STF intima Eduardo Bolsonaro a se explicar por denúncia de ameaça

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, foi notificado nesta semana a prestar esclarecimentos da denúncia de ameaça a uma jornalista, formalizada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

O processo foi aberto pela PGR em agosto do ano passado, após depoimento e conversas no aplicativo Telegram fornecidas pela jornalista Patrícia Lélis, que diz ter sido ameaçada pelo deputado após desmentir publicamente que tivesse um relacionamento com ele.

O ministro Luís Roberto Barroso, responsável pelo caso no Supremo, notificou o parlamentar para que desse sua versão dos fatos, mas ele não respondeu. Em abril, a PGR apresentou denúncia contra Bolsonaro. Segundo a peça, ele ameaçou “acabar com a vida” da jornalista e usou diversas palavras de baixo calão para se referir a ela.

Na mesma ocasião, a PGR propôs uma transação penal, um acordo judicial para encerrar o processo mediante o pagamento de R$ 50 mil por danos morais à jornalista, a destinação de 25% do salário do deputado ao Núcleo de Atendimento a casos de violência doméstica, bem como a prestação de 120 horas de serviços comunitários.

Barroso determinou a intimação de Eduardo Bolsonaro para responder à proposta de transação penal, mas por um “erro de processamento” o despacho só foi publicado em setembro. Novamente Eduardo Bolsonaro se manteve calado.

Entretanto, como a intimação havia sido feita por meio de publicação no Diário Oficial da União (DOU) e o deputado não tem advogado o representando nos autos, Barroso determinou, em 26 de setembro, nova intimação do parlamentar, dessa vez pessoalmente.

Após tentativas diárias, somente em 30 de outubro um oficial de Justiça conseguiu intimar Eduardo Bolsonaro. Ele terá até 14 de novembro para responder.

Agência Brasil

Comments

Delegados do Rio criticam investigação paralela da PF no caso Marielle

Entidades representativas dos delegados da Polícia Civil do Rio de Janeiro reagiram ao anúncio do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, de que a Polícia Federal vai apurar interferências na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Em nota divulgada nesta sexta-feira (2), o Sindicato dos Delegados de Polícia Civil (Sindelpol-RJ) e a Associação dos Delegados de Polícia (Adepol-RJ) lamentam as declarações de Jungmann e afirmam que o ministro tentou “capitalizar dividendos políticos em cima da investigação dos homicídios”. Marielle e Anderson foram assassinados em março deste ano.

Segundo Jungmann, o Ministério Público Federal obteve dois depoimentos com denúncias de que uma organização criminosa teria atuado para desviar as investigações e dificultar a identificação dos autores e dos mandantes do assassinato. A Polícia Federal vai entrar no caso a pedido da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge.

Para os delegados do Rio de Janeiro, Jungmann está “dando maior credibilidade à palavra do referido criminoso em detrimento de agentes do Poder Público de notória história de combate à criminalidade”. Pela nota das duas entidades, a denúncia que chegou ao Ministério Público Federal foi feita “por um miliciano homicida desacompanhada de qualquer outro elemento de prova que pudesse ratificar suas declarações”.

O Sindelpol e a Adepol afirmam que a decisão de Jungmann “tenta induzir um descrédito da sociedade na polícia investigativa”. Isso, segundo as duas entidades, “interessa aos marginais e representa uma total inversão de valores, dissociada do anseio da população”.

Agência Brasil

Comments

Unesco lança campanha de combate a crimes contra jornalistas

No Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas, lembrado nesta sexta-feira (2), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) promove uma campanha mundial de conscientização sobre a violência praticada contra profissionais de mídia.

Segundo a Unesco, um jornalista é assassinado a cada quatro dias no mundo, com 1.010 mortes de profissionais de mídia contabilizadas nos últimos 12 anos devido a sua atividade de querer levar informações ao público. Ainda de acordo com a ONU, em nove de cada dez casos os assassinos ficam impunes.

Em mensagem para a campanha deste ano, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, destacou o aumento dos casos de ataques e assédio contra jornalistas mulheres. “É nossa responsabilidade garantir que os crimes contra jornalistas sejam punidos”, disse. Este é o quinto ano em que a Unesco promove a iniciativa.

Onu, jornalistas,violência
“Devemos cuidar para que os jornalistas possam trabalhar em condições de segurança, as quais permitam o florescimento de uma imprensa livre e plural. Somente em um ambiente desses nós seremos capazes de criar sociedades justas, pacíficas, e verdadeiramente progressistas”, diz a mensagem.

Em comunicado divulgado ontem (1), um grupo de especialistas independentes de direitos humanos da ONU pediu aos líderes mundiais que parem de incitar ódio e violência contra a mídia e garantam a punição dos responsáveis por ataques.

O comunicado afirma que “estas últimas semanas demonstraram mais uma vez a natureza tóxica e o alcance exagerado do incentivo político contra jornalistas, e exigimos que isso pare”. No documento cita diretamente o caso do jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado no início deste mês.

Agência Brasil

Comments

Jovens danificam quadro de Salvador Dalí ao tentar tirar fotos em museu

IZ.RU

@izvestia_ru

Две девушки уронили картину Сальвадора Дали, когда попытались сделать с ней селфи

Duas jovens danificaram quadros de Salvador Dalí e Francisco Goya ao tentar tirar fotos em um museu em Ecaterimburgo, na Rússia, segundo o site do jornal The Moscow Times. Um vídeo publicado no Twitter mostra o momento em que cai a estrutura onde as pinturas estavam, bem próximo às jovens.

“Um grupo de garotas não estava se comportando de maneira apropriada e, como resultado, dois quadros foram danificados no espaço de exibição”, disse um funcionário do museu à agência de notícias estatal Tass. De acordo com essa pessoa, a pintura de Dalí foi danificada. Os dois quadros tiveram sua moldura e vidro quebrados.

Uma investigação está em curso para determinar o que aconteceu e especialistas estão examinando as obras para determinar a dimensão dos danos.

Os quadros, que não tiveram seus nomes divulgados, estavam em exibição em uma mostra sobre a série Os Caprichos, de Goya. Além da série original, a exposição traz a interpretação de Dalí sobre o trabalho de Goya.

Veja

Por G1 RN

 


Mais de 115 mil fizeram provas do Enem no RN, em 2017 — Foto: Lamonier Araújo/Inter TV Cabugi

Mais de 115 mil fizeram provas do Enem no RN, em 2017 — Foto: Lamonier Araújo/Inter TV Cabugi

O Rio Grande do Norte tem 124.046 candidatos inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que começa neste domingo (4). Eles representam um total de 2,2% dos 5,5 milhões de inscritos em todo o país. No estado, os portões abrem às 11h e fecham às 12h do horário local, por causa do horário de verão, que passa a valer na madrugada do primeiro dia do exame.

As inscrições potiguares foram menores que no ano passado, quando o estado registrou 159.486 cadastros. Apesar disso, apenas no primeiro dia de prova, em 2017, foram registradas mais de 44 mil ausências, o que reduziu o número de candidatos para cerca de 115 mil.

Ainda de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que é o responsável pelas provas, a maior parte dos candidatos potiguares, 64.368, está na faixa etária de 21 a 30 anos de idade. Outros 58.779 candidatos são os mais novos, com idade entre 16 anos e 20 anos, mas o público acima dos 60 anos também vai participar. São 241 nessa faixa etária.

O público feminino representa 57% das inscrições no estado. São 70.874 mulheres contra 53.172 candidatos do sexo masculino. Nas inscrições, 63.955 pessoas informaram que estão terminando o terceiro ano do Ensino Médio regular neste ano. Outros 7.592 são concluintes no sistema de Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

Provas

No primeiro dia de provas, os candidatos vão enfrentar as provas de linguagens, com 45 questões, ciências humanas, com outras 45, e redação. A duração máxima da prova é de 5 horas e 30 minutos.

O segundo dia de provas será o domingo seguinte, 11 de novembro, quando as provas serão de ciências da natureza (45 questões) e matemática (45 questões), com duração de 5 horas.

O que é preciso levar para a prova:

  • Levar documento de identidade oficial com foto
  • Levar canetas pretas para preencher o gabarito
  • Conferir o local de prova com antecedência
Canetas pretas de tubo transparente são as indicadas para fazer a prova do Enem — Foto: Juliane Souza/G1

Canetas pretas de tubo transparente são as indicadas para fazer a prova do Enem — Foto: Juliane Souza/G1

ENEM 2018: PREPARE-SE

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Vendedores ambulantes em frente ao cemitério do Alecrim, em Natal — Foto: Lucas Cortez/G1

Vendedores ambulantes em frente ao cemitério do Alecrim, em Natal — Foto: Lucas Cortez/G1

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Natal está desenvolvendo uma programação especial para este Dia de Finados nos maiores cemitérios públicos da cidade: Bom Pastor I, II, Nova Descoberta, Redinha, Ponta Negra, Pajuçara e Alecrim. A programação conta com cultos ecumênicos durante todo dia. As celebrações têm horários alternados.

Além disso, foi realizado o cadastramento dos ambulantes. Ao todo, foram registrados 97 vendedores, que estão atuando nas áreas próximas aos cemitérios.

Neste feriado, os cemitérios ficam abertos para visitação das 6h até às 20h, e contam com a presença da Guarda Municipal para a garantia da segurança nos locais, além de agentes da STTU nas ruas adjacentes.

Cemitério do Alecrim

  • 6h – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta
  • 7h 30 min – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta
  • 9h – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta
  • 10h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 11h e 30 min – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 16h – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta
  • 17h e 30 min – Igreja Católica (Missa) – Pe Motta

Cemitério Parque de Nova Descoberta

  • 7h – Igreja Católica (Missa) – Pe Antônio
  • 8h e 30 min – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 10h – Igreja Católica (Missa) – Pe Rinaldo
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 16h – Igreja Católica (Missa) – Pe Antônio

Bom Pastor I

  • 7h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 8h – Igreja Católica (Missa) – Pe Campos
  • 10h – Igreja Católica (Missa) – Pe Cassiano
  • 13h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 14h – Igreja Católica (Missa) – Pe Gentil
  • 16h – Igreja Católica (Missa) – Pe Cláudio

Bom Pastor II

  • 7h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 8h – Igreja Católica (Missa) – Pe Bruno
  • 10h – Igreja Católica (Missa) – Dom Jaime (Arcebispo de Natal)
  • 14h – Igreja Católica (Missa) – Pe Alberto
  • 15h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 16h – Igreja Católica (Missa)

Cemitério de Ponta Negra

  • 7h – Igreja Católica (Missa) – Pe João Farias
  • 8h e 30 min – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 10h – Igreja Católica Brasileira (Missa) – Pe Francildo
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 16h – Igreja Católica (Missa) – Pe Alcimário
  • 17h 30min – Igreja Católica Brasileira (Missa) – Pe Francildo

Cemitério da Redinha

  • 7h – Igreja Católica (Missa) – Pe João Maria
  • 9h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 18h – Igreja Católica (Missa) – Pe João Maria

Cemitério de Igapó

  • 9h – Igreja Anglicana do Brasil (Missa) – Pe Itan César
  • 10h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 12h – Igreja Anglicana do Brasil (Missa) – Pe Itan César
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 17h – Igreja Anglicana do Brasil (Missa) – Pe Itan César

Cemitério de Pajuçara

  • 7h – Igreja Católica (Missa) – Pe João Maria
  • 9h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 14h – Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC NATAL)
  • 16h – Igreja Católica (Missa) – Pe João Maria

Fonte: G1RN

Por GloboEsporte.com — Natal

 

Natal se prepara para receber maior edição dos Jogos Escolares da JuventudeWander Roberto/Exemplus/COB

Natal sedia entre 12 e 25 de novembro a maior etapa já realizada dos Jogos Escolares da Juventude. Uma comitiva do Comitê Olímpico do Brasil (COB) já está capital potiguar para preparar a estrutura do evento. A principal competição estudantil do país terá a participação de mais de 5 mil atletas dos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e uma delegação do Japão. O novo formato envolverá pela primeira vez os atletas das duas categorias de idade – 12 a 14 anos e 15 a 17 anos. No total, 2.136 escolas de todo o país participam dos jogos.

A delegação japonesa contará com 23 pessoas, entre atletas, treinadores e oficiais de quatro cidades que irão receber os atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020: Hamamatsu, Sagamihara, Saitamanisa e Chuo.

A etapa nacional terá 14 modalidades em disputa. Além das quatro coletivas, basquete, futsal, handebol e vôlei, também serão realizadas competições de atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, natação, tênis de mesa, vôlei de praia (apenas na categoria 15 a 17 anos), xadrez e wrestling.

Para organizar a classificação das equipes dos esportes coletivos, as seletivas regionais dos Jogos Escolares da Juventude passaram por Natal, Manaus e Joinville. Ao final das três competições, os campeões do basquete, futsal, handebol e vôlei, no masculino e no feminino, nas duas categorias de idade, conquistaram a vaga para a etapa nacional da competição.

– Estamos muito felizes com a mudança de formato, que gera otimização de recursos e possibilita que mais cidades possam receber o evento, aumentando ainda mais a abrangência da competição. Tivemos ótimos retorno das delegações, mas agora vamos para nosso maior desafio, que é a organização da nova etapa nacional, com números grandiosos – disse André Mattos, coordenador geral dos Jogos Escolares.

Os Jogos Escolares da Juventude já revelaram vários atletas para o alto rendimento como a campeã olímpica Sarah Menezes e a campeã mundial Mayra Aguiar, ambas do judô. Além delas, nomes como Hugo Calderano, Raulzinho, Ana Claudia Lemos e Leonardo de Deus, que integraram o Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, deram seus primeiros passos no esporte nos Jogos Escolares.

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu