ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Eleições 2018: veja o que é Fato ou Fake nas falas dos sete candidatos a presidente que participaram do debate final, na TV Globo. No último pregão antes do 1º turno, o dólar cai a R$ 3,85 e acumula alta de 4,5% na semana. Datafolha: a democracia tem a maior aprovação popular desde 1989. Ainda não sabe em quem votar? O G1 te ajuda. Puxada pelo preço dos combustíveis, a inflação de setembro é a maior em 3 anos. Nobel da Paz vai para dupla que luta contra a violência sexual usada como arma de guerra. Um ano depois, como estão as famílias atingidas por tragédia em creche de Janaúba, em MG. O que foi notícia nesta sexta-feira:

NACIONAIS

Último debate

Debate com candidatos à presidência, 04/10/2018

Debate com candidatos à presidência, 04/10/2018

Sete candidatos à Presidência da República participaram na quinta-feira (4) do debate da TV Globo, o último antes do primeiro turno das eleições. Estiveram presentes Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede). Eles debateram ideias, apresentaram propostas e atacaram o candidato ausente, Jair Bolsonaro (PSL). Confira como foi no vídeo acima.

Disputa presidencial

Veja como foram as atividades de campanha dos candidatos à Presidência nesta sexta:

Voto feminino

Selo indecisas — Foto: Infografia: Claudia Peixoto/Editoria de Arte G1

Selo indecisas — Foto: Infografia: Claudia Peixoto/Editoria de Arte G1

Para conquistar o eleitorado feminino, o mais indeciso dos últimos 20 anos, presidenciáveis estão priorizando as mulheres ao fazer anúncios no Facebook. Foram feitos 3.540 anúncios para impulsionar posts das páginas dos candidatos a presidente, de acordo com a Biblioteca de Anúncios do Facebook. Deste total, 485 foram voltados só para mulheres (96,5%). Apenas 17 atingiu somente os homens.

Democracia

Maioria dos brasileiros prefere o regime democrático como melhor forma de governo

Maioria dos brasileiros prefere o regime democrático como melhor forma de governo

69% dos brasileiros avaliam que a democracia é a melhor forma de governo, segundo a pesquisa Datafolha. 12% que acham que a ditadura é melhor em certas circunstâncias. Para 13%, tanto faz se o governo é uma democracia ou uma ditadura. O índice de apoio à democracia, de acordo com a pesquisa, é o maior desde 1989.

Guia do voto

Selo Cola Eleitoral — Foto: Claudia Peixoto/G1

Selo Cola Eleitoral — Foto: Claudia Peixoto/G1

No domingo, o eleitor terá que votar para deputado federal, estadual, governador, dois senadores e presidente. Vai precisar anotar para lembrar tantos números? Imprima a cola eleitoral do G1. Lembre-se de que celular é proibido na cabine de votação.

Dólar

dólar — Foto: Reuters

dólar — Foto: Reuters

O dólar caiu 4,5% na semana e fechou a R$ 3,85 nesta sexta, repercutindo as últimas pesquisas eleitorais e os dados do mercado de trabalho dos EUA. Este é o valor mais baixo desde 9 de agosto. Já a Bovespa acumilou alta de 3,75% desde segunda-feira.

IPCA

IPCA 2018 mês a mês — Foto: Arte/G1

IPCA 2018 mês a mês — Foto: Arte/G1

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,48% em setembro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), após registrar deflação em agosto. É o maior valor para o período em 3 anos. Este resultado foi puxado pela alta dos preços de transportes e combustíveis. Em 12 meses, a gasolina acumulou alta de 20%, de acordo com o IBGE.

Cui bono

Montagem de fotos com o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha — Foto: Valter Campanato/Agência Brasil e Adriano Machado/Reuters

Montagem de fotos com o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha — Foto: Valter Campanato/Agência Brasil e Adriano Machado/Reuters

Os ex-deputados Eduardo Cunha, Henique Alves, e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, estão entre os denunciados após investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na Caixa Econômica Federal. Eles são acusados dos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Procuradores querem mais de R$ 3 bilhões por reparação de danos.

Dificuldades após tragédia

Raissa ficou gravemente ferida durante o incidente e desde então depende do cuidado integral da mãe — Foto: Juliana Gorayeb/G1

Raissa ficou gravemente ferida durante o incidente e desde então depende do cuidado integral da mãe — Foto: Juliana Gorayeb/G1

Famílias ainda buscam amparo e lidam com a dor um ano após ataque a creche em Janaúba, MG, que matou 14 pessoas, entre elas 10 crianças, e feriu 50. Uma associação foi criada para cuidar os que sobreviveram à tragédia. Uma delas, a menina Raissa, depende integralmente da mãe. Ela ficou com lesões graves na pele e passa dias e noites em frente a um climatizador de ar, além de sempre ter protetores e cremes na pele.

“Tem hora que ela fica triste, fica com medo. Mudou muito o comportamento dela, ainda mais porque ela não pode sair. Hoje se a gente fala um pouco mais alto ela começa a chorar, se esconde da gente”, conta a mãe da menina

Curtas e rápidas

Fonte: G1

Com chuva e atraso, Haddad cancela evento em SP e frustra militância

O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad (PT), frustrou a militância de seu partido ao cancelar a participação em um evento no centro de São Paulo, no fim da tarde desta sexta (5).

Esse seria o último ato de campanha antes do primeiro turno na cidade em que ele foi prefeito por quatro anos, de 2012 e 2016 -Haddad perdeu a reeleição para João Doria (PSDB).

Apoiadores esperavam o petista desde as 16h, mas, duas horas depois, foram informados que, devido a um atraso na agenda em Minas, o candidato não compareceria à caminhada.

As centenas de pessoas que esperavam Haddad sob chuva fina na capital paulista já tinham se dispersado um pouco antes da oficialização de sua ausência e os organizadores haviam deslocado parte da militância para a frente do Teatro Municipal, enquanto mantinham a informação de que o petista estava a caminho.

O candidato do PT ao governo, Luiz Marinho, e os nomes do partido ao Senado, Eduardo Suplicy e Jilmar Tatto, estavam no local, mas ninguém discursou.

Empunhados de bandeiras e faixas de apoio a Haddad, militantes reclamavam da ausência do candidato enquanto deixavam a Praça Ramos.

O clima ainda é de apreensão. A dois dias do primeiro turno, auxiliares de Haddad ainda temem uma vitória de Jair Bolsonaro (PSL) já na primeira fase da disputa.

A campanha, inclusive, reviu a estratégia da reta final e decidiu focar, mais uma vez, no eleitorado nordestino para tentar conter a onda de apoio ao capitão reformado.

No lugar de participar de um evento no ABC paulista, berço político do ex-presidente Lula, como era o plano inicial, Haddad fará neste sábado (6) uma caminhada em Feira de Santana, na Bahia, ao lado de Jaques Wagner, candidato ao Senado, e do governador Rui Costa, que disputa a reeleição com altos índices de popularidade.

A mudança de planos ocorreu após a divulgação do mais recente Datafolha, na noite desta quinta-feira (5), que mostrou Jair Bolsonaro (PSL) agora com com 39% dos votos válidos, ou seja, a 11 pontos percentuais do patamar necessário para a vitória no primeiro turno. Haddad tem 25% dos votos válidos e, estável na segunda posição isolada na pesquisa.

Caso haja segundo turno, Haddad e Bolsonaro aparecem tecnicamente empatados, segundo o levantamento.

Folhapress

Comments

Estamos virando o jogo de forma espetacular, diz Ciro

A dois dias da eleição no primeiro turno, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) disse em visita a Uberlândia (MG) que acredita na virada em relação à posição que ocupa nas pesquisas eleitorais. Segundo o Datafolha desta quinta-feira, ele registra 13% dos votos válidos, atrás de Jair Bolsonaro (PSL), com 39%, e Fernando Haddad (PT), com 25%.

“Estamos virando o jogo de uma forma absolutamente espetacular. Eu vou trabalhar até às 17h do dia 7 porque é a minha responsabilidade”, disse o candidato. “Eu não posso deixar o Brasil cair na mão do fascismo, que nega as liberdades, que destrói a democracia, que não tem ideias e nenhuma experiência para enfrentar o drama do país”.

Questionado sobre como acabará com a polarização política, ele disse que recorrerá ao exemplo e ao diálogo. “Não é possível mais que o ódio e o fascismo sejam a resposta para um antipetismo, porque o PT perdeu a condição política de nos governar a partir de toda a contradição que aconteceu. Ou seja, nós precisamos de um novo caminho”.

Ciro participou de caminhada próximo ao terminal central de Uberlândia. A previsão é de encerrar a campanha política amanhã no Ceará, seu estado natal.

Folhapress

Comments

CNJ recomenda que juízes não se manifestem sobre política nas eleições

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) emitiu hoje (5) uma recomendação para que todos os juízes brasileiros não emitam manifestações políticas nas redes socais, na imprensa e não participem de manifestações públicas durante as eleições.

A recomendação foi feita pelo corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins. Segundo Martins, a recomendação tem o objetivo de resguardar a imagem da magistratura brasileira. A proibição do envolvimento de magistrados com atividades políticas já está prevista na Lei Orgânica da Magistratura (Loman).

“O CNJ recomenda a todos os magistrados brasileiros, com exceção do Supremo Tribunal Federal, no exercício ou não da função eleitoral, que se abstenham de participar de manifestações públicas ou de emitir posições político-partidárias em redes sociais, entrevistas, artigos ou através de qualquer outro meio de comunicação de massa, de modo a afastar mácula à imagem de independência do Poder Judiciário brasileiro perante a sociedade, bem como para evitar influência sobre o livre exercício do voto consciente por parte dos cidadãos”, diz a norma.

Agência Brasil

Comments

TSE libera eleitor para votar com camiseta de candidato

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, nesta sexta-feira (5), orientar a Justiça Eleitoral a liberar o uso de camisetas de candidatos pelos eleitores nos locais de votação neste domingo (7), primeiro turno das eleições.

Conforme a decisão, o eleitor poderá usar camiseta com nome de seu candidato preferido, mas como forma de manifestação individual, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele.

De acordo com a lei eleitoral, está proibida a aglomeração de pessoas com vestuário padronizado, além de manifestações coletivas e ruidosas e qualquer tipo de abordagem, aliciamento ou persuasão de eleitores. A camiseta não pode ser distribuída pelo candidato.

A questão foi decidida a partir de um questionamento do Ministério Público Eleitoral (MPE) diante de divergências criadas na atuação de promotores eleitorais em todo país, responsáveis pela fiscalização de propaganda eleitoral irregular.

Em todo o país, ambulantes aproveitaram o engajamento dos eleitores no pleito para comercializar camisetas de candidatos.

De acordo com o MPE, a lei eleitoral proíbe a distribuição de material de campanha no dia da eleição, como adesivos, broches, adesivos, mas a norma é omissa sobre o vestuário do eleitor.

No dia do pleito, os eleitores votam, em primeiro turno, para presidente da República, governador, senador, deputado federal e deputado estadual. O segundo turno será no dia 28 deste mês.

Comments

Constituinte é totalmente desnecessária, diz Alexandre de Moraes

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), manifestou-se hoje (5) contra a proposta de convocação de uma assembleia constituinte, feita pelos dois candidatos à Presidência da República mais bem colocados nas pesquisas eleitorais: Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT.

Ao participar de seminário sobre os 30 anos da Constituição Federal de 1988 na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), o ministro disse que acha “totalmente desnecessário” convocar a constituinte.

“A Constituição permite alterações justamente para se adaptar. A Constituição de 1988 conseguiu manter a estabilidade democrática, institucional e consagrar a efetividade dos direitos fundamentais. Não há por que ela ser trocada”, afirmou.

Ao comentar declarações do candidato a vice-presidente na chapa de Bolsonaro, Hamilton Mourão, que defendeu a constituinte sem participação dos eleitos pela população, Alexandre de Moraes respondeu: “Não se pode ampliar declarações dadas na fervura do debate eleitoral”. “Obviamente, qualquer alteração só pode ser feita pelo povo. O poder constituinte é democrático, exercido por deputados eleitos diretamente pelo povo”, completou.

O ministro disse não acreditar na efetivação da proposta de Haddad, que falou sobre a criação de condições para uma assembleia constituinte. “Ninguém consegue governar se tiver uma assembleia nacional constituinte. São falácias eleitorais, porque a Constituição de 88 é boa, ela permitiu, e vem permitindo, o maior período de estabilidade democrática e respeito ao Estado de Direito desde o início da República.”

Alexandre de Moraes elogiou a atual Constituição afirmando que a Carta atual completou 30 anos, sobrevivendo bem a dois processos de impeachment. “Nesses dois [processos], somados os mandados de segurança, no primeiro do ex-presidente Fernando Collor e, no segundo, da ex-presidente Dilma Rousseff, foram mais de 90 mandados. Isso significa que todos os partidos políticos respeitaram a Constituição”,ressaltou.

Excesso de partidos

À tarde, o ministro foi ao Rio de Janeiro onde participou de outro evento comemorativo dos 30 anos da Constituição Federal de 1988, dessa vez organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Durante a palestra de quase uma hora, além de voltar a defender a atual Constituição Brasileira, Alexandre de Moraes criticou o excesso de partidos no Brasil e disse que, em 2006, ao considerar inconstitucional a cláusula de barreira, o Supremo Tribunal Federal (STF) tomou a pior decisão de sua história.

O ministro se refere à decisão que considerou inconstitucional o Artigo 13 da Lei 9.096/1995, segundo o qual, os partidos que não alcançassem 5% dos votos válidos para deputado federal no país e 2% em, pelo menos, nove estados teriam restrições no acesso ao fundo partidário e redução das inserções em rádio e televisão. Essas regras passariam a valer a partir de 2007, mas foram barradas pelo STF.

“Partidos tradicionais e que parte da imprensa gostava, como PV e PCdoB, não conseguiram a cláusula de desempenho. E aí se colocou o mérito para julgar. Hoje nós teríamos seis ou sete partidos. Alguém pode falar que isso é antidemocrático. Não é. Antidemocrático é dar dinheiro do povo para partido político que não tem voto. Hoje é melhor criar um partido do que abrir uma microempresa. Você já começa recebendo em torno de R$ 220 mil por mês de fundo partidário”, avaliou o ministro.

A partir do ano que vem, uma nova modalidade de cláusula de barreira será adotada. De acordo com a Emenda Constitucional 97, promulgada no ano passado, só terá direito ao fundo partidário e ao tempo de propaganda o partido que obtiver nestas eleições ao menos 1,5% dos votos válidos para deputados federais, distribuídos em nove unidades da Federação, com no mínimo 1% em cada uma delas.

Para Alexandre de Moraes, a proliferação de partidos gerou desprestígio do Legislativo brasileiro e um déficit de sua legitimidade maior do que o normal. “Com 26 partidos com representação no Congresso, todas as questões políticas importantes, questões que interessa à sociedade como as relacionadas com o aborto e as drogas, chegam ao STF pelas mãos de quem? Dos próprios partidos políticos, que não respeitam o jogo democrático. O que perde a votação, leva para o STF. E depois reclamam que o STF decide”, disse ele.

Comments

Dólar acumula desvalorização de 4,51% na semana, cotado a R$ 3,85

A cotação da moeda norte-americana encerrou a semana acumulando baixa de 4,51%, a maior queda desde 11 de março de 2016. O dólar fechou hoje (5) recuando 1%, cotado a R$ 3,8570 para venda.

O Banco Central encerrou a semana somente ofertando os leilões tradicionais de swaps cambiais, sem nenhuma oferta de venda futura da moeda norte-americana.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o último pregão da semana em queda de 0,76%, com 82.321 pontos. Os papéis das principais empresas, chamadas de blue chip, também acompanharam a queda, com Petrobras encerrando em baixa de 0,25%, Vale em – 2,23%, Itau em desvalorização de 0,34% e Bradesco em queda de 1,49%.

Comments

Ministro do Supremo Tribunal Federal defende reforma política

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso se manifestou hoje (5) contrário a uma nova Constituinte, mas defendeu uma reforma política, ao participar da mesa Direitos Fundamentais e Realidade, no segundo dia do seminário 30 anos de Constituição: Direito, Instituições e Realidade, na Fundação Getulio Vargas, organizado pela Escola de Direito da instituição, no Rio de Janeiro.

Para ele, o sistema político é um dos pontos negativos desses 30 anos da Constituição Federal de 1988, e precisa baratear as eleições, aumentar a representatividade e facilitar a governabilidade. Barroso disse que o sistema político atual extrai o pior das pessoas, indo ao contrário do processo civilizatório.

“Todas as pessoas têm, em princípio, o bem e o mal. O processo civilizatório existe para você reprimir o mal e potencializar o bem. O nosso sistema político faz exatamente o contrário. Portanto, nós precisamos de uma reforma política capaz de baratear o custo das eleições, aumentar a representatividade democrática dos parlamentares e capaz de facilitar a governabilidade”.

Ele sugeriu que quem for eleito presidente da República faça a reforma política. Citou como bom modelo o sistema distrital misto para a escolha dos parlamentares. “Cada eleitor tem direito a dois votos, um para o distrito, com cada partido lançando um candidato. Isso barateia e aproxima o eleito da comunidade. E o segundo voto no partido, que pode ter lista fechada, mas se um candidato ganhar mais votos ele fura a lista. Daí pode ter políticos profissionais, mas também pessoas representativas dos movimentos sociais”.

O ministro Barroso disse que, como está hoje, o presidente da República fica refém do sistema. “O pluralismo é muito importante, mas no Brasil, às vezes, o pluralismo vira uma certa promiscuidade, uma múltipla opção partidária que dificulta imensamente a governabilidade”.

Corrupção

O segundo pondo negativo do sistema político brasileiro citado por Barroso é a “corrupção endêmica e sistêmica, com um nível de contagio que talvez tenha surpreendido quase todos”. O ministro lembrou que o problema não começou com a Constituição de 1988, mas que “as distorções patrimonialistas e de apropriação privada do estado vem de muito longe na história do Brasil” e que “partidarizar ou fulanizar” a questão é distorcer uma análise que é mais profunda.

“A corrupção não é produto de desvios isolados e fraquezas humanas, mas de esquemas profissionais de arrecadação e distribuição de recursos públicos. Com esse nível de contágio, de contaminação e de pluripartidarismo é impossível não sentir vergonha. Envolve agentes públicos, agentes privados, empresas estatais, empresas privadas, membros do Congresso, partidos políticos, membros do Executivo. [É] Estarrecedor! É um pacto oligárquico celebrado por parte da classe política, parte da classe empresarial, parte da burocracia estatal, para o saque do Estado brasileiro, apropriado por elites extrativistas”.

Por outro lado, Barroso considera que a sociedade “deixou de aceitar o inaceitável” para “enfrentar o pacto oligárquico”. “A sociedade brasileira se deu conta desse problema, da corrupção estrutural e sistêmica, parou de varrê-la para baixo do tapete, e acho que nós vivemos um momento de enfrentamento dessa corrupção. Há na sociedade brasileira, e acho que esse talvez seja o fenômeno mais importante dos últimos tempos, uma imensa demanda por integridade, por idealismo, por patriotismo. Eu estou convencido que essa é energia que empurra a história e que muda paradigmas”.

Entre o que considera como sucessos da Constituição de 88, o ministro citou os 30 anos de estabilidade institucional, a conquista da estabilidade monetária, com a derrota da hiperinflação, e a inclusão social de 40 milhões de pessoas que deixaram a linha da miséria.

“Portanto, em uma geração nós derrotamos a ditadura, a hiperinflação e obtivemos vitórias expressivas sobre a pobreza extrema. Portanto, nenhuma batalha é invencível. E tivemos também conquistas importantes em matéria de direitos fundamentais de mulheres, de negros, de gays, das populações indígenas. Portanto, há muitos sucessos a celebrar na Constituição de 88”.

Ele destacou que não existe uma Constituição ideal, mas a que temos “nos ajudou a fazer a transição de um estado autoritário para um país democrático” e que seria “ruim” deixar de lado o legado do atual texto constitucional para pensar em uma nova legislação “sem sabermos o que pode sair daqui”.

Para comemorar os 30 anos da Constituição, Barroso informou que organizou um livro, junto com a professora Patrícia Campos Melo, e convidou 30 ex-alunos que hoje são doutores e professores, para discutir os sucessos e frustrações desses 30 anos.

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Por G1 RN

 


Zezo Silva foi encontrado morto, dentro de casa, ao lado de uma chave de fenda — Foto: Redes Sociais

Zezo Silva foi encontrado morto, dentro de casa, ao lado de uma chave de fenda — Foto: Redes Sociais

O ator e bailarino Zezo Silva, de 62 anos, foi morto nesta sexta-feira (5), dentro de sua casa, no bairro de Cidade Alta, Zona Leste de Natal. Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu no final da manhã, por volta de 11h. Uma chave de fenda foi encontrada ao lado do corpo.

A polícia chegou ao local às 14h e vizinhos disseram ter ouvido gritos de socorro vindos da casa do artista. Ainda não há suspeitos para o crime.

Por Anderson Barbosa, G1 RN

 


Guilherme Wanderley vai responder por atentado contra dois procuradores e um promotor no RN — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Guilherme Wanderley vai responder por atentado contra dois procuradores e um promotor no RN — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O ex-servidor público Guilherme Wanderley Lopes da Silva, acusado de tentar matar a tiros três promotores de Justiça do Rio Grande do Norte – crime ocorrido no dia 24 de março de 2017 dentro da sede do Ministério Público do Estado – vai sentar no banco dos réus. A sentença foi publicada nesta quinta-feira (4) pelo juiz José Armando Ponte Dias Júnior, titular da 2ª Vara Criminal de Natal. Porém, ainda não foi definida a data do júri popular.

Ainda segundo o magistrado, Guilherme deve permanecer preso até o julgamento. Ele vai responder por três crimes de homicídio tentado, com o agravante de dissimulação. Isso significa que o ele ocultou sua verdadeira intenção quando, portando um envelope, disse às secretárias do procurador-geral que precisava entrar na sala para entregar alguns documentos encaminhados por um procurador em caráter de urgência – o que levou as funcionárias a abrirem a porta.

Na sentença, a acusação ainda destaca que Guilherme foi “impelido por motivo fútil, consistente na insatisfação, desaprovação e descontentamento que particularmente nutria em relação a medidas administrativas adotadas pela equipe do então procurador-geral de Justiça”.

No ano passado, um laudo feito na esfera administrativa por uma perícia constituída pelo Conselho Nacional do Ministério Público atestou que Guilherme tinha total consciência do que estava fazendo. Tanto que ele foi demitido do cargo.

Ambulância do SAMU foi chamada para socorrer os promotores feridos — Foto: Fred Carvalho/G1

Ambulância do SAMU foi chamada para socorrer os promotores feridos — Foto: Fred Carvalho/G1

O caso

O atentado aconteceu dentro da sede do próprio MP, na Zona Sul de Natal. Guilherme entrou na sala do então procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis, jogou um envelope na mesa dele, sacou sua arma de fogo que estava escondida sob a roupa e disparou. O então procurador adjunto de Justiça Jovino Pereira Sobrinho e o promotor Wendell Beetoven Ribeiro Agra foram baleados. Rinaldo também foi alvo de um disparo, mas Guilherme errou o tiro.

Outras pessoas também estavam na reunião, mas não foram atingidas. Guilherme fugiu e só se entregou à polícia na manhã seguinte.

Por G1 RN

 


Falta de água em Natal, RN, 28/02/2018 — Foto: Lucas Cortez/G1

Falta de água em Natal, RN, 28/02/2018 — Foto: Lucas Cortez/G1

Um furto de cabos na madrugada desta sexta-feira (5) provocou a interrupção no abastecimento de água em algumas localidades de Mossoró, no Oeste potiguar. Foram afetados os bairros Bom Pastor, Dix-Sept Rosado e Alto da Bela Vista (próximo ao shopping), e também no Sírio São Francisco, na zona rural.

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) prevê para o final da tarde do sábado (6) a conclusão do serviço para recuperar os danos provocados no poço 28, que teve os cabos furtados. A Caern afirma que, até que o sistema seja normalizado, deve levar um período de 48h após a religação do poço.

Outras paralisações

Outros poços também danificados estão sendo reparados pela Companhia. O poço 18, que atende os bairros Santo Antônio, parte das Barrocas e parte do Bom Jardim, também não está funcionando. Após os consertos, que também devem ser concluídos no sábado (5), o tempo estimado para normalizar o serviço é de 48h.

Já o poço 23, responsável por abastecer os bairros Aeroporto II, Belo Horizonte e Quixabeirinha, está paralisado para conserto de vazamento em sua adutora e será religado no final da tarde desta sexta (5). O tempo para normalização é o mesmo dos demais.

Fonte: G1RN

INTERNACIONAIS

Nobel da Paz

Médico Denis Mukwege, que atua na República Democrática do Congo, e a ativista Nadia Murad, ex-escrava sexual do Estado Islâmico no Iraque, ganharam o prêmio Nobel da Paz de 2018 — Foto: Christian Lutz/AP

Médico Denis Mukwege, que atua na República Democrática do Congo, e a ativista Nadia Murad, ex-escrava sexual do Estado Islâmico no Iraque, ganharam o prêmio Nobel da Paz de 2018 — Foto: Christian Lutz/AP

A ex-escrava sexual do grupo extremista Estado Islâmico Nadia Murad e o médico ginecologista Denis Mukwege ganharam o Prêmio Nobel da Paz 2018 por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e conflito armado. O médico ajudou a tratar mais de 30 mil vítimas de violência sexual na República Democrática do Congo. Nadia conseguiu fugir após 3 meses mantida como prisioneira pelo EI. Hoje luta contra o tráfico sexual de mulheres.

Balsa fica encalhada após tsunami atingir a aldeia de Wani, em Donggala, na ilha de Sulawesi, na Indonésia, em foto desta terça-feira (2) — Foto: Beawiharta/ Reuters

Balsa fica encalhada após tsunami atingir a aldeia de Wani, em Donggala, na ilha de Sulawesi, na Indonésia, em foto desta terça-feira (2) — Foto: Beawiharta/ Reuters

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Fechar Menu