ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA SEGUNDA-FEIRA

Por G1

 

O dia seguinte. No primeiro dia depois das urnas e da definição do 2º turno entre Bolsonaro e Haddad, o impacto no mercado. O dólar caiu a R$ 3,76 e a bolsa subiu 4,5%, na maior alta diária desde 2016. E os candidatos do PSL e do PT começam a alinhar as costuras para a disputa do dia 28. Topografia da votação: as montanhas de votos pelos estados do país. O G1 analisa a nova composição do Congresso: o número de mulheres aumenta na Câmara, e o de militares também. O balanço do 1º turno explica a eleição marcada pela polarização e mostra os temas que não ficaram de fora para você não passar vergonha nas redes ao falar de política. E leia também: a invasão de milícia em uma comunidade do Rio, e o Nobel de economia para a sustentabilidade. O que foi notícia nesta segunda-feira:

NACIONAIS

Sem descanso

Bolsonaro x Haddad — Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo; Fábio Vieira/Fotorua/Estadão Conteúdo

Bolsonaro x Haddad — Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo; Fábio Vieira/Fotorua/Estadão Conteúdo

Menos de 24 horas após o resultado das eleições, os candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad já começaram suas campanhas para o 2º turno. Bolsonaro deu entrevista a uma rádio e afirmou que não pode virar “Jairzinho paz e amor” ao ser questionado sobre um possível aceno ao centro. Em Curitiba, Haddad visitou o ex-presidente Lula e disse que vai buscas alianças. Ele também elogiou adversários derrotados.

Dança das cadeiras

 — Foto: Arte/G1

— Foto: Arte/G1

PT e PSL elegeram o maior número de representantes na Câmara dos Deputados. A bancada do PT terá 56 deputados e a do PSL, 52. Em seguida com mais cadeiras na Casa aparecem PP (37), MDB (34) e PSD (34). 240 dos 513 eleitos em 2014 conseguiram se reeleger.

 — Foto: Arte/G1

— Foto: Arte/G1

Já o MDB, a Rede e o PP são os partidos que mais elegeram senadores nas eleições deste ano. Ao todo, 54 senadores de 20 partidos foram eleitos. 3/4 dos senadores que tentaram reeleição perderam, incluindo o presidente atual da Casa, Eunício Oliveira, e Romero Jucá, que era senador há 24 anos.

 — Foto: Editoria de Arte/G1

— Foto: Editoria de Arte/G1

Nas Assembleias Legislativas, o PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, multiplicou por 4 o número de deputados estaduais. É o maior crescimento entre todas as legendas. Já o MDB teve a maior queda: 93 eleitos. Entre os partidos que surgiram após a eleição de 2014, o melhor desempenho foi registrado pelo Novo, que elegeu 12 deputados estaduais.

Caras do legislativo

Selo mulheres no Legislativo — Foto: Arte/G1

Selo mulheres no Legislativo — Foto: Arte/G1

O número de mulheres eleitas se manteve no Senado, em 7 senadoras. Porém cresceu 51% na Câmara dos Deputados, pulando para 77. Entre elas, está Luisa Canziani, a deputada mais jovem do país, eleita com apenas 22 anos, Tábata Amaral, que veio da periferia de SP e se formou em Harvard, e Joenia Wapichana, primeira mulher indígenano cargo. Nos estados, SP elegeu sua primeira deputada trans e um grupo de 5 mulheres que se elegeu para mandato coletivo em Pernambuco.

Gráficos mostram nº de policiais e militares eleitos em 2014 e 2018 — Foto: Arte G1

Gráficos mostram nº de policiais e militares eleitos em 2014 e 2018 — Foto: Arte G1

Também aumentou a bancada de militares no Legislativo, em relação a 2014, saltando de 18 para 73. Deles, 43 (ou 58,9%) estão filiados ao PSL, partido do candidato a presidente Jair Bolsonaro.

Para entender o 1º turno

Destaques primeiro turno — Foto: Montagem/G1

Destaques primeiro turno — Foto: Montagem/G1

O tempo mais curto de campanha não impediu que o período fosse um dos mais movimentados da história política recente do país. De presidenciável esfaqueado a oração no monte, relembre 14 fatos que marcaram esta primeira etapa da disputa pelo Planalto.

Em queda

Notas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

Notas de dólar — Foto: Gary Cameron/Reuters

O mercado financeiro reagiu após os resultados do 1º turno. O dólar fechou o dia cotado a R$ 3,76, menor valor em 2 meses. Já a bolsa subiu 4,5%, a maior alta diária desde 2016.

Fonte: G1

Veja quem são os campeões de votos para deputado federal

Entre os campeões de votos nas eleições para a Câmara dos Deputados estão oito deputados estaduais e sete federais reeleitos. Há também ex-governador, ex-vice-governadora e estreantes no Parlamento. O PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, foi a legenda que mais teve deputados líderes de votos – cinco.

Em São Paulo, por exemplo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do candidato a presidente, teve mais de 1,8 milhão de votos. Bolsonaro e a segunda mais bem votada de São Paulo, a jornalista Joice Hasselmann (PSL), autora da biografia dojuiz Sérgio Moro, somaram quase 3 milhões de votos.

Reeleitos para mais um mandato, os deputados Delegado Waldir (PSL-GO) e Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) também foram os mais votados para a Câmara em seus estados. O produtor rural Nelson Barbudo (PSL-MT) conquistou 126 mil votos, cerca de 50% a mais do que o segundo colocado, o senador José Medeiros (Pode). Registrado como Nelson Ned Previdente, é conhecido por fazer duras críticas ao PT, nas mídias sociais, e defender a candidatura de Bolsonaro “contra os comunistas”. Sua única experiência na política foi como vereador de Alto Taquari, município do Mato Grosso com pouco mais de 10 mil habitantes.

Embora a maior votação nominal seja de Bolsonaro, em São Paulo, proporcionalmente o deputado federal mais votado JHC (PSB-AL), reeleito para mais um mandato. JHC é filho do ex-deputado federal João Caldas.

O mais votado do Amapá, o ex-governador Camilo Capiberibe (PSB), também é de família depolíticos.

No Distrito Federal, a campeã é Flávia Arruda (PR), mulher do ex-governador José Roberto Arruda, ex-deputado federal e ex-senador. O deputado eleito João Campos (PSB-PE), filho do ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014, foi o mais votado no estado.

Da bancada de deputados estaduais que chegaram à Câmara com grande votação estão José Ricardo (PT-AM), Pastor Sargento Isidório (Avante-BA), Capitão Wagner (Pros-CE), Amaro Neto (PRB-ES), Josimar Maranhãozinho (PR-MA), Gervásio Maia (PSB-PB), Marcel Van Hattem (Novo-RS) e Léo Moraes (Pode-RO).

Veja os campeões de votos

Acre: Mara Rocha (PSDB) – 39.059 votos

Alagoas: JHC (PSB) – 178.051 votos

Amapá: Camilo Capiberibe (PSB) – 24.987 votos

Amazonas: José Ricardo (PT) – 196.768 votos

Bahia: Pastor Sargento Isidório (Avante) – 319.691 votos

Ceará: Capitão Wagner (Pros) – 303.553 votos

Distrito Federal: Flavia Arruda (PR) – 121.340 votos

Espírito Santo: Amaro Neto (PRB) – 181.813 votos

Goiás: Delegado Waldir (PSL) 274.406 votos

Maranhão: Josimar Maranhãozinho (PR) – 192.482 votos

Mato Grosso: Nelson Barbudo (PSL) 126.249 votos

Mato Grosso do Sul: Rose Modesto (PSDB) – 120.901 votos

Minas Gerais: Marcelo Álvaro Antônio (PSL) – 230.008 votos

Pará: Edmilson Rodrigues (PSOL) – 184.033 votos

Paraíba: Gervásio Maia (PSB) – 146.860 votos

Paraná: Sargento Fahur (PSD) – 314.963 votos

Pernambuco: João Campos (PSB) – 460.387 votos

Piauí: Rejane Dias (PT) – 138.697 votos

Rio de Janeiro: Helio Fernando Barbosa Lopes (PSL) – 345.234 votos

Rio Grande do Norte: Benes Leocádio (PTC) – 125.841 votos

Rio Grande do Sul: Marcel Van Hattem (Novo) – 349.855 votos

Rondônia: Léo Moraes (Pode) – 69.565 votos

Roraima: Haroldo Cathedral (PSD) – 14.599 votos

Santa Catarina: Hélio Costa (PRB) – 179.307 votos

São Paulo: Eduardo Bolsonaro (PSL) – 1.814.443 votos

Sergipe: Fábio Mitidieri (PSD) – 102.899 votos

Tocantins: Tiago Dimas (SD) – 71.842 votos

Comments

 

Comments

Taxa de renovação da Câmara dos Deputados foi a maior em 20 anos

Levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) indicou que a taxa de renovação na Câmara Federal superou as expectativas e alcançou 52% nas eleições deste domingo (7). Com isso, 267 novos deputados federais vão assumir o mandato no próximo ano. É o maior índice de renovação dos últimos 20 anos, informa a pesquisa.

Desde 1990, este percentual só foi ultrapassado na eleição de 1990, quando o índice foi de 62%, e em 1994, quando a renovação foi de 54%. De acordo com o Diap, os deputados eleitos efetivamente novos – o que exclui os que vieram de outros cargos ou que estavam sem mandato, mas já foram deputados federais – são lideranças evangélicas, policiais “linha dura”, celebridades e parentes de políticos tradicionais.

O instituto constatou que, dos 513 deputados federais atualmente em exercício, 79% disputaram a reeleição, sendo que 60% destes conseguiram novo mandato neste domingo. Portanto, dos 407 deputados que concorreram à reeleição, 246 foram reconduzidos ao cargo. Em agosto, projeção da entidade previa que 75% deles deveriam se reeleger.

Renovação relativa

A pesquisa de renovação incluiu os que estavam em outros cargos ou que já tiveram mandato na Casa em outra legislatura e retornaram neste pleito. “Na realidade, o que houve foi uma circulação no poder, com o deslocamento de deputados estaduais, ex-deputados federais, ex-ministros, senadores e ex-senadores, ex-prefeitos e ex-governadores, além de secretários estaduais, para a Câmara Federal”, diz o Diap.

Neste caso estão dois senadores adversários, ambos envolvidos na Lava Jato, que optaram por tentar a Câmara, e estão na relação dos que foram bem-sucedidos: Aécio Neves (PSDB-MG), que recebeu mais de 50 milhões de votos para a Presidência em 2014, contabilizou agora modestos 106 mil votos. Já Gleisi Hoffmann (PT-PR) conquistou o dobro de Aécio, cerca de 212 mil ao conquistar uma vaga na Câmara pelo seu estado.

Para o analista político do Diap, André Santos, a renovação existe formalmente, mas deve ser relativizada pois não implica efetiva reestruturação política da Casa. “Houve por parte da própria sociedade uma espécie de ansiedade em mudar as características do Congresso. A sociedade quis, em tese, modificar o sistema político no Parlamento. Porém, isso não foi alcançado efetivamente quando a gente vê essa circulação de poder, pois muitos não são estreantes”.

Agência Brasil

Comments

Com maior fragmentação na Câmara, grandes partidos perdem espaço

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Câmara dos Deputados começará o ano com o maior número de partidos representados desde a redemocratização do país. Serão 30 siglas com as quais o próximo presidente da República, a ser eleito no segundo turno, terá de negociar. Há quatro anos, foram eleitos deputados federais de 28 partidos diferentes. Em 2010, eram 22 legendas. Além do crescimento de bancadas atualmente com baixa representatividade como é o caso do PSL (um parlamentar), a eleição deste ano apresentou renovação superior às anteriores e diminuiu o número de grandes bancadas, com mais de 50 parlamentares.

Com 12 deputados a menos, o PT terá direito a partir de fevereiro de 2019 a 56 cadeiras. Em 2014, foram 68. Após a última janela partidária, a legenda já havia perdido parlamentares e conta, na legislatura atual, com 61 vagas.

Com crescimento de 550% em comparação com a composição atual, o PSL conseguiu o maior feito dessas eleições: impulsionados pela candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro, 52 candidatos do partido foram eleitos. Na última janela partidária, que se encerrou em abril deste ano, a sigla já tinha crescido de dois para oito deputados, sendo um deles o próprio Bolsonaro. O filho dele Eduardo Bolsonaro foi o deputado mais votado do Brasil, com 1,84 milhão de votos.

Partido do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o DEM teve um aumento com relação às últimas eleições, mas começará o ano com menos representantes do que tem hoje. Com 21 deputados eleitos em 2014, o partido ganhou quadros nos últimos anos após o impeachment de Dilma Rousseff e recebeu novas filiações no início deste ano, chegando a 43 deputados. Nas eleições de ontem (8), 29 parlamentares foram eleitos pela sigla.

Essa também é a média numérica de partidos que antes eram consideradas grandes bancadas, como o PSDB e o MDB, do presidente da República, Michel Temer. As siglas ficaram com praticamente a metade do tamanho que tinham nas últimas eleições. Enquanto o PSDB tinha 54 deputados e vai manter 29 parlamentares na Câmara a partir do ano que vem, os emedebistas viram a sua bancada encolher cerca de 48%, de 65 para 34 parlamentares.

Conhecida pela oposição firme e radical em propostas do governo, a bancada do PSOL dobrou o número de representados eleitos. Em 2014, eram cinco. Após as trocas partidárias, o partido terá até o início do ano que vem seis deputados. Já a nova legislatura contará com 10 parlamentares.

Outras siglas mais à esquerda também vão ocupar mais cadeiras. É o caso do PDT, do presidenciável Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar na disputa. Antes, eram 20 deputados. Já o novo pleito elegeu 28 nomes do partido. Já o PSB e o PCdoB apresentaram baixas, ficando com 32 e nove parlamentares a partir do ano que vem, respectivamente.

Legendas de outros candidatos à Presidência também se saíram bem nas eleições deste ano. O recém-criado Novo, do candidato João Amoêdo, terá direito a oito cadeiras. Já o Podemos, antigo PTN que lançou o senador Álvaro Dias ao Palácio do Planalto, terá 11 deputados, sete a mais do que em 2014.

A mudança de nomes com o objetivo de pregar renovação na política também foi importante para partidos pequenos. O Avante, antes denominado PTdoB, subiu de dois para sete representados. Já o antigo PEN, que mudou o nome para Patriota, terá cinco deputados, três a mais do que há quatro anos.

Agência Brasil

Comments

 

Comments

Bolsonaro diz que há fraude em 30% do Bolsa Família

 

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira (8) que cerca de um terço do programa Bolsa Família tem fraude.

Em entrevista a Rádio Bandeirantes, o presidenciável disse que uma forma de arrumar recursos para o país é por meio do combate à fraude.

“A maneira de arranjar recurso para atender muita coisa é você combater a fraude, combater a corrupção, até mesmo dentro do Bolsa Família. Nós acreditamos que um terço, 30% aproximadamente são benefícios que foram dados sem qualquer critério. Gente que não precisa receber isso aí”, disse.

O candidato do PSL negou que vá acabar com o Bolsa Família e disse que quem espalhou isso foi o PT, como forma de terrorismo para os eleitores do Nordeste.

Folhapress

Comments

PSDB paulistano libera filiados no segundo turno entre Bolsonaro e Haddad

A executiva municipal do PSDB de São Paulo decidiu, “salvo orientação em sentido diverso das instâncias superiores do partido”, liberar seus filiados para tomar posição no segundo turno entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

O presidente João Jorge também discutiu a campanha estadual, que agora se afunilou entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB).

Parte do tucanato faz oposição a Doria e declarou voto em França e ainda em Paulo Skaf (MDB) no primeiro turno.

“A Executiva convoca todos filiados a se integrarem na campanha de segundo turno de João Doria ao governo do Estado de São Paulo”, disse Jorge.

Folhapress

 

Comments

Dólar cai 2,35% e recua a R$ 3,76; Bovespa sobe 4,57%

 

A cotação da moeda norte-americana encerrou o primeiro pregão da semana com forte queda, apontando recuo de 2,35%, cotado a R$ 3,7662 para venda. O valor é o menor desde 8 de agosto, quando chegou a R$ 3,7658.

O Banco Central abriu a semana com os leilões tradicionais de swaps cambiais (equivalentes à venda de dólares no mercado futuro), sem ofertas extraordinárias de venda futura do dólar.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou hoje (8) em alta de 4,57%, com 86.083 pontos, puxadas por uma valorização dos papéis da Petrobras que subiram 10,85%. O índice de hoje é a maior alta diária desde 2016.

Agência Brasil

Comments

ANP: fiscalização a postos aumenta em 2018; autos de infração diminuem

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

De janeiro a junho deste ano, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) efetuou 9.912 ações de fiscalização no mercado de abastecimento em todo o país, superando as 9.793 ações feitas no mesmo período do ano passado.

Apesar do número maior de fiscalização em 2018, neste ano foram lavrados menos autos de infração e interdição do que em 2017. No primeiro semestre deste ano, foram lavrados 2.439 autos de infração (contra 2.836 no ano passado); 324 autos de interdição (contra 399 em 2017) e 106 autos de apreensão (contra 108).

Os dados constam do Boletim Fiscalização do Abastecimento em Notícias da agência. Cerca de 130 mil agentes econômicos (que incluem distribuidoras de combustível e gás, postos de revenda etc) compõem o abastecimento nacional.

O boletim informa que nos primeiros seis meses deste ano foram realizadas 7.146 ações em revendedores de combustíveis e 1.804 ações em revendedores de gás liquefeito de petróleo (GLP). Foram lavrados 1.776 e 489 autos de infração, respectivamente, nesses dois segmentos.

As principais motivações de autuação foram o não cumprimento da notificação da ANP; equipamentos ausentes ou em desacordo com a legislação; comercialização ou armazenamento de produto não conforme a especificação; não prestação de informações ao consumidor; e não atendimento a normas de segurança.

Denúncias

Por regiões demográficas, o Sudeste respondeu por 3.298 ações fiscalizadoras da ANP no semestre, seguida do Nordeste (2.545), Centro-Oeste (2.273), Sul (958) e Norte (838).

No período pesquisado, foram recebidas pelo Centro de Relações com o Consumidor (CRC) da ANP 16.807 denúncias de consumidores relacionadas ao abastecimento de combustíveis. Desse total, 90% se referiram a combustíveis líquidos automotivos e 10% a GLP.

As informações foram utilizadas pela agência como parâmetro para o planejamento das ações fiscalizatórias. As denúncias ao CRC podem ser feitas pelo telefone gratuito 0800 970 0267.

Comments

 

Comments

FHC declara apoio a Haddad

Nacho Doce – Reuters

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) já declarou apoio ao candidato da frente democrática nas eleições de 2018, Fernando Haddad (PT), informou o site Catraca Livre, do jornalista Gilbeto Dimenstein. “Entre Haddad e Bolsonaro, não há saída. Vou de Haddad”, disse o tucano, de acordo com o portal. Segundo a matéria, “será um apoio com restrições, já que o ex-presidente tem ressalvas profundas sobre a política econômica e relações exteriores do PT”.

“FHC diz que não gostaria de ver da volta do PT ao Planalto, por considerar que o partido não defende o que considera as reformas necessárias para o país – especialmente a da Previdência. Considera, ainda, que o PT não tem uma visão econômica “correta” sobre como devolver o crescimento ao país, já que defende uma presença forte do Estado. Mesmo assim, o tucano considera que Bolsonaro seria uma opção pior, uma “ameaça” à democracia. FHC suspeita que, com o deputado, haverá um risco autoritário permanente e crise institucional, devido à sua fragilidade de apoios no Congresso”, diz a reportagem.

Com informações do Brasil 247 

LOCAIS

Comissão de Educação rejeita projeto que institui médicos dentro dos CMEIs

A Comissão de Educação da Câmara Municipal se reuniu na tarde desta segunda-feira (8) para apreciar os projetos que tratam do assunto e decidiram por rejeitar uma proposta de incluir o acompanhamento médico trimestral aos alunos dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), de autoria da vereadora Eudiane Macedo (PTC).

Esse mesmo projeto já havia sido rejeitado pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final (CCJ). Com o parecer negativo, foi remetido ao plenário da Casa que optou por rejeitar o parecer da CCJ e determinar a tramitação. O projeto que criava o programa Médicos nos CMEIs terminou sendo encaminhado para as demais comissões e aprovado tanto na de Finanças, quanto na de Saúde. Porém hoje, na apreciação da Comissão de Educação, ele foi novamente rejeitado.

A maioria dos vereadores entendeu que o projeto, se fosse aprovado, não seria colocado em prática e colocaria mais uma obrigação sob responsabilidade dos Centros de Educação.

A vereadora Eleika Bezerra (PSL) reconheceu a importância do projeto, mas defendeu que os CMEIs cumpram prioritariamente o papel de ensino. “Um ponto que nós temos batido muito na Câmara é pensar na questão da saúde e da escola e da família, mas eu nunca vi uma instituição tão frágil como a escola que, ao mesmo tempo, essa instituição é tão demandada. Quase todos os assuntos que passam pela Câmara geram mais uma atribuição na escola. Eu defendo que a escola atinja o básico principal, que fazer com que os alunos aprendam a ler e escrever, contar e pensar conscientemente já é um grande papel”, disse.

O relator do projeto, vereador Sérgio Pinheiro (PATRI), deu um parecer favorável ao projeto. Ele afirmou que o projeto garante mais saúde para as crianças e menos gastos públicos. “Nos demos o parecer positivo, entendendo que ele tem uma relevância muito importante porque ele insere no contexto dos CMEIs um acompanhamento trimestral da saúda das crianças que ali estudam. Nós corroboramos o entendimento das comissões de Finanças e de Saúde, mas os colegas entenderam que não haveria compatibilidade em função de outros trabalhos que ocorrem nos CMEIs. Nós não entendemos dessa forma, mas isso é democracia”, completou.

O vereador Sueldo Medeiros (PHS) também participou da reunião, que terminou com a pauta zerada. Além do projeto rejeitado, ainda foram distribuídos outros dois e um teve o pedido vistas solicitado.

MP Eleitoral representa contra mais dois candidatos por “Voo da Madrugada”

O Ministério Público Eleitoral representou contra dois candidatos por propaganda irregular, nas cidades de Mossoró e Macaíba. Santinhos de Albert Dickson, candidato a deputado estadual, e Carla “Dickson” Lima, candidata a deputada federal, foram despejados nas proximidades das escolas estaduais Maria Estela Pinheiro, na cidade do Oeste, e Professor Paulo Nobre, no município da Grande Natal. A prática ilegal é conhecida como “Voo da Madrugada”.

Outras três representações referentes a casos semelhantes e envolvendo 23 candidatos (confira aqui) já foram protocoladas pelo Ministério Público Eleitoral, no Rio Grande do Norte, e envolvem “voos da madrugada” promovidos em Natal, Macau e Macaíba. “(…) é ilegal não apenas porque causa poluição ambiental (higiene e estética urbana) e gera riscos de acidentes, em especial a idosos e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, mas também, e principalmente, porque afeta a isonomia entre os candidatos”, aponta o MP Eleitoral.

No caso dos santinhos de Albert e Carla Dickson, o material foi encontrado por servidores do TRE, em Mossoró, e por um policial militar, em Macaíba. O “Voo da Madrugada” desrespeita a Lei 9.504/97 (Lei das Eleições), a Resolução nº 23.551/2017 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a Recomendação nº 09/2018 da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE/RN). Os beneficiados pela propaganda irregular poderão ser condenados ao pagamento de multa que varia de R$ 2 mil a R$ 8 mil.

Representação

Confira a íntegra da representação aqui.

Comments

Forças Armadas proporcionam tranquilidade na votação e apuração em 97 municípios do RN

Mais de três mil militares da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira, distribuídos em 97 municípios do Rio Grande do Norte, garantem a normalidade e a segurança nos locais de votação e apuração durante o pleito eleitoral, atendendo à solicitação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Não foi registrada, nessas cidades, nenhuma ocorrência que comprometesse o andamento da votação. “O pleito está sendo conduzido de forma segura, conforme havia sido planejado”, afirmou o Comandante da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada, General de Brigada Carlos Augusto Fecury Sydrião Ferreira.

MP Eleitoral representa contra candidatos por espalharem santinhos nas ruas

O Ministério Público Eleitoral representou por propaganda irregular contra quatro 23 candidatos por espalharem centenas de santinhos pelas ruas, sobretudo na proximidade das seções eleitorais. A prática – que suja as vias, calçadas e fere a legislação – ocorreu entre a noite de sábado (6), a madrugada de domingo e ainda durante o período de votação, nesse dia 7 de outubro.

O “Voo da Madrugada”, como é conhecida essa ação ilegal, desrespeita a Lei n.º 9.504/97 (Lei das Eleições), a Resolução nº 23.551/2017 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a Recomendação nº 09/2018 da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE/RN). Os beneficiados pela propaganda irregular poderão ser condenados ao pagamento de multa que varia de R$ 2 mil a R$ 8 mil.

A recomendação enviada pela Procuradoria Regional Eleitoral a todos os diretórios partidários no Rio Grande do Norte, antes da votação, já alertava que “os candidatos, partidos e coligações detêm o domínio dos respectivos materiais de propaganda confeccionados, sendo responsáveis pela posse, guarda, distribuição, bem como posterior limpeza e destinação final dos resíduos gerados”.

As três representações que englobam os 23 candidatos são assinadas pelo procurador eleitoral auxiliar Fernando Rocha, com base em relatório enviado pela 30ª Promotoria Eleitoral em Macau, em diligências da Procuradoria Regional Eleitoral em Natal e por informações repassadas por policiais militares, em Macaíba.

Natal – Na capital, foram encontradas propagandas dos candidatos a governador Carlos Eduardo Alves (PDT) e Heronildes Bezerra (PRTB); a senador Antônio Jácome (Pode), Garibaldi Alves Filho (MDB) e Geraldo Melo (PSDB); à Câmara Federal Ana Michele (PT), Karla Veruska (Avante), Antoniel “Major” Moreira (Rede) e Thiago Cartaxo (Pode); e à Assembleia Legislativa Jacó Jácome (PSD), Dinarte Torres Cruz (PMB), Nelter Queiroz (MDB), Márcia Faria Maia (PSDB), Maurício Marques (PHS), Raimundo Fernandes (PSDB) e Raphael Holanda (PRB).

Os santinhos estavam na frente do Colégio Marista, das faculdades Maurício de Nassau e Estácio de Sá, das escolas estaduais Berilo Wanderley, Lourdes Guilherme, Dinarte Mariz e José Fernandes Machado (sendo que somente essa última não funcionou como local de votação).

Macau – Na cidade da Costa Branca, havia santinhos jogados pelas ruas com imagem e informações de dois candidatos a deputado estadual: Márcia Maia (PSDB) e Christiano Júnior “Grafith” (PRB); e de dois a deputado federal: Fábio Faria (PSD) e Abraão Lincoln (PRB). Centenas dos panfletos desses quatro concorrentes foram despejados pelas ruas do município, incluindo a calçada da própria Promotoria de Justiça, assim como na entrada do Centro de Educação Monsenhor Honório, um dos locais de votação.

Macaíba

No município da Grande Natal, o material encontrado pertencia à propaganda dos candidatos a governador Carlos Eduardo Alves (PDT); a senador Geraldo Melo (PSDB); a deputado federal Evandro “Cabo” Gonçalves (Patri); e a deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB), Cristiane Dantas (PPL) e Francisco “Dotozinho do Araçá” (DC).

Policiais do 11º Batalhão de Polícia Militar acharam os santinhos desde as 5h da madrugada, na Escola Estadual Alfredo Mesquita Filho (neste caso espalhados inclusive pelas áreas internas do colégio, em virtude da ação do vento) e nas escolas Municipal Tereza Brito e na Estadual Professor Paulo Nobre.

 

Mais de 70 candidatos com patente militar foram eleitos em todo o país

Capitão Styvenson fica em primeiro lugar e conquista uma das duas vagas do RN para o Senado. Foto: Assessoria/Divulgação

Pelo menos 8% dos 961 candidatos militares que disputaram as eleições desse domingo (7) conseguiram ser eleitos. Impulsionados por temas como a segurança pública e o combate à corrupção, esses candidatos acabaram se destacando em todos os estados e para todos os cargos em disputa, a começar pela Presidência da República, que será definida em segundo turno entre o capitão da reserva do Exército Jair Bolsonaro (PSL) e o professor Fernando Haddad (PT).

Regional e estadualmente, o cenário tende a confirmar nomes com patentes em registros eleitorais. Três estados vão eleger, em segundo turno, o novo governador com pelo menos um militar na disputa. No Rio de Janeiro, um resultado inesperado colocou o ex-fuzileiro naval Wilson Witzel (PSC), um novato na política, na disputa com o ex-deputado e ex-prefeito da capital Eduardo Paes, que concorre pelo DEM. Também há militares entre os nomes que concorrem ao governo de Rondônia e de Santa Catarina.

Ao todo, em um levantamento que considera apenas os que se declararam militares, é possível apontar pelo menos 79 nomes confirmados também para cadeiras no Congresso Nacional e nas assembleias legislativas. Entre estes, já estão asseguradas duas vagas no Senado e 22 na Câmara. Nos estados, o número passa de 60 parlamentares.

Sudeste

A Região Sudeste teve o maior número de militares eleitos no primeiro turno. Entre os eleitos para todos os cargos, há 40 nomes confirmados e um que passou para a o segundo turno no Rio de Janeiro: Wilson Witzel (PSC), ex-juiz federal e servidor público com passagens pela Marinha. No primeiro turno, Witzel obteve 41,28% dos votos válidos e Eduardo Paes (DEM, 19,56%.

O Rio, que elegeu para o Senado o atual deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro, traz para a Câmara Federal o Subtenente Hélio Fernando Barbosa Lopes (PSL), que obteve 345,2 mil votos, e mais três militares filiados ao partido. Na Assembleia Legislativa, cinco militares foram eleitos. O mais votado, com 140 mil votos, foi Rodrigo Amorim (PSL), que ficou conhecido ao ser acusado de quebrar uma placa em homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada em 14 de março.

Outro filho de Bolsonaro que também já foi policial, Eduardo Bolsonaro, foi eleito deputado federal por São Paulo, junto com mais cinco militares. Os paulistas também escolheram Major Olimpo (PSL) para o Senado, com mais de 9 milhões de votos. No Legislativo estadual, pelo menos 10 das 94 cadeiras serão ocupadas por candidatos que se declararam militares.

Pelo menos um cabo, um subtenente e um delegado representarão Minas Gerais na Câmara dos Deputados. Na Assembleia Legislativa, há cinco nomes, entre sargentos, delegados e coronéis que garantiram assento entre os 77 parlamentares estaduais.

No Espírito Santo, quatro deputados estaduais eleitos têm patentes militares.

SUL

Na Região Sul, o governo de Santa Catarina será definido em segundo turno pelo Comandante Moisés (PSL) e o civil Gelson Merísio (PSD). Os catarinenses elegeram pelo menos três militares do partido de Bolsonaro: um para deputado federal – Coronel Armando – e dois para a Assembleia Legislativa – Coronel Mocellin e Sargento Lima.

Os candidatos com patentes nos registros eleitorais eleitos pelos gaúchos também são do PSL: Tenente Coronel Zucco e Capitão Macedo Professor, ambos deputados estaduais.

CENTRO-OESTE

Sete militares foram eleitos deputados nos quatro estados da Região Centro-Oeste e no Distrito Federal (DF). Cinco são nomes ligados ao PSL e pelo menos dois eleitos que têm patentes no nome vão ocupar uma cadeira no Congresso Nacional, ambos representando Goiás: o campeão de votos, Delegado Waldir (PSL), com 274,4 mil e o menos votado, Major Vitor Hugo (PSL), com 31,1 mil votos.

Mato Grosso elegeu o Delegado Claudinei (PSL), com quase 30 mil votos, como um dos 24 estaduais. Em Mato Grosso do Sul, os dois estaduais mais votados são do PSL: Capitão Contar, que teve 78,3 mil votos, seguido pelo Coronel Davi, com 45,9 mil votos. Na lista, ainda figura o Cabo Almi (PT), que obteve 21,2 mil votos. Como distrital, o Delegado Fernando Fernandes (Pros) conquistou uma vaga, com 29,4 mil votos.

NORTE

O Coronel Marcos Rocha (PSL) disputará, em segundo turno, o governo de Rondônia com Expedito Júnior (PSDB). Os eleitores do estado confirmaram, entre os oito deputados federais que os representarão no Congresso, outro coronel. Chritóstomo (PSL) teve o apoio de 28,3 rondonienses, passando na lista como o últimoeleito. Entre os 24 estaduais, estão Cabo Jhony Paixão (PRB) e outro peesselista, Sargento Eyder Brasil.

Duas patentes aparecem entre os oito deputados federais eleitos no Amazonas. Delegado Pablo, do PSL, foi o segundo mais votado no estado (151,6 mil). Capitão Alberto Neto (PRB) também conseguiu um assento no Congresso. Entre os dois militares confirmados entre 24 deputados estaduais, o pesselista Delegado Péricles concentrou o maior número de votos (30,5 mil).

O Pará também terá, entre os 17 federais eleitos, um militar no Congresso Nacional, o Delegado Éder Mauro (PSD), que garantiu a vaga com 145,6 mil votos. E três delegados foram eleitos para a Assembleia Legislativa.

Roraima tem dois militares na lista de deputados estaduais confirmados. E, no Acre, apenas o Sargento Cadmiel Bomfim foi eleito entre os candidatos com patentes militares no nome. Cadmiel, do PSDB, conseguiu mais de 3,6 mil votos (0,86%). Na relação de eleitos do Amapá, não há nomes de candidatos que usaram patentes militares no registro, bem como na do Tocantins .

NORDESTE

Sergipe e Rio Grande do Norte elegeram, cada estado, um nome com patente militar para ocupar assentos no Senado. O mais votado pelos sergipanos foi o Delegado Alessandro Vieira (Rede). Também da Rede, o Capitão Styvenson ficou no topo da lista no Rio Grande do Norte, com 7456,8 mil votos. Os dois estados também escolheram militares para as respectivas Assembleias Legislativas, um em cada.

No Piauí, Capitão Fábio Abreu (PR) é o único deputado federal com patente entre os eleitos. Entre os estaduais com esse perfil, há ainda nomes no Ceará (dois), Piauí (um), Bahia (dois), Paraíba (um), Pernambuco (dois) e Alagoas (um). Apenas o Maranhão não elegeu candidatos declarados militares.

Agência Brasil

Comments

Decisão do TSE em favor de Mineiro enterra chances de Beto Rosado ser deputado federal

A questão jurídica da eleição de Fernando Mineiro para deputado federal é caso superado.

O ministro Jorge Mussi em decisão monocrática já seguiu o entendimento do TRE de que o candidato Kerinho não cumpriu os prazos judiciais e definiu que seu projeto é mesmo inviável.

Kerinho disputou vaga na Câmara na condição de sub judice e teve quase 9 mil votos, suficientes para, se considerados, dar a Beto Rosado o direito à vaga que hoje é de Mineiro.

INTERNACIONAL

Nobel de economia

William D. Nordhaus e Paul Romer, que ganharam o Prêmio Nobel de Economia de 2018 — Foto: CNW/BBVA Foundation Award to William Nordhaus/NYU Stern School of Business/Handouts via REUTERS

William D. Nordhaus e Paul Romer, que ganharam o Prêmio Nobel de Economia de 2018 — Foto: CNW/BBVA Foundation Award to William Nordhaus/NYU Stern School of Business/Handouts via REUTERS

William D. Nordhaus e Paul M. Romer foram premiados com o Nobel de Economia. Ambos projetaram métodos sobre crescimento sustentável a longo prazo na economia global e o bem-estar da população mundial. Eles compartilharão o prêmio de 9 milhões de coroas suecas, ou US$ 1 milhão (R$ 3,85 milhões).

Milícias no Rio

Milicianos fortemente armados trocam tiros com traficantes em Santa Cruz

Milicianos fortemente armados trocam tiros com traficantes em Santa Cruz

Confronto entre milicianos e traficantes em comunidades na Zona Oeste do Rio deixou moradores em pânico. A PM chegou ao local quase três horas depois do início dos tiros. Nas imagens flagradas pelo Globocop, ao menos 18 milicianos aparecem vestindo fardas parecidas com a da PM. Um criminoso foi preso e seis suspeitos, sendo um menor, foram baleados e levados para hospitais.

Curtas e rápidas

Moa do Katendê foi morto a facadas — Foto: Reprodução/Facebook

Moa do Katendê foi morto a facadas — Foto: Reprodução/Facebook

Fonte: G1

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu