ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

Os números do 1º turno: saiba quais partidos ganharam mais votos na eleição da Câmara e quais foram os que mais perderam eleitores. PT e PSL, partidos dos candidatos na corrida presidencial no 2º turno, formam as maiores bancadas. Na costura pelas alianças, mais de 10 partidos anunciaram que ficarão neutros e não apoiarão Haddad nem Bolsonaro. Em Rondônia, a PF desarticula dentro de um presídio os planos de uma organização criminosa para promover ataques coordenados em 5 cidades. No Rio, identificadas as carcaterísticas físicas do assassino de Marielle. Um dia depois de ser preso, o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo, é solto. Nos EUA, o furacão Michael perde força. O que é notícia na véspera do feriado:

NACIONAIS

Eleições 2018

Diferença entre candidatos no 2º turno — Foto: Reprodução/GloboNews

Diferença entre candidatos no 2º turno — Foto: Reprodução/GloboNews

primeira pesquisa de intenção de votos para o 2º turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) trouxe a maior diferença entre os candidatos desde a eleição presidencial de 2002, segundo o Datafolha. A pesquisa mostra uma distância de 13 pontos entre os concorrentes: nos votos totais, Bolsonaro tem 49% das intenções de voto, e Haddad, 36%.

Disputa presidencial

Veja a agenda dos candidatos à Presidência nesta quarta:

E mais

Apoios

MDB declara neutralidade e não apoia nenhum candidato no segundo turno das eleições

MDB declara neutralidade e não apoia nenhum candidato no segundo turno das eleições

Mais de 10 partidos anunciaram que ficarão neutros no 2º turno, entre eles grandes forças políticas, como MDB, PSDB e DEM. Haddad ganhou o apoio do PSOL e do PSB. Bolsonaro tem aliança com o PTB e o PSC. PPS apresentou oposição aos dois candidatos.

Voto a voto

Evolução dos votos durante a apuração — Foto: Alexandre Mauro/G1Evolução dos votos durante a apuração — Foto: Alexandre Mauro/G1

      Evolução dos votos durante a apuração — Foto: Alexandre Mauro/G1

candidato do PSL, Jair Bolsonaro, chegou a ter mais de 50% dos válidos por 1 hora e 15 minutos durante a apuração dos votos no domingo (7). Quando havia 38 milhões de votos apurados, às 18h23, Bolsonaro aparecia com 50,04% dos votos válidos. Só depois disso a distância para os adversários diminuiu e ele ficou abaixo da casa dos 50%. Fernando Haddad (PT) ficou à frente de seu adversário no 2º turno por apenas 2 minutos, assim que foi iniciada a apuração. Ciro Gomes (PDT) chegou a ficar em 2º lugar na disputa, mas por pouco tempo: das 17h02 às 17h10.

Agressor de Bolsonaro

Adelio Bispo de Oliveira, suspeito de ter dado facada em Bolsonaro — Foto: Reprodução/GloboNews

Adelio Bispo de Oliveira, suspeito de ter dado facada em Bolsonaro — Foto: Reprodução/GloboNews

A Justiça determinou um novo exame psiquiátrico em Adélio Bispo, que no mês passado deu uma facada em Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República. O processo corre sob sigilo. Com isso, o processo sobre Adélio na Justiça está suspenso por 45 dias. Adélio Bispo já foi submetido a um exame, a pedido da defesa, que apontou transtorno grave.

Números das bancadas

O PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro, é o partido que ganhou mais votos na eleição da Câmara. Foram 10,8 milhões de votos para deputado federal a mais nessas eleições que em 2014. Com isso, ele conseguiu a segunda maior bancada, com 52 deputados. A maior delas ficou com o PT, que elegeu 56 deputados. O MDB recebeu somente metade dos votos quando comparado com 2014: 5,3 milhões, elegendo somente 34 deputados. O PSDB aparece logo em seguida na redução de votos. A legenda conseguiu 29 integrantes.

Fato ou Fake

Veja as checagens de conteúdos suspeitos desta quarta-feira:

Marielle Franco

 — Foto: Marcos Serra Lima /G1

— Foto: Marcos Serra Lima /G1

Ministério Público do Rio descobriu o tipo físico do atirador que matou a veradora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. Segundo o órgão, também foram identificados novos locais por onde o carro utilizado para o crime teria passado após o assassinato. A irmã de Marielle, Anielle Franco, afirmou que as novidades “são um suspiro de esperança”.

Marconi Perillo

Marconi Perillo (PSDB) deixa sede da Polícia Federal após passar a noite preso em sala da corporação em Goiânia — Foto: Douglas Schinatto/O Popular

Marconi Perillo (PSDB) deixa sede da Polícia Federal após passar a noite preso em sala da corporação em Goiânia — Foto: Douglas Schinatto/O Popular

O ex-governador de Goiás Marconi Perillo foi solto um dia após ser preso pela Polícia Federal. Ele é investigado na Operação Cash Delivery, que apura repasses ilegais da Oderbrecht a campanhas políticas do tucano. A PF o indiciou por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Agora o Ministério Público decide se aceita ou não a denúncia.

Plano de ataque

PF desmantela plano de presos em Porto Velho de explodir prédios públicos

PF desmantela plano de presos em Porto Velho de explodir prédios públicos

Uma investigação da Polícia Federal apontou um plano de uma facção criminosa para desestabilizar o Sistema Penitenciário Nacional. Criminosos usariam bombas para explodir prédios públicos e também planejavam sequestro, tortura e assassinato de agentes públicos para terem reivindicações atendidas. Três mandados de prisão preventiva e 4 de busca e apreensão foram cumpridos.

Fraude da saúde

Polícia Federal investiga quadrilha suspeita de desviar 500 milhões de reais da saúde

Polícia Federal investiga quadrilha suspeita de desviar 500 milhões de reais da saúde

A Polícia Federal também fez operação contra suspeitos de desviar verba destinada à saúde no Amazonas. Dono de uma cooperativa de saúde é apontado como chefe do esquema. A empresa ganhava licitações para prestar serviços em troca de pagamento de propina a políticos e funcionários públicos. Segundo o órgão, os desvios chegam a pelo menos R$ 500 milhões.

Bolsas em queda

Sala de operações na B3, bolsa de valores de São Paulo — Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Sala de operações na B3, bolsa de valores de São Paulo — Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Efeito dominó atingiu as principais bolsas de valores do mundo hoje, por conta de temores da guerra comercial entre Estados Unidos e China, aumento dos juros nos EUA e declarações do presidente Donald Trump. A Bolsa de Xangai caiu mais de 5%. No Brasil, a Bovespa fechou em queda de 0,91%, também repercutindo o cenário externo e a primeira pesquisa Datafolha de intenção de votos.

Curtas e rápidas:

Gilson Pegado da Silva foi preso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro — Foto: MPRN/Divulgação

Gilson Pegado da Silva foi preso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro — Foto: MPRN/Divulgação

Fonte: G1

Palocci entrega 19 tipos de provas para atestar delação premiada

O ex-ministro Antonio Palocci entregou à Justiça 19 tipos distintos de documentos para comprovar o que foi relatado em sua colaboração premiada. Em petição preparada por sua defesa, ele pede os benefícios concedidos a delatores — que incluem a redução da pena. O documento foi endereçado ao desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, responsável pela segunda instância da Lava Jato.

No processo, que teve o sigilo de alguns anexos derrubado nesta quarta-feira (10), os advogados de Palocci listam 19 provas entregues às autoridades para corroborar tudo o que delatou à Polícia Federal. Entre eles estariam dois contratos fictícios, notas fiscais, emails, extratos bancários, comprovantes de rastreadores veiculares e agenda virtual de sete anos com mais de 7.000 páginas.

A defesa ainda ressalta que o ex-ministro, que já foi um dos homens fortes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, saiu da cela 63 vezes e ficou à disposição da PF por 141 horas durante o período de comprovação das provas.

Preso desde setembro de 2016, o ex-ministro foi inicialmente condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele se encontra detido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, mesmo prédio onde se encontra Lula. O recurso da condenação será julgado no dia 24 deste mês.

Em 1º de outubro, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná, quebrou o sigilo de parte do acordo de colaboração de Palocci com a PF. Em um dos anexos, o ex-ministro relata que Lula estava ciente de esquemas de corrupção na Petrobras desde 2007 e que as campanhas que elegeram Dilma Rousseff à Presidência em 2010 e 2014 teriam custado mais que o dobro do valor declarado ao Tribunal Superior Eleitoral.

Folhapress

Comments

PSL é o partido que ganhou maior número de votos na eleição para a Câmara; MDB e PSDB são os que mais perderam

 

O PSL recebeu 10,8 milhões de votos para deputado federal a mais nessas eleições que em 2014. Na última disputa para a Câmara dos Deputados, o partido do presidenciável Jair Bolsonaro teve apenas 808 mil votos. Já em 2018, foram 11,6 milhões, um crescimento de 1.341%.

O partido, considerado nanico até então, garantiu a segunda maior bancada, com 52 deputados. A legenda registrou a maior votação, mas acabou afetada pela regra de desempenho, que exige que o candidato tenha pelo menos 10% do quociente eleitoral para ser eleito. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foram compilados pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Em São Paulo, o PSL teve votos suficientes para eleger 17 deputados, mas apenas 10 alcançaram 10% ou mais do quociente eleitoral. O mesmo aconteceu com o Novo, no Rio Grande do Sul, que teve votos para 2 deputados federais, mas ficou com apenas um no estado.

Já a maior bancada ficou com o PT, que recebeu 10,1 milhões de votos e elegeu 56 deputados. O partido do presidenciável Fernando Haddad teve 3,4 milhões de votos a menos que em 2014, uma queda de 25%.

O MDB foi o partido que mais perdeu votos para deputado federal em números absolutos. Em 2014, recebeu 10,7 milhões. Em 2018, o número caiu pela metade: para 5,3 milhões. Com isso, elegeu 34 deputados (ante os 66 da última eleição)

O PSDB aparece logo em seguida na redução dos votos. O partido perdeu quase metade dos 11 milhões recebidos em 2014, ficando com 5,9 milhões em 2018. A legenda conseguiu 29 integrantes da Câmara dos Deputados (contra 54 obtidos em 2014).

G1

Comments

Bolsonaro admite que pode faltar a debates mesmo que seja liberado pelos médicos

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro , admitiu nesta quinta-feira a possibilidade de não comparecer aos debates no segundo turno por questões de estratégia política , mesmo que seja liberado pelos médicos para participar. Adversário do capitão da reserva, Fernando Haddad (PT) tem cobrado a participação de Bolsonaro nos encontros, mas a equipe médica desaconselhou a presença no último debate do primeiro turno, na TV Globo, e no encontro que estava previsto para esta quinta-feira, na TV Bandeirantes.

— Existe a possibilidade sim, por estratégia. Estou vendo o Haddad desafiando agora: “quero que você diga o que fez em 28 anos no parlamento”. Eu responderia para ele: “Não roubei ninguém, Haddad” — disse Bolsonaro.

Inicialmente, a campanha de Bolsonaro trabalhava com a possibilidade de ele ir a dois encontros no segundo turno: os organizados pela Record e pela Globo .

O candidato do PSL ironizou a mudança de logotipo da campanha adversária, que trocou o vermelho do PT pelo verde e amarelo da bandeira brasileira . Bolsonaro chamou Haddad de “camaleão” e pau mandado, ao citar as visitas do petista ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba.

— Vou debater com um cara que nem poste é. É fantoche e pau mandado, age como camaleão. Eu vi o Haddad falando em família, em Deus. Eu fico com vergonha. Ele está cumprindo à risca o que o Lula manda ele falar: “Haddad não é de esquerda, Haddad é de direita”. Haddad agora quer posse de arma de fogo. Bem-vindo. Tomara que ele tenha sido curado de verdade, não só por um tempo. Dizem que bandido não se aposenta, tira férias. Haddad está de férias.

O Globo

Comments

Haddad diz que se eleito unirá o Brasil por meio do diálogo, ‘sem revólver na cintura’

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira (11) que se for eleito pretende unir o país por meio do diálogo, “sem revólver na cintura”.

Haddad deu a declaração ao conceder entrevista ao site Metrópoles, em Brasília. O candidato foi questionado sobre o que pretende fazer para unir um país que, em razão da “polarização” política, está “bastante dividido”.

“Nós aqui precisamos de diálogo! Nós precisamos sentar à mesa com as pessoas, sem revólver na cintura. Somos de ‘um livro na mão e carteira de trabalho na outra’. É outra filosofia para fazer este país se entender. Veja, só com o fato de o Bolsonaro ter passado para o segundo turno a violência no país explodiu”, afirmou.

Desde o último domingo (7), primeiro turno da eleição, uma jovem de Porto Alegre (RS) denunciou ter sido marcada a canivete com uma suástica; um mestre de capoeira na Bahia que se disse eleitor do PT foi morto a facadas; e uma médica do Rio Grande do Norte rasgou a receita médica de um homem de 72 anos após ele dizer que votou em Haddad.

Na entrevista desta quinta-feira, Haddad disse “são eles que estão fazendo isso”. O candidato, então, foi indagado sobre quem seriam “eles”. Ao que respondeu:

“Já está identificado. Os autores estão identificados. Quem faz uma suástica no corpo de uma mulher a canivete? Quem tem apreço por regimes autoritários? Quem defende tortura no Brasil? Não é que defende numa sala reservada, defende na televisão. Defende na televisão a tortura! Quem defende extermínio de opositores? Ele falou que o problema da ditadura não foi ter matado 30 mil pessoas porque só matou 300! Quem defende o extermínio no Brasil? Vamos falar o português claro!”

Em seguida, Haddad disse ser necessário “deixar claro” que a democracia “está em jogo”.

G1

Comments

Bolsonaro questiona motivação política em morte de mestre de capoeira

O candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) questionou nesta quinta-feira (11) a versão de  que a morte do mestre Romualdo Rosário da Costa, 63, conhecido como Moa do Katendê, tenha ocorrido por motivações políticas.

Em uma rede social, o presidenciável compartilhou um vídeo de uma entrevista no qual Paulo Sérgio Ferreira de Santana, suspeito de matar Katendê, afirma que a discussão não teve a ver com política, mas sim com futebol. Junto com o vídeo, o presidenciável postou a expressão “imprensa lixo!”.

A entrevista foi concedida a redes de televisão da Bahia durante a apresentação do suspeito pela Secretaria de Segurança Pública na segunda-feira (8). A entrevista, contudo, contradiz o próprio depoimento do suspeito dado à polícia horas antes.

Em nota, a secretaria da Segurança Pública da Bahia destacou que “a preferência por um determinado candidato político foi relatada pelo autor do homicídio contra o mestre de capoeira ‘Moa do Katendê’, durante depoimento”.

A secretaria também informou que a discussão política como causa do assassinato foi confirmada por testemunhas que estavam no bar onde o caso ocorreu.

O discurso de Bolsonaro sobre casos de violência relacionados à eleição tem sido marcada por idas e vindas nos últimos dias.

Questionado em entrevista sobre os sucessivos casos de agressões Bolsonaro disse: “Quem tomou a facada fui eu! O cara que tem uma camisa minha comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Mas não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”.

Na noite desta quarta-feira (10) ele mudou o tom e postou numa rede social: “Dispensamos o voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim”.

Um dos filhos de Bolsonaro, o vereador pelo Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (PSL), também criticou a imprensa sobre a cobertura dos casos de violência.

“A imprensa intensifica covarde e maciçamente possíveis violências a possíveis eleitores de Bolsonaro, tentando colar tais absurdos ao Capitão, ignorando completamente qualquer situação semelhante há tempos de eleitores do marmita do preso corrupto. O sistema está orquestrado e desesperado”, disse.

Folhapress

Comments

Exibição de entrevistas de Bolsonaro não feriu lei eleitoral, diz TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou hoje (11) as representações ajuizadas pelo PSOL e pelo PT, no início do mês, contra a TV Band. Na ação, os dois partidos se queixavam de que a emissora infringiu a legislação eleitoral ao exibir uma entrevista do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), ao programa Brasil Urgente, apresentado pelo jornalista José Luiz Datena.

Em sua representação, o PSOL reclamava que a Band concedeu 45 minutos de exibição favorável a Bolsonaro, sem oferecer aos outros candidatos tempo proporcional de TV. Veiculada no último dia 28, a conversa de Datena com o capitão reformado foi gravada no quarto do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Para o PSOL, além das “opiniões elogiosas” a respeito do candidato, a reportagem continha inúmeras “falas que configuram propaganda eleitoral”.

Segundo o advogado André Brandão Henriques Maimoni, o PSOL não se opôs à exibição da entrevista, mas sim à falta de tratamento isonômico por parte da emissora. “O candidato [Guilherme Boulos] manifestou o interesse em obter tempo proporcional, conforme os resultados das pesquisas de intenção de voto, mas não houve resposta”, explicou o advogado.“Uma emissora de TV exibe uma entrevista de 45 minutos faltando uma semana para a eleição. O teor dessa entrevista denota uma conversa entre amigos.” Maimoni destacou ainda que a entrevista foi amplamente compartilhada na internet.

O vice-procurador-geral Eleitoral, Humberto Jaques, manifestou-se contra qualquer sanção à emissora. Para Jaques, as particularidades do caso, como o interesse público e o fato de Bolsonaro ter sido “impedido” de fazer campanha por mais de 20 dias após ser esfaqueado, justificariam a veiculação da entrevista exclusiva.

“Não cabe à Justiça Eleitoral decidir se algo é ou não é notícia. Cabe ao veículo, [considerando seu] público, patrocinadores, sua linha editorial, decidir”, disse o vice-procurador. Ele destacou ainda que “a lógica é que os veículos são livres para entrevistar quem bem entendem” e “decidir sobre a conveniência de noticiar fatos”, levando em conta aspectos econômicos e editoriais.

Relator do processo, o ministro Sérgio Silveira Banhos começou a leitura de seu voto destacando que a liberdade de imprensa, de expressão e pensamento é um pilar do sistema constitucional democrático brasileiro para, em seguida, lembrar que o STF já estabeleceu que esses direitos somente podem ser restringidos pela lei em “hipóteses excepcionais, sempre em proteção de outros valores e interesses constitucionais, como o direito à honra, à imagem, à privacidade e à personalidade em geral”.

A chamada Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) estabelece que, em ano eleitoral, encerrado o prazo para a realização das convenções partidárias, as emissoras de rádio e televisão são proibidas de dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação partidária durante a programação normal e em noticiário, bem como a veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido e coligação.

Banhos também lembrou que o próprio TSE já decidiu que o tratamento não isonômico pela imprensa não pode ser caracterizado a partir de notícias veiculadas em um único dia, ou em um único telejornal. Ele argumentou que os candidatos que reclamaram da exibição da entrevista de Bolsonaro também foram entrevistados em outras ocasiões, além de terem participado dos debates eleitorais enquanto o candidato do PSL estava ausente, hospitalizado.

Saiba mais

Comments

IMD sedia Congresso de Empreendedorismo Universitário

O Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) vai sediar, entre os dias 16 e 18 de outubro, o “Congresso de Empreendedorismo Universitário: um olhar para o futuro”, iniciativa que integra várias instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte.

O evento tem a realização da UFRN, em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande (IFRN), Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), por meio de suas pró-reitorias de Extensão e Pesquisa.

A programação do congresso engloba uma série de palestras, mesas redondas, workshops e premiações. As inscrições podem ser realizadas por meio do Sistema de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), ou pelo LINK.

A abertura do Congresso acontece no Auditório da Reitoria, às 19h do dia 16, com a mesa redonda “Cenários Futuros e as Oportunidades para Empreender”, tendo a participação do gerente de comunicação e marketing do Sebrae/RN, Edwin Aldrin, e do criador da metodologia Meu Planejamento Futuro (MEF), Jaime Araújo, com mediação do diretor da Saber Inovar, Marcelo Bandiera.

Dando continuidade à programação, será promovido no segundo dia de evento (17) uma série de palestras abordando temas de fomento à cultura do empreendedorismo, tais como: “Internet das coisas, tecnologia e empreendimentos”; “Aceleração de ideias e incubação de negócios – experiencias das incubadoras”; e “Metodologias e ferramentas de suporte ao empreendedorismo”. As palestras acontecerão na sede do IMD nos turnos da manhã e tarde.

Para finalizar a programação será realizado no último dia do evento, no Auditório do IMD, o “Workshop e Premiação da Maratona 100 Projetos em 100 Dias”.

Fonte: Blog do BG

Comments

LOCAIS

Por Igor Jácome, G1 RN

 


Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte; ALRN; Palácio José Augusto; Assembleia do RN — Foto: ALRN/Divulgação

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte; ALRN; Palácio José Augusto; Assembleia do RN — Foto: ALRN/Divulgação

As eleições do domingo (7) definiram uma nova composição para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) e renovou a bancada potiguar de deputados federais na Câmara em 62,5%, a partir de 2019. Além dos candidatos a deputado federal e estadual que foram reeleitos, nesta eleição quatro pessoas estão assumindo pela primeira vez um cargo eletivo e 9 já tiveram cargos eletivos mas assumem um cargo inédito a partir de 2019. Além destes casos, há um candidato que já foi deputado federal e volta à Casa Legislativa. Conheça quem são.

Deputados estaduais eleitos

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem 24 deputados estaduais, sendo que 15 dos parlamentares atuais conseguiram se reeleger e outros nove chegam pela primeira vez à Casa. Dentre os nove, três assumem pela primeira vez um mandato. São eles:

Allyson Bezerra (Solidariedade)

Engenheiro civil, estudante de Direito e servidor da Universidade Federal do Semiárido (Ufersa), Allyson Bezerra concorreu pela primeira vez a um mandato e conseguiu 20.228 votos para assumir o cargo de deputado na Assembleia Legislativa, no ano que vem. Filho de agricultores de Mossoró, o jovem de 26 anos foi o primeiro membro da família a possuir graduação e será o mais novo entre os parlamentares da próxima legislatura.

Coronel Azevedo (PSL)

O coronel André Azevedo é ex-comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte e, na sua primeira campanha política, obteve 27.606 votos para assumir o cargo de deputado estadual. Azevedo entrou na PM em 1988 e assumiu o comando-geral da corporação em 2017, passando cerca de oito meses no cargo. Na passagem de comando, fez críticas ao sucateamento da polícia e disse que os militares estavam fazendo “mais com menos”.

Kleber Rodrigues (Avante)

Com 32.755 votos, o empresário Kleber Rodrigues foi eleito para o seu primeiro cargo eletivo, como deputado estadual do RN. Apesar da carreira no segmento privado, ele é filho do atual prefeito de Monte Alegre, Severino Rodrigues, e já atuou como secretário de Administração do município.

Além dos candidatos acima, entre os nove novos deputados estaduais, há seis inéditos na ALRN, mas que já tiveram ou possuem cargos. São eles:

Dr. Bernardo (Avante) – 42.049 votos – foi prefeito do município de Almino Afonso em duas oportunidades.

Isolda Dantas (PT) – 32.963 votos – atualmente é vereadora do município de Mossoró, na região Oeste potiguar.

Francisco do PT (PT) – 23.448 votos – foi prefeito do município de Parelhas, na região Seridó potiguar.

Eudiane Macedo (PTC) – 22.333 votos – é vereadora de Natal em seu segundo mandato.

Ubaldo Fernandes (PTC) – 20.148 votos – exerce o segundo mandato de vereador na Câmara Municipal de Natal.

Sandro Pimentel (Psol)  19.158 votos – é vereador de Natal e ocupa seu segundo mandato na Casa.

A composição da Casa Legislativa, com os reeleitos, ficou assim:

  • Ezequiel (PSDB) – 58.221 votos
  • Gustavo Carvalho (PSDB) – 47.544 votos
  • Dr. Bernardo (Avante) – 42.049 votos
  • Tomba Farias (PSDB) – 41.249 votos
  • Nelter Queiroz (MDB) – 40.717 votos
  • Hermano Morais (MDB) – 38.053 votos
  • Galeno Torquato (PSD) – 34.532 votos
  • George Soares (PR) – 34.263 votos
  • Raimundo Fernandes (PSDB) – 33.965 votos
  • Cristiane Dantas (PPL) – 33.860 votos
  • Kelps (Solidariedade) – 33.819 votos
  • Getulio Rêgo (DEM) – 33.477 votos
  • Isolda Dantas (PT) – 32.963 votos
  • Kleber Rodrigues (Avante) – 32.755 votos
  • Vivaldo Costa (PSD) – 32.638 votos
  • Albert Dickson Oftamologista (PROS) – 31.698 votos
  • Souza (PHS) – 31.097 votos
  • Coronel Azevedo (PSL) – 27.606 votos
  • José Dias (PSDB) – 27.275 votos
  • Francisco do PT (PT) – 23.448 votos
  • Eudiane Macedo (PTC) – 22.333 votos
  • Allyson Bezerra (Solidariedade) – 20.228 votos
  • Ubaldo Fernandes (PTC) – 20.148 votos
  • Sandro Pimentel (PSOL) – 19.158 votos

Deputados federais eleitos

A bancada potiguar na Câmara Federal conta com 8 deputados. Destes, três candidatos foram reeleitos e cinco novos deputados foram definidos pelos eleitores. Quatro deles assumem o cargo de forma inédita, sendo que um nunca exerceu qualquer mandato. Outro eleito volta após quatro anos fora da Casa.

General Girão (PSL)

O general da reserva do Exército, Eliéser Girão é cearense e assumirá pela primeira vez um cargo eletivo, após receber 81.640 votos potiguares. No Rio Grande do Norte, Girão já atuou como secretário de Segurança do Estado e da Prefeitura de Mossoró, em ambas as ocasiões, nas gestões de Rosalba Ciarlini (PP), ex-governadora e atual prefeita do município. A nível federal, foi adjunto e chefe da subchefia da Casa Militar da Presidência da República no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso e ocupou, entre 2002 e 2004, o cargo diplomático de Adido de Defesa do Exército junto à embaixada brasileira na Polônia.

Além de Girão, outros três candidatos assumem o cargo de forma inédita:

Benes Leocádio (PTC) – 125.841 votos – foi prefeito do município de Lajes em cinco mandatos.

Natália Bonavides (PT) – 112.998 votos – exerce o seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Natal.

Mineiro (PT) – 98.070 votos – foi vereador de Natal por quatro mandatos e ocupa o quarto mandato na Assembleia Legislativa do RN.

Outro candidato que já foi deputado federal pelo RN voltou à Câmara:

João Maia (PR) – 93.505 votos – volta a Câmara Federal após quatro anos sem mandato. Foi eleito deputado federal duas vezes, em 2006 e 2010, e saiu candidato a vice-governador em 2014, pela chapa de Henrique Alves (MDB), derrotada no segundo turno.

A bancada, com os reeleitos, ficou assim:

  • Benes Leocádio (PTC) – 125.841 votos
  • Natália Bonavides (PT) – 112.998 votos
  • Mineiro (PT) – 98.070 votos
  • João Maia (PR) – 93.505 votos
  • Rafael Motta (PSB) – 82.791 votos
  • General Girão (PSL) – 81.640 votos
  • Walter Alves (MDB) – 79.333 votos
  • Fábio Faria (PSD) – 70.350 votos

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Samu foi chamado a local de assalto para socorrer mulher ferida — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Samu foi chamado a local de assalto para socorrer mulher ferida — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Um homem suspeito de assaltar um ônibus foi pego por pessoas, amarrado pelo pescoço, espancado, arrastado pelas ruas da Ribeira e baleado em seguida. O crime aconteceu no início da tarde desta quinta-feira (11), na Zona Leste de Natal. Vítimas do assalto se feriram durante tumulto.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 12h40. Um homem anunciou o assalto dentro do ônibus da linha 20, da empresa Guanabara, quando o veículo passava ao lado do Teatro Alberto Maranhão. Havia cerca de 30 passageiros no local.

Segundo testemunhas, o motorista abriu as portas do ônibus e houve passageiros tentaram correr ao mesmo tempo e houve tumulto e quedas. Uma mulher teve fratura exposta no pé, ao saltar do veículo, e outra ficou com ferimentos leves.

Ainda de acordo com testemunhas, o suspeito ainda conseguiu correr com duas bolsas, um tablet e outros bens que conseguiu tomar de vítimas, mas foi alcançado por pessoas não identificadas, amarrado pelo pescoço e arrastado por cerca de 800 metros, até ser morto com espancamentos e tiros.

Fonte: G1RN

INTERNACIONAIS

Michael perde força

Vagões de trem descarrilaram após passagem do furacão Michael em Panama City, na Flórida — Foto: Gerald Herbert/AP Photo

Vagões de trem descarrilaram após passagem do furacão Michael em Panama City, na Flórida — Foto: Gerald Herbert/AP Photo

Após atingir categoria 4, em um nível de 5, o furacão Michael perdeu força ao tocar o solo da Flórida e agora é classificado como tempestade tropical. Duas pessoas morreram e 486 mil estão sem luz nos EUA por conta do fenômeno. Fortes chuvas e ventos de 70 km/h ainda provocam estragos na região.

Deixe uma resposta

Fechar Menu