ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

Os primeiros números do 2º turno. O Datafolha divulgou a primeira pesquisa com a intenção de votos na reta final das eleições. Em votos válidos, Bolsonaro tem 58% e Haddad, 42%. Até agora, 17 partidos definiram posição na corrida presidencial. O ex-governador de Goiás na prisão. Marconi Perillo foi preso enquanto prestava depoimento à polícia, em Goiânia. Ele é suspeito de receber propina de R$ 12 milhões da Odebrecht. O vice-presidente da Guiné Equatorial é alvo de uma operação da PF no Brasil. Nos EUA, o furacão Michael toca o solo da Flórida após matar 13 na América Central. O que é notícia nesta quarta-feira:

NACIONAIS

Eleições 2018

Datafolha divulgou nova pesquisa de intenção de voto para presidente. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento é o primeiro do 2º turno.

  • Jair Bolsonaro (PSL): 58% (49% em votos válidos)
  • Fernando Haddad (PT): 42% (36% em votos válidos)

Alianças definidas

Bolsonaro x Haddad — Foto: Paulo Whitaker/Reuters e Amanda Perobelli/Reuters

Bolsonaro x Haddad — Foto: Paulo Whitaker/Reuters e Amanda Perobelli/Reuters

Continuam as costuras pelas alianças no 2º turno. Bolsonaro terá aprovação do PTB. PSOL, PPL e PSB se aliaram a Haddad. PDT, de Ciro Gomes, declarou ‘apoio crítico’ ao candidato do PT. PSDB, DEM, Solidariedade, Podemos, Novo, PRB, PSD, DC e PR optaram por se manter neutros, dando liberdade para diretórios escolherem suas alianças. PPS e Patriota farão oposição às duas candidaturas. Veja lista completa.

Eleição em números

 — Foto: Reprodução/JN

— Foto: Reprodução/JN

O PT e o PSDB seguem como campeões de votos para senador em todo o país, mas os dois partidos tiveram quedas de mais de 30% neste ano em comparação com 2010, quando 54 vagas também foram disputadas para o Senado, diz o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O PSL, partido do candidato Jair Bolsonaro, desbancou o MDB e passou a ocupar o 3º lugar, com uma alta de mais de 4.200% no número de votos.

O número de milionários eleitos deputados estaduais aumentou e é o maior registrado. São 388 políticos que tem patrimônio superior a R$ 1 milhão. Patrimônio médio dos membros das Assembleias, no entanto, é inferior ao de 2014. Também há mais eleitos sem bens.

Disputa presidencial

Veja a agenda dos candidatos à Presidência nesta quarta:

Agressões por política

Moa do Katendê foi morto a facadas — Foto: Reprodução/Facebook

Moa do Katendê foi morto a facadas — Foto: Reprodução/Facebook

Denúncias de casos de agressões motivadas por posições políticas surgem no país. Na madrugada de segunda, o mestre de capoeira Moa do Katendê foi morto durante uma discussão em bar em Salvador. O suspeito teve prisão preventiva decretada nesta quarta. No Rio Grande do Norte, uma médica rasgou uma receita ao não concordar politicamente com paciente. Ela reconheceu o erro, pediu desculpas, e foi afastada do cargo.

No Paraná, um rapaz foi agredido na Universidade Federal do Paraná (UFPR) por usar boné do MST, dizem estudantes. E no Rio Grande do Sul, uma mulher denunciou agressão e diz ter sido marcada com canivete por usar camiseta do movimento “Ele não”. Após registrar boletim de ocorrência relatando o caso, a vítima prestou novo depoimento e não quis dar prosseguimento ao caso.

Fato ou Fake

Veja as checagens de conteúdos suspeitos desta quarta-feira:

Marconi Perillo

 — Foto: Reprodução/JN

— Foto: Reprodução/JN

O ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) foi preso preventivamente enquanto prestava depoimento à Polícia Federal. Ele é suspeito de receber R$ 12 milhões em propina da Odebrecht. Defesa diz estar “perplexa” e que não há nenhum fato novo que justifique a  detenção.

Suspeita de lavagem

Apartamento avaliado em R$ 70 milhões pode estar ligado a vice da Guiné Equatorial

Apartamento avaliado em R$ 70 milhões pode estar ligado a vice da Guiné Equatorial

Polícia Federal cumpriu 8 mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mang, por suspeita de lavagem de dinheiro. O alvo principal foi uma cobertura duplex de mais de 1.000 metros quadrados localizada em área nobre de São Paulo. No mês passado, a Receita Federal apreendeu quase US$ 1,5 milhão e R$ 60 mil em dinheiro, além de 20 relógios, avaliados US$ 15 milhões, de Teodoro no Aeroporto Internacional de Viracopos. A PF tem indícios que esses bens estejam envolvidos no esquema.

Fraude bancária

Coroas apreendidas na Operação Ostentação, do Deic, em SP — Foto: Divulgação/Deic

Coroas apreendidas na Operação Ostentação, do Deic, em SP — Foto: Divulgação/Deic

Maços de dinheiro, carros de luxo e até coroas. Foi isso que a Polícia Federal encontrou em uma casa na Grande SP durante operação que prendeu 1 suspeito de participar de fraude bancária. Quadrilha roubava dinheiro ao invadir contas de banco através de um sistema de computador e lavavam o dinheiro em empresas fantasmas. Delegado responsável pela operação diz que o esquema pode ter arrecadado R$ 400 milhões em 18 meses.

Curtas e rápidas

Tapete de algas na Billings, em São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

Tapete de algas na Billings, em São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

Fotos mostram andaime de 10 metros em igreja de Sorocaba — Foto: Arquivo Pessoal

Fotos mostram andaime de 10 metros em igreja de Sorocaba — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: G1

Tendência do MDB é liberar filiados no segundo turno, diz Marun

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Michel Temer reuniu hoje (10), no Palácio do Planalto, alguns de seus ministros filiados ao MDB e uma das pautas foi o apoio a Fernando Haddad (PT) ou Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições presidenciais. Estiveram no encontro, até o início da noite, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun.

Marun acredita que a tendência seja liberar seus filiados e diretórios regionais para apoiarem quem quiserem. “Sinto que o pensamento da maioria dos parlamentares é de compreensão em relação à posição daqueles que, dentro da bancada, divergem. Existe divergência, mas existe uma compreensão em relação a isso e penso que o caminho seja a liberação do partido”.

O ministro chegou a essa conclusão após conversar com a bancada do partido na Câmara e consultar outros colegas da legenda. O martelo, no entanto, não está batido. Após conversar com os jornalistas, o ministro voltou para conversar com Temer e o presidente nacional do MDB, o senador Romero Jucá, era esperado para se juntar a eles na reunião.

Pauta legislativa

Ele também se mostrou frustrado com a atividade morna no Congresso esta semana. O governo precisa ver aprovada a Medida Provisória (MP) 840, que criou 164 cargos destinados ao Ministério da Segurança Pública. A MP criou cargos em comissão do Grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) para atender a necessidades da área de segurança pública do governo. A MP perde a vigência no dia 17 de outubro.

Afastamento da política

Marun afirmou que vai deixar a política por um tempo após o fim do seu mandato como deputado federal, em 1º de fevereiro. Ele disse que quer dedicar mais tempo à família e à sua profissão de advogado. “A minha intenção é me afastar pelo menos por um tempo da política e me dedicar à minha profissão de advogado. E me dedicar também à minha família que, nos últimos tempos, tem sabido de mim mais pelos jornais do que no tête à tête”.

O ministro não sabe quanto tempo ficará fora de mandatos políticos e cargos do Executivo, apenas disse que espera não sentir falta do universo no qual viveu por muitos anos. “Muita gente diz que a política é como uma cachaça, é como um vício. Eu espero não estar viciado, que eu só goste. Que eu não esteja viciado a ponto não conseguir viver fora da política com felicidade”.

Agência Brasil

Comments

Bolsonaro diz que não tem controle sobre atos violentos de apoiadores

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, pediu hoje (10) para que seus apoiadores e simpatizantes não pratiquem atos de violência e agressão. Em sua conta do Twitter, a partir de uma entrevista concedida pelo candidato, ele reiterou que não tem controle sobre as pessoas e disse que é “a prova viva” da intolerância.

“Esta pergunta não deveria ser invertida? Quem levou a facada foi eu. Um cara lá, que tem uma camisa minha, comete um excesso, o que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle sobre milhões de pessoas que me apoiam. Agora, a violência vem do outro lado, e eu sou uma prova viva disso”, disse o candidato.

Bolsonaro negou que há um clima bélico na campanha, acirrando ânimos e provocando episódios de violência. “Não está tão bélico assim, está um clima acirrado, de disputa, mas são casos isolados, que a gente lamenta e espera que não ocorram.”

Uma jovem de 19 anos, em Porto Alegre, que usava uma camiseta crítica ao candidato do PSL teve as costas marcadas a canivete por um homem que a agrediu e desenhou a suástica (símbolo nazista). Há dois dias, foi assassinado o mestre de capoeira Moa do Katendê, em Salvador, também por divergências políticas.

Mudanças

Nas redes sociais, Bolsonaro ressaltou ter defendido penas mais severas contra crimes passionais, independentemente da orientação sexual da vítima. Em um post, publicado no Twitter, é uma resposta às críticas contra ele sobre a forma como trata mulheres e homossexuais. “Como parlamentar, propus penas mais severas para crimes passionais independentemente de sexualidade. Mulheres são as maiores vítimas destes crimes, que também atinge homossexuais. Seguirei defendendo que todos somos iguais perante a lei, e que assassinos sejam punidos duramente.”

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse hoje que há uma a escalada de violência que predomina em torno das divergências políticas que deve ser combatida por todas as forças políticas.

Debates

Pela manhã, Bolsonaro foi examinado por uma junta médica que recomendou que ele fique de repouso por mais uns dias. O que significa que o candidato não vai participar do debate na próxima sexta-feira (12), na Rede Bandeirantes. De acordo com os médicos, no dia 18, haverá um novo exame para verificar para quais atividades ele estará liberado.

Em casa, o candidato recebe parentes, amigos e correligionários. Também mantém de forma intensa a participação nas redes sociais. Ele defendeu, mais vez, as escolas coordenadas por militares como “sucesso de modelo” de eficiência e qualidade.

Segundo Bolsonaro, a intenção é que, uma vez eleito, cada estado do país tenha pelo menos uma escola coordenada por militares. “Alcançando índices de educação e assim servindo como referência. O respeito ao professor e ensino de qualidade, esquecidos nos últimos governos, serão a nossa base.”

Comments

Cabo Daciolo pede ao TSE anulação da votação do 1º turno

O candidato do Patriota à Presidência da República, Cabo Daciolo, foi ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentar pedido de anulação da votação do 1º turno para que seja feita uma nova edição do pleito usando o método de voto em cédula, e não em urna eletrônica. Ele argumentou que houve fraude na adoção de urnas eletrônicas.

Daciolo disse que já havia apresentado um pedido de uso de voto em cédula no início de setembro. Segundo o candidato, o TSE respondeu argumentando que não havia situação de excepcionalidade que exigisse o abandono do emprego de urnas eletrônicas em favor da votação em cédula.

“Temos várias denúncias de fraudes das urnas eletrônicas. Em todo o território nacional, as pessoas iam votar e quando chegavam lá para votar para presidente não concluía. Quando tem fragilidade nas urnas eletrônicas, é necessário em caso excepcional que TSE faça votação em cédulas”, defendeu Daciolo.

Consultado pela Agência Brasil, o TSE respondeu por meio de sua assessoria que o processo encontra-se em tramitação por via administrativa e que até o momento não houve decisão.

Normalidade

No balanço das eleições, a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, afirmou que a votação do último domingo (7) ocorreu em “clima de normalidade absoluta”, mas colocou que o Tribunal vai apurar com rigor denúncias de irregularidades na votação.

A missão internacional da Organização dos Estados Americanos (OEA) divulgou informe preliminar no qual relatou não ter atestado problemas nas urnas que colocassem em questão a legitimidade da votação. Segundo os representantes da OEA, especialistas em sistemas de votação designados pela missão acompanharam as urnas ao longo do ano e não encontraram indícios de vulnerabilidades ou fraudes.

Agência Brasil

Comments

Haddad diz que não colocará ‘um banqueiro no Ministério da Fazenda’

O candidato à Presidência do PT, Fernando Haddad, afirmou, nesta quarta (10), que “não colocará ‘um banqueiro no Ministério da Fazenda”.

“Ao contrário do meu adversário, não vou colocar um banqueiro no Ministério da Fazenda. Ele quer colocar a raposa pra cuidar dos galinheiro”, disse Haddad em entrevista à Rádio Jornal, em referência ao economista Paulo Guedes, guru econômico de seu adversário no segundo turno, Jair Bolsonaro (PSL).

Durante a entrevista, Haddad também falou sobre questões como o Bolsa Família e a Polícia Federal.

“É um desrespeito você chamar de esmola o que sustenta crianças famintas. O Bolsa Família é um direito. É dever do Estado matar a fome e a sede”, disse sobre o programa criada no governo do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Sobre denúncias de corrupção envolvendo sua legenda, Haddad disse que os governos petistas foram os que mais apoiaram a Polícia Federal, e que ele não é contra a Operação Lava Jato, que prendeu Lula.

“Vou dar todo apoio ao Ministério Público e ao Judiciário, e isso inclui obviamente a Lava Jato”, afirmou.

Folhapress

Comments

Solidariedade anuncia neutralidade no segundo turno

A Executiva Nacional do Solidariedade informou, em nota divulgada hoje (10), que o partido definiu pela neutralidade no segundo turno da eleição presidencial. Segundo a nota, diretórios estaduais da sigla e os seus filiados estão autorizados a apoiar os candidatos à presidência de acordo com a realidade local de cada estado.

Segundo a nota, Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade, afirmou que o partido resolveu pela neutralidade para dar maior liberdade aos diretórios e militantes na escolha do candidato que acharem melhor.

Durante entrevista coletiva para a imprensa, Paulinho da Força ressaltou que o posicionamento do Solidariedade no Congresso Nacional será de centro, e que a atuação será de “apaziguar posições radicais”. O presidente da sigla afirmou ainda que o Brasil vive uma eleição inédita e que a disputa de “candidatos de extremos” não é bom para o país.

Comments

PSL e o Novo entram no mapa e os grandes partidos e seus caciques encolhem

POR RICARDO AMORIM

“Quase todas as atenções das eleições fica no resultado da disputa presidencial, mas eu queria fazer algumas observações sobre o resto. Dois dos principais caciques brasileiras definharam. Geraldo Alckmin (PSDB) teve uma votação ridícula e sua força dentro do PSDB deve diminuir.

Para a Marina Silva (Rede), a situação é ainda mais complicada, porque seu desempenho na eleição foi muito ruim. E foi o final para alguns figurões da política que saíram para o Senado e não chegaram lá, com destaque para três: Dilma Rousseff (PT-MG), Romero Jucá (MDB-RR) e Lindbergh Farias (PT-RJ).

Do ponto de vista partidário, destaco o surgimento e crescimento do partido Novo. Os grandes partidos, por sua vez, encolheram. Nosso Congresso terá um maior número de partidos, e o próximo presidente terá de negociar com muito mais gente. E esse é um desafio muito importante.”

Gazeta do Povo

Comments

Haddad recebe carta de “apoio e apreço” de integrantes do PSDB

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, recebeu uma carta de “apoio e apreço” de integrantes do PSDB, durante um almoço, nesta quarta-feira (10), em São Paulo. Ele confirmou que pretende conversar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O presidenciável disse que não está autorizado a divulgar os nomes do PSDB que participaram do almoço, mas afirmou que todos estão empenhados em garantir a tranquilidade do país e, em especial, do processo eleitoral neste segundo turno. “[Estamos] conversando com todas as forças que queiram conter a barbárie, essa escalada [de violência] no país”, disse. “Vamos prosseguir no sentido de estabelecer protocolos de civilidade em proveito do futuro do Brasil.”

O candidato deve viajar hoje para Brasília para uma série de encontros políticos amanhã, incluindo representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o presidente nacional do PSB, João Carlos Siqueira.

“Nós estamos paulatinamente recebendo apoios. Eu não estou autorizado ainda a divulgar [quem participou], mas já entregaram uma carta de apoio importante, querendo propor uma mediação para conter escalada da violência no nosso país”, frisou o candidato. “Parte significativa do PSDB está muito preocupada com o que está acontecendo”, acrescentou.

Agressões

Em tom de preocupação, Haddad lamentou a agressão contra uma jovem de 19 anos, em Porto Alegre, que usava uma camiseta crítica ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Ela fez um boletim de ocorrência em que relata ter sido atacada com um canivete e teve as costas marcadas com uma suástica (símbolo nazista).

“Tem que ser posto um fim isso. Já houve uma morte com 12 facadas, uma pessoa queridíssima, conhecidíssima em Salvador, e agora esse novo evento”, ressaltou o candidato, lembrando do assassinato do mestre de capoeira e compositor Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, na segunda-feira (8).

Apoio

Após o almoço com os tucanos, Haddad a candidata a vice na chapa, Manuela d’Avila, candidata tiveram uma reunião com representantes de sete centrais sindicais. Na reunião, receberam um documento em que as entidades listam as prioridades, como o compromisso com a revogação da reforma trabalhista e da Emenda Constitucional 95, que define um teto de gastos públicos.

O documento foi assinado pelos representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), que já apoiavam o petista no primeiro turno, além da Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e Nova Central Sindical, que ficaram ao lado do candidato Ciro Gomes (PDT), e Intersindical, que apoiou Guilherme Boulos (PSOL).

“Neste momento que afunila a disputa tem dois lados, um lado do desenvolvimento e outro do atraso. Não podemos ficar em cima do muro”, disse Miguel Torres, da Força Sindical. “Tiramos uma pauta, uma nota conjunta mostrando a necessidade de romper os ataques que o movimento sindical tem sofrido”, completou.

Agência Brasil

Comments

Presidente do PSL diz que Bolsonaro decidiu antecipar proposta de 13º para Bolsa Família

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, afirmou nesta quarta-feira (10) que a campanha decidiu incluir no programa de governo uma proposta para pagar o 13o salário para beneficiários do programa Bolsa Família.

“Nós não soltaríamos essa notícia agora, soltaríamos mais para frente, mas o capitão decidiu que seria assim. É uma proposta que foi desenhada, costurada e pensada até mesmo pelo general Mourão que é a implementação de um 13o do Bolsa Família.”

O anúncio ocorre depois de o vice de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, ter dado declarações controversas sobre o pagamento do 13o salário. Ele disse a uma plateia de empresários que o benefício era uma “jabuticaba”.

Bebianno não detalhou de onde os recursos serão retirados e disse que o pagamento poderá ser feito em duas parcerlas.

“Talvez dividido em duas parcelas, isso ai o Paulo Guedes vai definir na hora certa”, disse.

A proposta de criar um 13o salário para o programa não é novidade em campanhas eleitorais.

Em 2010, o benefício foi proposto pelo tucano José Serra, quando ele disputava a Presidência com Dilma Rousseff (PT).

Em 2014, a dois dias das eleições, a candidata Marina Silva, então filiada ao PSB, também prometeu o mesmo.

Folhapress

Comments

Ofensas a nordestinos desencadeiam mais de 1 milhão de tuítes, diz estudo da FGV

Levantamento feito pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-DAPP) identificou 1,7 milhão de tuítes mencionando o resultado das eleições no nordeste. Segundo a FGV-DAPP, muitas das publicações associavam a vitória de Fernando Haddad (PT) na região à pobreza, ao programa Bolsa Família e à quantidade de migrantes nordestinos que vivem no Sul e no Sudeste. Também foram detectados tuítes criticando as publicações ofensivas.

A instituição também identificou muitos tuítes com agressões qualificando militantes pró-Haddad e pró-Bolsonaro de, respectivamente, comunista e variações (“comunistinha”, “socialista de iPhone” etc) e nazista ou fascista e variações (“fascistoide”, “bolsonazi”).

População LGBT, mulheres, negros e evangélicos também foram alvos de discussão com ofensas.

Folhapress

Comments

Dólar fecha em alta de 1,42% e Bovespa encerra com queda de 2,8%

Foto: Agência Brasil

Após seguidas séries em baixa, a cotação da moeda norte-americana encerrou o pregão de hoje (10) em alta de 1,42%, cotada a R$ 3,7635 para venda. Mesmo com a correção no movimento de queda, a moeda norte-americana acumula uma desvalorização de 8,09% nos primeiros dez dias de outubro. O Banco Central segue com os leilões tradicionais de swaps cambiais, sem ofertas extraordinárias de venda futura de dólares.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou o dia em baixa de 2,80%, com 83.679 pontos, com queda dos papéis das grandes companhias, consideradas como blue chip, como Petrobras com desvalorização de 2,87% e Eletrobras com 8,36%.

Agência Brasil

Comments

Criar notícia falsa sobre as urnas eletrônicas é crime, diz Jungmann

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse hoje (10) que a produção de notícias falsas sobre o sistema de urna eletrônica é crime de falsidade ideológica e deve ser punido. Jungmann quer se encontrar ainda esta semana com a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, para tratar do problema de divulgação de notícias falsas durante o período eleitoral.

Jungmann disse que a produção de notícia falsa para gerar dúvida sobre a urna eletrônica não se confunde com o direito de expressão dos cidadãos. “É preciso compreender que ter dúvida ou ter desconfiança com o sistema, evidentemente, é um direito de expressão de qualquer um, embora não seja muito bom; mas não é crime”, afirmou.

“O que é crime é fazer fake news [notícia falsa, em inglês] para demonstrar falsamente fraudes no sistema, porque aí neste caso é crime de falsidade ideológica. Ter dúvidas faz parte do jogo democrático, agora produzir fake news para ilustrar, digamos assim, ou produzir fraudes contra o sistema, isto é crime, e tem que ser reprimido e punido”, disse Jungmann, após assinar um acordo com o Ministério do Trabalho para aumentar a qualificação dos presos.

No primeiro turno das eleições, realizado no último domingo (7), foram divulgados nas redes sociais vídeos e imagens de supostas fraudes em urnas eletrônicas. Todos foram desmentidos pelo TSE. A segurança da urna eletrônica depois foi elogiada por observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Jungmann disse ainda que deve se reunir na próxima semana com os representantes de todos os estados que compõem o Centro Integrado de Comando e Controle da Polícia Federal para orientar as forças policiais sobre o assunto.

“Nós estamos nos preparando para o segundo turno. Eu vou fazer uma reunião no centro de comando e controle com os 26 estados e todas as polícias para passar orientações de como enfrentar a questão dos fake news e também devo pedir uma audiência à ministra Rosa Weber para que esse esforço também se desenvolva no âmbito de toda a Justiça Eleitoral dos estados”, comentou.

O ministro explicou que a recepção das denúncias tem sido feita pelas polícias, mas que também devem ser encaminhadas para a Justiça Eleitoral, para que decida quais casos devem ser investigados.

Agência Brasil

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Por G1 RN

 


Médica foi afastada do Hospital Giselda Trigueiro após ragasr receita de paciente que disse que votou em Haddad — Foto: Michelle Rincon/Inter TV Cabugi

Médica foi afastada do Hospital Giselda Trigueiro após ragasr receita de paciente que disse que votou em Haddad — Foto: Michelle Rincon/Inter TV Cabugi

A médica infectologista Tereza Dantas foi afastada das atividades no Hospital Estadual Giselda Trigueiro, em Natal, após rasgar a receita médica de um paciente de 72 anos que afirmou que votou em Fernando Haddad para a presidência da República. Em entrevista ao G1 a médica disse estar arrependida.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) informou que vai abrir uma sindicância para apurar o caso e tomar as medidas cabíveis. “A direção do Hospital Giselda Trigueiro esclarece que esta não é uma conduta adotada pelo hospital, nem muito menos de orientação da Sesap. A profissional ficará temporariamente afastada das atividades”, diz a nota.

Em entrevista ao G1, a médica declarou que se arrependeu da atitude antes da repercussão do caso, ainda na segunda, e tentou falar com o paciente, mas ele não a atendeu. “Eu pedi perdão a Deus e pedi que ele me ajudasse a tirar de mim essa mágoa. Eu nunca gostei de extremismos e estava me transformando em algo que não gosto. Não deveria ter feito isso, eu sei. Agi por impulso e, por isso, peço desculpas”, disse a profissional.

O caso

O aposentado José Alves de Menezes contou que a situação aconteceu na última segunda-feira (8), por volta das 7h30, quando ele foi à unidade de saúde para pegar a receita de remédio que toma diariamente. José disse que a médica o viu na unidade e pediu que ele esperasse, dizendo que já sabia o que ele queria. Após chegar até ele com a receita em mãos, perguntou em quem ele havia votado para presidente.

“Eu disse que votei no Haddad, ai ela disse: ‘pois então não dou mais a receita’, e rasgou. Duas ou três pessoas também viram. Respondi na inocência. Nem sabia quem era o candidato dela”, disse o aposentado. “Me senti ofendido. Passei vergonha na frente de todo mundo. No início, achei que era brincadeira e até ri”, acrescentou.

Após o fato, o paciente registrou queixa na ouvidoria da unidade e fez um boletim de ocorrência na Polícia Civil. O caso foi encaminhado para a Delegacia do Idoso.

José Alves de Menezes, de 72 anos, disse que médica rasgou receita após ele declarar que votou em Haddad — Foto: Heloisa Guimarães/Inter TV Cabugi

José Alves de Menezes, de 72 anos, disse que médica rasgou receita após ele declarar que votou em Haddad — Foto: Heloisa Guimarães/Inter TV Cabugi

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Cursos gratuitos começam em novembro — Foto: Divulgação

Cursos gratuitos começam em novembro — Foto: Divulgação

Começam nesta quinta-feira (11) as inscrições para cursos gratuitos ofertados pelo Serviço Social do Comércio (Sesc RN). Ao todo serão 173 vagas distribuídas em cinco cidades do RN: Natal, Mossoró, Caicó, São Paulo do Potengi e Nova Cruz.

Os interessados poderão se inscrever até 23 de outubro em cursos de bordados, moda jovem e casual, confecção de roupas versáteis, designer de sobrancelhas, além de capacitações sobre o preparo de bolos e palhas italianas.

Os cursos gratuitos são abertos aos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes, além de estudantes de escolas públicas com renda familiar mensal inferior a três salários.

Para se inscrever será necessário apresentar RG ou Certidão de Nascimento, CPF, comprovante de residência e de escolaridade. O resultado será divulgado no site do Sesc em 26 de outubro e as aulas começam em novembro. As datas estão disponíveis no edital.

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


 Júri popular aconteceu nesta quarta-feira (10), no Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal. Joyce Girlaine Cosme, de 22 anos, foi condenada a 13 anos de prisão — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Júri popular aconteceu nesta quarta-feira (10), no Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal. Joyce Girlaine Cosme, de 22 anos, foi condenada a 13 anos de prisão — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Joyce Girlaine Cosme, de 22 anos, acusada de matar a estudante Maria Raquel Silva de Almeida, de 15 anos, no carnaval de 2017, foi condenada a 13 anos de prisão em regime fechado. O júri popular aconteceu nesta quarta-feira (10), no Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal.

O promotor do caso, Augusto Azevedo, disse que vai avaliar se recorre da decisão para tentar aumentar a pena.

Joyce foi absolvida da acusação de tentativa de homicídio contra a mãe de Maria Raquel.

Segundo as investigações, Joyce Girlaine Cosme, de 22 anos, cometeu o assassinato por ciúmes, já que Maria Raquel teria se relacionado com o então namorado da agressora. A acusada foi presa um mês depois do crime na região do Alto Sertão pernambucano.

O crime

Maria Raquel foi esfaqueada no dia 18 de fevereiro do ano passado em meio ao ‘Nazaré Folia’, tradicional festa de carnaval realizada nas proximidades da rodoviária de Natal, no bairro Nossa Senhora de Nazaré, na Zona Oeste da cidade.

Segundo a polícia, houve uma briga e a adolescente acabou atacada. A mãe da Maria Raquel, que também estava na festa, tentou separar a briga e acabou agredida com uma pancada na cabeça.

Maria Raquel Silva Almeida tinha 15 anos quando foi assassinada — Foto: PM/Divulgação

Maria Raquel Silva Almeida tinha 15 anos quando foi assassinada — Foto: PM/Divulgação

Fonte: G1RN

INTERNACIONAIS

Fúria da natureza

Furacão Michael chega ao condado de Franklin, na Flórida, nos EUA — Foto: REUTERS/Steve Nesius

Furacão Michael chega ao condado de Franklin, na Flórida, nos EUA — Foto: REUTERS/Steve Nesius

O furacão Michael tocou o solo do estado da Flórida, nos Estados Unidos, após deixar 13 mortos na América Central. O potencial de destruição do fenômeno é catastrófico. São previstos ventos fortes, de mais de 250 km/h, chuvas intensas e ondas gigantes. Ele está classificado na categoria 4, em uma escala de 5. Cerca de 500 mil pessoas receberam ordem ou alerta para deixar suas casas.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Fechar Menu