ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA QUINTA-FEIRA

Quinta-feira, 6 de setembro

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem-informado.


Por G1

 

Atentado na disputa presidencial. Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, é esfaqueado em MG. O ataque ocorreu durante caminhada pelas ruas de Juiz de Fora, enquanto o presidenciável era carregado por apoiadores. Ferido, Bolsonaro foi levado para o hospital e passou por cirurgia. O intestino e uma artéria do candidato foram atingidos. Segundo os médicos, ele está fora de perigo. O agressor foi preso em flagrante e confessou o crime. Leia abaixo todas as informações sobre o episódio que mancha a corrida eleitoral, a repercussão entre políticos e chefes dos poderes, as investigações e outras notícias do dia:

NACIONAIS

O ataque

Bolsonaro foi atingido por uma facada na barriga quando era levado nos ombros por correligionários, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG), nesta tarde. O candidato à Presidência foi levado à Santa Casa da cidade. O hospital informou que ele deu entrada na emergência por volta de 15h40, e passou por uma cirurgia que terminou às 19h40. Segundo boletim médico, a facada causou três lesões no intestino e atingiu uma artéria. Ele foi levado para a UTI e tem quadro estável.

Candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) é atendido em hospital de Juiz de Fora após ser esfaqueado (Foto: Arquivo pessoal/G1)

Candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) é atendido em hospital de Juiz de Fora após ser esfaqueado (Foto: Arquivo pessoal/G1)

O suspeito

O autor do ataque, identificado como Adélio Bispo Oliveira, de 40 anos, foi preso e levado para a delegacia da PF em Juiz de Fora. Ele confessou o crime e disse que agiu ‘a mando de Deus’ e por divergências pessoais. De acordo com a polícia, o suspeito já tinha passagens pela polícia por lesão corporal. Ele foi filiado ao PSOL entre 2007 e 2014, quando pediu desfiliação. A executiva do partido em MG divulgou nota repudiando o ataque e cobrando investigação.

Em suas redes sociais, Adélio fazia várias públicações contra políticos, geralmente com textos confusos, com teorias conspiratórias. As publicações também contêm críticas à maçonaria e um tom de revolta com os políticos em geral, e ele já pediu a renúncia do presidente Temer.

Repercussão

Pessoas fazem oração diante da Santa Casa de Juiz de Fora para onde Jair Bolsonaro foi levado depois de ter sido esfaqueado, em Minas Gerais (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)

Pessoas fazem oração diante da Santa Casa de Juiz de Fora para onde Jair Bolsonaro foi levado depois de ter sido esfaqueado, em Minas Gerais (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)

O atentado gerou manifestações de repúdio entre os chefes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, e também de outros candidatos e partidos da corrida pelo Palácio do Planalto.

Corrida eleitoral

pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (5) mostra os números divididos por sexo, idade, escolaridade, religião, região e raça. O candidato Jair Bolsonaro lidera entre os mais jovens e mais escolarizados. Já Ciro Gomes cresceu mais no Nordeste. Veja os números.

Pedido negado

Os ministros Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), e Celso de Melo, magistrado com mais tempo de atuação no Supremo, negaram o pedido da defesa do ex-presidente Lula para permitir sua candidatura. Advogados apresentaram como defesa decisão de comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) que pediu ao Brasil para garantir os direitos políticos do petista. Para Fachin, decisão da ONU tem apenas efeito eleitoral, não criminal. Para Celso de Melo, não é possível suspender a decisão porque o recurso apresentado contra a medida ainda não chegou efetivamente no STF.

Lula foi preso no começo de abril para cumprir pena pelo caso Triplex. Na semana passada, por seis votos a um, o TSE rejeitou a candidatura de Lula com base na Lei da Ficha Limpa.

Troca de farpas

Em novo vídeo, Temer pede para que Alckmin 'conte a verdade' sobre o apoio do PSDB ao governo (Foto: Reprodução/Twitter)

O presidente Michel Temer fez críticas a Geraldo Alckmin em vídeos publicados em sua conta no Twitter na noite da quarta (5) e manhã da quinta (6). Neles, ele pede que o candidato do PSDB ‘conte a verdade’ sobre o apoio de seu partido ao governo atual, relembrando correligionários que foram ministros em sua administração.

Em resposta, Alckmin afirmou que Temer ‘não tem legitimidade’ e reiterou que foi contra a entrada do PSDB no governo.

Ainda na quinta (6), Temer também publicou mensagem atacando o candidato do PT à vice-presidência, Fernando Haddad.

3ª semana de campanha

Seis estados brasileiros não receberam nenhuma visita dos candidatos à Presidência da República nas primeiras 3 semanas de campanha. Entre eles Roraima, que vive uma crise com a chegada de venezuelanos. Os dados são de um levantamento do G1. Principal destino ainda é São Paulo. O estado recebeu os 11 candidatos e teve o maior número de visitas na agenda de todos eles.

Entrevista G1 e CBN

O candidato José Maria Eymael, do DC, participou de sabatina feita pelo G1 e pela CBN nesta quinta-feira. Na entrevista, o presidenciável afirmou que, se eleito, diz que venderia Eletrobras, mas manteria Petrobras e bancos.

Fato ou Fake

selo 01 fato ou fake (Foto: Alexandre Mauro/G1)

selo 01 fato ou fake (Foto: Alexandre Mauro/G1)

Veja o que é #Fato ou #Fake na entrevista de Eymael para o G1 e a CBN. Já foram sabatinados Geraldo Alckmin, do PSDB, e Amoêdo, do Partido Novo. Próximo entrevistado será Henrique Meirelles, na segunda-feira (10), seguido de Vera Lúcia (11/9), Bolsonaro (12/9), Marina (13/9), Goulart Filho (14/9), Boulos (17/9), Haddad (18/9), Ciro (19/9) e Alvaro Dias (20/9). Veja agenda.

Campanha na rua

Veja abaixo as atividades de campanha dos candidatos à Presidência nesta quinta-feira:

Deflação

Receio de comprar fez com que o país registrasse deflação, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o IBGE, trata-se da menor taxa para um mês de agosto desde 1998. Setor de transportes e alimentação puxaram a queda.

 Fonte: G1

Nível de segurança aos candidatos é ‘o mais alto’ e não havia informação sobre ataque, diz PF

 

A Polícia Federal considerou, após uma avaliação preliminar, que não houve erros na escolta dada pelo órgão ao candidato Jair Bolsonaro em Juiz de Fora (MG).

O setor de inteligência não havia recebido nenhuma informação que indicasse a iminência de um ataque, segundo o órgão. Informações desse tipo podem levar a PF a tentar convencer um político ou uma autoridade sob escolta a cancelar compromissos. Os policiais não têm poder de veto sobre a agenda do protegido.

A PF afirma que os níveis de segurança empregados não só para Bolsonaro, mas para todos os presidenciáveis nestas eleições “são os mais altos, até acima dos oferecidos aos chefes de Estado que participaram das Olimpíadas no Rio de Janeiro” em 2016.

Mesmo considerando que “os rígidos padrões recomendados” foram mantidos na escolta de Bolsonaro, a PF deverá reforçar a segurança de todos os candidatos nos próximos dias, como forma de precaução. Não foi revelado, por razões de segurança, o número de policiais federais que atuavam na escolta de Bolsonaro.

A direção-geral da PF, em Brasília, disse que vai convidar os coordenadores das campanhas presidenciais para reuniões sobre a segurança dos candidatos. Provavelmente, diz a PF, nessas reuniões serão reforçadas as recomendações para que os candidatos evitem exposições desnecessárias e riscos físicos em suas atividades de campanha.

A PF reconheceu que trabalha com limites legais para a atividade de escolta. “O policial da escolta pode advertir, alertar, recomendar, mas o candidato é livre para fazer sua campanha. É um risco que se corre o tempo todo”, informou um policial.

Folhapress

Comments

Bolsonaro deve ficar ao menos uma semana internado, diz médico

O candidato a presidência Jair Bolsonaro, não deverá receber alta hospitalar antes de 10 dias, disse em coletiva de imprensa na noite desta quinta-feira (6) o médico Luiz Henrique Borsato, que realizou operação. Ele falou a jornalistas na Santa Casa de Juiz de Fora (MG) onde o candidato está internado após ser atingido com uma facada durante ato de campanha nesta tarde.

“Antes de uma semana ou dez dias ele não vai receber alta”, afirmou o médico, ressalvando no entanto que “não tem como dar certeza” do tempo preciso que o candidato permanecerá hospitalizado.

Os médicos disseram que houve o rompimento de uma veia no abdômen e lesões no instestino delgado e no instestino grosso.

O médico Luiz Henrique informou, na entrevista coletiva, que não foi constatada nenhuma lesão no fígado de Bolsonaro, e que não sabe de onde veio esta informação.

“O que houve foi um sangramento na veia abdominal, que logo foi estancado, e lesões nos intestinos grosso e delgado. Foi retirada a parte lesada do intestino grosso e o intestino delgado foi costurado”, disse Borsato. “As lesões internas foram graves e colocaram em risco a vida do paciente.”

O candidato passou por uma cirurgia e deverá ser submetido a outra operação para reverter a colostomia, realizada em caráter temporário.

Bolsonaro está consciente e irá passar a noite na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os profissionais também afirmaram que não há como precisar o tempo que o candidato passará na unidade, onde já recebeu a visita de dois filhos.

Comments

Candidatos cancelam agenda de campanha

Os candidatos a presidente da República decidiram cancelam agenda que teriam nesta quinta-feira (6) após o atentado contra Jair Bolsonaro.

Marina Silva

A candidata Marina Silva, da Rede, divulgou em nota nesta quinta-feira (6) que não terá agenda de campanha nesta sexta-feira (7) em razão do atentado sofrido pelo concorrente Jair Bolsonaro (PSL).

“Devido às circunstâncias excepcionais, Marina Silva não terá agenda nesta sexta-feira (7), até segunda ordem”, diz a nota.

Geraldo Alckimin

O presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, informou que suspenderá sua agenda eleitoral desta sexta-feira (7) por causa do ataque sofrido por seu adversário Jair Bolsonaro (PSL).

“Em respeito ao deputado Jair Bolsonaro, que se recupera do atentado sofrido nesta quinta-feira (6), a campanha de Geraldo Alckmin suspendeu suas atividades nesta sexta-feira (7), adiando os compromissos previamente agendados”, informou a campanha tucana em nota.

Ciro Gomes

Ciro Gomes, por sua vez, suspendeu as atividades que faria em Natal hoje à tarde, mas sua agenda de compromissos para amanhã continuava confirmada até as 20h30 de hoje.

Fernando Haddad

Vice na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-prefeito Fernando Haddad cancelou a agenda do dia 7 de setembro.

Ele participaria da 24 edição do Grito dos Excluídos, em São Paulo.

Comments

Operação de Bolsonaro durou cerca de duas horas, mas candidato está consciente e estável na UTI

O médico Luiz Henrique Borsato, que realizou a operação de Jair Bolsonaro, informou que o procedimento cirúrgico durou cerca de duas horas, mas que o candidato a presidente da República se encontra consciente em um quadro clínico considerado estável.

Ele informou que o candidato se encontra internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade sob acompanhamento médico, mas que já viu os filhos. “A cirurgia durou cerca de duas horas, mas o paciente está estável e consciente. Já viu os filhos”, disse o médico.

Borsato revelou que Bolsonaro “deu entrada com sinais de choque” e que foi submetido a uma “cirurgia em caráter de urgência com volumosa hemorragia interna”. O médico explicou que foi feita a ligadura da veia e a hemorragia foi estancada.

Além da hemorragia, foram encontradas três lesões no intestino delgado e que essas lesões foram fechadas por meio de suturas. Contudo, uma lesão grave foi encontrada na região do cólon transverso, que foi corrigida com uma ressecção e uma colostomia. Outras lesões graves foram identificadas e tratadas durante a cirurgia.

Comments

Chefe de cirurgia da Santa Casa confirma que Bolsonaro correu risco de morrer

O médico Cícero de Lima Rena, chefe de cirurgia da Santa Casa, que coordenou a equipe de cirurgiões que operou Jair Bolsonaro, confirmou que o candidato correu risco de morte após o ataque. A informação foi dada na coletiva realizada agora a noite pela direção do hospital Santa Casa de Misericórdia, de Juiz de Fora.

De acordo com o médico, só o fato de ter havido a lesão, já configura o risco e adiantou que Bolsonaro não será transferido para o Sírio Libanês. “Lesões, todas elas, tem um risco para a vida. Com relação à transferência, é uma decisão que a família tem que tomar com base nas condições clínicas do paciente. Nesse momento, ele não tem condições de ser transferido”, disse.

Apesar de tudo, Cícero Rena se mostrou otimista com a recuperação de Bolsonaro. “Acreditamos que teremos uma recuperação bastante boa em um tempo bastante curto”, externou.

O médico confirmou que uma equipe do Sírio Libanês está a caminho para acompanhar o caso a pedido da família e que, em havendo condições clínicas, se for interesse da família, ele será transferido. “Tão logo haja [condições clínicas], a gente não vê porque não haver a transferência, caso seja interesse da família”, disse.

Comments

Presidente do STF, Cármen Lúcia externa preocupação com ‘liberdade dos candidatos’

Foto: Divulgação/STF 

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, demonstrou preocupação “com a garantia da liberdade dos candidatos e dos eleitores, qualquer que seja a posição ou ideologia adotada por quem quer que seja” após o ataque contra o candidato Jair Bolsonaro

A magistrada disse ainda que deve “ser renegada qualquer forma de violência ou de desrespeito aos direitos, pelo que há que se apurar com celeridade, segurança e com apresentação de resultados o que efetivamente se passou, o responsávbel e qual a medida jurídica a ser imediatamente adotada”.

Outro membro do STF que se manifestou sobre o caso foi o ministro Gilmar Mendes, que classificou o episódio como lamentável. “É, para todos o títulos, deplorável. Temos tido campanhas acirradas desde 88, mas sem violência”, disse à BBC News Brasil.

“Nós tivemos em 2016 muitos episódios, na Baixada Fluminense, mas nunca numa eleição presidencial. Acho que isso é inédito. Acho que devemos tratar com cautela e claro repudiar e conclamar que as eleições ocorram em paz”.

Disse que o caso não gera preocupação sobre a condução da eleição. “Os órgãos eleitorais estão se portando como é devido. Mas é óbvio que o clima de acirramento às vezes leva a esses desbordamentos. É preciso que todos nós, que temos responsabilidade, clamemos para que haja divergência dentro de um ambiente democrático”. (Com informações da BBC Brasil)

Fonte: Blog do BG

 

INTERNACIONAIS

Burt Reynolds

Burt Reynolds em cena de 'Agarre-me se puderes' (Foto: Reprodução)

Burt Reynolds em cena de ‘Agarre-me se puderes’ (Foto: Reprodução)

ator Burt Reynolds morreu aos 82 anos, de ataque cardíaco. Ele vinha sofrendo com problemas de saúde desde 2010, segundo a família. O americano ganhou um Globo de Ouro por seu papel como um “rei do pornô” em “Boogie Nights” (1997), pelo qual também foi indicado a um Oscar de ator coadjuvante.

Deixe uma resposta

Fechar Menu