ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Pela 1ª vez desde que foi preso, o presidente Lula deixou a carceragem da PF em Curitiba e prestou depoimento sobre o processo envolvendo o sítio de Atibia. Em 3 horas de interrogatório, o ex-presidente voltou a negar as acusações sobre o pagamento de vantagem indevida por meio de reformas no imóvel. Em Brasília, o xadrez político de Bolsonaro move novas peças. O presidente eleito anunciou o nome de quem vai comandar o Itamaraty a partir de janeiro, e a equipe de transição anuncia um novo Ministério: o da Cidadania. O governo de Cuba decide abandonar o programa Mais Médicos após declarações ‘ameaçadoras’ de Bolsonaro, que criticou a decisão: ‘ditadura demonstra irresponsabilidade’. O que foi notícia nesta quarta-feira:

NACIONAIS

Lava Jato

Lula — Foto: Reprodução

Lula — Foto: Reprodução

Após quase 3 horas, terminou no fim da tarde o interrogatório do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia. Ele foi ouvido pela juíza Gabriela Hardt, que assumiu processo após saída de Moro, e voltou à prisão na PF em Curitiba. No depoimento, Lula disse que não era dono do sítio e que pensou em comprá-lo, mas o dono não queria vender. Ele é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro; Lula nega acusações.

O que mais Lula disse no interrogatório:

  • Afirmou duvidar que Marisa tenha pedido reforma;
  • Não explicou notas fiscais da obra achadas na casa dele;
  • Afirmou que queria provar que o sítio não era dele;
  • Negou ter pedido reforma na cozinha do sítio
  • Questionou a juíza: ‘sou dono do sítio ou não?’
  • Criticou o juiz Sérgio Moro
  • E foi repreendido pela juíza: ‘Está claro que eu não vou ser interrogada?’
  • VÍDEOS: assista ao interrogatório

Acabou a parceria

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou.

18.6K people are talking about this

O governo de Cuba anunciou que vai sair do programa social Mais Médicos, e afirma que foi por causa de declarações ‘ameaçadoras’ do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Em agosto, ainda em campanha, Bolsonaro declarou que ‘expulsaria’ os médicos cubanos do Brasil com base no exame de revalidação de diploma de médicos formados no exterior, o Revalida.

Hoje, ao justificar o fim da parceria pelo Twitter, Bolsonaro disse que Cuba não aceitou condições impostas por ele, e que a ‘ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade’ ao tirar médicos do Brasil.

selo, mais médicos, estados — Foto: Alexandre Mauro/G1

selo, mais médicos, estados — Foto: Alexandre Mauro/G1

Novo ministério e novo ministro

Bolsonaro deu entrevista em Brasília ao lado do novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo — Foto: Alvaro Costa/TV Globo

Bolsonaro deu entrevista em Brasília ao lado do novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo — Foto: Alvaro Costa/TV Globo

Ainda em Brasília, Bolsonaro anunciou o nome do diplomata Ernesto Araújo como ministro das Relações Exteriores. O anúncio também foi feito pelo Twitter e depois comentou o assunto em entrevista coletiva. Segundo Bolsonaro, Araújo é diplomata de carreira há 29 anos e um “brilhante intelectual.

Já o futuro chefe da Casa Civil no governo Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, o “martelo está batido” para a criação do “Ministério da Cidadania”, que cuidará das áreas de desenvolvimento social, direitos humanos e políticas de combate às drogas – atualmente o governo federal tem o ministério do Desenvolvimento Social e o ministério dos Direitos Humanos.

Nova denúncia

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante entrevista nesta segunda (12) — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante entrevista nesta segunda (12) — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O homem-forte de Bolsonaro é alvo de investigação da Procuradoria-Geral da República, que apura se Onyx recebeu outros R$ 100 mil por caixa 2. Delatores do grupo J&F entregaram uma planilha que, segundo os colaboradores, comprova o repasse feito na campanha de deputado em 2012. No ano passado, ele admitiu ter recebido R$ 100 mil não declarados da J&F em 2014. O futuro ministro disse que a denúncia é requentada.

Saiba mais:

Fugir do local de acidente é crime

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) durante sessão desta quarta-feira (14) — Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) durante sessão desta quarta-feira (14) — Foto: Nelson Jr./SCO/STF

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) considerou que é crime um motorista fugir do local de acidente de trânsito. O Código de Trânsito Brasileiro prevê pena de até 1 ano de prisão ou multa. STF julga recurso da PGR contra absolvição de motorista. Decisão valerá para casos semelhantes. O julgamento ainda não terminou. Faltam os votos de cinco ministros.

Médico assassinado

Polícia Civil identifica e pede prisão de um dos suspeitos de matar médico em SP — Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Civil

Polícia Civil identifica e pede prisão de um dos suspeitos de matar médico em SP — Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Civil

A polícia de São Paulo identificou e pediu a prisão de um suspeito de matar o médico Roberto Kikawa, criador das Carretas da Saúde. Segundo as investigações, Luciano Silva Moreira, 18, aparece em um vídeo de uma câmera de segurança atirando no médico durante tentativa de roubo no dia 10. A Justiça deve decidir se decreta prisão temporária do suspeito.

Quase lá

Migrantes se reúnem na fronteira entre o México e os Estados Unidos — Foto: Jorge Duenes / Reuters

Migrantes se reúnem na fronteira entre o México e os Estados Unidos — Foto: Jorge Duenes / Reuters

Cerca de 400 migrantes chegaram à fronteira do México com os Estados Unidos mais de um mês após a saída da caravana de Honduras. Alguns dos migrantes escalaram a cerca que divide os dois países sob os olhares dos agentes da patrulha fronteiriça americana. Eles planejam solicitar refúgio às autoridades americanas nos próximos dias.

Esse grupo inclui dezenas de lésbicas, gays e transgêneros, que se afastaram da principal caravana, que chegou a reunir 7 mil pessoas. A maior parte dos migrantes ainda permanece longe da fronteira, na região de Sinaloa, no oeste do México.

Fogo na Califórnia

Animais resgatados após incêndio na Califórnia. — Foto: Divulgação/ Facebook

Animais resgatados após incêndio na Califórnia. — Foto: Divulgação/ Facebook

Subiu para 50 o número de mortos no gigantesco incêndio que queima desde a última quinta-feira (8) o norte da Califórnia. ‘Camp Fire’ engoliu a cidade de Paradise e é o mais letal da história do estado. A situação gerou uma onda de solidariedade entre artistas de Hollywood, que também tiveram casas destruídas. A cantora Miley Cyrus mostrou o antes e depois de parte da casa que mantinha em Malibu, e pediu colaboração para a Fundação Malibu, que está recebendo donativos para a reconstrução da região.

Lady Gaga entrega pizza para desabrigados de incêndio, na Califórnia — Foto: Reprodução/Instagram

Lady Gaga entrega pizza para desabrigados de incêndio, na Califórnia — Foto: Reprodução/Instagram

Educação infantil

Alunos de creche municipal em Indianópolis (SP) brincam no gira-gira. — Foto: Marcelo Brandt/G1

Alunos de creche municipal em Indianópolis (SP) brincam no gira-gira. — Foto: Marcelo Brandt/G1

Em 17 anos, a formação dos professores que trabalham nas creches brasileiras mudou radicalmente. O mais comum, em 2000, era encontrar docentes que tinham estudado até o ensino médio, sem fazer uma graduação. Em 2017, ano do último Censo Escolar, a situação se inverteu: 66,3% dos professores têm diploma de ensino superior. Especialistas veem maior atenção com essa parte do ensino, mas alertam para qualidade dos cursos de pedagogia.

Curtas e rápidas

Foto Charles — Foto: Reprodução/Twitter Oficial Clarence House

Foto Charles — Foto: Reprodução/Twitter Oficial Clarence House

Fonte: G1

CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil

O Conselho Federal de Medicina (CFM) se manifestou hoje sobre o anúncio do governo de Cuba de retirada de seus profissionais do Programa Mais Médicos. Em nota divulgada à imprensa, o CFM afirma que o Brasil conta com médicos formados em número suficiente para atender às demandas da população.

“Para estimular a fixação dos médicos brasileiros em áreas distantes e de difícil provimento, o governo deve prever a criação de uma carreira de Estado para o médico, com a obrigação dos gestores de oferecerem o suporte para sua atuação, assim como remuneração adequada”, diz a nota divulgada pelo conselho.

O texto ressalta que cabe ao governo oferecer aos médicos brasileiros condições adequadas para atender a população. Infraestrutura de trabalho, apoio de equipe multidisciplinar, acesso a exames e a uma rede de referência para encaminhamento de casos mais graves são os itens apontados pelo CFM que o governo precisa garantir para os profissionais brasileiros desempenharem suas funções.

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (14) que vai lançar um edital nos próximos dias para médicos brasileiros que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos que integram o programa Mais Médicos, que atende população que vive em áreas carentes e periferias. Segundo o ministério, 8.332 vagas são ocupadas por esses profissionais.

As autoridades cubanas afirmaram que seus profissionais deixarão o programa por discordarem de exigências feitas pelo novo governo, como a revalidação dos diplomas. Em coletiva de imprensa nesta tarde, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que os cubanos que quiserem atuar no país devem revalidar os diplomas.

Agência Brasil

Comments

Quem tem problemas com a Justiça não entrará no governo, diz Bolsonaro

Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente eleito Jair Bolsonaro descartou a possibilidade de que pessoas com problemas com a Justiça integrem seu governo. Ao apresentar o futuro chanceler, o embaixador Ernesto Araújo, o futuro mandatário negou que esteja negociando indicações para embaixadas ou ministérios com qualquer integrante do atual governo.

“Quem estiver devendo para a Justiça não terá a mínima chance de continuar num governo meu. Quem não estiver devendo, podemos até conversar”, declarou Bolsonaro. Ele disse que pretende concluir a definição dos nomes para ocupar o primeiro escalão até 30 de novembro.

Sobre o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, Bolsonaro declarou que ele está isento de acusações e tem qualidades para ocupar o cargo. O presidente eleito disse que as indicações não estão levando em conta critérios políticos.

“O Onyx é a pessoa mais adequada para responder a essa pergunta para vocês. Pelo que eu saiba, ele não é réu em nada. Não tem critério político [nas indicações]”, acrescentou Bolsonaro.

O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, negou hoje (14) que tenha sido beneficiado com um segundo repasse da JBS, em 2012. Ele reconheceu que houve, sim, um repasse em 2014, e disse ter admitido o erro publicamente. De acordo com o ministro, a informação veiculada na imprensa nesta quarta-feira (14) tem a intenção de desestabilizar o governo eleito Jair Bolsonaro.

Perguntado se confiava plenamente na isenção de Lorenzoni, o futuro presidente respondeu: “Cem por cento da minha confiança, ninguém tem. Só meu pai e minha mãe”. Neste momento, Bolsonaro foi aplaudido por populares que acompanhavam a entrevista na porta do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, local onde está a equipe de transição.

Depois de sair do CCBB, Bolsonaro dirigiu-se ao Aeroporto de Brasília, de onde voltou para o Rio de Janeiro.

Agência Brasil

Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos

Secretários municipais de Saúde e prefeitos reagiram hoje (14) à interrupção da cooperação técnica entre a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o governo de Cuba, que possibilitava o trabalho de cerca de 8,5 mil profissionais cubanos no programa Mais Médicos. Em nota conjunta, o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) apelam para a manutenção dos profissionais cubanos no Brasil sob risco de faltar atendimento à população.

Segundo as entidades, com a decisão do Ministério da Saúde de Cuba de rescindir a parceria, mais de 29 milhões de brasileiros poderão ficar desassistidos da atenção básica de saúde. Eles pediram que o presidente eleito Jair Bolsonaro reveja a decisão de aplicar novas exigências para a permanência dos cubanos no país.

“As entidades pedem a revisão do posicionamento do novo Governo, que sinalizou mudanças drásticas nas regras do programa, o que foi determinante para a decisão do governo de Cuba. Em caráter emergencial, sugerem a manutenção das condições atuais de contratação, repactuadas em 2016, pelo governo Michel Temer, e confirmadas pelo Supremo Tribunal Federal, em 2017”, diz a nota.
Cubanos

Os profissionais de nacionalidade cubana representam, atualmente, mais da metade dos médicos do programa, o que poderá acarretar em “um cenário desastroso” para pelo menos 3.243 municípios. “Dos 5.570 municípios do país, 3.228 (79,5%) só têm médico pelo programa e 90% dos atendimentos da população indígena são feitos por profissionais de Cuba”, informa a nota.

O Conasems e a FNP lembram ainda que o Mais Médicos é amplamente aprovado pelos usuários, com 85% de satisfação em relação à melhoria na assistência em saúde após a implantação do programa.

“Cabe destacar que o programa é uma conquista dos municípios brasileiros em resposta à campanha ‘Cadê o Médico?’, liderada pela FNP, em 2013. Na ocasião, prefeitas e prefeitos evidenciaram a dificuldade de contratar e fixar profissionais no interior do país e na periferia das grandes cidades”, afirmam prefeitos e secretários de saúde na nota.

Segundo as entidades, a cooperação com o governo de Cuba impactará negativamente no sistema de saúde, aumentando as demandas por atendimentos nas redes de média e alta complexidade, além de agravar as desigualdades regionais, já que a maioria dos médicos está espalhada no interior das regiões Norte e Nordeste.

“O cancelamento abrupto dos contratos em vigor representará perda cruel para toda a população, especialmente para os mais pobres. Não podemos abrir mão do princípio constitucional da universalização do direito à saúde, nem compactuar com esse retrocesso”, encerra a nota.

O presidente eleito afirmou mais cedo que pretende manter o programa, mas substituir os mais 8 mil profissionais cubanos por brasileiros ou estrangeiros de outros países. Ele afirmou que os cubanos que quiserem atuar no país devem revalidar os diplomas e se adequarem a novas regras.

Abertura de 10 mil vagas

À Agência Brasil, o presidente do Conasems, Mauro Junqueira, afirmou que pediu ao ministro da Saúde, Gilberto Occhi, que o próximo edital de reposição de vagas no Mais Médicos, que previa a contratação de 1,6 mil profissionais, seja ampliado para 10 mil vagas, a fim de minimizar o impacto da saída dos cubanos. O edital poderá sair já na semana que vem.

“Minha impressão é de que os médicos cubanos devem ir embora até o fim de dezembro. Temos que ter agilidade do ministério de fazer esse chamamento”, afirmou Mauro Junqueira.

O presidente do Conasems lembra que os atuais editais do programa priorizam médicos brasileiros formados no país, seguido de médicos brasileiros formado no exterior, estrangeiros e só em último lugar a contratação de cubanos. Mesmo assim, uma demanda emergencial de tantos profissionais pode dificultar a reposição das vagas.

“A partir de segunda, vamos ter 10 mil vagas. Será que vamos ter 10 mil médicos para colocar no lugar?”, questionou.

Comments

Telefonia fixa mantém redução de linhas em setembro, diz Anatel

O Brasil registrou pouco mais de 38,70 milhões de linhas fixas em operação no mês de setembro, o que representa menos 346.171 unidades em relação ao mês anterior, conforme dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Nos últimos 12 meses, a redução foi de pouco mais de 2 milhões de linhas, uma diminuição de 5,04%.

Em setembro deste ano, mais de 16 milhões de linhas fixas foram registradas pelas autorizadas no país e mais de 22 milhões pelas concessionárias. Em 12 meses, as autorizadas tiveram redução de 403.445 linhas (-2,38%) e as concessionárias, menos 1.653.272 linhas (-6,92%).

Agência Brasil

Guedes se compromete a dividir com estados arrecadação com megaleilão de petróleo

O presidente eleito Jair Bolsonaro em encontro com governadores Foto: Jorge William / Agência O Globo

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes , se comprometeu nesta quarta-feira a dividir com os estados o dinheiro arrecadado com o megaleilão de petróleo na camada pré-sal. A expectativa é que esse leilão renda até R$ 100 bilhões aos cofres públicos. A informação foi divulgada por governadores eleitos que participaram de encontro com Guedes e com o presidente eleito, Jair Bolsonaro , nesta quarta-feira em Brasília.

— O compromisso é que parte dos recursos serão partilhados com os estados. Ele não detalhou. Ele se comprometeu a compartilhar parte da arrecadação — disse o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Em entrevista coletiva após a reunião, ao ser perguntado se estava estudando o renegociamento da dívida dos estados, Bolsonaro disse que a questão estava a cargo do futuro ministro da Economia:

— Foi tratado isso na reunião com os governadores, o Paulo Guedes vai negociar isso daí.

O presidente também afirmou acreditar que, com “algumas reformas razoáveis” dos estados e do governo federal, é possível melhorar a situação do país.

— Falei com os governadores que eles têm problemas, nós também do governo federal temos. Agora, se nós juntos trabalharmos para fazer algumas reformas razoáveis, eu acho que nós temos como tirar o Brasil e os estados da situação complicada econômica em que se encontram — observou.

O que é o megaleilão

O leilão de petróleo faz parte do acordo da cessão onerosa do pré-sal entre Petrobras e governo. Por meio desse contrato, a estatal adquiriu, em 2010, o direito de explorar cinco bilhões de barris de óleo numa área do pré-sal que fica na Bacia de Santos. Foi a maneira encontrada pelo governo para reforçar o capital da empresa para os investimentos na nova fronteira de exploração do setor.

O petróleo que será leiloado é o que excede essa cota adquirida pela Petrobras nessa área, mas isso depende de um acordo entre o governo e a estatal para revisar o contrato da cessão onerosa. A negociação é baseada na reavaliação, que já era prevista, das seis áreas concedidas, que se mostraram com potencial bem maior do que o estimado em 2010.

Além dos R$ 100 bilhões que as empresas pagariam no leilão pelo direito de exploração, o governo estima que outros R$ 50 bilhões por ano entrariam para os cofres públicos com royalties e participações especiais.

Para viabilizar o acordo e o leilão, será preciso aprovar um projeto no Senado que trata do assunto.

O Globo

LOCAIS

Kleber Fernandes assume liderança do governo municipal na Câmara

O vereador Kleber Fernandes (PDT) é o novo líder do governo na Câmara Municipal do Natal. A indicação foi oficializada na manhã desta quarta-feira (14) após a leitura do ofício enviado pelo prefeito da capital, Álvaro Dias, à Mesa Diretora da Casa. Os vereadores Ney Lopes Júnior e Nina Souza, irão compor a 1ª e a 2ª vice-liderança, respectivamente.

Após a confirmação da indicação, Kleber Fernandes destacou que pretende contribuir para a harmonia entre os poderes.

“Assumi com muito orgulho e determinação a importante missão de ser o líder do governo no Legislativo Municipal. Agradeço ao prefeito Álvaro Dias a confiança e prometo honrar a nova condição, adotando uma postura sempre transparente e respeitosa. Quero reafirmar o nosso compromisso em ser o elo entre os dois poderes, uma ligação indispensável para que possamos fazer o melhor por Natal”, declarou.

Com tarifa social, funcionamento do transporte em Natal muda no feriado da Proclamação da República nesta quinta-feira

Foto: Josenilson Rodrigues/Busão de Natal

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), informa que o sistema de transporte público funcionará de forma diferenciada neste feriado de Proclamação da República.

Segundo a pasta, nesta quinta-feira (15) o sistema operará com horários e itinerários programados para o domingo e com a Tarifa Social. Com a medida, a passagem cai de R$ 3,65 para R$ 1,85 nos pagamentos em dinheiro.

Já na sexta-feira (16), o sistema funcionará com horários e itinerários programados para o sábado. Isso ocorre devido a dimunição na circulação de pessoas neste dia. No sábado (17) e domingo (18), o sistema operará com as tabelas normais para esses dias.

FISCALIZAÇÃO

Durante o feriadão, as atividades de fiscalização e atendimento a acidentes de não serão afetadas. O cidadão que precisar de suporte dos agentes de mobilidade pode ligar para o Alô STTU, no telefone 156.

FUNCIONAMENTO DA STTU

O expediente administrativo da STTU também funcionará de forma diferenciada neste feriadão. Na quinta-feira (15), não haverá expediente. Já na sexta-feira, o funcionamento do órgão será normal.

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu