ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESSA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Bolsonaro voltou a Brasília e anunciou novidades: disse que o general Fernando Azevedo e Silva será seu ministro da Defesa e que a pasta do Trabalho não perderá o status de ministério. É um recuo em relação ao que havia afirmado na semana passada. O clima esquentou na Câmara, onde um debate sobre o projeto ‘Escola sem Partido’ terminou em bate-boca. A Califórnia arde com um incêndio de dimensões gigantescas que já matou mais de 40 pessoas e engoliu mais de 7 mil imóveis. E um novo depoimento traz uma versão diferente sobre a morte do jogador Daniel. O que foi notícia hoje:

NACIONAIS

Bolsonaro em Brasília

 — Foto: Arte G1 — Foto: Arte G1

— Foto: Arte G1

Foi essa a explicação dada pelo presidente eleito sobre o que pretende fazer com o Ministério do Trabalho. Na semana passada, Bolsonaro havia dito que extinguiria a pasta, que passaria a ser uma secretaria e seria incorporada a outra área do governo. O anúncio gerou protestos de servidores.

Hoje, Bolsonaro afirmou que manterá o status do ministério e indicou uma possível fusão. Disse também que não quis menosprezar a pasta, que existe há quase 90 anos.

Outra possível mudança de planos se refere ao ensino superior, que segundo Bolsonaro seguirá sob responsabilidade do Ministério da Educação. O que antes se cogitava é que a gestão relacionada às universidades passaria para o Ministério da Ciência e Tecnologia, que será chefiado pelo astronauta Marcos Pontes.

Leia também:

Itamaraty

Perguntado se o Ministério das Relações Exteriores será chefiado por um homem ou uma mulher a partir do ano que vem, Bolsonaro respondeu ao repórter: “Pode ser gay também, você é voluntário ou não?”Veja no vídeo abaixo:

'Tanto faz, pode ser gay também', diz Bolsonaro sobre novo ministro do Itamaraty

‘Tanto faz, pode ser gay também’, diz Bolsonaro sobre novo ministro do Itamaraty

Um novo general

O general da reserva Fernando Azevedo e Silva será ministro da Defesa. Ele foi chefe do Estado-Maior do Exército, atuou na missão da ONU no Haiti e comandou a Autoridade Pública Olímpica durante os preparativos da Rio 2016, no governo Dilma. Silva é assessor do presidente do STF, Dias Toffoli, que elogiou a escolha: “Certamente sua larga experiência contribuirá para o fortalecimento da atuação das Forças Armadas, da segurança e da defesa no Brasil”, afirmou.

 O general Fernando Azevedo e Silva durante entrevista sobre a atuação das Forças Armadas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016 — Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O general Fernando Azevedo e Silva durante entrevista sobre a atuação das Forças Armadas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016 — Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

É o 2º general anunciado como ministro. O outro é Augusto Heleno, indicado para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI). O 1º escalão de Bolsonaro já tem 7 nomes confirmados:

  • Onyx Lorenzoni (Casa Civil)
  • Paulo Guedes (Economia)
  • General Augusto Heleno (Segurança Institucional)
  • Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia)
  • Sérgio Moro (Justiça)
  • Tereza Cristina (Agricultura)
  • General Fernando Azevedo e Silva (Defesa)

Ânimos exaltados

Deputados e manifestantes bateram boca durante reunião da comissão da Câmara que discute o projeto de lei ‘Escola sem Partido’, que impõe regras aos professores sobre o que pode ser ensinado e proíbe a manifestação de posicionamentos políticos, ideológicos ou partidários. A análise do projeto foi adiada pela 6ª vez. No meio da confusão, o deputado Delegado Éder Mauro (PSD-PA) fez um gesto de armas com as mãos e fingiu atirar em um grupo que protestava contra a proposta. Veja no vídeo:

Deputados e manifestantes discutiram durante análise do projeto da escola sem partido

Deputados e manifestantes discutiram durante análise do projeto da escola sem partido

Caso Daniel

Daniel Correa — Foto: Divulgação/ EC São Bento

Daniel Correa — Foto: Divulgação/ EC São Bento

Um novo depoimento trouxe detalhes até então desconhecidas sobre o assassinato do jogador Daniel. Uma mulher de 19 anos contou aos investigadores que ficou com Daniel na festa em que ele foi agredido pelo empresário Edison Brittes, assassino confesso. Ela desmentiu a versão de que a mulher de Edison pediu socorro após Daniel ter tentado estuprá-la. Disse ainda que o Edison obrigou ela e outros convidados da festa a limpar o sangue do jogador, alterando a cena do crime. Leia mais detalhes do depoimento. A polícia já ouviu mais de 15 pessoas nas investigações.

Acidente no Beach Park

“Excesso de peso” e “distribuição irregular dos participantes” foram os motivos apontados pelos peritos que analisaram o acidente que matou o radialista Ricardo Hilário Silva em um toboágua no Beach Park, em Fortaleza, em julho. O documento foi obtido com exclusividade pelo G1. A foto abaixo mostra a boia em que estava Ricardo Silva momentos antes do acidente.

Brinquedo Beach Park — Foto: Reprodução

Brinquedo Beach Park — Foto: Reprodução

O Beach Park contesta a conclusão do laudo e sugere que houve erro no projeto do brinquedo. O “Vainkará” está fechado desde o acidente.

Tragédia em Niterói

O deslizamento de uma pedra que atingiu várias casas e deixou 15 mortos no Morro da Boa Esperança, em Niterói (RJ), podia ter sido evitado com uma obra de R$ 343 mil. É o que indica um levantamento preliminar feito pela Defesa Civil do município.

Hoje, a prefeitura interrompeu o abastecimento de água na região após identificar vazamentos provocados pelo rompimento da tubulação das casas destruídas. O escoamento de água poderia provocar novos deslizamentos.

Incêndio na Califórnia

Imagem de satélite mostra o incêndio Camp Fire, no norte da Califórnia, ainda no início, na quinta-feira. — Foto: Nasa/Cortesia à Reuters

Imagem de satélite mostra o incêndio Camp Fire, no norte da Califórnia, ainda no início, na quinta-feira. — Foto: Nasa/Cortesia à Reuters

Subiu para 44 o número de mortos no incêndio mais grave da história da Califórnia. O tempo seco e os fortes ventos na região alimentam e espalham as chamas. É uma tragédia de números assustadores:

  • 505,86 km² de área destruída
  • 228 pessoas estão desaparecidas
  • 7,6 mil construções foram destruídas
  • 27 mil habitantes viviam em Paradise, cidade no norte do estado que foi completamente destruída pelo fogo
Bombeiro descansa em meio a floresta queimada no incêndio Camp Fire, na California — Foto: John Locher/AP Photo

Bombeiro descansa em meio a floresta queimada no incêndio Camp Fire, na California — Foto: John Locher/AP Photo

A hora do Brexit

Após intensas conversas nesta semana, negociadores do Reino Unido e da União Europeia chegaram hoje a um rascunho do acordo para o Brexit, a saída dos britanicos do bloco. O gabinete da premiê Theresa May vai se reunir amanhã para discutir o texto e decidir quais serão os próximos passos.

Faixa de Gaza

Homem olha nesta terça-feira (13) prédio danificado na cidade israelense de Ashkelon. Ele foi atingido por míssil lançado a partir da Faixa de Gaza — Foto: Ronen Zvulun/ Reuters

Homem olha nesta terça-feira (13) prédio danificado na cidade israelense de Ashkelon. Ele foi atingido por míssil lançado a partir da Faixa de Gaza — Foto: Ronen Zvulun/ Reuters

O grupo palestino Hamas, que controla a Faixa de Gaza, anunciou um cessar-fogo para interromper a escalada de violência com Israel que voltou a provocar mortes. As autoridades israelenses não confirmam o acordo. Os confrontos se intensificaram após uma operação secreta israelense em Gaza, no domingo (11). Em retaliação, palestinos lançaram mísseis contra o território vizinho, que respondeu com bombardeios em diários. A crise é considerada a mais grave na região desde 2014.

Adeus, Stan Lee

Fãs de Stan Lee prestam homenagem em Calçada da Fama, em Hollywood — Foto: REUTERS/Mario Anzuoni

Fãs de Stan Lee prestam homenagem em Calçada da Fama, em Hollywood — Foto: REUTERS/Mario Anzuoni

Fãs prestaram homenagens ao quadrinista Stan Lee após a sua morte aos 95 anos. Flores e recados foram deixados para o criador dos heróis da Marvel na sua estrela na calçada da fama, em Hollywood. “Perdemos um gênio”, lamentou Hugh Jackman, que interpretou uma das criações de Lee, Wolverine. A Turma da Mônica também lembrou do homem que mudou a cultura pop.

Curtas e rápidas

Fonte: G1

Deputados e manifestantes batem boca em comissão sobre ‘Escola Sem Partido’

Deputados federais e manifestantes bateram boca nesta terça-feira (13) durante reunião da comissão especial da Câmara que discute o projeto conhecido como “Escola Sem Partido”.

A reunião foi convocada para a leitura do parecer do relator, deputado Flavinho (PSC-SP). O projeto impõe regras aos professores sobre o que pode ser ensinado em sala de aula. O texto proíbe a manifestação de posicionamentos políticos, ideológicos ou partidários.

O movimento “Escola sem Partido”, que diz representar pais e estudantes contrários ao que chamam de “doutrinação ideológica” nas salas de aula brasileiras, existe há vários anos, mas só a partir de 2015 começou a provocar polêmica – desde que câmaras municipais, assembleias legislativas e o Congresso Nacional começaram a debater projetos de lei inspirados no grupo.

A ideia já virou lei em Alagoas e em dois municípios brasileiros, mas, no caso alagoano, o documento foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF) e, na semana passada, a Advocacia-Geral da União (AGU), consultada no processo, considerou-o inconstitucional porque legisla sobre uma área de competência da União, e porque infringe o artigo 206 da Constituição, que garante a pluralidade de ideias no ambiente de ensino.

Para explicar o movimento, os argumentos favoráveis e contrários, e o que pode mudar com os projetos de lei, o G1 ouviu o ministro da Educação e diversos especialistas em educação e direito.

O que é a escola sem partido?

O “Escola sem Partido” é uma referência a coisas distintas. Primeiro, há o movimento “Escola sem Partido”, um grupo que diz representar pais e professores. No site oficial, o movimento diz se preocupar “com o grau de contaminação político-ideológica das escolas brasileiras”, e afirma que “um exército organizado de militantes travestidos de professores prevalece-se da liberdade de cátedra e da cortina de segredo das salas de aula para impingir-lhes a sua própria visão de mundo”.

O movimento mantém uma página na internet na qual coleta “depoimentos de estudantes que tiveram ou ainda têm de aturar a militância político-partidária ou ideológica de seus professores”, e afirma que decidiu publicar esses textos porque sempre esbarrou “na dificuldade de provar os fatos e na incontornável recusa de nossos educadores e empresários do ensino em admitir a existência do problema”. O site também endossa blogs que analisam o conteúdo de alguns livros didáticos e dá suporte para pessoas interessadas em acionar a Justiça contra atitudes de professores em sala de aula.

Depois, existem os projetos de lei inspirados no movimento. A maioria destes projetos, porém, segue o modelo de um anteprojeto de lei elaborado e defendido pelo “Escola sem Partido”.

G1

Comments

Ação do PT no Supremo questiona decreto sobre força-tarefa contra crime organizado

O PT ajuizou nesta terça-feira, 13, ação no Supremo contra o decreto assinado pelo presidente Michel Temer que institui uma ‘força-tarefa de inteligência’ formada por membros de órgãos de segurança federais. Segundo a legenda, a medida é um ‘cheque em branco’ que fere a Constituição e deve ser suspensa.

Em Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, o partido alega que o texto presidencial não é transparente com os modos e procedimentos a serem adotados pelos agentes. A ação foi distribuída ao ministro Luiz Fux e pede a suspensão liminar do decreto presidencial.

Assinado em 15 de outubro por Temer, o decreto institui uma força-tarefa formada por um membro e um suplente do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Centros de Inteligência da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, Conselho de Controle das Atividades Financeiras do Ministério da Fazenda, Receita Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional e Secretaria Nacional de Segurança Pública.

A força-tarefa ficaria responsável por ‘analisar e compartilhar dados e de produzir relatórios de inteligência com vistas a subsidiar a elaboração de políticas públicas e a ação governamental no enfrentamento a organizações criminosas’.

De acordo com o autor da ação, a ausência de informações sobre a atuação da força-tarefa, principalmente em relação aos dados analisados, torna o decreto um ‘verdadeiro cheque em branco’ que ‘poderá avançar sobre outras liberdades e garantias individuais’.

“A composição da Força-Tarefa, num momento de elevada exacerbação das disputas políticas, em que as próprias autoridades públicas promovem rachas sociais e incentivam comportamentos antidemocráticos, tem o condão de silenciar, em suas manifestações individuais e principalmente coletivas, os movimentos reivindicatórios, as defesas das lutas sociais e das garantias fundamentais por grupos organizados, numa clara violação, como dito, da liberdade de expressão constitucionalidade assegurada”, afirma o partido.

Além disso, o PT alega que o decreto suprime funções e prerrogativas das polícias Civil, Militar e Federal ao criar uma estrutura de poder investigado sob responsabilidade das Forças Armadas.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com a Advocacia-Geral da União e aguarda posicionamento. O espaço está aberto para manifestação.

Estadão Conteúdo

Comments

Tereza Cristina diz que estuda ida do Incra e pesca para a Agricultura

A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta terça-feira, 13, em Brasília, que o presidente eleito da República, Jair Bolsonaro, pediu para que fosse feito um estudo sobre a inclusão no Ministério da Agricultura de órgãos de outras pastas, como o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e os responsáveis pela pesca e pela agricultura familiar, .

“Ele (Bolsonaro) só me disse o seguinte: ‘Traga esse estudo de juntar ao Ministério da Agricultura tudo o que tem a ver com o Ministério da Agricultura para ter um só ministério, um grande ministério, com políticas depois bem definidas para cada segmento’”, disse a deputada, depois da reunião da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), em Brasília. “Vamos sentar com o pessoal do Incra, da secretaria de agricultura familiar, vamos ouvir com muita cautela. É um setor que precisa muito ser desenvolvido.”

Tereza Cristina iria se encontrar com o atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, na manhã desta terça-feira, mas ela desmarcou o encontro para se reunir com Bolsonaro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde trabalha a equipe de transição. Tereza Cristina disse ainda que vai haver “muita sinergia” entre a agricultura e o meio ambiente e que quem indicará o ministro do Meio Ambiente será o presidente eleito.

Veja

Barroso dá 3 dias para Bolsonaro apresentar esclarecimentos sobre contas

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) apresente dentro de 72 horas esclarecimentos e documentos complementares para sanear problemas na prestação de contas de sua campanha identificados pela área técnica da corte.

Um relatório da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (Asepa) do TSE apontou uma série de irregularidades e indícios de omissão de gastos eleitorais na prestação de contas. “São pertinentes as diligências propostas”, avaliou Barroso. “Diante do exposto, determino a intimação do candidato Jair Messias Bolsonaro, (…), para, no prazo de 3 (três) dias, complementar dados e documentação e/ou prestar esclarecimentos/ justificativas, com vistas ao saneamento dos apontamentos”, decidiu o ministro.

As falhas

A Asepa identificou problemas como indícios de recebimento indireto de doações de fontes vedadas, ausência de detalhamento na contratação de empresas e comprovação de serviços efetuados e até mesmo informações divergentes entre os dados de doadores constantes na prestação de contas e aquelas que constam do banco de dados da Receita Federal.

O relatório do TSE encontrou um total de 23 falhas na documentação, entre elas a falta de um cadastro prévio da empresa AM4, que não estaria habilitada para atuar na arrecadação de recursos via financiamento coletivo. Um dos contratos analisados diz respeito à instalação de uma plataforma desenvolvida pela empresa para recebimento de doações via internet. Procurada pela reportagem, a empresa não havia se manifestado até a publicação deste texto.

Veja

Comments

Dólar fecha em alta, cotado a R$ 3,83

A cotação da moeda norte-americana encerrou o pregão de hoje (13) em alta de 1,98%, cotada a R$ 3,8313 para venda. O dólar mantém a tendência de alta com o fechamento de ontem também em valorização de 0,55%.

Na última sexta-feira (9), a moeda fechou com uma série acumulada em queda, cotada a R$ 3,7350. O Banco Central seguiu com as ofertas tradicionais de swaps cambiais, sem leilões extraordinários de venda futura do dólar.

O Ibovespa, índice da B3, bolsa de valores de São Paulo, fechou esta terça-feira em baixa de 0,71%, com 84.914 pontos. Os papéis das grandes empresas, chamadas de blue chip, acompanharam a tendência, com Petrobras encerrando com queda de 4,03%, Bradesco com menos 1,80% e Itaú com desvalorização de 0,37% .

Fonte: Blog do BG

LOCAIS

Beneficiários do BPC tem até dezembro para se regularizar junto ao CadÚnico

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da Câmara Municipal de Natal realizou um debate para discutir a continuidade dos pagamentos do Benefício da Prestação Continuada (BPC) à população natalense.

O BPC é um benefício que garante o pagamento de um salário mínimo por mês a idosos com mais de 65 anos ou a pessoas que tenham alguma deficiência física, mental, sensorial ou intelectual, desde que o impedimento da deficiência dure, pelo menos, dois anos. Em Natal, 9.071 idosos e 10.149 pessoas recebem o BPC. Contudo, quem não fizer o registro no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), perderá o benefício.

Vanda Carvalho, da Secretaria Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas), explicou que a população já beneficiária ou não podem buscar os postos de atendimento para garantir a continuidade do benefício. Ela também criticou a legislação que é restritiva quanto à concessão dos benefícios para pessoas com deficiência.

“São pessoas com renda per capta inferior a 1/4 de salário mínimo. Antes da concessão os beneficiários tem que estar cadastrados no CadÚnico. Esse cadastro nós viemos priorizando desde 2016. Esses beneficiários têm que buscar nossos equipamentos sócio-assistenciais até dezembro para não ter o benefício bloqueado. De acordo com a lei, duas pessoas idosas podem requerer o benefício. No entanto, duas pessoas com deficiência ou uma idosa e uma com deficiência não podem requerer o benefício”, lamentou.

Glauciane Santana, conselheira nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) e que é mãe de uma criança com deficiência, explicou que o BPC é a principal fonte de renda de várias famílias brasileiras e que esses recursos do benefício são utilizados exatamente para custeio da pessoa.

“O BPC é um instrumento propulsor da autonomia e promove a independência dessas pessoas. Precisamos rever essa questão do pagamento restrito a uma pessoa da condição da pessoa com deficiência, porque esses custos de uma pessoa nessas condições não pode ser rateado pelos demais integrantes que também possuem algum problema. Esses custos são pessoais. Uma condição adversas ninguém escolhe, o que gera custos ainda maiores para a família. Não tem como dividir o benefício de uma condição de uma pessoa com deficiência e outra com outras necessidades, por exemplo”, desabafou.

A vereadora Júlia Arruda (PDT), presidente da Comissão, destacou a importância do benefício e lamentou que a legislação vigente obrigue as pessoas a terem que escolher entre continuar recebendo o benefício ou trabalhar, uma vez que o benefício é perdido em caso de vínculo empregatício.

“Esse é um benefício que é garantido, mas que ainda existem muitas dúvidas e questionamentos sobre quem tem direito e quem não tem e até há a reclamação de uma vez garantido o emprego apessoa com deficiência, essa pessoa se vê obrigada a escolher pelo emprego ou por manter o BPC”, contou.

A vice-presidente da Comissão, vereadora Nina Souza (PDT), também teceu as mesmas críticas sobre a legislação. Ela defendeu que mudanças na lei que garante o pagamento para que as crianças com deficiência tenham uma melhor qualidade de vida com os pais trabalhando.

“O BPC é uma instrumento valiosíssimo. Contudo, é latente que muitas alterações precisam ser feitas. Muitas famílias tem dois ou três deficientes e só um deles pode receber benefício. O mais grave que a gente questiona é que, no caso da criança com deficiência, o pai e a mãe precisam trabalhar para melhorar a renda, mas não podem porque, se não, o benefício é retirado. Isso faz com que o governo estimule a família a não sair do estado de vulnerabilidade. Nós precisamos nos manter firmes no propósito de lutar pela ampliação”, analisou.

O vereador Franklin Capistrano (PSB) também participou dos debates. Ele defendeu uma maior difusão das informações para que mais natalenses possam ter acesso ao benefício.

Comments

Por GloboEsporte.com — Natal

 

Giro dos Jogos Escolares: catarinenses se destacam em primeiro dia de provas

Dois catarinenses chamaram atenção no primeiro dia de competições dos Jogos Escolares da Juventude, em Natal. Estreante no evento, Natan Steuck conquistou a medalha de ouro no contrarrelógio 500m, na categoria 12 a 14 anos, com o tempo de 39s709. O estudante da Escola Teofilo Nolasco de Almeida, de Benedito Novo (SC), pratica o ciclismo há um ano e meio, mas somente há menos de um mês ele começou a treinar com uma bicicleta de velocidade.

– Comecei no esporte em março do ano passado simplesmente porque acho as bicicletas de mountain bike muito bonitas. Passei a me dedicar mais ao ciclismo e há menos de um mês comprei uma bicicleta de velocidade porque não tinha como vir para os Jogos Escolares sem uma bicicleta especializada – disse Natan, 14 anos.

– Foi uma prova difícil, com muito vento. Acredito que por eu não ser magro consigo mais potência em curto espaço de tempo, o que foi uma vantagem – completou o atleta.

A primeira de todas

A primeira medalha de ouro da edição 2018 dos Jogos Escolares da Juventude ficou com a nadadora Paula Simioni. Ela fez o melhor tempo das cinco séries nos 50m livre feminino (27.63), na manhã desta terça-feira.

Paula Simioni, dona do primeiro ouro dos Jogos Escolares da Juventude: ela também joga vôlei — Foto: Ana Patrícia/COB

Paula Simioni, dona do primeiro ouro dos Jogos Escolares da Juventude: ela também joga vôlei — Foto: Ana Patrícia/COB

– Essa é a terceira vez que participo dos Jogos Escolares e apenas a primeira que disputo uma final. Estou bem feliz, porque treinei muito para sair com uma medalha dessa vez. Só não sabia que seria de ouro – comemorou a catarinense de 14 anos, que representa o CNEC/Concórdia e treina diariamente no APAN, clube da mesma cidade.

A felicidade de Paula ficou ainda maior na penúltima prova do dia, o revezamento 4x50m livre feminino, quando, ao lado de Letícia Romão, Joanna Rossi e Isabela Mazuco, conquistou a medalha de prata para Santa Catarina (1:53.77).

Os ótimos resultados obtidos em Natal prometem também aumentar a indefinição sobre seu futuro. Além da natação, Paula é ponteira na equipe feminina de vôlei da AABB, de Concórdia, e precisa decidir nos próximos meses qual modalidade seguirá praticando.

– Estou decidindo ainda. Jogo vôlei há quase três anos, e o sonho do meu pai, Marcos Antonio, sempre foi ter uma filha jogadora. Sou ponteira da equipe e confesso que estou gostando muito do esporte também – falou Paula.

Fonte: G1RN

Por G1 RN

 


Laboratório clandestino para refino de cocaína foi desarticulado em Natal — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Laboratório clandestino para refino de cocaína foi desarticulado em Natal — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte cumpriu 47 mandados de busca e apreensão contra adolescentes nesta terça-feira (13). A ação faz parte da operação Anjos da Leideflagrada em 26 estados e no Distrito Federal contra envolvidos com o tráfico. O cumprimento dos mandados resultou na apreensão de seis adolescentes que estavam em liberdade e quatro mandados foram efetivados contra indivíduos que já estão internos.

Durante a operação laboratório clandestino para refino de cocaína que funcionava em uma casa no bairro Cidade Nova, em Natal, foi desarticulado. Um homem foi preso em flagrante no local por tráfico de drogas. Na residênci, os policiais apreenderam aproximadamente 10 quilos de substância entorpecente similar a cocaína; três balanças de precisão; um liquidificador industrial; três aparelhos celulares; embalagens plásticas para acondicionar drogas e a quantia de R$ 70.

Durante coletiva no final da manhã desta terça, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que o objetivo da operação é reprimir o tráfico nas imediações de escolas em todo o país, “algo em torno de 300 a 400 metros ao redor das escolas”.

“Nós sabemos que hoje infelizmente o tráfico ronda as nossas escolas e nossos estudantes e busca sobretudo desde uma idade bastante tenra levar a que jovens passem a serem usuários de drogas (…). Toda a sociedade é alcançada por esse tipo de atividade criminosa e dolosa nas proximidades das escolas porque isso afeta não só nossos jovens, mas todo o nosso futuro”.

No RN a operação contou com o apoio da Polícia Militar, Força Nacional e Guarda Municipal.

Fonte: G1

Por G1 RN

 


Aedes Aegypti — Foto: Marvin Recinos/AFP

Aedes Aegypti — Foto: Marvin Recinos/AFP

Dados epidemiológicos de janeiro a outubro de 2018 divulgados pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (13) apontam que o Rio Grande do Norte está entre os estados brasileiros que mais registraram aumento de casos de dengue, zika e chicungunya neste ano, em relação a 2018. Até 27 de outubro, o aumento de casos de dengue foi de 231%, passando de 6.604 casos em 2017 para 21.898 no mesmo período de 2018.

Ao todo, 12 estados apresentam aumento de casos de dengue em relação ao mesmo período de 2017. O Rio Grande do Norte ficou entre os destaques, com 624,4 notificações por 100 mil habitantes, atrás apenas de Goiás, que teve 1.025 casos por 100 mil habitantes.

Neste mesmo período, os casos de chikungunya e zika, que são trasmistidos pelo mesmo inseto, também tiveram crescimento no Rio Grande do Norte. A chikungunya teve aumento é de 18%, passando de 1.867 casos em 2017 para 2.220 em 2018. Já em relação ao zika, houve avanço de 20%, passando de 432 casos em 2017 para 522 neste ano.

O estado também foi destacado pelo Ministério da Sáude entre os sete que tiveram aumento de zika, com 14,9 casos por 100 mil habitantes.

Campanha

O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (13) uma campanha publicitária de combate ao mosquito aedes aegypti, para mobilizar a população sobre a importância de intensificar, neste período que antecede o verão, as ações de prevenção contra o mosquito que transmite as três doenças.

Com slogan “O perigo é para todos. O combate também. Faça sua parte”, a campanha ressalta que a união de todos, governo e população, é a melhor forma de derrotar o mosquito, e que a vigilância deve ser constante. Os meses de novembro a maio são considerados o período epidêmico para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, porque o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito.

Além do lançamento da campanha, está prevista ainda, para o final de novembro, a divulgação do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), ferramenta utilizada para identificar os locais com focos do mosquito nos municípios.

Com base nas informações coletadas, os gestores podem identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de depósito onde as larvas foram encontradas. O objetivo é que, com a realização do levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito Aedes aegypti.

Brasil

Até 27 de outubro, foram notificados 220.921 casos de dengue em todo o país, uma pequena redução em relação ao mesmo período de 2017 (223.171). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 106,4 casos/100 mil habitantes. Com relação ao número de óbitos, a queda é de 22,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, passando de 167 mortes em 2017 para 130 neste ano.

No caso da chikungunya, houve 80.940 casos, o que representa uma taxa de incidência de 39,0 casos/100 mil habitantes. A redução é de 55,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 182.587 casos. A taxa de incidência no mesmo período de 2017 foi de 87,9 casos/100 mil/hab. Neste ano, foram confirmados laboratorialmente 34 óbitos. No mesmo período do ano passado, foram 189 mortes confirmadas.

Foram registrados 7.544 casos de zika em todo país, no mesmo período – uma redução de 54,6% em relação a 2017 (176.616). A taxa de incidência passou de 8,0 em 2017 para 3,6 neste ano.

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu