PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTE SÁBADO

INTERNACIONAL

SEXTA, 13/04/2018, 22:36Internacional

Estados Unidos e aliados atacam a Síria em resposta ao uso de armas químicas

A ofensiva tem apoio do Reino Unido e França

População síria ainda sofre com bombardeios na guerra civil. Foto: Flickr/Freedom House

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou um ataque contra a Síria.
Trump fez um pronunciamento à nação e informou que uma operação em conjunto está em andamento pelo Exército dos Estados Unidos contra locais com armas químicas na Síria.

De acordo com Trump, a operação tem o apoio de França e Reino Unido.

Trump afirmou que a ação é uma resposta às atrocidades cometidas pelo regime de Bashar al-Assad.

Trump também afirmou que vai manter esta posição até que o regime sírio pare de usar armas químicas proibidas.

O ataque em que um gás tóxico teria sido utilizado aconteceu no sábado e deixou dezenas de mortos e feridos. A acusação do suposto ataque químico contra o governo partiu do grupo rebelde. Eles acusam o regime de Assad de lançar um barril-bomba com substâncias químicas venenosas contra civis.

Os governos da Síria e da Rússia insistem em dizer que não houve ataque químico e disseram que estão dispostos a receber e facilitar uma visita segura de investigadores da Organização para a Proibição das Armas Químicas para estudar as denúncias.

NACIONAL

SEXTA, 13/04/2018, 18:36Política

Defesa de Lula entra com novo recurso no STF contra decisão de Fachin

Relator do caso permitiu a prisão do ex-presidente antes da apresentação dos chamados ‘embargos dos embargos’. Advogados alegam que a decisão da Suprema Corte abre uma possibilidade de prisão, e não uma obrigatoriedade.

O ex-presidente Lula. Foto: Ricardo Stuckert

SEXTA, 13/04/2018, 15:45País

Roraima vai ao STF para fechar fronteira com a Venezuela

Objetivo é impedir a entrada de imigrantes. Estado diz que governo federal não está cumprindo seu papel constitucional de controle da fronteira.

Por causa da crise, imigrantes venezuelanos fazem acampamentos em Roraima. Foto: reprodução TV Globo

LOCAL

Lava Jato

Garibaldi e Agripino entre os 23 senadores investigados candidatos à reeleição

Políticos citados nas investigações podem perder foro privilegiado se não forem eleitos e, com isso, passariam a responder judicialmente em instâncias inferiores

Entre os políticos que devem concorrer a uma vaga no Senado, nas próximas eleições, 23 são alvo da Operação Lava Jato

O Senado Federal conta com 81 parlamentares, ou seja, três por cada unidade da federação, que cumprem mandatos de oito anos. Nas próximas eleições, cada Estado e o Distrito Federal vão eleger dois deles, o que significa dois terços do total, o equivalente a 54 políticos.

De quatro em quatro anos, uma parcela da Casa é renovada. Em 2014, 27 nomes, ou um terço das vagas, venceram o pleito. Cada unidade federativa elegeu, portanto, um senador.

Entre os políticos que devem concorrer a uma vaga no Senado, nas próximas eleições, 23 são alvo da Operação Lava Jato, ou de desdobramentos da investigação, e correm o risco de ficar sem o foro privilegiado, segundo levantamento do portal G1. O número é quase metade dos 54 senadores cujos mandatos terminam neste ano.

Atualmente, além dos presidentes da República, da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF), deputados, senadores, ministros e o procurador-geral da República só podem ser investigados ou processados no STF; enquanto os governadores vão para o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No entanto, sem o mandato, os senadores passariam a responder judicialmente a instâncias inferiores. Como alguns são alvos da Lava Jato, poderiam ser julgados pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela operação em Curitiba.

Entre eles estão caciques da política brasileira, inclusive o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), além do líder do governo e presidente do PMDB, Romero Jucá (RR), do líder do PT, Lindbergh Farias (RJ), e do líder da minoria, Humberto Costa (PT-PE).

Renan Calheiros (PMDB-AL), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Jader Barbalho (PMDB-PA), Edison Lobão (PMDB-MA), Gleisi Hoffmann (PT-PR), José Agripino Maia (DEM-RN), Ciro Nogueira (PP-PI), Benedito de Lira (PP-AL), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Lídice da Mata (PSB-BA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Valdir Raupp (PMDB-RO), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Dalirio Beber (PSDB-SC), Eduardo Braga (PMDB-AM), Jorge Viana (PT-AC) e Ivo Cassol (PP-RO) também engrossam a lista.

Fonte: Agência Senado

Carinho

Hospital Santa Catarina é referência estadual no Método Canguru 

O Método Canguru está implantado no HJPB desde o ano 2000; em 2013 a unidade recebeu do Ministério da Saúde a certificação como serviço de Referência no Método Canguru para o RN

Método é mais um aliado no fortalecimento da saúde do bebê

O Hospital Dr. José Pedro Bezerra, o Santa Catarina, encerra hoje, 13, o Curso de Sensibilização do Método Canguru, que promove o contato corpo a corpo entre mãe e bebê. Voltado para médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, tem o objetivo de sensibilizar estes profissionais sobre a atenção humanizada à mãe e ao recém nascido prematuro através de recursos tecnológicos e boas práticas.

O curso está sendo ministrado pela equipe da Unidade de Cuidados Intermediários para o Prematuro (Ucinca) do hospital e teve carga horária de 24 horas, distribuídas nos dias 11, 12 e 13, no horário das 8h às 17 horas.

A coordenadora da Ucinca, Dra. Tereza Ribeiro, explica que o curso é dirigido aos funcionários que se relacionam com o binômio mãe – bebê. “O objetivo é divulgar o que é o método,  a sua finalidade, tendo como público alvo o recém nascido de risco, principalmente os prematuros e os que tem baixo peso”.

Durante os três dias, os 40 profissionais participam de aulas teóricas e oficinas práticas de cuidados com o recém nascido e a família. O hospital investe na educação permanente e promove capacitações períodicas para seus profissionais.

Hospital é referência estadual

O Método Canguru está implantado no HJPB desde o ano 2000. Em 2013 a unidade recebeu do Ministério da Saúde a certificação como serviço de Referência no Método Canguru para o Estado do Rio Grande do Norte, sendo o primeiro hospital do Brasil a ser considerado referência estadual no Método Canguru.

Método Canguru

A técnica foi criada em 1979, por dois médicos colombianos. O contato corpo a corpo entre mãe e filho promove o desenvolvimento e fortalecimento dos bebês, dispensando o internamento em incubadoras. A prática ajuda a controlar a temperatura, deixa o bebê mais seguro, diminui o risco de regurgitação, favorece o ganho de peso e ainda diminui o tempo de internação.

O Método Canguru reduz a mortalidade e o risco de infecções e aumenta o vínculo mãe e bebê. Colados ao peito da sua mamãe-canguru, bebês prematuros podem ouvir as batidas do coração e outros sons comuns à época do ventre materno, o que dá aconchego e segurança para quem veio ao mundo antes que se completasse seu ciclo de crescimento na barriga materna.

Fonte: AGORA RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu