PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA TERÇA-FEIRA

 

Bolsonaro faz sua 2ª reunião ministerial. Mais 200 militares da Força Nacional são enviados para conter onda de ataques no Ceará. Reino Unido retoma debate sobre ‘divórcio’ da União Europeia. As novidades da maior feira de tecnologia do mundo. O que será notícia hoje:

INTERNACIONAIS

CES 2019

G1 continua em Las Vegas e mostra o que é destaque na CES 2019, a maior feira de tecnologia do mundo. Telas dobráveis estão entre as principais novidades. Veja neste vídeo como funciona a TV com ‘tela enrolável’ da LG.

Brexit

O Parlamento britânico retoma o debate sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. No domingo (6), a premiê Theresa May disse que ainda havia trabalho a ser feito para conseguir as garantias sobre o apoio da UE. Ela ainda prometeu que o parlamento teria mais voz no resto do processo de saída da UE e alertou que rejeitar seu acordo poderia impedir o Brexit. A votação do parlamento sobre o assunto deve ser em 15 de janeiro.

Kim Jong-un na China

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, está em Pequim para visita a convite do presidente chinês, Xi Jinping. Ele fica no país vizinho até a quinta-feira. A visita ocorre em meio aos relatos do avanço das negociações sobre um 2º encontro entre o líder da Coreia do Norte e o presidente dos EUA, Donald Trump.

Trump e o muro

O presidente americano, Donald Trump, anunciou que fará um discurso à Nação hoje à noite sobre a construção do muro na fronteira entre os EUA e o México. O assunto está no centro da paralisação do governo, que entra no 17º dia, devido ao impasse sobre a liberação de cifra bilionária para a construção do muro.

NACIONAIS

Reunião ministerial

O presidente Jair Bolsonaro comandará no Palácio do Planalto a 2ª reunião ministerial do novo governo, que completa hoje uma semana. No encontro, o presidente deve cobrar de cada ministro as metas dos próximos 100 dias.

A expectativa é que, na reunião, os ministros avancem nas discussões sobre:

  • propostas que serão implementadas nas próximas semanas;
  • revisão de contratos, exonerações e liberações de recursos;
  • revisão de normas burocráticas para dar mais eficiência ao governo.

Violência no Ceará

Estado do Ceará vai receber mais reforços da Força Nacional de Segurança

Estado do Ceará vai receber mais reforços da Força Nacional de Segurança

Mais 200 agentes da Força Nacional são esperados para reforçar a segurança no Ceará, e tentar conter a onda de ataques criminosos na capital Fortaleza e no interior do estado. Mais de 150 ações criminosas foram registradas desde quarta-feira (2). Nesta madrugada, ônibus foram incendiados em três cidades. Ontem, a Câmara de Vereadores de Icó e uma estação de rádio foram alvos de ataques.

Ghosn fala à Justiça

Ilustração de Carlos Ghosn ao ser ouvido pela Justiça japonesa nesta terça-feira (8) — Foto: Kyodo/via REUTERS

Ilustração de Carlos Ghosn ao ser ouvido pela Justiça japonesa nesta terça-feira (8) — Foto: Kyodo/via REUTERS

O ex-presidente da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, saiu pela primeira vez da cadeia após ser preso por suposta má conduta financeira, em novembro. Ele foi ouvido pela Justiça japonesa na madrugada (horário de Brasília) e alegou inocência.

“Fui injustamente acusado e injustamente detido com base em alegações sem mérito e sem fundamento”

Palocci depõe

O ex-ministro e delator da Lava Jato Antonio Palocci presta novo depoimento no processo derivado da Operação Greenfield, que investiga fraudes em fundos de pensão vinculados a empresas estatais. É o 2º dia de audiência.

Motos 2019

Depois de recuperar as vendas em 2018, as motos devem continuar com um período agitado no Brasil em 2019. Além de lançamentos definidos, como o caso da nova geração da Yamaha Lander 250 e a chegada da Honda CB 1000R, outros modelos são esperados para desembarcar no país. Veja lista dos 25 lançamentos esperados neste ano.

Calendário do Espaço

Calendário 2019: veja as missões, eventos e eclipses previstos para este ano na astronomia — Foto: Boeing - ESA/A. Conigli - Divulgação - David Mcnew/Getty Images North America/AFP - Bay Ismoyo/AFP

Calendário 2019: veja as missões, eventos e eclipses previstos para este ano na astronomia — Foto: Boeing – ESA/A. Conigli – Divulgação – David Mcnew/Getty Images North America/AFP – Bay Ismoyo/AFP

Um eclipse solar total, o primeiro voo tripulado da SpaceX e o lançamento de um satélite caçador de planetas da Agência Espacial Europeia (ESA) são alguns dos eventos da área astronômica para marcar na agenda em 2019. G1 mostra os principais eventos previstos no ano.

Previsão do tempo

Previsão do tempo (08/01)

Previsão do tempo (08/01)

Curtas e rápidas:

 Fonte: G1

Lula acusa Gabriela Hardt de ‘parcialidade’ e volta a afirmar que é vítima de perseguição política nas alegações finais do Sítio de Atibaia

Além de Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também acusou a juíza federal Gabriela Hardt de parcialidade, em alegações finais na ação penal em que é acusado de supostas propinas envolvendo as obras do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia.

No documento de 1643 páginas, o ex-presidente nega ter recebido vantagens indevidas e afirma ser vítima de perseguição política. Um dos capítulos é dedicado somente ao ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro, e seu aceite para integrar o governo Jair Bolsonaro (PSL).

A defesa também não poupou a substituta de Moro de acusações. Os dez advogados que assinam a peça afirmam que ‘não obstante a troca do órgão julgador’, Lula ‘permanece sendo processado de forma parcial e afrontosa a seus direitos e garantias individuais’.

“É dizer: Trocaram-se os personagens, permanece a postura inquisitória e autoritária em relação ao Defendente, o qual segue sendo tratado e visto como um verdadeiro inimigo, cujas fala e manifestação devem ser, ao máximo, limitadas”, sustentam.

Os defensores ainda anexaram às alegações finais de Lula a foto da primeira dama Michele Bolsonaro vestindo uma camiseta com uma frase dita pela juíza ao ex-presidente, no início de seu último interrogatório: “Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema”.

Os advogados afirmam que ‘não apenas a conduta da aludida julgadora foi absolutamente agressiva e padecente de razoabilidade com’ Lula – ‘para não dizer incompatível com respeito que é devido à figura do Ex-Presidente da República – alguns dias após o interrogatório, a midiática frase aqui proferida estampava a camiseta da esposa do antagonista político’ de Lula , ‘hoje primeira dama da República’.

“Aqui, em óbvio desdém ao ex-presidente e a todo o Judiciário”, argumentam.

O caso envolvendo o sítio representa a terceira denúncia contra Lula no âmbito da Operação Lava Jato.

A entrega das alegações finais representa a fase final da ação penal. Após as manifestações derradeiras dos réus e do Ministério Público Federal, Gabriela Hardt poderá sentenciar os réus.

Segundo a acusação, a Odebrecht, a OAS e também a empreiteira Schahin, com o pecuarista José Carlos Bumlai, gastaram R$ 1,02 milhão em obras de melhorias no sítio em troca de contratos com a Petrobrás.

A denúncia inclui ao todo 13 acusados, entre eles executivos da empreiteira e aliados do ex-presidente, até seu compadre, o advogado Roberto Teixeira.

O imóvel foi comprado no final de 2010, quando Lula deixava a Presidência, e está registrado em nome de dois sócios dos filhos do ex-presidente, Fernando Bittar – filho do amigo e ex-prefeito petista de Campinas Jacó Bittar – e Jonas Suassuna.

Em suas alegações finais, os advogados constituídos pela defesa de Lula apontam supostas nulidades do processo e pedem a absolvição do petista.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Governo vai anistiar quem tem posse irregular de arma, diz deputado

Alberto Fraga, líder da “bancada da bala”, propôs hoje a Jair Bolsonaro uma anistia para quem está em situação irregular e, por exemplo, perdeu o prazo para a renovação do registro de armas de fogo, informa o Valor.

Segundo o deputado pelo DEM-DF,  o presidente concordou com a medida, que deverá constar do decreto que flexibilizará a posse de armas de fogo no país.

O ANTAGONISTA
Comments

Governo determina a técnicos ‘lei do silêncio’ para evitar ruídos e desencontros

Técnicos do segundo escalão recém-chegados ao Palácio do Planalto estão sendo orientados a não manter conversas individuais com jornalistas a fim de evitar desencontro de informações sobre propostas do governo. A ordem começou a ser repassada pelos chefes aos seus subordinados após Jair Bolsonaro ter sido desmentido na semana passada sobre a possibilidade do aumento do IOF, de nova tabela do Imposto de Renda e a proposta de idade mínima para a aposentadoria. Erros na comunicação do governo expõe diretamente o presidente.

Coluna do Estadão

Comments

Damares Alves retira nome da autobiografia “Jesus sobe no pé de goiaba”, e ministério faz pente-fino no livro

Uma página do Facebook criada para divulgar o livro é ilustrada com a foto de Damares Alves. Um post em maio anuncia o lançamento nacional da obra, escrita em parceria com Mauri Filho Foto: Reprodução

Por O GLOBO

O livro “Jesus sobe no pé de goiaba” que seria lançado em 30 de dezembro pela editora Canadense teve a sua publicação suspensa e não há previsão de data para novo lançamento. A obra foi divulgada até o fim de dezembro pela editora como de autoria da titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e de Mauri Filho, dono da editora Canadense. O GLOBO foi informado pela editora que a assessoria jurídica do ministério está realizando uma “atualização necessária” e a obra só será divulgada após a “liberação” do órgão. Procurada, a ministra diz — agora — que não escreveu a obra.

O livro estava em pré-venda em dezembro e custava  R$ 34,90. Na ocasião, interessados também podiam fazer a compra de uma caixa com 100 exemplares por R$ 1.745. O GLOBO comprou um exemplar em 16 de dezembro por meio do site da editora. Segundo um link disponibilizado para rastreio do produto, ele foi embalado para envio no dia 27 de dezembro às 13h03m, mas nunca foi enviado.

Anúncio da venda do livro

A editora informava até o fim do ano passado que o lançamento no dia 30 de dezembro seria às 17 horas na Igreja Nazareno, Central de Brasília, seguido de um culto, às 19 horas. No entanto, no dia do lançamento, a ministra postou em seu Instagram que o evento não iria mais ocorrer. Em uma nova foto da capa do livro onde constava apenas o nome de Mauri Filho como autor, a ministra disse que “o lançamento do livro sobre a história da dra Damares Alves, de autoria do sr. Mauri Filho, da editora Canadense, não acontecerá mais em dezembro de 2018”. O post, porém, era sucinto e não explicava o motivo pelo qual a noite de autógrafos não iria mais ocorrer.

Em seu perfil no Instagram, Damares Alves anuncia que o lançamento do livro, que ocorreria em dezembro, foi cancelado. Nome de Damares na capa foi apagado Foto: Reprodução

Na sexta-feira da semana passada, 4 de janeiro, o GLOBO recebeu uma mensagem da editora sobre o atraso na entrega. Um email de Mauri Filho informou que o livro aguarda “liberação do departamento jurídico do Ministério”. Na mensagem, ele disse ainda que “como todos sabem, a dra. Damares Alves tornou-se Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Por esse motivo, a assessoria jurídica do Ministério dos Direitos Humanos nos solicitou aguardar mais alguns dias enquanto eles realizam a atualização necessária referente à nova posição exercida pela dra. Damares”.

Com o embargo, a editora disse que a entrega da obra vai demorar mais do que o previsto inicialmente. Na mensagem de compra, foi informado que o livro seria enviado 72 horas após a confirmação do pagamento. No caso do GLOBO, como a confirmação ocorreu no mesmo dia, o envio deveria ser feito em até três dias. “Estamos dando duas opções para os leitores que já adquiriram o livro Jesus Sobe no Pé de Goiaba: aguardar a liberação do departamento jurídico do Ministério ou receber o estorno da valor pago”, informa a mensagem. Questionado sobre um prazo para o envio do livro, Mauri Filho disse “na semana que vem saberá mais”. O site da editora também retirou o livro da pré-venda, toda a publicidade de divulgação da obra e dos demais itens que vendia.

Procurado na sede da editora, uma casa na Asa Norte, em Brasília, Mauri Filho disse que a demora do lançamento do livro estava relacionada ao cargo de ministra.

— Pois é. O livro era de uma assessora. Agora ela é ministra. Mas vai ser lançado em breve — disse Mauri Filho.

Quando perguntado se Damares também era autora da obra, ele esboçou um sorriso e afirmou que só responderia à pergunta por e-mail.

— Só vou responder a essa pergunta por escrito. Tudo bem?

O GLOBO enviou o questionamento por e-mail, mas, até o momento, não obteve resposta.

A obra seria uma ampliação da história contada pela ministra desde 2016 sobre uma ocasião em que ela diz que iria cometer suicídio devido a um abuso sexual sofrido na infância. Segundo ela, ao ter a visão de Cristo, desistiu. O vídeo no qual Damares contou sobre a violência sofrida se tornou viral nas redes sociais.  A ministra relatou nesse vídeo que, aos 10 anos, ia tomar veneno no alto de um pé de goiaba porque era vítima de pedofilia.

— Estava em cima de um pé de goiaba, ia tomar veneno, eu ia morrer. Era muita dor na alma, de todos os abusos que passei. E quando eu estava em cima do pé de goiaba eu não vi amigo imaginário, eu vi o que eu acreditava. Eu vi Jesus — contou.

A capa do livro é uma composição de uma foto de um pé de goiaba e uma segunda imagem da ministra com a bandeira do Brasil ao fundo. No lugar de “Ordem e Progresso”, o leitor encontra as frases “Brasil sem aborto” e “Brasil sem Drogas”.

Mauri Filho criou uma página no Facebook para divulgar a obra desde maio de 2018. A postagem mais recente é do dia 1 de dezembro: “Todos em oração para que o último capítulo do livro seja: do Pé de Goiaba ao Ministério dos Direitos Humanos!”. Damares Alves foi escolhida titular da pasta no dia 6 de dezembro. Ela foi assessora parlamentar de Magno Malta e é pastora evangélica. Em textos anteriores na página do livro, imagens de índios eram mescladas com inserções que diziam “Este livro irá conscientizar o Brasil sobre a barbaridade do infanticídio indígena”. Pouco depois que O GLOBO esteve no local, a página foi tirada do ar.

Bolsonaro recua e desiste de base americana no Brasil

Em mais um recuo após a má repercussão da ideia, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez chegar aos comandantes militares e oficiais generais da cúpula das Forças Armadas a informação de que não haverá nenhuma base americana instalada no Brasil durante seu mandato.

Segundo a Folha apurou com oficiais generais que receberam o recado, a mensagem foi passada pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva.

Bolsonaro havia citado a possibilidade da instalação de uma base dos EUA, país com o qual vem travando uma aproximação agressiva desde que foi eleito, durante entrevista ao SBT na semana passada.

Seu chanceler, Ernesto Araújo, confirmou a intenção na sequência. Ela foi elogiada, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que esteve na posse do presidente no dia 1º.

A declaração pegou os militares de surpresa, ainda mais vinda de um egresso das fileiras do Exército conhecido pela retórica nacionalista.

O Alto Comando do Exército, centro de gravidade do poder militar brasileiro, expressou seu descontentamento em conversas de seus membros —os generais de quatro estrelas, topo da hierarquia. Azevedo e Silva, que foi do colegiado e hoje está na reserva, conversou com Bolsonaro.

Os EUA possuem mais de 800 bases em cerca de 80 países, mas nenhuma ativa na América do Sul. Estiveram presentes na Colômbia em acordo com o governo local, dando apoio ao combate às Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).

Atuaram no Paraguai e, de 1999 a 2009, ocuparam uma base no Equador.

No caso colombiano, há talvez mil militares americanos ainda em solo após o acordo de paz entre governo e Farc, em 2016. Mas o plano de estabelecimento de bases locais foi rejeitado pela Justiça do país.

No Brasil, a simples ideia de haver militares americanos instalados permanentemente causa urticária ao alto oficialato. O grau do desconforto, ou de alívio com o recuo, será aferível nesta terça (8): Bolsonaro estará em um almoço em homenagem ao comandante da Marinha.

A ideia da base contraria os princípios de soberania e busca de meios de autodefesa estabelecidos pela Política Nacional de Defesa e pela Estratégia Nacional de Defesa.

Mesmo que prosperasse, ela precisaria de autorização do Congresso, após o presidente consultar o Conselho Nacional de Defesa.

O Brasil só abrigou militares americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1942, a ditadura de Getúlio Vargas cedeu áreas em Natal para operações aeronavais aliadas no Atlântico, em troca de favorecimento político e econômico.

(mais…)

 

INACREDITÁVEL: PT sai em defesa de Maduro

O PT, que durante a campanha eleitoral media as palavras ao falar de um possível apoio ao governo de Nicolás Maduro na Venezuela, publicou em seu site uma nota oficial criticando a retificação brasileira da declaração do Grupo de Lima, não reconhecendo o segundo mandato de Maduro. “A decisão do novo governo brasileiro de apoiar a recente declaração do Grupo de Lima, que não reconhece o mandato do presidente Maduro e incita a realização de um golpe de Estado na Venezuela, contraria as mais altas tradições da diplomacia do Brasil”, escreveram em nota Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e Paulo Pimenta.

“Advertimos, por último, que tal agenda belicista deverá agravar o conflito interno da Venezuela, fragilizar a integração da América Latina, apequenar o Brasil e, muito provavelmente, ocasionar grave instabilidade em toda a nossa região”, completaram os petistas.

BR 18 / ESTADÃO

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

TUDO OU NADA: Estratégia de Fátima de pagar o funcionalismo é uma roleta russa

Resultado de imagem para fátima bezerra

A governadora Fátima Bezerra propôs nesta segunda aos sindicatos que representam o funcionalismo público o pagamento dentro do mês com um adiantamento de 30% dos salários no dia 10 e o restante no último dia de cada mês.

O problema está em como antecipar algo que está devendo. A possibilidade de atrasar nos próximos meses é ainda maior, já que a atual gestão recebeu o Estado com R$ 3 milhões em caixa e uma dívida de R$ 1 bilhão segundo a nova governadora só com funcionalismo.

A política de adiantamento adotado pelo Governo do Estado será uma política de efeito agora. De imediato. Mas como são grandes as chances da arrecadação não ser suficiente para pagar a todos, o problema será quando isso acontecer. O atraso vai virar uma bola de neve ainda maior.

O que seria uma alternativa pode vir a a se tornar um tsunami e as ondas cairão sobre o colo da governadora Fátima Bezerra, que foi eleita com o apoio total dos sindicatos.

Vale lembrar que o Governo aguarda extras que poderão vir da antecipação dos royalties do petróleo, da renegociação da administração da folha junto ao Banco do Brasil, da partilha da cessão onerosa do pré-sal, entre outras fontes. Novamente: antecipação que o governo de Robinson Faria não conseguiu exito em nenhuma delas.

A jogada de Fátima é arriscada, arriscadíssima. Paga a gestão dela em dia e conta com a sorte para pagar o saldo do 13º de 2017, o saldo de novembro de 2018 e dezembro e o 13º de 2018 com os possíveis extras ou coloca em pratica o parcelamento que a transição dela pensou em fazer antes de assumir.

A questão é, se falta dinheiro para o orçamento de 2019, segundo o próprio secretário de planejamento o equivalente a dois meses onde vai operar esse milagre?

Fátima acertou na ideia e pode ficar com o pincel na mão. Foi para o tudo ou nada. Se der certo se consagra e se não der pode acabar 2019 com mais atrasados do que o governo Robinson principalmente se retardar a reforma administrativa e o pacote para o servidores que tem titubeado.

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu