PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA TERÇA-FEIRA

28 de agosto, terça-feira

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.


Por G1

 

Os números da violência pelo Brasil no 1º semestre. O G1atualiza o Monitor da Violência e traz o índice nacional de homicídios registrados entre janeiro e junho. Eleições 2018: Ao JN, o candidato do PDT Ciro Gomes diz ter ‘confiança cega’ em Carlos Lupi, ex-ministro réu por improbidade, e detalha proposta sobre brasileiros endividados. O que é ‘homeschooling’? A gente explica como funciona a prática de educação domiciliar que deve ser votada no STF nesta semana. O que é notícia nesta terça-feira:

NACIONAIS

Monitor da violência

 (Foto: Editoria de arte / G1)

(Foto: Editoria de arte / G1)

G1 atualiza hoje o Monitor da Violência e traz o índice nacional de homicídios registrados entre janeiro e junho.

Entrevista ao Jornal Nacional

Ciro Gomes dá entrevista ao JN (Foto: Reprodução/TV Globo)

Ciro Gomes dá entrevista ao JN (Foto: Reprodução/TV Globo)

O candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, afirmou ontem à noite, em entrevista ao Jornal Nacional, que tem confiança “absolutamente cega” no presidente do partido, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, réu por improbidade administrativa e que responde a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta compra de apoio político para o governo Dilma Rousseff em 2014. Ele também entregou um manual impresso no qual disse explicar detalhadamente a proposta de “ajudar a tirar” os nomes de 63 milhões de brasileiros do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Leia aqui. Os demais entrevistados serão Jair Bolsonaro (hoje), Geraldo Alckmin (amanhã) e Marina Silva (quinta-feira).

Ciclovias

 (Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

capitais do país contam com mais de 3.000 km de vias destinadas a bicicletas, o que representa um aumento de 133% em quatro anos. É o que mostra levantamento feito pelo G1 e pela GloboNews junto às prefeituras das 26 cidades e ao governo do Distrito Federal.

‘Homeschooling

Aluno estudando em Mato Grosso, Seduc, MT, Cuiabá (Foto: Gcom-MT)

Aluno estudando em Mato Grosso, Seduc, MT, Cuiabá (Foto: Gcom-MT)

“Homeschooling”: o que é isso? É a prática no Brasil de educação domiciliar. Nesse modelo de ensino, as crianças não vão para a escola e são educadas pelos pais, em casa. Mas o Conselho Nacional da Educação (CNE) é contra a prática. Diante desse quadro, um julgamento no STF marcado para quinta-feira (30) pode por fim a isso. Os ministros vão definir se a prática de ensino será permitida.

Games

Assista ao trailer de 'PES 2019'

Assista ao trailer de ‘PES 2019’

O “Pro Evolution Soccer 2019” (ou “PES 2019”, para os íntimos) chega ao PlayStation 4 e ao Xbox One nesta terça-feira e aos computadores nesta quarta (29). Assim como em todos os anos, o game de futebol da Konami promete uma série de novidades. Confira as principais inovações do jogo.

  • ‘We Are Illuminati’: conheça o game para celular que é ‘simulador de conspirações’

 

LOCAIS

Plágio expõe negativamente campanha de Fátima Bezerra e mostra amadorismo total de quem lidera as pesquisas

Por Bruno Barreto

A senadora Fátima Bezerra (PT) vinha surfando na campanha eleitoral até aqui. Além de liderar com boa dianteira sobre os principais rivais não existia uma propaganda negativa consistente contra a petista.

Era o cenário dos céus: liderar todas as pesquisas com vantagem superior a 10% e ao mesmo tempo não ter margem para sofrer ataques.

Até hoje.

O Blog do BG trouxe na manhã desta segunda-feira uma notícia que pode ser devastadora para a imagem da candidata ao Governo e sua equipe. A acusação é de que ela plagiou o programa de governo de Wellington Dias (PT/PI), candidato que lidera com folga as eleições para o Governo do Piauí.

Não tem nada demais uma candidatura se inspirar em ideias de correligionários que deram certo em outros lugares.

O problema é quando a assessoria não tem o cuidado de escrever as ideias com as próprias palavras e apela para o Control C Control V puro e simples. O caso não passou em branco e expôs uma sensação de amadorismo na campanha de Fátima que agora terá que perder tempo e gastar energias tendo que se explicar sobre um problema que poderia ser evitado.

O eleitor mais exigente certamente ficará desconfiado das convicções da candidata.

Comments

Pesquisa Consult também confirma queda de Carlos Eduardo e crescimento de Robinson e Fátima. Tendencia de 2º turno

O Instituto Consult publicou na noite desta segunda (27) mais uma pesquisa eleitoral, da sua série de pesquisas para as Eleições 2018. Na estimulada, que mede os nomes que constam na planilha apresentada aos entrevistados, Fátima continua na dianteira com 29,8%, seguida de Carlos Eduardo com 15,8% e de Robinson Faria com 9,71%. Senadora Fátima Bezerra também teve leve crescimneto,

O candidato Carlos Eduardo caiu em relação à pesquisa anterior e Robinson obteve crescimento. Os demais candidatos ficaram assim: Carlos Alberto com 1,24%, Breno Queiroga com 0,71%, Dário Barbosa com 0,35% e Freitas Júnior e Heró Bezerra ambos empatados com 0,06%. Os indecisos somam 16,18% e os brancos e nulos somam 26%. A pesquisa foi registrada com o número Protocolo do TSE: RN-03828/2018 e BR-01088/2018.

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5PSfQdsGE

Números

TJRN melhora desempenho e é terceiro entre tribunais de pequeno porte

O índice de 88% no IPC-Jus representa um crescimento de 42% em relação ao resultado obtido pelo TJRN no ano passado (ano base 2016), quando o seu IPC-Jus foi de 62%

Fachada do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte

O Tribunal de Justiça do RN obteve o terceiro melhor desempenho em relação à produtividade e à eficiência dentre os 12 Tribunais de Justiça do país considerados de pequeno porte, atrás apenas dos TJs de Sergipe e Roraima. O TJRN alcançou o percentual de 88% no Índice de Produtividade Comparada da Justiça (IPC-Jus), principal indicador criado pelo Conselho Nacional de Justiça dentro do relatório Justiça em Números 2018, divulgado hoje (27) pelo CNJ e que traz as informações relativas ao Poder Judiciário em 2017, reunindo dados de 90 tribunais brasileiros.

O índice de 88% no IPC-Jus representa um crescimento de 42% em relação ao resultado obtido pelo TJRN no ano passado (ano base 2016), quando o seu IPC-Jus foi de 62%. No ano passado, o TJRN figurou na 10ª posição dentre os 12 TJs de pequeno porte. Contudo, conseguiu melhorar seus índices e subiu sete posições na atual edição do Justiça em Números. A melhora de desempenho reflete as ações empreendidas pela atual administração do Judiciário potiguar em busca do aumento da produtividade e melhoria da prestação de serviço aos cidadãos.

“Este é o nosso compromisso desde o início da gestão e o resultado é fruto do esforço de magistrados e servidores, com o apoio da administração, para que possamos produzir cada vez mais e melhor”, afirma o presidente do TJRN, desembargador Expedito Ferreira. Os investimentos do Tribunal envolvem desde novos sistemas de gerenciamento de informação até computadores mais modernos, além de recuperação de instalações de trabalho. “A população merece um serviço mais eficiente e julgamentos mais céleres, não descansamos um só minuto nesta busca”, ressalta o dirigente do Judiciário estadual.

O IPC-Jus é calculado a partir de parâmetros de produtividade, considerando o fluxo de entrada – número de processos que ingressaram, recursos humanos e financeiros disponíveis, servidores e despesas –, e o fluxo de saída, ou seja, os processos baixados (arquivados em definitivo).

Considerando o resultado por instância, o 1º Grau do TJRN apresentou índice de 83% no IPC-Jus (havia sido de 60% no ano anterior), ficando com a quarta colocação entre os 12 tribunais de pequeno porte. Já o 2º Grau obteve índice de 59%.

Atendimento à Demanda

O TJRN se destacou ainda em relação ao Índice de Atendimento à Demanda (IAD), indicador que verifica se o tribunal foi capaz de baixar processos pelo menos em número equivalente ao quantitativo de casos novos. O TJRN foi o primeiro lugar com percentual de 123,2%. O 1º Grau alcançou índice de 132%, a maior marca dentre os 27 TJs. No ano passado esse percentual havia sido de 95,9%. Já a 2ª Instância obteve percentual de 59%.

Produtividade de Magistrados

Já o Índice de Produtividade por Magistrado (IPM), indicador que computa a média de processos baixados por magistrado em atuação, aumentou de 962 processos arquivados em definitivo por magistrado no ano passado (ano base 2016) para 1.278 na atual edição (ano base 2017), deixando o TJRN na quarta posição neste item – crescimento de 32,8%. No 1º Grau o indicador cresceu de 939 processos baixados por magistrado em 2016 para 1.291 em 2017. No 2º Grau apresentou redução, passando de 1.300 para 1.103 processos arquivados por magistrado.

Produtividade de Servidores

O Índice de Produtividade por Servidor (IPS) cresceu de 89 processos baixados por servidor em 2016 para 113 em 2017. O indicador computa a média de processos baixados por servidor da área judiciária. No 1º Grau esse índice cresceu de 91 processos arquivados por cada servidor da área judiciária em 2016 para 118 em 2017. No 2º Grau caiu de 73 processos baixados por servidor em 2016 para 68 em 2017.

Indicadores

Em média, a cada grupo de 100.000 habitantes, 6.151 ingressaram com uma ação judicial junto a Justiça do Rio Grande do Norte no ano de 2017. Em 2017, o número de casos novos por magistrado do 2º Grau apresentou aumento, passando de 1.227 em 2016 para 1.872 na atual edição do relatório (crescimento de 52,5%). Na primeira instância, houve uma pequena redução, passando de 895 para 885 casos novos por magistrado. Já o número de casos novos por servidor do 2º Grau também apresentou aumento, de 69 casos novos em 2016 para 115 em 2017 (crescimento de 66,6%). No 1º Grau, o número passou de 69 para 81.

Taxa de congestionamento

Em relação à taxa de congestionamento – índice que mede a efetividade do Tribunal em determinado período, ou seja, sua capacidade de dar vazão aos casos novos e pendentes existentes por meio da baixa dos processos – o TJRN teve melhoras nos índices gerais, caindo de 74,6% para 62,9% (taxa bruta); e de 73,5% para 61,2% (taxa líquida). A taxa líquida desconsidera os processos suspensos e sobrestados. Na primeira instância a taxa de congestionamento foi reduzida de 76% em 2016 para 63% em 2017, enquanto que na segunda instância a taxa de congestionamento cresceu de 57% em 2016 para 62% em 2017.

Processos eletrônicos

Dos casos novos que ingressaram na Justiça potiguar em 2017, 61,1% foram ajuizados por meios eletrônicos. No 1º Grau o índice foi de 69%, enquanto que no 2º Grau esse percentual foi de 10% em 2017.

Fonte: AGORA RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu