PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

 

Bolsonaro retorna ao Brasil após sua 1ª viagem internacional como presidente. Começa a segunda fase da venda de ingressos para a Copa América. São Paulo e Vasco disputam a final da Copinha no Pacaembu. A cidade de São Paulo completa 465 anos.

NACIONAIS

Retorno de Bolsonaro

Após passar os últimos quatro dias na Suíça, o presidente Jair Bolsonaro volta a Brasília. A previsão é de que o voo da FAB desembarque no início da manhã. Bolsonaro estava em Davos, onde participou do Fórum Econômico Mundial. Hoje, o presidente se encontra com os ministros da Casa Civil, Defesa e da Secretaria de Governo, e com o governardor de Rondônia. No final de semana, Bolsonaro viaja para São Paulo, onde vai passar por uma cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia, na segunda-feira.

Ensino domiciliar

Ministra Damares Alves explica proposta sobre home schooling

Ministra Damares Alves explica proposta sobre home schooling

O governo Bolsonaro quer liberar o ensino domicilar por medida provisória. A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou ao blog da Andréia Sadi que o texto da MP está pronto e será enviado ao Congresso na abertura dos trabalhos legislativos, em fevereiro. Para Damares, o “homeschooling” garante aos pais o poder de gerenciar o aprendizado dos filhos e até ensinar mais conteúdo. O STF, contudo, já decidiu que atual legislação não permite a prática.

SP 465 anos

A cidade de São Paulo comemora hoje 465 anos. Quem ficar na capital poderá aproveitar uma série de shows, eventos culturais e até museus, com entrada gratuita. Paulinho da Viola, Ludmilla e Rael estão entre as atrações. Veja 10 dicas para aproveitar o aniversário da cidade.

Praia na capital

Elza e a filha Cida levaram guarda-sol e cadeiras de praia para a Praia do Sol, na Represa Guarapiranga — Foto: Fábio Tito/G1

Elza e a filha Cida levaram guarda-sol e cadeiras de praia para a Praia do Sol, na Represa Guarapiranga — Foto: Fábio Tito/G1

Quem disse que São Paulo não tem praia? Não é só descendo a serra que o paulistano pode ir nadar e tomar um sol. A represa Guarapiranga, na Zona Sul da cidade, tem 18 praias regulamentadas pela Prefeitura de São Paulo. G1 foi conhecer a Praia do Sol, na Capela do Socorro, e mostra como chegar lá e quais cuidados tomar.

Carnaval

Começa hoje a venda dos ingressos para os Desfiles das Escolas de Samba de São Paulo, nos dias 1º e 2 de março, e também os para o Grupo de Acesso e o Desfile das Campeãs. Os preços variam de R$ 45 (meia-entrada na arquibancada) até R$ 10 mil (camarote).

Copa América

A 2ª fase da venda de ingressos para a Copa América de 2019 no Brasil começa a partir de 12h (de Brasília). Os torcedores poderão comprar os bilhetes através do site oficial da competição (copaamerica.com), ao todo mais de 228 mil ingressos estarão disponíveis para todos os jogos da competição.

Final da Copinha

São Paulo e Vasco se enfrentam às 15h30, no Pacaembu, na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

É proibido plástico

Canudo biodegradável usado em restaurante de Fernando de Noronha — Foto: Fábio Tito/G1

Canudo biodegradável usado em restaurante de Fernando de Noronha — Foto: Fábio Tito/G1

Em abril de 2019, Fernando de Noronha vai colocar em prática uma medida ousada que já havia sido ensaiada em 1996: proibir a entrada e a comercialização de plásticos descartáveis em toda a ilha. Noronha é um parque nacional marinho e uma área de proteção ambiental. Considerado um paraíso por causa da flora e fauna protegidas, foi o primeiro destino visitado pela série “Desafio Natureza” do G1.

Curtas e rápidas…

Previsão do tempo

Veja a previsão do tempo para sexta (25)

Veja a previsão do tempo para sexta (25)

 

VÍDEO: OUTRA CONFUSÃO – Holandeses se irritam com fala de Damares: ‘lá, pais masturbam bebês’

Por Notícias ao Minuto

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, envolveu-se em uma nova polêmica, desta vez com repercussão internacional. Uma fala dela tornou-se assunto em dois grandes jornais dos Países Baixos e levou o Brasil aos trending topics – lista de assuntos mais comentados – no Twitter de lá nesta quinta-feira (24).

As publicações resgataram um vídeo de 2013 em que a ministra declarou que os pais holandeses são instruídos a ‘massagear sexualmente suas crianças’.

“Inclusive na Holanda, os especialistas ensinam que o menino deve ser masturbado com sete meses de idade para que, ao chegar na fase adulta, possa ser um homem saudável sexualmente, e a menina deve ter a vagina manipulada desde cedo para que ela tenha prazer na fase adulta”, disse Damares em uma igreja evangélica em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Na holanda, as reportagens foram recebidas com incredulidade e irritação. A repórter holandesa Sandra Korstjens, autora dos textos que foram veiculados por duas publicações locais, declarou ao UOL: “Muitas pessoas acham difícil acreditar que ela realmente falou isso, porque é tão absurdo”.

A RTL Nieuws da última quarta-feira(23), noticiou “Ministra brasileira: especialistas holandeses recomendam satisfação sexual de bebês”. O Telegraaf, um dos maiores jornais do país, também noticiou a polêmica “Ministra Damares conta fábulas sexuais sobre a Holanda”.

Korstjens disse não entender por que Damares Alves falou essas coisas sobre seu país e desconhece a prática citada pela ministra. A jornalista procurou a assessoria da ministra para entender a origem das declarações, mas não teve resposta. “Não posso falar pelo país inteiro, mas acredito que esse tipo de declaração pode ser muito prejudicial para a imagem que as pessoas têm do Brasil”, disse a jornalista.

Nas redes socias, os holandeses compartilharam a notícia com incredulidade. “Mundo louco, não posso acreditar que isso seja verdade” comentou um internauta.

Comments

Bolsonaro nega ter festejado o ‘exílio’ de Wyllys

Reeleito para o seu terceiro mandato, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) desistiu de reassumir sua cadeira na Câmara. Sob ameaças de morte, o parlamentar decidiu viver no exterior. Desafeto de Wyllys, Jair Bolsonaro anotou no Twitter: “Grande dia.” A manifestação foi recebida nas redes sociais como uma celebração.

Ao ler notícia sobre a repercussão, o presidente retornou ao Twitter: “Fake News!” Bolsonaro esclareceu que celebrava não o “exílio” de Jean Wyllys, mas o resultado de sua passagem pelo Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça: “Referi-me à missão concluída, reuniões produtivas com chefes de Estado, voltando ao país que amo, Bolsa batendo novo recorde na casa dos 97.000 e confiança no nosso país sendo restabelecida, isso faz de hoje um grande dia!”

JOSIAS DE SOUZA

Comments

Freixo para Bolsonaro: ‘Pare de agir como moleque’

O deputado federal Marcelo Freixo não gostou nada de ver o presidente Jair Bolsonaro escrevendo em seu Twitter que esta quinta-feira, 24, é um “grande dia”, pouco tempo depois de Jean Wyllys anunciar que está abandonando o mandato e deixando o Brasil. “Que tal você começar a se comportar como presidente da República e parar de agir como um moleque? Tenha postura”, disse Freixo.

Wyllys é um dos maiores desafetos de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Durante a sessão que que sacramentou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Wyllys chegou a cuspir em Bolsonaro. Após o psolista anunciar a saída da política, tanto o presidente quanto seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro, compartilharam mensagens irônicas, mas sem citar nominalmente Wyllys.

Flávio Bolsonaro diz na TV que é contra milícias e que frases em defesa de milícias foram ‘tiradas de contexto’ e descarta pedir afastamento do senado

Dois dias depois de a Justiça do Rio decretar a prisão do ex-policial militar Adriano da Nóbrega, acusado de chefiar uma milícia na zona oeste do Rio de Janeiro, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou que propôs duas homenagens a ele, enquanto deputado estadual, porque não sabia das suspeitas contra o agente. Um dos homenageados estava preso no momento em que o pedido de homenagem foi protocolado. Ele também condenou as milícias, que têm presença forte na zona oeste da capital fluminense e também na Baixada e têm influência política no Estado.

“Eu já ofereci centenas de homenagens a policiais militares, a outros integrantes de segurança pública. (As denúncias) São informações que estão vindo à tona agora, e as homenagens foram por situações específicas. Não tem problema nenhum nisso, a gente tem que homenagear aqueles policiais que se destacam. Obviamente, as informações que agora aparecem são completamente diferentes das que eu tinha na época”, afirmou o filho do presidente Jair Bolsonaro, em entrevista ao SBT.

O senador eleito, em discursos na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), em 2006 e 2007, afirmou que “a milícia nada mais é do que um conjunto de policiais buscando expurgar do seio da comunidade o que há de pior: os criminosos”. Também disse em pronunciamento não achar “justa essa perseguição (aos milicianos)”. Nesta quinta-feira, disse ser contra as milícias.

“Sou contra milícias, só que nesse momento (no passado) estava começando uma discussão sobre o que era isso, estava se generalizando de uma forma muito preocupante, em qualquer lugar onde moravam dois ou três policiais militares já estavam sendo considerados milícia. O que eu falei é que eu defendia os policiais”, justificou-se o senador eleito. Ele também disse que frases suas foram tiradas do contexto. “Sou contra qualquer tipo de tentar implantar um Estado paralelo que não seja o nosso democrático de direito”, completou.

Flávio negou que tenha cogitado pedir afastamento do Senado

Flávio Bolsonaro também negou que tenha cogitado pedir afastamento do cargo de senador, que vai assumir em 1.º de fevereiro, para se defender das acusações e como forma de proteger o governo do pai, o presidente Jair Bolsonaro.

“Mentira, não sei nem de onde surgiu essa história. Eu nem tomei posse ainda, vou tomar posse e vou trabalhar muito pelo Rio de Janeiro e pelo Brasil. Não vou me afastar, e quero aproveitar a oportunidade para falar para todo o Brasil da grande perseguição política que estou sofrendo no meu Estado”.

Na entrevista, Flávio alegou que teve seu sigilo bancário quebrado pelo Ministério Público do Rio irregularmente. Os procuradores rebatem a alegação, e dizem que o Coaf encaminhou informações ao MP espontaneamente, por meio de protocolo que existe entre as agências para combater lavagem de dinheiro.

“Tenho a convicção de que o Supremo (Tribunal Federal), ao ingressar no teor dessa minha reclamação, em que eu aponto as irregularidades com provas documentais, com cópia do próprio processo, esse entendimento vai ser pacífico de que houve, sim, quebra do meu sigilo sem autorização judicial”, disse. Ele se referia ao processo que culminou com a decisão do ministro Luiz Fux de suspender a investigação contra Queiroz, até que o relator do caso no STF decida sobre o caso. “Não fui lá pedir foro privilegiado”, completou Flávio.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Flávio Bolsonaro movimentou 630 mil reais em seis meses

Flávio Bolsonaro, entre 1 de agosto de 2017 e 31 de janeiro de 2018, movimentou 632.229 reais.

O Coaf considerou o valor incompatível com sua renda, de acordo com relatório obtido pela Veja.

 

Na franquia da Kopenhagen, ele ganhou apenas 120 mil reais.

O ANTAGONISTA

Comments

Os saques de Queiroz na mira do Coaf. Movimentação em 2018 também foi alta

O Coaf tem mais suspeitas sobre Fabrício Queiroz.

Entre 20 de dezembro de 2017 e 6 de junho de 2018, ele sacou 190 mil reais em 38 operações distintas.

 

“Verificamos fracionamento nos saques em espécie com cartão de débito, fatos que nos despertam a suspeita de ocultação do destino deste valor e de sua finalidade.”

O ANTAGONISTA

Comments

Governo começa a mapear estatais e espera obter R$ 73 bilhões com vendas

O governo Jair Bolsonaro tenta fechar a conta das concessões e outorgas previstas para este ano, com a ambição de atingir os US$ 20 bilhões (cerca de R$ 75,3 bilhões) prometidos pelo ministro Paulo Guedes. Para acelerar esse plano, o Ministério da Economia, pediu às agências reguladoras informações sobre projeções de receitas de concessões para este ano nas áreas de petróleo, mineração e energia. Já o Programa de Parceria de Investimentos (PPI) enviará aos ministérios que possuem estatais os planos que incluem privatização, liquidação e extinção.

A tarefa, no entanto, não será nada fácil. Desde maio de 2016, a União arrecadou R$ 46,4 bilhões em bônus de outorga (pagamento pelo direito de explorar um bem público) em concessões e privatizações de estatais, segundo dados do PPI. Em 30 meses, o governo Michel Temer concluiu 124 projetos nas áreas de energia, rodovias, aeroportos, portos, óleo e gás.

A área de petróleo foi a que mais trouxe recursos para o governo, com R$ 28 bilhões. Para os primeiros 100 dias de governo, a previsão é que os leilões na área de ferrovias, aeroportos e portos arrecadem R$ 2,3 bilhões em outorga.

O sócio gestor da Inter B.Consultoria, Claudio Frischtak, avalia que a previsão de Guedes é muito otimista e provavelmente está relacionada à promessa do ministro de zerar o rombo nas contas públicas – está previsto um déficit de R$ 159 bilhões este ano. “Eu ficaria surpreso se essa previsão se confirmasse e gostaria de ser surpreendido. Mas sabemos que o processo de concessões e privatizações é demorado”, afirmou. “Temos uma gama de estatais para privatizar, mas poucas são significativas sob o ponto de vista de geração de recursos para o Tesouro. O objetivo principal, aliás, não deve ser arrecadar, mas sim uma gestão melhor e sem captura política.”

Estatais

O governo conta hoje com 135 estatais, das quais 117 do setor produtivo e 18 na área financeira. Entre as principais estão Banco do Brasil, Caixa, BNDES, Correios, Petrobrás e Eletrobrás.

A venda de subsidiárias dessas empresas, no entanto, gera recursos para a respectiva holding, e não para a União. O impacto para o Tesouro Nacional só ocorreria por intermédio da arrecadação de impostos ou por dividendos.

Possuem estatais sob sua supervisão e devem receber ofícios do secretário especial do PPI, Adalberto Vasconcelos, os ministérios de Minas e Energia, Economia, Infraestrutura, Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Agricultura, Defesa, Saúde, Educação e Desenvolvimento Regional, além da própria Presidência da República.

A decisão final a respeito do futuro dessas empresas passa pelos ministérios setoriais, que podem fazer sugestões e alterações nos planos do PPI.

Uma barreira aos planos do governo é a situação econômico-financeira das empresas candidatas à privatização. Desde 2016, a União conseguiu privatizar sete distribuidoras de energia que pertenciam à Eletrobrás. Porém, a única que rendeu bônus para a União foi a Celg, de R$ 2,2 bilhões.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu