PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Ataques continuam no Ceará. Moro decide mandar tropa se situação na segurança piorar. ‘Azul para meninos, rosa para meninas’: ministra diz não se arrepender da declaração. ONGs sob a supervisão do governo federal. Ministros avaliam ser difícil STF rever prisão após 2ª instância. O que esperar das séries de TV em 2019. E a invasão de baratas no calor.

NACIONAIS

Ataques no Ceará

A onda de violência no Ceará promoveu novos ataques desde ontem à noite e nesta madrugada. Uma delegacia foi alvo de ataque a bomba e uma revendedora de carros foi incendiada após um assalto com reféns. Durante o dia, houve um motim em uma cadeia e ônibus foram atacados. O governador, Camilo Santana, pediu auxílio da Força Nacional para conter os atos violentos. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, decidiu enviar as tropas só em caso de ‘deterioração’ da segurança e determinou que PF e PRF auxiliem no combate à violência.

Rosa e azul

Fala da ministra Damares Alves provoca grande repercussão

Fala da ministra Damares Alves provoca grande repercussão

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, comentou na GloboNews a declaração polêmica sobre cores para meninos e meninas, e disse que não se arrepende da frase. Ela voltou a dizer que fez uma “metáfora” contra o que chama de “ideologia de gênero”:

“De jeito nenhum [me arrependo]. Foi uma metáfora. Nós temos no Brasil o ‘Outubro Rosa’, que diz respeito ao câncer de mama com mulheres, temos o ‘Novembro Azul’, que é com relação ao câncer de próstata com o homem. Então quando eu disse que menina veste cor de rosa e menino veste azul, é que nós vamos estar respeitando a identidade biológica das crianças”, disse.

ONGs monitoradas

Uma MP editada pelo presidente Jair Bolsonaro passou a prever a “supervisão” e o “monitoramento” de organizações não governamentais (ONGs) e organismos internacionais pela Secretaria de Governo. Na campanha, Bolsonaro fez reiteradas críticas a essas organizações. Pelo texto da MP, o monitoramento caberá à Secretaria de Governo, comandada pelo general Santos Cruz.

Prisão após 2ª instância

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliaram ao blog da Andréia Sadi que a decisão de Marco Aurélio Mello sobre prisões após segunda instância reforçou a tendência na Corte de manter a possibilidade de prisão sem o chamado trânsito em julgado, e que deve ser difícil o STF reverter a decisão no julgamento, em abril.

Imóveis mais baratos

Os preços dos imóveis recuaram pelo 2º ano seguido em 2018, segundo o Índice FipeZap. Considerando a inflação, a queda no valor foi de 3,76%.

Televisão

Em 2019, quais séries vão fazer você bater palma na frente da TV, chorar de emoção (ou de raiva) e passar horas e horas no sofá assistindo a vários episódios em sequência? O G1 responde a essas perguntas com uma lista de lançamentos e novas temporadas que estreiam neste ano. Um vídeo traz os trailers já lançados.

Invasão de… baratas!

A barata definitivamente não é um bicho dos mais populares, e casos recentes de invasões de baratas em ônibus de SP e do RJ causaram repulsa e, com o aumento das temperaturas nas últimas semanas, internautas reclamam nas redes sociais que elas têm aparecido com mais frequência por aí. Entenda por que o inseto aparece mais no verão.

Previsão do tempo

Previsão do tempo para sexta-feira (4)

Previsão do tempo para sexta-feira (4)

Navio com 3.500 veículos da Nissan está à deriva no Pacífico após incêndio a bordo

navio

Nissan confirmou que cerca de 3.500 carros estavam no navio Sincerity Ace, de bandeira panamenha, que tombou no Pacífico. Os 16 tripulantes foram resgatados por outros navios a cerca de 2.800 quilômetros da ilha de Oahu, no Havaí.

De acordo com a Guarda Costeira americana, a tripulação pediu socorro após um incêndio a bordo. Há notícias de que três tripulantes morreram no incidente. A Guarda e a Marina americanas, bem como outros navios, estão procurando por outros dois desaparecidos.

O cargueiro tem capacidade para 5.200 veículos e se dirigia do Japão para o Havaí e outros portos nos Estados Unidos. Construído em 2009, o Sincerity Ace é de propriedade da Shoei Kisen Kaisha, que o aluga para a Mitsui OSK Lines, especializada no transporte de veículos. A Shoei Kisen Kaisha já está formalizando um plano de resgate do cargueiro e enviou navios para o local.

O Sincerity Ace desceria a costa pacífica dos Estados Unidos com paradas também no México e em Porto Rico. Na costa atlântica, pararia ainda nos estados da Flórida, Virginia e Maryland, dos EUA.

 

‘Não pretendo conversar com Queiroz’, afirma Bolsonaro

Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro reiterou nesta quinta-feira, 3, que não teve participação nas movimentações financeiras “atípicas” do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz registradas pelo Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Em sua primeira entrevista após a posse, concedida ao jornal SBT Brasil, ele admitiu que Queiroz, com quem mantinha amizade desde 1984, gozava de sua confiança. Disse, porém, que não pretende conversar com ele agora.

“Ele responde pelos seus atos. Não tenho nada a ver com essa história”, disse o presidente. “Sempre gozou de toda confiança minha. Mais de uma vez tinha emprestado dinheiro para ele. Tinha emprestado para outros funcionários também”, ressaltou. “Não vejo nada demais nisso aí, não cobro juros, nada.”

De acordo com informações do Coaf repassadas ao Ministério Público, Queiroz, ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), movimentou R$ 1,2 milhão no período de um ano em sua conta bancária – entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, o que foi considerada movimentação atípica. Uma das transações na conta de Queiroz citadas no relatório do Coaf é um cheque de R$ 24 mil destinado à primeira-dama Michelle Bolsonaro. Em entrevista, Queiroz disse que o dinheiro vinha da compra e venda de carro.

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que o sigilo bancário de Queiroz foi quebrado sem autorização judicial. “Quebraram o sigilo bancário dele sem autorização judicial. Cometeram um erro gravíssimo.” O presidente observou que o Coaf apontou indícios de irregularidade nas contas de 18 servidores da Assembleia do Rio de Janeiro, mas a imprensa deu destaque apenas a Queiroz. “A potencialização em cima dele e de meu filho foi para me atingir”, disse. “Esse é o tratamento que recebo”, afirmou.

Questionado se Queiroz ainda tinha sua confiança, Bolsonaro negou. “Até que ele prove o contrário, não pretendo conversar com ele. Até porque se eu for conversar, vão dizer que eu estou tentando aconselhá-lo, qualquer coisa”, afirmou. O ex-assessor passou por uma cirurgia, nesta semana, de retirada de um tumor. “Deve ter tirado um pedaço do intestino. Não sei se houve metástase”, disse Bolsonaro. “Peço a Deus que salve a sua vida e ele preste explicações ao Ministério Público.”

O presidente também sinalizou que deseja dialogar com governadores do Nordeste, alinhados à oposição e que não compareceram à posse dele. “Não posso fazer guerra com governadores”, disse. Ele comentou, no entanto, que “ficou sabendo” que há governadores que não colocarão a foto dele em seus gabinetes. “Aí se for verdade, neste caso, espero que não venham pedir nada para mim. Para estes aí, o presidente deles está em Curitiba”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que “talvez um Congresso mais novo” pode aprovar uma lei definindo prisão em segunda instância.

Um repórter pediu que o presidente explicasse a promessa feita no  discurso de posse de que “libertaria” o povo do socialismo já que essa prática política nunca foi implantada no País. Desconcertado, Bolsonaro disse que “graças” às Forças Armadas nunca houve socialismo. Ele citou o levante do PCB em 1935 e a versão militar de que houve uma tentativa de golpe por parte da esquerda em 1964, quando o presidente João Goulart foi deposto pelos militares.

Cirurgia para retirada da bolsa de colostomia está marcada

Bolsonaro relatou que pretende fazer a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia na segunda-feira, dia 28, ou no dia seguinte. A bolsa foi acoplada ao seu corpo depois da facada que recebeu no atentado sofrido em setembro. Antes da operação, ele deverá viajar para a Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial. “Pedi para adiar em uma semana (a cirurgia) para ir a Davos”, contou.

Sem tropas federais, Fortaleza vive noite de terror

Polícia Militar registrou mais onze ataques em Fortaleza entre a noite de quinta-feira, 3, e início da madrugada de sexta, 4. O caso mais grave terminou com um suspeito morto e um policial baleado após troca de tiros na rodovia CE-010. O caso foi divulgado pelo Diário do Nordeste e confirmado pelo Estado.  Uma nova tentativa de explosão de viaduto e ataques a agências bancarias e órgãos públicos também foram relatados.

No fim da noite, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, negou o envio imediato de tropas federais para o Ceará, mas disse que a Força Nacional foi mobilizada ‘para se deslocar ao Estado em caso de deterioração da segurança’.

De acordo com a Polícia Militar, a troca de tiros entre os criminosos e policiais ocorreu na CE-010, na Grande Fortaleza. O grupo tentava destruir o fotossensor do radar de velocidade instalado na rodovia quando foi surpreendido pelos militares que patrulhavam a região. Um dos suspeitos foi atingido e morreu no local. Um PM foi baleado na perna e socorrido para o Instituto Doutor José Frota. O estado de saúde dele é desconhecido.

A Polícia Militar apreendeu um revólver calibre 38. Os demais criminosos fugiram do local.

Por volta de meia-noite, agentes também localizaram explosivos embaixo de um viaduto na rua Dr. Joaquim Bento, no bairro Curió. O material foi removido pela Polícia Militar, mas nenhum suspeito foi localizado.

Ao longo da noite e madrugada, os militares atenderam chamadas de ataques a tiros a agências bancárias e tentativas de incêndios por toda a capital.

onda de crime começou um dia depois de o titular da recém-criada Secretaria da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, dizer que não reconhecia facções no Estado e que não separaria mais os presos de acordo com a ligação com essas organizações. Os grupos criminosos são os principais suspeitos de serem os autores dos ataques.

Tropas federais

Em nota divulgada no fim da noite de quinta, 3, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, negou o envio imediato de tropas federais para o Ceará, mas disse que a Força Nacional foi mobilizada ‘para se deslocar ao Estado em caso de deterioração da segurança’. Mais cedo, o governador Camilo Santana (PT) pediu o envio do Exército para conter a onda de crimes.

Moro determinou que a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Departamento Penitenciário Nacional tomem providências para auxiliar o governo do Ceará no combate aos ataques por meio de investigação e repressão aos crimes registrados. O ministro incluiu na medida a oferta de vagas no sistema penitenciário federal.

Pelo menos 16 veículos foram incendiados desde o início do ataque, informou balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social cearense e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros.

Prisões

Desde o início dos ataques na noite de quarta, 2, sete pessoas foram presas e quatro adolescente foram apreendidos em flagrante por suposto envolvimento nos crimes. Outras sete pessoas foram ouvidas e liberadas pela Polícia Civil, mas seguem em investigação.

De acordo com balanço parcial divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do Ceará, dois suspeitos foram detidos na tarde de quarta, 2, durante diligências das polícias Civil e Militar. Uma mulher de 32 anos foi detida no Parque São José por portar uma garrafa com gasolina e outro homem, de 19 anos, foi preso por suspeita de participar da queima de um coletivo no início da tarde desta quinta.

Outras quatro pessoas, incluindo um menor de idade, foram detidas no Jardim Iracima com garrafas com gasolina. Todos foram ouvidos e liberados, mas a Polícia Civil continua a investigar suposta participação em outros crimes na capital.

O Comando Tático Motorizado (Cotam) prendeu dois homens suspeitos de destruir um fotossensor no bairro Moura Brasil. Um deles estava com mandado de prisão em aberto por furto e o outro tinha passagens por roubo e lesão corporal. No bairro Conjunto Esperança, foram capturados outros dois suspeitos em veículo com placas clonadas. No porta-malas do veículos, os policiais apreenderam um galão vazio e uma caixa de fósforo.

No bairro  Messejana, um trio foi detido pela equipe da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança pela tentativa de danificar um fotossensor na BR-116. Entre os suspeitos estava um adolescente de 14 anos. Com o grupo foram encontrados uma câmera roubada do equipamento atacado e uma marreta artesanal.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

PSL articula estratégia ‘anti-Renan’ no Senado

Após declarar apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara dos Deputados, o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, tenta construir uma estratégia para evitar que Renan Calheiros (MDB-AL) volte a presidir o Senado. O emedebista, que apoiou Fernando Haddad (PT) na eleição presidencial, é considerado nome “hostil” ao novo governo por aliados de Bolsonaro. Renan tem o apoio de parte da bancada petista na Casa.

O governo precisará do apoio dos comandos da Câmara e do Senado para aprovar medidas como a reforma da Previdência.

O PSL articula a construção de um consenso entre os senadores que já se movimentam como pré-candidatos à presidência da Casa e fazem oposição a Renan. Nesta quinta-feira, 3, o presidente do partido, deputado eleito Luciano Bivar (PE), confirmou o nome do senador eleito Major Olímpio (SP) para a presidência do Senado. Líderes do PSL admitem, porém, que a candidatura é uma estratégia para valorizar o “passe” do partido de Bolsonaro na negociação por cargos na Mesa Diretora.

Ao Estadão/Broadcast, Olímpio admitiu que desistirá da disputa se um aliado se destacar como nome anti-Renan. “Já estava fazendo isso (tentando unificar candidaturas anti-Renan), tanto que estava conversando com as candidaturas colocadas e buscando um consenso. A única coisa que mudou é que eu passo a ser mais um desses (candidatos), mas procurando esse consenso”, disse. “Serei eu o intransigente em dizer que a minha candidatura tem de ser única e absoluta? De forma nenhuma.”

Desde dezembro, líderes do partido de Bolsonaro têm realizado encontros com senadores que pretendem disputar o pleito em fevereiro. Conversas foram feitas com Davi Alcolumbre (DEM-AP), Tasso Jereissati (PSDB-CE), Alvaro Dias (Podemos-PR) e Esperidião Amin (PP-SC). As negociações também devem chegar a Simone Tebet (MDB-MS), que, apesar de não ser candidata oficialmente, é vista como alternativa a Renan no MDB.

O senador alagoano age para assumir um quinto mandato na presidência da Casa. A necessidade de renovação na cúpula do Senado é um dos argumentos mais usados contra sua candidatura. Aliados de Bolsonaro acreditam que Renan, de volta ao posto, pode usar o cargo para pressionar o governo.

O PSL sabe que a candidatura de Olímpio não é a mais forte porque ele é novato na Casa – critério que costuma pesar na escolha do presidente. “O único jeito de vencer Renan é unir todos contra ele. Só pode haver um candidato, se não ele se beneficia”, disse a deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP). “Se pulverizar, quem ganha é o Renan.”

Na avaliação do PSL, o apoio a Maia na Câmara teve como efeito o enfraquecimento da candidatura de Alcolumbre no Senado, já que ambos são do mesmo partido.

Votação. A nova legislatura tomará posse em fevereiro. Um fator determinante para a vitória de um grupo contrário a Renan será a possível votação aberta. Em 19 de dezembro, ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar obrigando que a eleição para o próximo presidente da Casa seja aberta.

O partido Solidariedade recorreu ao STF para derrubar a decisão de Marco Aurélio sob o argumento da “harmonia entre os Poderes”. O pedido será analisado pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

Assim como Câmara, o PSL deve buscar cargo relevante na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e em comissões econômicas, mas admite, nos bastidores, que será muito mais difícil garantir a presidência desses colegiados entre os senadores.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

[VÍDEO] Criminosos ateiam fogo em concessionária da Renault em Fortaleza

A onda de ataques iniciada na noite dessa quarta-feira, 2, continua em Fortaleza e Região Metropolitana. Concessionária de veículos da Renault foi incendiada na noite desta quinta-feira, 3, na avenida Santos Dumont. O POVO apurou que criminosos atearam fogo em cerca de dez carros, após terem rendido e assaltado funcionários.

Entre os carros incendiados estariam uma viatura da Polícia Militar e outra da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) que, segundo apuração da reportagem, teriam sido identificadas pelos criminosos ao chegar na concessionária.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa por meio de nota que está tomando providências para capturar os envolvidos.

Segundo a SSPDS, três indivíduos, um deles armado, chegaram ao local pela área onde são realizados serviços nos veículos e renderam três funcionários.

As vítimas foram roubadas e, na fuga, os suspeitos atearam fogo em veículos que estavam no galpão. Seis automóveis foram atingidos pelas chamas.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) foram acionadas para controlar o incêndio. As chamas já foram contidas na concessionária.

Foi observado pela reportagem que o entorno da concessionária estava mal iluminado. Em conversa com a assessoria da Enel, foi informado que a empresa não é responsável pela iluminação pública. A assessoria também informou que não recebeu nenhum chamado relacionado à danos causados pelo incêndio na iluminação do local.

O Povo

Comments

Decreto que flexibiliza posse de arma sai este mês

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (3) que o decreto flexibilizando a posse de armas de fogo sai ainda em janeiro. Bolsonaro disse que o decreto vai tirar a “subjetividade” do Estatuto do Desarmamento.

“Ali, na legislação diz que você tem que comprovar efetiva necessidade. Conversando com o [ministro da Justiça] Sergio Moro, estamos definindo o que é efetiva necessidade. Isso sai em janeiro, com certeza”, disse em entrevista ao SBT, a primeira após ter assumido a Presidência da República.

Ele disse que uma das ideias é comprovar a efetiva necessidade com base em estatísticas de mortes por arma de fogo. Assim, moradores de locais com altos indíces de mortalidade teriam mais facilidade em adquirir armas.

“Em estado, por exemplo, o número de óbitos por arma de fogo, por 100 mil habitantes, seja igual ou superior a dez, essa comprovação de efetiva necessidade é fato superado. Vai poder comprar sua arma de fogo. O homem do campo vai ter direito também”.

Além disso, o presidente quer aumentar o limite de armas por cidadão. Para ele, o limite de duas armas por pessoa pode ser aumentado, sobretudo para agentes de segurança. Nesse caso, o limite pode subir para “quatro ou seis armas”.

O presidente avalia que a violência “cairá assustadoramente” com a medida. “Eu vou buscar a aprovação, botar na lei também, a legítima defesa da vida própria ou de outrem, do patrimônio próprio ou de outrem. Você estará no excludente de ilicitude. Você pode atirar. Se o elemento morrer, você responde, mas não tem punição. Pode ter certeza que a violência cai assustadoramente no Brasil”.

Porte de arma

O decreto a ser editado pelo governo diz respeito à posse de arma de fogo, que permite ao cidadão ter a arma em casa ou no local de trabalho. Já o porte diz respeito à circulação com arma de fogo fora de casa ou do trabalho.

Sem se alongar muito, Bolsonaro diz que também flexibilizará o porte de arma. “A questão do porte vamos flexibilizar também, pode ter certeza. Podemos dar por decreto, porque tem alguns requisitos para cumprir. E esses requisitos são definidos por decreto.”

Agência Brasil

Deixe uma resposta

Fechar Menu