PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Bolsonaro deixa o gabinete de transição em Brasília e viaja para o interior de SP. Coaf vê movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão do ex-motorista do filho do presidente eleito. As pautas-bomba que o novo governo pode herdar. Conheça a brasileira que só vai voltar a ver o sol de novo em janeiro. De atestado falso no trabalho até chantagem com esposa: O que as pessoas fazem para ir à Comic Con? Os assuntos desta sexta-feira:

NACIONAIS

Presidente eleito

O presidente eleito Jair Bolsonaro troca hoje o gabinete de transição por Pirassununga, no interior de São Paulo. Antes da viagem, ele toma café com militares na Base Aérea de Brasília. Até o fim da tarde, estará no Rio de Janeiro. Já o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, participa de um almoço com empresários em SP.

Movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão

Um ex-motorista do deputado estadual do RJ Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, aparece em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, por movimentações financeiras de mais de R$ 1,2 milhão consideradas suspeitas. A investigação faz parte da operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro que prendeu dez deputados estaduais.

Pautas-bomba

futuro governo corre risco de herdar uma série de projetos que devem agravar a situação das contas públicas, pois há pautas-bomba para serem analisadas neste final de legislatura. Os aliados de Bolsonaro querem adiar as votações para que o presidente eleito tenha o poder de vetar as propostas.

Economia

Morte de ex-governador de RR

O ex-governador de Roraima José de Anchieta — Foto: Reprodução / G1

O ex-governador de Roraima José de Anchieta — Foto: Reprodução / G1

Morreu na noite de ontem, aos 53 anos, José de Anchieta, ex-governador de Roraima. Ele estava jantando com a filha quando passou mal. O governo estadual decretou luto oficial de cinco dias. O velório será em Boa Vista.

Sol… só em janeiro

Rua em Alta, na Noruega, por volta das 14h durante o inverno — Foto: Nathália Pimenta / Arquivo Pessoal

Rua em Alta, na Noruega, por volta das 14h durante o inverno — Foto: Nathália Pimenta / Arquivo Pessoal

A brasileira Nathália Pimenta, de 30 anos, não vai ver o sol nascer de novo neste ano. Ela vive em Alta, cidade no extremo norte da Noruega, quase no Polo Norte. Lá, o próximo nascer do sol só vai acontecer em 17 de janeiro. Ela conta como é viver sem a luz do dia durante semanas no inverno ártico.

Ossadas da escravidão

Arqueólogos que encontraram ossadas da época da escravidão em um terreno na Liberdade, acreditam que prédios vizinhos ao local devem ter sido erguidos sobre outros restos mortais. A região abrigava o Cemitério dos Aflitos, o primeiro cemitério público de São Paulo, onde escravos, condenados e outras pessoas marginalizadas eram enterradas.

Comic Con

CCXP 2018 espera receber 260 mil pessoas durante seus quatro dias. E algumas delas fazem de tudo para conseguir participar do evento nerd: de atestado falso no trabalho até chantagem com esposa.

Curtas e Rápidas:

Previsão do tempo

Tem alerta de temporais e ressaca para esta sexta-feira

Tem alerta de temporais e ressaca para esta sexta-feira

Hoje é dia de…

  • Dia do Pau-Brasil
  • Dia Nacional da Assistência Social
  • Dia Nacional da Silvicutura

Fonte: G1

 

Rivais, PT e PSL terão 108 assessores cada na Câmara dos Deputados

O PSL, do presidente eleito Jair Bolsonaro, terá direito a contratar 108 pessoas para trabalhar na liderança do partido na Câmara dos Deputados a um custo mensal de R$ 1,2 milhão. O mesmo número de assessores, a maioria sem concurso público, que terá o PT. As siglas rivais poderão preencher o limite máximo de funcionários previsto no projeto de resolução que será votado na próxima semana na Casa. A distribuição tem como base a bancada eleita. Hoje, o PSL tem apenas duas vagas. O PT perderá seis. A sigla tem atualmente 114 cargos.

Pulo do gato. O projeto foi elaborado pela Mesa Diretora, que reúne deputados que comandam a Câmara. O texto garante a siglas do Centrão aumentar o número de assessores. O PP passa de 88 para 95; o DEM e o PR, de 77 para 83 cada.

Cofre forte. O custo mensal da Câmara com funcionários lotados nas lideranças partidárias é de R$ 15,3 milhões. Se o projeto for aprovado, será de R$ 15,9 milhões. Um aumento de R$ 598.201.

Quem não ganha… Caso o projeto seja aprovado, a liderança do Partido Novo terá 27 cargos. Pela regra atual, a sigla, que elegeu oito deputados federais, teria 38 assessores. PSDB e MDB saem perdendo pela nova proposta. O primeiro passa de 106 para 83; o segundo, de 114 para 83.

ESTADÃO CONTEÚDO

Segurança do Carrefour confirma agressão a cachorro e diz estar arrependido em depoimento

Cachorro Carrefour

segurança acusado de agredir e causar a morte de um cachorro, em uma loja do Carrefour em Osasco, na Grande São Paulo, confessou à polícia ter golpeado o animal com uma barra metálica, mas se disse arrependido. Em depoimento prestado nesta quinta-feira, 6, na Delegacia do Meio Ambiente, ele afirmou que não percebeu que havia ferido o animal e só teria se dado conta quando viu o sangue no chão. Também disse ter buscado ajuda e ligado para o Centro de Zoonoses do seu celular pessoal.

Estado apurou que o homem esteve na delegacia acompanhado de um advogado. Ele relatou que estaria muito assustado com a repercussão do caso e que não pretendia causar a morte do cachorro. Foi indiciado pelo artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, por praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A pena prevista é de três meses a um ano de prisão, além de multa, que pode ser aumentada em até um terço por causa da morte do animal.

O segurança foi dispensado após o depoimento. Ele vai responder em liberdade, porque o crime é considerado de baixo potencial ofensivo.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que o caso ainda é investigado. “Policiais analisam imagens de câmeras de segurança do local e colhem oitivas de testemunhas, como a veterinária do Centro de Zoonoses de Osasco, que atendeu o animal, e o segurança do estabelecimento, porém mais detalhes não podem ser passados para não atrapalhar as investigações.”

Hemorragia

O deputado estadual Fernando Capez (PSDB), defensor da causa animal, esteve nesta quinta no Centro de Zoonoses de Osasco, acompanhado pela ativista Luisa Mell, e foi informado de que o cachorro teria vomitado sangue durante a viagem de carro entre o Carrefour e a repartição municipal. “Essa hemorragia é compatível com trauma, mas também poderia ter sido causada por envenenamento, mas, infelizmente, não há laudo.”

Para Capez, a forma como o cachorro foi capturado pela equipe da Zoonoses pode ter agravado o quadro do animal. “Eles usaram enforcador (cabo com corda na ponta) e deram trancos, o que pode ter acelerado a morte dele”, disse.

Conforme o deputado, dificilmente o autor das agressões ou possíveis mandantes serão punidos com algum rigor. “A pena é branda demais porque é considerado crime de menor potencial ofensivo. Hoje é impossível, por exemplo, que alguém vá preso por isso.”

Segundo o parlamentar, um projeto de lei (PL 470/2018, do senador Randolfe Rodrigues, da Rede) deverá ser votado na próxima terça-feira, 11, no Senado, aumentando a pena atual para de um a três anos de prisão. Se aprovada, a lei terá de passar ainda pela Câmara dos Deputados.

A prefeitura de Osasco nega que tenha havido excesso dos funcionários do Departamento de Fauna e Bem Estar Animal (Zoonoses) que fizeram a captura do cachorro. Segundo o município, o manejo foi realizado por um oficial de controle animal qualificado e o cão foi encaminhado ao departamento para atendimento emergencial, mas morreu, apesar de ser tratado.

De acordo com a prefeitura, o atendimento aconteceu no dia 28 de novembro, mas somente no dia 1.º de dezembro houve a denúncia de maus-tratos e foi iniciada a apuração do caso, com a solicitação de inquérito policial.

Carrefour

Estado solicitou entrevista com representante do Carrefour. Entre as questões enviadas por e-mail, a reportagem perguntou se houve ordem superior para que o segurança usasse de todos os meios para retirar o cachorro da loja.

Via assessoria de imprensa, o Carrefour apenas repetiu a nota oficial que já havia distribuído, em que reconhece o “grave problema” ocorrido na loja de Osasco e que “não vai se eximir de sua responsabilidade”.

Em condição de anonimato, um supervisor da loja de Osasco disse ao Estado que o segurança só agiu porque um cliente reclamou da presença do cachorro no estabelecimento. Relatou ainda que o cãozinho estava havia mais de uma semana no local e era alimentado por alguns funcionários, na lado de fora da loja, sem que fosse molestado.

Desde o início, segundo ele, o Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado para retirar o cachorro do local, mas a equipe só teria comparecido depois que houve a agressão. O segurança terceirizado foi desligado da equipe. Os funcionários usaram um ‘enforcador’ para conter o cachorro, que acabou desmaiando nessa ação. O supervisor afirmou que não havia qualquer vistoria prevista na loja naquele dia ou nos dias seguintes, como foi publicado em redes sociais.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

As bombas do Congresso em final de legislatura

No período final da atual legislatura, o Congresso tem aprovado bombas contra as contas públicas e contra o bom senso.

Parlamentares liberaram o aumento dos ministros do Supremo, criaram brecha para nomeação de políticos e de seus parentes nas diretorias das estatais e, agora, flexibilizaram o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal para facilitar a vida das Prefeituras.

BR 18 / ESTADÃO

Comments

A BRIGA CONTINUA NO ZAP: Joice e Eduardo Bolsonaro continuam troca de ofensas

Joice Hasselmann e Eduardo Bolsonaro voltaram a trocar ofensas por mensagens de WhatsApp no início da noite de hoje, relata Igor Gadelha em Crusoé.

O filho de Bolsonaro disse que a deputada eleita chegará ao Congresso com “fama ainda maior de louca”. Joice retrucou que ele era um “marmanjo” que “age como bebê”.

O ANTAGONISTA

Comments

Advogado de Adélio diz que contratante pagou R$ 5 mil e desapareceu

Foto: Divulgação/PM-MG

A Polícia Federal está investigado integrantes da defesa do garçom Adélio Bispo de Oliveira, que esfaqueou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante um ato de campanha em Juiz de Fora. Em depoimento obtido pela ‘Veja’, o criminalista Zanone Manuel de Oliveira Junior revelou detalhes de como foi contratado para defender o preso.

Zanone é coordenador da defesa de Adélio e disse que foi contratado por um desconhecido logo após o ataque, ocorrido no dia 6 de setembro.

“Aquela pessoa se apresentou como conhecido de Adélio Bispo da cidade de Montes Claros, esclarecendo que conheceu o autor do fato criminoso em relacionamentos vividos no meio religioso naquela cidade”, lembra o advogado.

No dia seguinte ao atentado, os dois se encontraram no escritório de Zanone, localizado no dia 7 de setembro. O contratante achou o valor inicial dado pelo advogado alto (R$ 150 mil) e o criminalista topou dar um desconto de 83%. Ficou acordado então que ele receberia R$ 25 mil até a conclusão da investigação da Polícia Federal. A pessoa pagou inicialmente o valor de R$ 5 mil e o restante seria transferido em parcelas mensais. No entanto, o contratante “sumiu”.

Zanone diz que topou defender Adélio por um valor inferior pois a “causa seria de interesse de qualquer advogado”. O criminalista deixou seus extratos bancários e telefônicos à disposição da PF. Ainda segundo a reportagem da ‘Veja’, a investigação deverá ser concluída no início do ano que vem.

Notícias ao Minuto

Fonte: Blog do BG

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu