PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 


Eleições 2018: Sete candidatos à Presidência debateram ideias, apresentaram propostas e atacaram o candidato ausente, Jair Bolsonaro, no último debate do 1º turno, na TV Globo. Reveja o encontro no G1 e saiba qual foi a repercussão entre os presidenciáveis. Veja também os números detalhados da última pesquisa Datafolha com a intenção de votos para presidente, por sexo, idade, escolaridade, renda, cor, religião e região. O que é notícia nesta sexta-feira:

NACIONAIS

Corrida presidencial: último debate do 1º turno

Debate com candidatos à presidência, 04/10/2018

Debate com candidatos à presidência, 04/10/2018

Mediado pelo jornalista William Bonner, sete candidatos à Presidência da República participaram ontem do último debate antes do 1º turno das eleições. Participaram Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede). O debate foi dividido em quatro blocos. Veja como foi na íntegra em texto, vídeos e fotos.

Candidatos à Presidência da República posam para foto antes do debate da Globo — Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Candidatos à Presidência da República posam para foto antes do debate da Globo — Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Datafolha

Datafolha divulga mais uma pesquisa de intenção de voto para presidente

Datafolha divulga mais uma pesquisa de intenção de voto para presidente

O Datafolha divulgou ontem o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 10.930 eleitores na quarta-feira (3) e na quinta (4).

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 35%
  • Fernando Haddad (PT): 22%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
  • Marina Silva (Rede): 4%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 6%
  • Não sabe/não respondeu: 5%

Mais Pesquisas Ibope e Datafolha:

Eleições 2018 — Foto: Foto: Editoria de Arte / G1

Eleições 2018 — Foto: Foto: Editoria de Arte / G1

Veja também os resultados da Pesquisa Datafolha de 4 de outubro para presidente por sexo, idade, escolaridade, renda, cor, religião e região: Bolsonaro leva vantagem entre os mais ricos, enquanto Haddad começa a avançar entre as mulheresE mais: rejeição por sexo, idade, escolaridade, renda, religião, cor e região.

Propostas dos presidenciáveis para Educação

G1 buscou representantes das campanhas dos cinco presidenciáveis mais bem colocados em pesquisas Ibope e Datafolha – Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) – para conhecer seus planos para a educação. O assunto hoje é crianças fora da escola. Leia a reportagem aqui.

Nobel da Paz

Será anunciado hoje o Prêmio Nobel da Paz de 2018. No ano passado, a Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (Ican, sua sigla em inglês) levou o prêmio. Veja abaixo os vencedores das demais categorias neste ano.

Inflação

 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens

— Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje de setembro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), considerado a inflação oficial do país. Em agosto, o brasil registrou -0,09, ou seja deflação pela primeira vez desde junho de 2017.

Curtas e Rápidas:

  • Vídeo: Chitãozinho & Xororó e Peter Murphy cantando Bauhaus estão na agenda de shows de SP
  • ‘Papillon’, ‘Juliet, nua e crua’ e ‘Venom’: Leia críticas dos filmes que chegam aos cinemas
  • Romênia: País faz referendo para mudar constituição e impedir casamento gay
  • Tesla lança Model 3 na Europa e ‘rouba’ cena com estande modesto em Paris
  • Cientistas da Fiocruz dão curso gratuito em Brasília sobre extração de DNA
  • Blog do Altieres Rohr: EUA dizem que hackers da Coreia do Norte invadem bancos e ‘comandam’ caixas eletrônicos
  • Blog do Samy Dana: Imóvel é um bom investimento para garantir o futuro dos filhos?
Fonte: G1

Democracia tem aprovação recorde no Brasil

O apreço pela democracia nunca foi tão forte entre os brasileiros, segundo pesquisa Datafolha. Para 69% dos eleitores, o regime democrático é a melhor forma de governo para o país.

O índice é o mais alto registrado desde 1989, no ano da primeira eleição para a Presidência da República após a ditadura militar (1964-1985), quando a questão foi aplicada pela primeira vez.

Houve crescimento em relação à última pesquisa Datafolha sobre o tema, em junho de 2018, quando 57% dos eleitores apontaram a democracia como a melhor forma de governo. Na última pesquisa, realizada nos dias 3 e 4, 12% dos eleitores apontam a ditadura como um regime melhor do que a democracia.

Outros 13% dos entrevistados disseram que “tanto faz” a forma de governo. Além disso, 5% não opinaram.

A pesquisa do Datafolha é um levantamento por amostragem estratificada por sexo e idade com sorteio aleatório dos entrevistados. O universo da pesquisa é composto pelos eleitores com 16 anos ou mais do país. No levantamento, foram realizadas 10.930 entrevistas presenciais em 389 municípios brasileiros.

A margem de erro máxima é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, considerando a margem de erro, a chance do resultado retratar a realidade é de 95%.

democracia brasileira é garantida pela Constituição Federal de 1988, que cita em seu primeiro artigo que a Assembleia Nacional Constituinte se reuniu para para instituir “um Estado Democrático”.

O texto prevê eleições para sete cargos eletivos no Brasil: vereadores, deputados estaduais e federais, senadores, prefeitos, governadores e presidente.

Na campanha eleitoral deste ano, representantes das duas chapas que lideram as pesquisas de intenções de voto—Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT)— citaram a possibilidade de uma nova Constituição caso sejam eleitos.

O vice de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, defendeu a criação de uma nova Carta, que seria formulada por “grandes juristas e constitucionalistas”.

“Uma Constituição não precisa ser feita por eleitos pelo povo. Já tivemos vários tipos de Constituição que vigoraram sem ter passado pelo Congresso eleitos”, afirmou o general, que no passado já defendeu intervenção militar em caso de instabilidade política.

Entre os eleitores de Bolsonaro, 22% avaliam que, em certas circunstâncias, é melhor uma ditadura, índice mais alto do que o registrado entre os eleitores de todos os presidenciáveis.

A maioria dos que afirmam votar no capitão reformado, 64%, diz que a democracia é a melhor forma de governo.

FOLHAPRESS

Comments

Em novo vídeo, o PT associa Bolsonaro a Hitler

O crescimento de Jair Bolsonaro nas pesquisas na última semana do primeiro turno produziu um curto-circuito na campanha do rival Fernando Haddad. Até aqui, o petismo moderava o linguajar, terceirizando ao tucano Geraldo Alckmin a artilharia contra o capitão.

Nesta quinta-feira, o PT pendurou nas redes sociais um vídeo comparando o adversário a Hitler. É como se a campanha de Haddad tivesse concluído que, no trato com Bolsonaro, o pior tipo de excesso é o da moderação.

JOSIAS DE SOUZA

Comments

Em entrevista à Record, Bolsonaro dá ‘parabéns’ a Palocci

Bolsonaro na Record

 

O candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira, 4, que o ex-ministro petista Antonio Palocci merece os parabéns por estar colaborando com a Justiça e tentando “reduzir o dano”. “Antes de qualquer delação, Palocci já vinha colaborando (com a Justiça). Ele conta as entranhas do poder, ele quer colaborar, vem colaborando, então parabéns ao Palocci. Quem não erra como ser humano? Ele tenta diminuir o dano ocasionado com suas ações. A corrupção está colada no PT”.

Em depoimento à PF, o ex-ministro detalhou como funcionava o loteamento de cargos nos governos do PT e o esquema de arrecadação nas campanhas da presidente cassada Dilma Rousseff. Pallocci disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “sabia” do esquema na Petrobrás desde 2007.

Embora tenha centrado críticas na corrupção, Bolsonaro afirmou que “mais grave que a corrupção é a questão ideológica”. E criticou o ensino superior: “Nossa universidade não prepara para o mercado de trabalho, prepara militantes”, concluiu.

Bolsonaro concedeu entrevista à TV Record, que a exibiu por volta das 22h desta quinta-feira, logo após a TV Globo iniciar a transmissão do debate entre os demais candidatos à presidência. O postulante do PSL não participou do debate seguindo orientação médica – ele se recupera da facada que levou durante campanha em Juiz de Fora, em 6 de setembro.

Bolsonaro também afirmou que subiu nas pesquisas de intenção de voto mesmo depois dos protestos promovidos por mulheres no último sábado, 29, porque o eleitor viu quem estava participando dos atos e optou pelo lado “certo”. “O outro lado vê quem está me atacando, faz uma análise imediata, de que eles estão errados e nós estamos certos. Será que eu sou tão mau assim? Eu quero o mau de todo mundo, de mulheres, negros, nordestinos? Não é verdade”, afirmou. “Você tem que ver quem estava no movimento #elenão. Artistas que há muito estão mamando na Lei Rouanet”, criticou.

Ao longo da entrevista, Bolsonaro repetiu afirmações e planos que já havia exposto. Negou que seja homofóbico e disse que jamais ofendeu ou agrediu homossexuais. “Jogam esses rótulos pra cima de mim porque não têm o que falar sobre corrupção”, afirmou.

O candidato negou que pretenda extinguir o 13º salário e disse que seu candidato a vice, Hamilton Mourão, foi erroneamente interpretado quando tratou do tema.

Embora tenha centrado críticas na corrupção, Bolsonaro afirmou que “mais grave que a corrupção é a questão ideológica”. E criticou o ensino superior: “Nossa universidade não prepara para o mercado de trabalho, prepara militantes”, concluiu.

Transmissão ao vivo

Antes da entrevista ir ao ar, Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo no Facebook nesta quinta-feira e pediu que os eleitores optem por candidatos ao Senado e à Câmara dos Deputados indicados por ele. “Precisamos eleger gente afinada conosco para o Congresso”, afirmou.

Ao lado do pastor Silas Malafaia e do filho candidato a senador pelo Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, o candidato à Presidência ainda argumentou que a bancada evangélica no Congresso tem força para auxiliá-lo num possível governo.

Durante a transmissão, que durou cerca de 20 minutos, Malafaia focou seu discurso nos eleitores que informaram aos institutos de pesquisa que votarão em branco. “Quando a pessoa vota em branco, deixa que outro decida por ela. Estamos falando do que é melhor para o Brasil”, afirmou. O pastor ainda se dirigiu ao eleitorado da região Nordeste do País. “É possível resgatar o Nordeste. Metade do dinheiro que o PT mandou para fora resgataria o Nordeste”, disse. Já Flávio Bolsonaro pediu pela vitória do pai ainda no primeiro turno.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

Por G1 RN

 


Robinson Faria durante inauguração de uma unidade do Restaurante Popular — Foto: Ivanízio Ramos

Robinson Faria durante inauguração de uma unidade do Restaurante Popular — Foto: Ivanízio Ramos

O Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Norte pediu a cassação do registro de candidatura ao governo de Robinson Faria (PSD) e do vice dele, Tião Couto (PR). Os dois são suspeitos de conduta vedada por, supostamente, terem se beneficiado, irregularmente, dos programas sociais Restaurante Popular, Café do Trabalhador e Sopa Cidadã.

A representação também cita o secretário de Comunicação do governo, Pedro Ratts, e o secretário de Assistência Social, Vagner Araújo.

O MPE destaca a importância do programa para a população, mas aponta que o projeto vem sendo utilizado com fins eleitoreiros. O MPE cita informações da Secretaria de Assistência Social de que, em 2018, perto da eleição, foram inauguradas 41 novas unidades dos restaurantes populares, além de haver outras 20 em fase de implantação. Ano passado, foram 18; em 2016, 2; e em 2015, nenhuma foi inaugurada.

A representação do MPE aponta que no último domingo, o candidato Robinson Faria fez uma carreata até a cidade de Pau dos Ferros, onde, no dia seguinte, ocorreu a inauguração de uma unidade do Café do Trabalhador pelo secretário da Sethas.

Se o pedido for aceito, Robinson e Tião podem pagar multa e ficar inelegíveis por 8 anos. Dos secretários de Comunicação e Assistência Social, o MPE pede o pagamento de multa.

A defesa da coligação Trabalho e Superação disse que só vai se pronunciar após ser formalmente notificada. Mas, antecipadamente, “reitera que todos os atos ocorreram dentro da legalidade”.

A assessoria de comunicação do Estado disse que o governo não vai se pronunciar, pois não é parte citada na referida ação, apesar de o secretário de Comunicação e do secretário de Assistência Social terem sido citados na representação.

Fonte: G1RN

SINPOL-RN recomenda que nenhum Policial Civil aceite trabalhar em condição análoga à de trabalho escravo

Após a recomendação do MP para a Polícia Civil trabalhar no dia da eleição, o SINPOL soltou nota:

No status quo em que vivemos, onde o trabalhador cada vez mais vem sendo cerceado dos seus direitos, é difícil acreditar que uma instituição que diz prezar pela justiça e pela defesa dos direitos fundamentais recomende o exercício da função de uma categoria pautado em situação análoga à de trabalho escravo.

O Código Penal Brasileiro diz:
Art. 149. Reduzir alguém a condição análoga à de escravo, quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto: (Redação dada pela Lei nº 10.803, de 11.12.2003)

O policial que tenha trabalhado sua jornada de 40 horas semanais não pode ser submetido a um regime de 48 horas de trabalho em um sábado e domingo e não ser remunerado por tal atividade. Trabalhar apenas com a possibilidade de compensação, ou seja, sem remuneração, involuntariamente, é exploração. Ato que não pode ser recomendado por ninguém e nenhuma instituição que se intitule baluarte da defesa da cidadania e defensor da Constituição e das leis.

Conforme preza o artigo 4º da Lei nº 624/2018 (Lei Complementar das Diárias Operacionais), o policial só pode trabalhar sem remuneração nas seguintes condições: “a atuação em atividades de caráter extraordinário que, por sua natureza, revista-se de imprevisibilidade e configure necessidade inopinada de efetivo e impossibilidade de planejamento anterior, como catástrofes, grandes acidentes, incêndios de grandes proporções e grave perturbação da ordem pública, não enseja a concessão de diária operacional”.

Há um banco de voluntários organizado no setor pessoal da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, que vem a suprir as escalas extras de trabalho. O evento eleição já era previsto. Organizar escala sem previsibilidade e com todo efetivo da Polícia Civil, algo sui generis, e com policiais lotados em setores burocráticos, onde possui muitos policiais que são readaptados devido a deficiências e problemas psicológicos, poderia ser classificado como uma insanidade, antes não fosse devido a real falta de conhecimento das adversidades estruturais da PCRN.

O efetivo da Agentes e Escrivães da Polícia Civil encontra-se com apenas 26% da necessidade. Hoje temos sobrecarga de trabalho muito acima do ideal, não podemos de forma alguma nos submeter a mais jornadas exaustivas com salários sendo pagos atrasados e sem pagamento do 13º salário de 2017.

O que queremos são direitos básicos do trabalhador, que são remuneração pelo trabalho que realizamos e jornada de trabalho condizente com a fisiologia de um homem. Por muitas vezes somos submetidos a decisões instantâneas que têm relação com a preservação de vidas, e decisões erradas geram conseqüências irreversíveis que deixam seqüelas para toda vida. Policiais submetidos a sobrecarga de escalas estão mais propensos a cometer erros, que são julgados de forma inexorável pela justiça. Esperamos mais respeito e uma visão mais humana acerca dos profissionais policiais.

*Nilton Arruda*
*Presidente do SINPOL-RN*

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu