PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Sexta-feira, 24 de agosto

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.


Por G1

 

OG1 mostra hoje por onde andaram os candidatos à Presidência da República durante a primeira semana da corrida presidencial. Eles estiveram em 12 estados e no DF, mas priorizaram duas regiões. Enquanto a campanha vai às ruas e à redes sociais, a Bahia lembra uma tragédia: no dia 24 de agosto de 2017 uma lancha da travessia Salvador-Mar Grande virou na Baía de Todos-os-Santos com 120 pessoas a bordo. 19 morreram. Sobreviventes e parentes de vítimas falam sobre o naufrágio. Veja também nesta sexta um levantamento com as 17 profissões mais demandadas.

NACIONAIS

Corrida presidencial

 (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Os presidenciáveis priorizaram o Sudeste e, em menor escala, o Nordeste durante a primeira semana de campanha, entre quinta-feira passada (16) e a última quarta-feira (22). Nesse período, 12 candidatos ao Planalto nas eleições de 2018 visitaram 12 estados do país e o Distrito Federal, segundo um levantamento do G1 nas agendas e redes sociais dos postulantes. O 13º candidato não teve agenda pública.

Tragédia de Mar Grande

Vera Cruz e Salvador são cidades separadas pela Baía de Todos-os-Santos (Foto: Reprodução / TV Bahia)

Vera Cruz e Salvador são cidades separadas pela Baía de Todos-os-Santos (Foto: Reprodução / TV Bahia)

No dia 24 de agosto de 2017, uma das lanchas que faz a travessia Salvador-Mar Grande virou na Baía de Todos-os-Santos com 120 pessoas a bordo. 19 morreram. Um ano depois, sobreviventes e parentes das vítimas ainda convivem com lembranças do naufrágio.

  • ‘A dor da impunidade é enorme’, diz mãe de Davi Gabriel, vítima mais jovem
  • G1 refaz travessia: passageiros sem colete e falta de orientação para emergência
  • Um ano depois, socorrista relembra drama em tentativa de resgate de bebê

Vacinação

Vacinação contra sarampo e pólio continua até 31 de agosto (Foto: Prefeitura de Palmas / Divulgação)

Vacinação contra sarampo e pólio continua até 31 de agosto (Foto: Prefeitura de Palmas / Divulgação)

Campanha Nacional contra a Poliomielite e o Sarampo acaba em uma semana, no dia 31 de agosto. O Ministério da Saúde segue pedindo para que pais levem seus filhos de 1 até 5 anos até a unidade de saúde mais próxima para se proteger contra essas doenças. As vacinas são de graça e estão disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

17 profissões em alta

Mercado de trabalho ficou aquecido para posições nas áreas de finanças, tecnologia, recursos humanos e comercial no 1º semestre (Foto: Reprodução/JN) (Foto: Reprodução / TV Globo)

Mercado de trabalho ficou aquecido para posições nas áreas de finanças, tecnologia, recursos humanos e comercial no 1º semestre (Foto: Reprodução/JN) (Foto: Reprodução / TV Globo)

Levantamento da consultoria global de recrutamento especializado Michael Page mostra que os cargos mais procurados em posições de média e alta gerência no 1º semestre do ano foram das áreas de planejamento financeiro, inovação e transformação digital, em atividades estratégicas de recursos humanos e da área comercial. A remuneração pode chegar a R$ 80 mil. Veja levantamento com as 17 profissões mais demandadas.

Geraldo Alckmin tem praticamente metade do tempo de TV e rádio; oito candidatos tem menos de 30 segundos

Em audiência pública com a participação de representantes de partidos e órgãos envolvidos no processo eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentou hoje (23) o tempo que caberá a cada candidato à Presidência da República na campanha de TV e rádio, que se inicia em 1º de setembro e segue até 4 de outubro – três dias antes do primeiro turno de votação.

Foi sorteada também a ordem de aparição de cada candidato nos dois blocos previstos para serem veiculados pelas emissoras diariamente. A ordem será rotativa. De acordo com resolução que regulamenta a propaganda eleitoral, aquele que abre o bloco no primeiro dia será o último no segundo, assim por diante.

No rádio, serão veiculados dois blocos de 12 minutos e meio às 7h e ao meio-dia, sempre aos sábados, às terças e às quintas-feiras. Na TV, os horários serão às 13h e às 20h30, nos mesmos dias da semana e com a mesma duração.

A divisão do tempo de TV e rádio é feita de acordo com o tamanho das bancadas na Câmara dos partidos que compõem a coligação de cada candidato. O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, por exemplo, ficou com cerca de metade do horário eleitoral (Cinco minutos e 32 segundos em cada bloco diário), por integrar uma união de nove partidos.

Pelos mesmos motivos, oito das 13 candidaturas têm menos de 30 segundos no horário eleitoral, como é o caso de Guilherme Boulos, candidato da coligação PSOL e PCB. Ele tem apenas sete segundos em cada bloco diário. A candidata Vera Lúcia, candidata do PSTU, tem apenas cinco segundos.

Inserções

O TSE também apresentou o número de inserções diárias de 30 segundos autorizadas a cada candidato. São peças de propaganda a serem veiculadas ao longo da programação por todas as emissoras de rádio e TV do país. A quantidade de inserções para cada candidato obedece ao mesmo critério de divisão do horário eleitoral.

Ao final da audiência, foram sorteadas seis inserções diárias que sobraram após a divisão do tempo entre as coligações. Outros nove segundos em cada bloco do horário eleitoral, que também sobraram após a divisão, serão usufruídos sempre pelo último candidato a veicular sua propaganda.

A divisão do tempo de TV e das inserções ainda pode ser alvo de questionamentos pelos candidatos, partidos e coligações, e só passa a vigorar em definitivo quando for aprovado o Plano de Mídia da Eleições 2018 pelo plenário do TSE. A votação está marcada para a próxima terça-feira (28).

Veja a ordem de aparição dos candidatos no primeiro dia de veiculação do horário eleitoral, o tempo em cada bloco e o total de inserções ao longo dos 35 dias de campanha em rádio e TV:

1- Marina Silva, coligação Unidos para Transformar o Brasil (Rede e PV): 21 segundos no horário eleitoral e 29 inserções;

2- Cabo Daciolo (Patriota): oito segundos no horário eleitoral e 11 inserções;

3- Eymael (Democracia Cristã): oito segundos no horário eleitoral e 12 inserções;

4- Henrique Meirelles, coligação Essa é a Solução (MDB e PHS): um minuto e 55 segundos no horário eleitoral e 151 inserções;

5- Ciro Gomes, coligação Brasil Soberano (PDT e Avante): 38 segundos no horário eleitoral e 51 inserções;

6- Guilherme Boulos, coligação Vamos sem Medo de Mudar o Brasil (PSOL e PCB): 13 segundos e 17 inserções;

7- Geraldo Alckmin, coligação Para Unir o Brasil (PRB, PP, PTB, PR, PPS, DEM, PSDB, PSD e Solidariedade): cinco minutos e 32 segundos no horário eleitoral e 434 inserções;

8- Vera Lúcia (PSTU): Cinco segundos no horário eleitoral e sete inserções;

9- Lula, coligação O Povo Feliz De Novo (PT, PCdoB e Pros): dois minutos e 23 segundos no horário eleitoral e 189 inserções;

10- João Amoêdo (Partido Novo): Cinco segundos e oito inserções diárias;

11- Álvaro Dias, coligação Mudança de Verdade (Pode, PSC, PTC e PRP): 40 segundos no horário eleitoral e 53 inserções;

12- Jair Bolsonaro, coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos (PSL e PRTB): oito segundos no horário eleitoral e 11 inserções e

13- João Goulart Filho (PPL): cinco segundos no horário eleitoral e sete inserções.

Agência Brasil

Fonte: Blog do BG

Decisão da ONU sobre Lula não vale nem como recomendação por causa de Dilma

Tido como carta na manga dos petistas, o parecer do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que defende que o ex-presidente Lula possa fazer campanha mesmo preso, não tem valor jurídico no Brasil por causa de Dilma Rousseff.

A administração da petista não deu andamento à tramitação do Protocolo Adicional ao Pacto de Direitos Civis e Políticos, que internalizaria ao ordenamento jurídico do País as decisões do comitê. Dessa forma, o entendimento no governo Temer é de que o documento não tem efeito nenhum, nem recomendatório.

O protocolo foi um dos mais de trezentos acordos internacionais cuja tramitação ficou paralisada durante o governo Dilma Rousseff. Mesmo que o pacto estivesse vigente, o governo diz que as decisões do comitê da ONU não são vinculantes.

Valendo ou não, o TSE terá de se debruçar sobre a recomendação da ONU. Na ação em que contesta a elegibilidade de Lula, Tiago Ayres, o advogado eleitoral do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), menciona o assunto.

Estadão Conteúdo

Comments

“Querem me tirar no tapetão?”, questiona Bolsonaro sobre impugnação no TSE

Réu em duas ações penais sob acusação de incitação ao estupro e alvo de outra denúncia por racismo que deve ser analisada na semana que vem pelo STF (Supremo Tribunal Federal), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) perguntou se querem tirá-lo da disputa eleitoral “no tapetão” e no “ativismo judicial” depois de ser questionado nesta quinta-feira (23) sobre a contestação a sua candidatura no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Na semana passada, um advogado de Mangaratiba (RJ) entrou com uma representação na Justiça Eleitoral contra o candidato. Rodrigo da Luz argumentou que o deputado federal não pode exercer a Presidência da República por já ser réu no Supremo por suposto crime de apologia ao estupro e injúria — ele disse que não estupraria a também deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece”. Os processos estão sob a relatoria do ministro Luiz Fux.

“Olha, o que que é réu? Acho que alguém aqui já foi réu na vida, né? E foi absolvido. Querem me tirar no tapetão, no ativismo judicial?”, questionou Bolsonaro, durante entrevista coletiva em Araçatuba (SP), onde realizou atos de campanha nesta quinta. “Sou réu por apologia ao estupro. Olha só, estou estimulando o estupro no Brasil”, disse, em tom de ironia.

Bolsonaro não respondeu a parte da pergunta que tratava da denúncia por racismo apresentada em abril pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Hoje à noite, o julgamento da peça acusatória foi marcado para a próxima terça (28), atendendo a pedido da defesa do candidato. O caso será apreciado pela 1ª Turma do STF, que pode tornar o presidenciável réu pela terceira vez ou arquivar o processo.

Nos últimos dias, dois ministros do Supremo se manifestaram sobre a hipótese de réus tomarem posse no Palácio do Planalto. Nesta quinta, Celso de Mello disse que a possibilidade é um tema que deverá ser debatido pela Justiça, mas não adiantou sua opinião. Ontem (22), Marco Aurélio Mello afirmou que trata-se de uma questão “em aberto”, que gera insegurança para a candidatura de Bolsonaro.

O ministro destacou que, ao julgar o afastamento de Renan Calheiros (MDB-AL) do comando do Senado, em 2016, o STF firmou o entendimento de que réus em ação penal (como os presidentes das duas Casas do Congresso) não podem eventualmente substituir o presidente da República. O advogado que impugnou a candidatura de Bolsonaro se baseou no caso na sua petição ao TSE.

UOL

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5P5Is0G4F

 Fonte: Blog do BG

 

INTERNACIONAIS

Furacão no Havaí

Carro parcialmente submerso após fortes chuvas provocadas pela chegada do furacão Lane a Big Island, no Havaí, na quinta-feira (23) (Foto: Mario Tama / Getty Images / AFP )

Carro parcialmente submerso após fortes chuvas provocadas pela chegada do furacão Lane a Big Island, no Havaí, na quinta-feira (23) (Foto: Mario Tama / Getty Images / AFP )

Primeiras chuvas torrenciais antes da chegada do potente furacão Lane já atormentam o Havaí, onde já foi declarado estado de emergência. A tormenta perdeu força, mas ainda ameaça o arquipélago com ventos de até 215 km/h, temporais e ondas perigosas. O G1acompanha.

Austrália

O novo primeiro-ministro australiano Scott Morrison (Foto: David Gray / Reuters)

O novo primeiro-ministro australiano Scott Morrison (Foto: David Gray / Reuters)

Scott Morrison, até agora chefe do escritório do Tesouro da Austrália, se tornou, líder do Partido Liberal – no governo desde 2013 – e substituirá, faltando o processo formal, o primeiro-ministro Malcolm Turnbull.

LOCAIS

PGR reitera ao STF denúncia contra Ricardo Motta por desvios no Idema

A Procuradoria-Geral enviou ao Supremo na terça-feira, 21, manifestação na qual reitera denúncia contra o deputado estadual no Rio Grande do Norte Ricardo Motta (PSB), e pede que ela seja recebida pela Corte. A Procuradoria requer, ainda, que seja certificado junto à Secretaria Judiciária se foi cumprido o despacho que deferiu o compartilhamento de provas, feito pelo Ministério Público do Estado.

O parlamentar é acusado de chefiar organização criminosa que teria atuado no Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema) e desviou mais de R$ 19,3 milhões entre janeiro de 2013 e dezembro de 2014.

As informações foram divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte ao Tribunal de Justiça, mas devido ao fato de mais da metade dos integrantes da Corte ter se declarado ‘sob suspeição’ para julgar o caso, os autos foram remetidos ao Supremo em julho do ano passado, com base no artigo 102 da Constituição Federal.

A defesa de Ricardo Motta pediu o retorno do processo ao Tribunal de Justiça alegando ser possível aplicar ao caso o entendimento do STF no julgamento da Questão de Ordem na Ação Penal 937, de que o foro por prerrogativa de função de deputados federais e senadores abrange somente os crimes cometidos durante o mandato e relacionados ao seu exercício.

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5P5MWaBDt

Mudanças

Corrida de rua altera trânsito e itinerário de ônibus em Natal neste sábado

Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana irá interditar a Marginal da Br-101/Túnel do Campus, a Rua Coronel João Medeiros e o Anel Viário do Campus

Evento se dará nas proximidades da Arena das Dunas

Neste sábado, 25, ocorre o Circuito SEST SENAT de Caminhada e Corrida de Rua – Etapa Natal. Com a realização do evento, que se dará nas proximidades da Arena das Dunas, o trânsito de Natal e os itinerários de ônibus serão modificados.

As ruas por onde os atletas irão correr terão o trânsito alterado no sábado, 25, das 14h até às 19h. A STTU irá interditar a Marginal da Br-101/Túnel do Campus, a Rua Coronel João Medeiros e o Anel Viário do Campus. Outras ruas também sofrerão interdição de acordo com o mapa anexo.

Alteração das linhas de ônibus

As linhas de ônibus 08, 10/29, 30, 31, 33, 33A, 39, 44, 48, 57, 66 e 78A/47 terão desvio de itinerário das 14h às 19h. Não passarão pelo Campus da UFRN na ida ou na volta. A linha 08 (Redinha/Mirassol) não passará pela Av. Amintas Barros, Av. Senador Salgado Filho e BR-101 (acesso na AGAÉ) e segue o percurso normal, via Mirassol.

Fonte: AGORA RN

Deixe uma resposta

Fechar Menu