PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEGUNDA-FEIRA

NACIONAIS

10 de setembro, segunda-feira

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.


Por G1

 

G1 e a CBN continuam a série de entrevistas ao vivo com os candidatos à Presidência da República, iniciada no dia 3, e começam a sabatinar também os candidatos aos governos de São Paulo e Rio de Janeiro. Às 9h, a Receira libera a consulta ao 4º lote de restituição do Imposto de Renda. Em São Paulo, começa a despedida ao funkeiro Mr. Catra, que morreu ontem aos 49 anos. Veja o que é notícia nesta segunda-feira:

Entrevista com os presidenciáveis

Apresentadores posicionados para entrevista com o candidato do Patriota à Presidência, Cabo Daciolo, nesta segunda (3) (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Apresentadores posicionados para entrevista com o candidato do Patriota à Presidência, Cabo Daciolo, nesta segunda (3) (Foto: Marcelo Brandt/G1)

G1 e a CBN continuam a série de entrevistas com os candidatos à Presidência da República. Hoje, o convidado é Henrique Meirelles, do MDB. A entrevista, ao vivo, começa às 8h e terá uma hora de duração. Ele responderá a perguntas enviadas por internautas e ouvintes e também a perguntas elaboradas por jornalistas. No final, passará por um “pinga-fogo”, em que será sabatinado e poderá responder apenas com “sim” ou “não”. Os interessados em fazer perguntas podem usar a hashtag #cbng1 nas redes sociais. Perguntas que ofendam a honra e a moral dos candidatos serão desconsideradas. Todos os candidatos foram convidados. O representante do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, não poderá participar, pois está preso e há decisões judiciais a respeito. Até agora foram entrevistados os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB)João Amoêdo (Novo) e José Maria Eymael (DC).

Amanhã será a vez de Vera Lúcia (PSTU). Veja os próximos entrevistados.

Entrevistas em SP e no RJ

G1 CBN começam nesta segunda-feira (10) a série de entrevistas com os candidatos aos governo de São Paulo e do Rio de Janeiro. Hoje, será a vez de Claudio Fernando (PMN) em SP e de Dayse Oliveira (PSTU) no RJ. As entrevistas, ao vivo, serão sempre às 11h e terão transmissão ao vivo aqui no G1. Mande suas perguntas.

Bolsonaro

Jair Bolsonaro em foto no hospital postada pelo filho (Foto: Reprodução/Twitter/Flavio Bolsonaro)

Jair Bolsonaro em foto no hospital postada pelo filho (Foto: Reprodução/Twitter/Flavio Bolsonaro)

O quadro de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL, “continua em evolução” e ele “tem leve anemia, em decorrência do sangramento inicial”, informou o novo boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein ontem. O presidenciável está internado desde sexta-feira (7) no hospital na Zona Sul de São Paulo se recuperando de uma facada levada durante ato de campanha no Centro de Juiz de Fora (MG).

Imposto de Renda

Imposto de Renda 2018 IR 2018 selo banner matéria (Foto: Ilustração: Karina Almeida/G1)

Imposto de Renda 2018 IR 2018 selo banner matéria (Foto: Ilustração: Karina Almeida/G1)

Receita abre às 9h consultas ao 4º lote de restituição do IR 2018. No dia 17, serão pagos R$ 3,3 bilhões a 2,6 milhões de contribuintes.

Concursos

selo concursos opcao 01 (Foto: Editoria de arte/G1)

selo concursos opcao 01 (Foto: Editoria de arte/G1)

Ao menos 160 concursos públicos reúnem 16 mil vagas pelo país. Os salários chegam a R$ 22,8 mil na Secretaria de Fazenda de Santa Catarina.

Vestibular

Universidade Estadual Paulista (Unesp) abre hoje a inscrição para o vestibular 2019. A inscrição pode ser feita até 8 de outubro e custa R$ 170. A primeira fase será realizada no dia 15 de novembro e a segunda, em 16 e 17 de dezembro.

Mr. Catra

Mr Catra morre aos 49 anos, em São Paulo

Mr Catra morre aos 49 anos, em São Paulo

O cantor de funk Wagner Domingues Costa, o Mr. Catra, é velado nesta segunda-feira (10) e será enterrado no Rio de Janeiro. Catra morreu ontem, aos 49 anos, em São Paulo. Ele estava internado no hospital Hospital do Coração (HCor), na capital paulista, e deixa 3 esposas e 32 filhos.

Curtas e rápidas

Desligou no feriado da Independência e no final de semana? Veja o que foi notícia

Associação dos Surdos de Vitória diz que intérprete fez sinais errados e inexistentes em propaganda na TV (Foto: Reprodução/ Propaganda Eleitoral Gratuita)

Gusttavo Lima fez show até amanhecer, na Arena Barretos 2018 (Foto: Ricardo Nasi/G1)

Gusttavo Lima fez show até amanhecer, na Arena Barretos 2018 (Foto: Ricardo Nasi/G1)

Futebol

Gols do Fantástico: Inter vence clássico contra Grêmio e volta à liderança do Brasileirão

Gols do Fantástico: Inter vence clássico contra Grêmio e volta à liderança do Brasileirão

Fonte: G1

Ciro sobre Bolsonaro: “Foi ferido na barriga, mas não mudou nada na cabeça”

No debate da TV Gazeta, todos os candidatos ao Planalto lamentaram a ausência de Jair Bolsonaro (PSL) e evitaram criticá-lo.

Ao deixar o estúdio, Ciro Gomes (PDT) rompeu a trégua.

— Ele foi ferido na barriga, mas não mudou nada na cabeça — afirmou.

O debate foi realizado três dias depois de Bolsonaro ser esfaqueado em Juiz de Fora. O deputado está internado num hospital em São Paulo.

O GLOBO

Comments

Haddad vai à prisão e espera obter aval de Lula

 

Fernando Haddad visitará Lula na prisão novamente nesta segunda-feira. Espera sair da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba com o aval do preso petista à sua candidatura presidencial. Haddad cuida dos minutos, porque as horas passam. Termina nesta terça-feira o prazo concedido pela Justiça Eleitoral para a substituição de Lula na cabeça da chapa presidencial do PT.

A ordem judicial transformou os ponteiros do relógio do PT em espadas. Mas ainda há no partido dirigentes que acreditam em milagre. Avessos a Haddad, avaliam que nenhum anúncio deve ser feito antes de uma resposta aos recursos judiciais contra o veto imposto pelo TSE à candidatura de Lula.

Os próprios advogados são pessimistas quanto às chances de o Judiciário autorizar Lula a fazer campanha. Mas o pedaço do PT que ainda leva fé na candidatura do preso age como se enxergasse as digitais de São Judas Tadeu, o padroeiro dos desesperados, numa decisão tomada pela ministra Rosa Weber em pleno final de semana.

Presidente do TSE, Rosa enviou para o STF o recurso da defesa de Lula contra a decisão da Corte Eleitoral que enquadrou o pajé do PT na Lei da Ficha Limpa, vetando suas pretensões eleitorais. O diabo é que são Judas não fez o serviço completo, pois Rosa negou o pedido do PT para estender do dia 11 para 17 de setembro o prazo para a substituição de Lula. No Supremo, o recurso vai à mesa do ministro Celso de Mello, o agnóstico decano da Corte.

A exemplo de Haddad e seu grupo, também a cúpula do PCdoB está impaciente com a demora de Lula. O partido não vê a hora de formalizar a presença de sua filiada Manuela D’Ávila na posição de número dois da nova chapa, conforme acordo firmado em 5 de agosto. No dia seguinte, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse ter ouvido de Lula que Haddad estava em ”estágio probatório”. Daí o anseio do presidenciável-estepe de sair da cadeia nesta segunda munido de um habeas-candidatura.

JOSIAS DE SOUZA

Comments

Bandidos explodem portões de presídio na Paraíba e provocam fuga em massa de detentos. Alvo era quadrilha procurada no RN

Escreva aqui a legenda da foto

Por Notícia Extra / PB

O acesso a uma das alas do Presídio PB1, em João Pessoa, foi estourado por um grupo criminoso na noite deste domingo (9). Pelas redes sociais, moradores de comunidades próximas e policiais relatam o estrago. Ainda não há informações sobre o número de foragidos. Áudios e vídeos mostram o som de rajadas de metralhadoras. O portão de acesso à unidade prisional foi totalmente destruído.

Informações preliminares indicam que os alvos da busca dos bandidos foram os os quatro presos suspeitos de participar do ataque ao carro-forte na BR-230, em Cruz do Espírito Santo. De acordo com a polícia, eles integram uma organização criminosa que atua em todo Brasil. A quadrilha presa na cidade de Lucena, na Região Metropolitana de João Pessoa, no mês passado, era procurada nos estados do Paraná e Rio Grande do Norte, além da Paraíba.

 

Rosa Weber nega pedido para adiar prazo de substituição de Lula em chapa

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, negou, neste domingo, 9, a prorrogação do prazo para o PT substituir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na chapa presidencial.

Com a decisão, o partido tem até esta terça-feira, 11, para fazer a troca de nomes – a defesa do petista havia requerido que a data-limite fosse estendida para o dia 17 de setembro. Se não definir as candidaturas no prazo determinado, o PT pode ficar sem coligação na disputa ao Planalto.

Até agora, o nome mais forte para ocupar o lugar de Lula é o do ex-prefeito Fernando Haddad, que ainda figura como candidato a vice-presidente.

Os advogados eleitorais do ex-presidente haviam pedido ao TSE a prorrogação por mais seis dias do prazo. A defesa alegou que essa data deveria considerar a análise de recurso ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão da própria Corte Eleitoral de negar o registro da candidatura de Lula. Para a defesa, uma decisão definitiva sem essa análise do Supremo seria uma “injustiça”.

A estratégia dos advogados do petista, agora, é fazer, entre esta segunda e terça, um “corpo a corpo” no Supremo em busca de uma “decisão relâmpago” para que não haja a substituição definitiva na chapa sem que o tribunal se pronuncie.

O TSE negou o registro da candidatura de Lula, condenado em segunda instância e preso na Lava Jato, por entender que o ex-presidente está enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Lula está preso desde abril, cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, após condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex.

Rosa envia recurso de Lula ao Supremo

A ministra também decidiu neste domingo encaminhar ao Supremo o recurso extraordinário apresentado pela defesa de Lula contra a decisão do TSE que negou o seu registro como candidato.

“O simples enunciar das teses debatidas pelo colegiado evidencia relevante questão constitucional a recomendar juízo positivo de admissibilidade ao recurso extraordinário, com a consequente submissão do feito à análise da Suprema Corte brasileira”, escreveu a presidente do TSE.

Agora, os advogados do ex-presidente vão apresentar dois pedidos de liminares ao ministro do Supremo Celso de Mello, um para aceitar o registro da candidatura em caráter provisório, suspendendo a decisão do TSE, e outro para que ele pelo menos interrompa o prazo de substituição da chapa até que o plenário do STF se pronuncie.

ESTADÃO CONTEÚDO

Medina supera Felipe Toledo na final e conquista mais um etapa do WSL. Das 8 etapas do ano, Brasileiros venceram 7

Brasileiro foi o vencedor da oitava etapa da Liga Mundial de Surfe, no Surf Ranch Pro, na Califórnia
folhapress

 

Gabriel Medina conquistou a primeira etapa da história da elite mundial do surfe realizada em onda artificial, no Surf Ranch Pro, na Califórnia, finalizada neste domingo (9). Foi a sétima vitória brasileira em oito etapas, ampliando a hegemonia do país na atual temporada.

A disputa realizada na piscina de ondas criada por Kelly Slater teve Filipe Toledo como segundo colocado e deixou acirrada a disputa pelo topo do ranking mundial, no qual Filipe segue líder, mas com uma diferença de 5100 pontos.

O outro brasileiro na final foi Miguel Pupo, que acabou na 7ª posição. Os três representaram o Brasil na final, na qual cada surfista teve quatro chances de pegar uma onda esquerda, além de três tentativas para a direita, sendo que a melhor para cada direção definiu o campeão.

Gabriel Medina liderou a disputa desde o primeiro dia do evento e, neste sábado (8), na decisão contra os outros sete melhores, sobrou mais uma vez. Líder do evento, ele entrava sempre por último em cada rodada para pegar suas ondas, sabendo exatamente a nota que precisava tirar para seguir no topo.

O paulista abriu sua participação com uma queda em onda para a esquerda, mas logo arrancou a nota 8,73 na direita, registrando a melhor nota da rodada para essa direção. Na segunda rodada, ele tratou de arriscar na esquerda, na qual desferiu várias batidas até finalizar com um aéreo bem alto. Com essa onda,  recebeu 8,53 e assumiu a liderança da decisão para a última rodada.

Ainda líder do ranking, Filipe Toledo foi a maior ameaça de Medina. Apesar de não ir bem nas duas primeiras esquerdas, na qual surfa de costas, Filipe entrou para a última rodada com a maior nota da final: 9,80 para a direita, conquistada na segunda rodada. Filipinho deu três aéreos e pegou dois tubos na mesma onda, que foi finalizada com torcedores sinalizando que valia 10, mas apenas um dos cinco juízes cravou a nota máxima.

Na rodada decisiva ele precisava arrancar uma nota 8.06 em uma das duas esquerdas a que teria direito para virar sobre Gabriel Medina. No entanto, fracassou e, na última tentativa arriscou um aéreo e caiu, arrancando nota 7,23, suficiente apenas para assumir a segunda posição.

Ainda faltavam as apresentações do japonês Kanoa Igarashi, que caiu em suas duas ondas, e do australiano Julian Wilson, que também caiu ao tentar um aéreo para a esquerda, sacramentando a conquista de Medina, que vibrou enquanto assistia à disputa.

Medina, então, entrou já campeão e só brincou em suas últimas apresentações. Na esquerda surfou com uma bandeira do Brasil às costas e pegou a direita de boné.

A bandeira era o símbolo da hegemonia do país na temporada, que tem Medina como vice do ranking liderado por Filipe a três etapas do fim do ano.

O circuito vai agora para a Europa, onde Gabriel costuma se dar muito bem. Ele é atual campeão e já venceu três vezes na França, que recebe o evento de 3 a 14 de outubro. Medina também defende o título da etapa em Portugal, de 16 a 27 de outubro, o último evento do ano antes da etapa derradeira em Pipeline, no Havaí.

FOLHAPRESS

Debate dos Presidenciáveis neste domingo foi com menos ataques e mais propostas

Debate Gazeta Estadão
Debate entre os candidatos à Presidência da Republica, realizado nos estudios da TV Gazeta, em parceria com o Estado e a Rádio Jovem Pan. Foto: Gabriela Biló

 

Os candidatos à Presidência da República levaram para o debate TV Gazeta/Estado/Rádio Jovem Pan/Twitter, realizado na noite deste domingo, 9, em São Paulo, a mensagem de repúdio à violência que dominou a campanha nos últimos dias após o atentado contra Jair Bolsonaro (PSL). Internado após ser esfaqueado durante uma agenda eleitoral na quinta-feira passada, em Juiz de Fora (MG), o presidenciável do PSL não participou.

No primeiro encontro após o episódio, o radicalismo na política foi tratado como um entrave ao desenvolvimento do País. Em suas participações iniciais, Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) defenderam a necessidade de se pacificar o ambiente público e a sociedade.

Com isso, houve espaço para os presidenciáveis tratarem de temas como educaçãosaúdesaneamento básico e até regulamentação fundiária. Marina defendeu proposta de educação integral. Ao falar sobre saneamento básico, Alckmin disse que o investimento na área, além do benefício direto à população, gera emprego. “Saneamento é emprego na veia, gera muita obra e muito emprego.” De olho no eleitorado feminino – maioria entre os indecisos –, Meirelles disse que, se eleito, vai punir empresas que paguem salários diferenciados entre homens e mulheres que exerçam a mesma função.

A bancada reservada para Bolsonaro foi retirada do estúdio por um acordo entre os candidatos presentes, que solicitaram à direção do debate a anulação da regra que determinava a permanência do púlpito vazio. O PT, como ainda não tem candidatura oficial – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, foi barrado pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa – não teve representante. Participaram também do debate Ciro Gomes (PDT)Alvaro Dias (Podemos) e Guilherme Boulos (PSOL).

A violência na política foi protagonista do início e do fim do encontro entre os presidenciáveis. Alckmin e Marina foram os que mais abordaram o tema da “pacificação”. Primeiro a perguntar, Meirelles questionou o tucano sobre como pôr fim a “esse radicalismo que tanto prejudica o Brasil”, mencionando o fato “lamentável” envolvendo Bolsonaro. “É necessário um grande esforço conciliador. Sempre que há um esforço de união nacional, de pacificação, que é o que eu defendo, a democracia consolida-se”, respondeu Alckmin.

Meirelles, na réplica, criticou o adversário por usar a TV para fazer ataques a Bolsonaro: “Isso não é uma atitude de radicalização?” O tucano afirmou que o emedebista “não viu” seu programa. “Sou contra qualquer tipo de radicalismo.”

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu