PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

Futuro governo, preocupação de sempre. Paulo Guedes fez alerta à equipe de transição sobre os riscos de adiar a reforma da Previdência, e em conversas internas, diz que as mudanças precisam ser aprovadas ainda no primeiro ano. Na sede do governo de transição em Brasília, reunião ministerial. Bolsonaro marcou para hoje encontro com todos os futuros ministros. Descoberta histórica: arqueólogos encontram ossadas da época da escravidão em terreno no Centro da capital paulista. E as novidades da maior feira de cultura Pop do país. O que vai ser notícia nesta quinta-feira:

INTERNACIONAIS

Bush pai

Público vela corpo do ex-presidente George H.W. Bush na rotunda do Capitólio nesta terça-feira (4) — Foto: Aaron P. Bernstein/Reuters

Público vela corpo do ex-presidente George H.W. Bush na rotunda do Capitólio nesta terça-feira (4) — Foto: Aaron P. Bernstein/Reuters

Donald Trump e outros ex-presidentes dos Estados Unidos acompanharam ontem o funeral de Estado de George H. W. Bush. O caixão com o corpo do 41º presidente dos EUA deixou o Capitólio e foi levado para a Catedral de Washington. Hoje, ele será sepultado no Texas, atrás da Biblioteca Presidencial George Bush, ao lado de Barbara, sua esposa durante 73 anos, e Robin, sua filha que morreu vítima de leucemia quando tinha 3 anos.

Comic Con

M. Night Shyamalan, Sandra Bullock, Michael B Jordan, Brie Larson e Maisie Williams — Foto: Divulgação

M. Night Shyamalan, Sandra Bullock, Michael B Jordan, Brie Larson e Maisie Williams — Foto: Divulgação

A Comic Con Experience 2018 começa hoje no São Paulo Expo, onde reúne fãs, artistas e estúdios até o domingo (9). A organização espera que cerca de 260 mil pessoas passem pelo evento de cultura pop. Como esta quinta edição conta com muitos convidados especiais, que certamente farão o público correr por toda a CCXP 2018, o G1 deu uma volta por lá para mostrar os principais destaques do ano.

NACIONAIS

Previdência

 — Foto: Reprodução / JN

— Foto: Reprodução / JN

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, tem falado de forma clara a todos integrantes da equipe de transição de Jair Bolsonaro: caso a reforma da Previdência não seja aprovada no primeiro ano, o governo enfrentará enorme dificuldade. Gerson Camarotti explica. Em Brasília, está previsto encontro do presidente eleito com todos os futuros ministros.

Suspeita de lavagem de dinheiro

O senador Renan Calheiros — Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado

O senador Renan Calheiros — Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado

A Procuradoria Geral da República (PGR) incluiu nesta semana novos e-mails de Marcelo Odebrecht no inquérito que investiga o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o filho dele, o governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), por corrupção e lavagem de dinheiro. Para a PGR, as informações contidas nos e-mails mostram “atuação concertada” de Renan e de Romero Jucá (MDB-RR) para beneficiar a empreiteira. Veja no blog de Andréia Sadi.

Governador preso

Pezão chega à unidade prisional da PM em Niterói — Foto: Reprodução/TV Globo

Pezão chega à unidade prisional da PM em Niterói — Foto: Reprodução/TV Globo

pedido de impeachment contra o governador do RJ, Luiz Fernando Pezão (MDB), e seu vice, Francisco Dornelles (PP), teve o seu principal capítulo na última terça-feira (4). Quase dois anos após ser protocolado pelo PSOL, só agora a Mesa Diretora da Casa determinou a abertura do processo, que ocorre às vésperas do fim do mandato, em 31 de dezembro. Entenda o caso e veja a cronologia. Hoje, ele completa uma semana preso.

Descoberta histórica

Ossadas são localizadas em local documentado como a primeira necrópole da cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade — Foto: Marcelo Brandt / G1

Ossadas são localizadas em local documentado como a primeira necrópole da cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade — Foto: Marcelo Brandt / G1

Um grupo de arqueólogos identificou resquícios do Cemitério dos Aflitos, o primeiro cemitério público da cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade, sob os escombros de um edifício. De acordo com os pesquisadores, ao menos sete esqueletos da época da escravidão no Brasil, enterrados no período de 1775 a 1858, foram localizados entre outubro e dezembro de 2018. O G1 mostra, com exclusividade.

Mega-Sena

 — Foto: Marcelo Brandt / G1

— Foto: Marcelo Brandt / G1

O concurso 2.104 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 12 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) no município de Santo Anastácio (SP).

Clipes campeões de audiência

Zé Neto e Cristiano durante gravação do DVD "Esquece O Mundo Lá Fora", em São Paulo — Foto: Allysson Moreno / Divulgação

Zé Neto e Cristiano durante gravação do DVD “Esquece O Mundo Lá Fora”, em São Paulo — Foto: Allysson Moreno / Divulgação

O clipe mais visto no YouTube de 2018 no Brasil foi “Largado às traças”, de Zé Neto e Cristiano, anunciou o Google. A música da dupla sertaneja paulista também foi a mais tocada no Spotify. G1 mostra lista do Top 10 e explica fenômenos: tem brega-funk, sertanejo ‘pós-pegação’, funk romântico, parcerias e mais.

Curtas e Rápidas:

O burro Jack e a emu Diane, em foto divulgada pelo abrigo que cuidou deles na Carolina do Sul — Foto: Reprodução / Facebook / Carolina Waterfowl Rescue

O burro Jack e a emu Diane, em foto divulgada pelo abrigo que cuidou deles na Carolina do Sul — Foto: Reprodução / Facebook / Carolina Waterfowl Rescue

Previsão do tempo

Veja a previsão do tempo para quinta (6)

Veja a previsão do tempo para quinta (6)

Hoje é dia de…

  • Dia Nacional do Extensionista Rural
  • Dia Nacional de Mobilização do Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Fonte: G1

Avianca Brasil pode perder aviões na Justiça por dividas e até pedir recuperação judicial

Avião da companhia aérea Avianca Brasil no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. – Amanda Perobelli
Maria Cristina Frias / ESTADÃO 

Ao menos duas empresas que arrendam aeronaves para a Avianca Brasil entraram na Justiça contra a companhia aérea para pedir a retomada dos aviões por falta de pagamento.

No caso mais recente, a subsidiária irlandesa da BOC Aviation venceu, em primeira instância, processo contra a aérea para reaver dois Airbus A320-351N. A Avianca recorreu da sentença.

O despacho da decisão, de 26 de novembro, autoriza “a requisição de reforço policial e ordem de arrombamento, se necessário”.

O juiz Cesar Augusto Vieira Macedo negou pedido da Avianca para que o processo tramite em segredo de Justiça.

A coluna apurou com pessoas familiarizadas com a ação judicial que o pagamento não era feito havia pelo menos dois meses. O valor da causa é de R$ 3,5 milhões.

A empresa tinha, em junho, R$ 1,168 bilhão em dívidas com vencimento no prazo de até um ano, segundo as demonstrações contábeis apresentadas à Anac (órgão regulador do setor aéreo).

O capital circulante líquido na época era negativo. “Isso significa que a companhia tinha mais a pagar que a receber no período de um ano. O valor devido em empréstimos financeiros era alto”, diz Michael Viriato, professor do Insper.

“Parte dos R$ 306 milhões de financiamentos a pagar tinha juros de 7,2% ao ano mais o CDI [Certificado de Depósito Interbancário]. É uma taxa bastante elevada”, observa.

“Os arrendamentos se tornaram mais volumosos no último ano, e a dívida é elevada se comparada com o fluxo de caixa [até o segundo trimestre de 2018]”, afirma Marcos Piellusch, da FIA. Pelos seus cálculos, o Ebitda da empresa no segundo trimestre estava negativo em R$ 240,49 milhões.

Pessoas ligadas ao setor aeronáutico disseram à coluna que a companhia aérea cogita pedir RJ (recuperação judicial) nos próximos dias.

Procurada, a Avianca Brasil negou que entrará em RJ. A empresa afirma que “negociações fazem parte da rotina de qualquer empresa para otimização de resultados e […] que os processos estão evoluindo dentro das expectativas.”

Mourão expõe embate entre militares e Onyx e Bolsonaro disse que havendo qualquer comprovação de uma denúncia robusta, contra quem quer que esteja no governo a pessoa será exonerada

As divergências na equipe de transição do governo Jair Bolsonaro ficaram mais evidentes nesta quarta-feira, 5, quando o general Hamilton Mourão, vice-presidente eleito, expôs o embate entre o grupo de militares da nova administração e o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Nos bastidores, há uma disputa pelo comando da coordenação de governo e reclamações sobre a forma como Onyx tem buscado protagonismo.

Em Belo Horizonte, onde esteve para participar de um encontro com empresários, Mourão disse que, se forem encontradas irregularidades na investigação aberta contra Onyx, ele terá de deixar o governo.

Relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF)o ministro Edson Fachin atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República e determinou a abertura de petição autônoma (fase anterior ao inquérito) para apurar denúncias de pagamentos de caixa 2 da J&F ao deputado Onyx nas campanhas de 2012 e 2014. “Uma vez que seja comprovado que houve ilicitude, é óbvio que terá que se retirar do governo. Mas, por enquanto, é uma investigação”, afirmou Mourão.

As declarações do general esquentaram ainda mais o clima com Onyx, que nega as acusações e chegou a dizer que a investigação era uma “bênção” para que o caso fosse esclarecido.

Em Brasília, questionado sobre as afirmações de Mourão, Bolsonaro titubeou antes de responder. “Em havendo qualquer comprovação de uma denúncia robusta, contra quem quer que esteja no governo, ao alcance da minha caneta BIC, ela será usada”, disse o presidente eleito.

Na prática, há uma avaliação do núcleo militar – hoje com sete integrantes indicados para o primeiro escalão – de que será impossível Onyx conduzir negociações com o Congresso e ainda acumular a coordenação da equipe ministerial. Essa constatação se baseia no fato de as duas tarefas exigirem muito trabalho e dedicação para ficarem sob a responsabilidade de um só ministro.

A ideia da criação de um centro de monitoramento do governo, que seria chefiado por Mourão, foi deixada de lado. Ninguém, no entanto, arrisca um palpite sobre quanto tempo durará a decisão, já que os anúncios dos últimos dias sobre a configuração da Esplanada foram marcados por idas e vindas.

O novo embate no núcleo da transição é para que o controle das ações administrativas fique com a Secretaria de Governo, nas mãos do general Carlos Alberto dos Santos Cruz, designado para fazer a interlocução com Estados e municípios, além de cuidar do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Nesta semana, porém, o próprio Onyx assegurou que a coordenação de governo permaneceria na Casa Civil.

Mourão afirmou nesta quarta-feira que ao menos parte da articulação política do Palácio do Planalto poderá ficar sob comando dos militares. O vice disse que ele mesmo poderá participar, assim como Santos Cruz, e repetiu que será “o escudo e a espada” de Bolsonaro. “O escudo defende e a espada ataca antes de ele ser atacado”, comparou.

Problemas. O desgaste de Onyx também é sentido no Congresso, onde, a portas fechadas, dirigentes de vários partidos dizem que o futuro chefe da Casa Civil não tem jogo de cintura política. Insatisfeitos, integrantes de siglas como PP, PTB, Solidariedade, PRB, PSDB, PSB e até o DEM agem para formar um bloco que dê as cartas do poder na Câmara, a partir de 2019, isolando o PSL de Bolsonaro. O grupo defende a recondução de Rodrigo Maia à presidência da Casa.

O modelo de articulação política previsto por Onyx terá a colaboração de políticos que não se elegeram neste ano. Já foram convidados para a tarefa o candidato derrotado ao governo do Espírito Santo Carlos Manato (PSL) e os deputados não reeleitos Leonardo Quintão (MDB-MG), Danilo Forte (PSDB-CE), Walter Ihoshi (PSD-SP), Milton Monti (PR-SP) e Marcelo Delaroli (PR-RJ). Após encontro com Bolsonaro, ontem, a bancada do PR anunciou que integrará oficialmente a base do futuro governo.

A escolha de Danilo Forte para fazer a “ponte” com o Nordeste, por exemplo, já provoca críticas. Políticos de Pernambuco se queixam da falta de nomes do Estado na equipe. O fato de Bolsonaro não ter chamado o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) para nenhum cargo também causou contrariedade em políticos pernambucanos e é atribuído a uma rusga que Onyx teria com ele. Mendonça Filho foi ministro da Educação no governo de Michel Temer, concorreu ao Senado, mas não se elegeu. Ontem à noite, porém, o ex-governador do Estado Joaquim Francisco (PSDB) foi convidado para fazer parte da equipe de transição.

Procurado, Onyx não se manifestou.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

FOTOS: PRF prende advogado do Rio Grande do Norte transportando 18 quilos de Pasta Base de Cocaína em cidade de Rondônia com destino ao RN

Reportagem e fotos Comando190. Link da matéria: http://www.comando190.com.br/mobile/noticias/em-ji-paran-prf-prende-advogado-do-rio-grande-do-norte-transportando-18-quilos-de-pasta-base/7485

Durante uma abordagem de rotina no Posto da Polícia Rodoviária Federal, na manhã desta quarta-feira, dia 05, em Ji-Paraná, os policiais abordaram um veículo do estado do Rio Grande do Norte que seguia viagem sentido Vilhena/RO. Logo no primeiro contato, o motorista se identificou como sendo advogado e apresentou a carteira da OAB, em nome de Sérgio de Farias Nóbrega. Ao consultar o nome, os PRF’s constataram que Sérgio possuía uma extensa ficha criminal.

Ao saber que seu veículo passaria por uma revista, o advogado demonstrou um certo nervosismo, o que acabou chamando ainda mais a atenção dos policiais.

Após alguns minutos, os policiais localizaram 18 quilos de pasta base que estavam escondidos no fundo falso, debaixo dos bancos da frente.

Sérgio falou que comprou a droga no Rio Branco e que estava levando para seu estado de origem, onde ganharia R$ 18 mil reais pelo transporte.

Comments

Assessor de Flavio Bolsonaro que movimentou R$ 1,2 milhão em 12 meses fez um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta no nome de um ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) – filho mais velho do presidente eleito Jair Bolsonaro – entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

O documento foi anexado pelo Ministério Público Federal à investigação que deu origem à Operação Furna da Onça, realizada no mês passado e que levou à prisão dez deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Fabrício José Carlos de Queiroz foi exonerado do gabinete de Flávio Bolsonaro no dia 15 de outubro deste ano. Registrado como assessor parlamentar, Queiroz é também policial militar e, além de motorista, atuava como segurança do deputado.

O Coaf informou que foi comunicado das movimentações de Queiroz pelo banco porque elas são “incompatíveis com o patrimônio, a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira” do ex-assessor parlamentar.

O relatório também cita que foram encontradas na conta transações envolvendo dinheiro em espécie, embora Queiroz exercesse uma atividade cuja “característica é a utilização de outros instrumentos de transferência de recurso”.

Uma das transações na conta de Queiroz citadas no relatório do Coaf é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama Michelle Bolsonaro. A compensação do cheque em favor da mulher do presidente eleito Jair Bolsonaro aparece na lista sobre valores pagos pelo PM.

“Dentre eles constam como favorecidos a ex-secretária parlamentar e atual esposa de pessoa com foro por prerrogativa de função – Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, no valor de R$ 24 mil”, diz o documento do Coaf.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Bolsonaro planeja fundir agências reguladoras para agilizar concessões

A estrutura de agências reguladoras do setor de transportes deve passar por uma alteração radical no futuro governo. Está em discussão no escritório de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro um plano de fundir as três estruturas hoje existentesno setor: a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Agência Nacional de Aviação (Anac) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Juntas, elas passariam a ser a Agência Nacional de Transportes. A medida pretende acabar com o aparelhamento político das agências.

A maior parte desses órgãos surgiu no governo Fernando Henrique Cardoso, entre 1996 e 2001, com a função de intermediar a relação entre o governo e empresas que prestam serviços de interesse público. No entanto, ao longo dos anos, as indicações políticasacabaram tirando a independência das agências.

Na avaliação da equipe de transição, alguns dirigentes das agências ligadas ao setor de transportes, indicados por políticos, estariam trabalhando contra as concessões do governo federal, um programa que será prioritário no mandato do futuro presidente.

Caso a fusão das agências não prospere, existe um plano B para tirar os dirigentes que ainda têm mandatos a cumprir. Um dos caminhos para isso seria a abertura de processos administrativos contra eles, constrangendo-os a deixarem o posto antes mesmo da conclusão das apurações. Dentro da ANTT, a ideia é esvaziar o controle do comandante do PR, Valdemar Costa Neto, que foi condenado no esquema do mensalão.

Bolsonaro também quer afastar do comando da Antaq os indicados pelo senador Jader Barbalho (MDB-PA). A agência é avaliada pela equipe de transição como “pouco operante”.

O afastamento dos dirigentes e o aproveitamento do corpo técnico das agências são medidas estudadas para dar mais velocidade ao programa de concessões. Bolsonaro quer o programa “voando”. Para isso, colocou no comando do Ministério da Infraestrutura (o nome novo do que hoje é o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil) o engenheiro Tarcísio Gomes de Freitas, um dos principais responsáveis pelo programa de concessões. Tudo indica que o atual secretário Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos, também será mantido no posto.

Freitas recebeu instruções para acabar com o longo predomínio do PR sobre a área de Transportes, iniciado ainda no governo Lula. A pasta tem uma ala, a Secretaria Nacional de Portos, dominada pelo MDB.

No setor aéreo, a leitura é de que a Infraero, também comandada pelo PR, trabalhou contra parte do programa de concessões de aeroportos. O próprio ministro dos Transportes à época, Maurício Quintella, do PR, foi contrário.

O atual titular do Ministério dos Transportes, Valter Casimiro, é um funcionário de carreira do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No dia em que foi confirmado para o comando da pasta, ele esteve no Palácio do Planalto na companhia de Valdemar Costa Neto. Já está decidido que, encerrado seu período como ministro, não será ele o diretor-geral do Dnit.

Para o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), César Borges, a fusão das agências não significa melhora. “Concentrar tudo numa superagência pode dificultar que ela desempenhe bem sua função. Fragmentada já é difícil, porque falta recursos. O que se deve é reforçar as agências.”

ANTT

Criada em 2001, a Agência Nacional de Transportes Terrestres tem um diretor-geral e quatro diretores. Influência partidária: PR.

Antaq

Criada em 2001, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários tem um diretor-geral e dois diretores. Influência partidária: MDB.

Anac

Criada em 2005, a Agência Nacional de Aviação Civil tem um diretor-presidente e quatro diretores. Influência partidária: MDB.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Blog do BG

LOCAIS

Câmara Municipal aprova projeto de licitação do transporte público de Natal

A Câmara Municipal de Natal (CMN) aprovou o novo projeto de licitação do transporte público da cidade de Natal, na tarde desta quarta-feira, 5. Ao todo, foram 20 votos a favor, 3 abstenções e 1 voto contra. Os vereadores aprovaram 20 emendas e 3 subemendas de modificação ao projeto original, em cinco sessões em Plenário. Com a conclusão das modificações, a versão final do projeto será enviada ao Poder Executivo que caberá sancionar, licitar ou até mesmo, vetar algum ponto e, assim, retornar à Câmara.

Algumas das emendas aprovadas são referentes à gratuidade do transporte para idosos a partir de 60 anos, em até cinco anos; à renovação da frota com veículos padronizados com câmbio automático, motor traseiro e ar-condicionado; meias passagens para estudantes; aumento dos documentos de comprovação de gratuidade de criança até 5 anos; a condução de animais domésticos com no máximo 10kg, transportados em materiais similares a caixa; instituição da tarifa social; e horário de linha noturna nas quatro regiões de Natal. As três subemendas correspondem a alterações das emendas já aprovadas, devido ao texto não estar totalmente claro.

AGORA RN

Câmara Municipal aprova projeto de licitação do transporte público de Natal

Ao todo, foram aprovadas 20 emendas e 3 subemendas de modificação ao projeto original de licitação; agora, matéria segue para o Poder Executivo que caberá sancionar, licitar ou vetar o texto aprovado

Elpídio Júnior

A Câmara Municipal de Natal (CMN) aprovou o novo projeto de licitação do transporte público da cidade de Natal, na tarde desta quarta-feira, 5. Ao todo, foram 20 votos a favor, 3 abstenções e 1 voto contra. Os vereadores aprovaram 20 emendas e 3 subemendas de modificação ao projeto original, em cinco sessões em Plenário. Com a conclusão das modificações, a versão final do projeto será enviada ao Poder Executivo que caberá sancionar, licitar ou até mesmo, vetar algum ponto e, assim, retornar à Câmara.

Algumas das emendas aprovadas são referentes à gratuidade do transporte para idosos a partir de 60 anos, em até cinco anos; à renovação da frota com veículos padronizados com câmbio automático, motor traseiro e ar-condicionado; meias passagens para estudantes; aumento dos documentos de comprovação de gratuidade de criança até 5 anos; a condução de animais domésticos com no máximo 10kg, transportados em materiais similares a caixa; instituição da tarifa social; e horário de linha noturna nas quatro regiões de Natal. As três subemendas correspondem a alterações das emendas já aprovadas, devido ao texto não estar totalmente claro.

O presidente da Casa, Raniere Barbosa (AVANTE), declarou durante a sessão que caso dê novamente uma licitação deserta, será a comprovação de que os empresários visam apenas o lucro. “Da forma que colocamos aqui, não tem como as empresas não participarem. Se não for exitosa é porque os empresários querem um sistema de má qualidade, lucro excessivo e tarifa abusiva”, destacou.

A vereadora Nina Souza (PDT) disse que espera que aconteça a licitação do transporte na cidade. “Não se pode mais conceber o transporte público de Natal sem um contrato para que a gente possa saber as regras e, assim, exercer o nosso papel fiscalizador”, concluiu.

Prefeitura do Natal conclui nesta quinta pagamento da folha de novembro
No último dia 30, dentro do próprio mês trabalhado, o Executivo municipal já havia pago os salários de quase todos os servidores

José Aldenir / Agora RN
Fachada da Prefeitura do Natal

A Prefeitura do Natal concluiu o pagamento da folha do funcionalismo municipal referente ao mês de novembro, tendo o repasse sido feito ao banco nesta quarta-feira, 5. O dinheiro estará disponível na conta dos servidores a partir desta quinta-feira, 6.

No último dia 30, dentro do próprio mês trabalhado, o Executivo municipal já havia pago os salários de quase todos os servidores — 95% do total. Agora, antes do quinto dia útil do mês subsequente ao mês trabalhado, realizou a quitação integral da folha.

Em nota, a Prefeitura disse que “segue priorizando e cumprindo o pagamento do funcionalismo público municipal, mesmo em meio ao cenário da crise financeira prolongada e sem precedentes que atinge o Brasil e afeta o Poder Público nos municípios de maneira mais drástica e severa.”

Fonte: Agora RN

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu