PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

13 de setembro, quinta-feira

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.


Por G1

 

Nova gestão no STF. O ministro Dias Toffoli toma posse hoje como presidente do Supremo, no lugar de Cármen Lúcia, após 2 anos de mandato. Eleições 2018: O G1 e a CBN continuam a série de entrevistas ao vivo com os candidatos à Presidência da República. Hoje a entrevistada é Marina Silva, da Rede. O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, passou por uma nova cirurgia na noite de ontem; veja como foi. Nos EUA, o olho do furacão Florence deve tocar o solo da costa leste norte-americana. Mais de um milhão de pessoas receberam alerta para deixar suas casas em 5 estados. O que é notícia nesta quinta-feira:

NACIONAIS

Eleições 2018

 — Foto: Editoria de Arte / G1

— Foto: Editoria de Arte / G1

G1 e a CBN realizam série de entrevistas com os candidatos à Presidência da República. Nesta quinta-feira, a convidada é Marina Silva, da Rede. A entrevista começa às 8h e terá uma hora de duração. A candidata responderá a perguntas enviadas pelos internautas e ouvintes e também a perguntas elaboradas pelos jornalistas. No final, passará por uma espécie de “pinga-fogo”, em que será sabatinada e poderá responder apenas com “sim” ou “não”. Interessados em fazer perguntas podem usar a hashtag #cbng1 nas redes sociais. Só serão aceitas questões pertinentes ao processo eleitoral.

G1 e CBN entrevistam, a partir das 11 horas, Indio da Costa, candidato do PSD ao governo de RJ. Envie sua pergunta.

G1 e CBN entrevistam, a partir das 11 horas, Professora Lisete, candidata do PSOL ao governo de SP. Envie sua pergunta.

Bolsonaro

Foto postada por filho de Jair Bolsonaro mostra candidato em poltrona do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, fazendo sinais de armas — Foto: Reprodução / Twitter / Flavio Bolsonaro

Foto postada por filho de Jair Bolsonaro mostra candidato em poltrona do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, fazendo sinais de armas — Foto: Reprodução / Twitter / Flavio Bolsonaro

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, passou por uma nova cirurgia na noite de ontem, segundo o Hospital Albert Einstein, onde o candidato está internado desde sexta (7), após ser esfaqueado durante campanha em MG. Segundo os médicos, o procedimento terminou por volta das 23h30, foi bem-sucedido e o candidato passa bem. Bolsonaro foi levado para o mesmo leito onde estava antes da cirurgia, e voltou a ter o protocolo de cuidados de UTI. Um novo boletim médico deve ser divulgado hoje.

Funciona assim

 — Foto: Reprodução

— Foto: Reprodução

Quais as funções dos três poderes? A nova série do G1, ‘Funciona Assim‘, explica as principais responsabilidades dos cargos de presidente, governador, senador, deputados federal e estadual. Hoje: o que faz o presidente?

Mudança no Supremo

O ministro Dias Toffoli durante sessão do STF nesta quarta-feira (2) — Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Dias Toffoli durante sessão do STF nesta quarta-feira (2) — Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro José Antonio Dias Toffoli toma posse como novo presidente do Supremo Tribunal Federal, no lugar de Cármen Lúcia. Aos 50 anos, será o mais jovem presidente do STF. A solenidade está marcada para as 17h. Foram convidadas mais de 3 mil pessoas.

Investimento do governo

O investimento de R$ 27 bilhões do governo federal previsto para 2019 é o menor em 14 anos, segundo informa a edição de setembro do Relatório de Acompanhamento Fiscal (RAF) da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão do Senado Federal. Neste ano (até agosto), a IFI observou que os gastos com investimentos do governo federal somaram R$ 23 bilhões, valor ainda abaixo do limite autorizado de R$ 31 bilhões para 2018.

PIS-Pasep

 — Foto: Reprodução / Rede Amazônica Acre

— Foto: Reprodução / Rede Amazônica Acre

Começa a ser pago hoje o abono salarial PIS do calendário 2018-2019, ano-base 2017, para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em setembro. No caso do Pasep, que é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil, o pagamento começa para quem tem final da inscrição 2. O PIS é pago na Caixa Econômica Federal.

  • IBGE divulga pesquisa mensal do comércio
  • Blog do Samy Dana: É melhor quitar dívidas ou investir?

Furacão Florence

Imagem feita da Estação Espacial Internacional nesta quarta-feira (12) mostra o furacão Florence sobre o Oceano Atlântico — Foto: HO / NASA / AFP

Imagem feita da Estação Espacial Internacional nesta quarta-feira (12) mostra o furacão Florence sobre o Oceano Atlântico — Foto: HO / NASA / AFP

Olho do furacão Florence deve tocar terra nos Estados Unidos nesta tarde. G1 acompanha em tempo real.

Cinema

Assista ao trailer de 'O Predador'

Assista ao trailer de ‘O Predador’

Curtas e Rápidas:

BMW R 1200 GS autônoma — Foto: Divulgação

BMW R 1200 GS autônoma — Foto: Divulgação

Futebol

  • 20 horas: Chapecoense x Atlético-PR
  • 12h30: Brasil x França

Fonte: G1

Apple lança seus novos modelos de iPhone e Apple Watch fará eletrocardiograma

Apple lança 3 modelos de iPhone e Apple Watch fará eletrocardiograma

 

A Apple apresentou nessa quarta-feira (12) seus lançamentos do ano. O evento aconteceu em Cupertino, na Califórnia (EUA).

A marca lançou seu maior iPhone até agora, com 6.5 polegadas. Ele se chamará iPhone Xs Max. Também haverá a versão do iPhone Xs com 5,8 polegadas mesmo tamanho da versão anterior. Ambos virão com tela de “super retina”.

Os novos iPhones poderão ter até 512 gigas de memória, além dos tamanhos já existentes, de 64 gb e 256gb.

 

Os telefones são à prova d’água. Podem afundar até dois metros por 30 minutos sem prejuízos. “Testamos em vários líquidos, água, água salgada, chá, suco de laranja, vinho, cerveja”, afirmou Kaiann Drance, diretor sênior da Apple.

Os telefones continuam com o desbloqueio por reconhecimento facial, que, segundo a Apple, é a autenticação facial mais segura entre os smartphones.

“O iPhone Xs Max tem a melhor bateria que já fizemos. Ela dura uma hora a mais do que a do iPhone X”, afirmou Drance.

Os novos modelos poderão ter dois números de telefone funcionando ao mesmo tempo. Nos EUA, haverá um e-SIM (um chip digital). Na China, a Apple testará um modelo do smartphone com dois chips inseridos ao mesmo tempo.

MODELO MAIS BARATO

O terceiro (e mais acessível) é o iPhone Xr. Ele custará a partir de US$ 749. Feito em vidro, bordas de alumínio e traseira de plástico, ele vem em modelos coloridos (branco, preto, azul, amarelo, vermelho). É resistentes a água (chuva) e poeira.

A tela de LCD ocupa grande parte da frente do celular. Terá 6.1′ polegadas, de retina líquida. Tem uma tela maior que o iPhone 8 Plus, porém em um telefone menor. O desbloqueio também é feito por identificação facial.

O iPhone Xr vem com o modo retrato para as fotos e controle de profundidade. A câmera frontal tem a mesma qualidade dos modelos Xs e Xs Max.A bateria dele também dura uma hora e meia a mais do que a bateria do iPhone 8 Plus.

PREÇOS

O iPhone Xr vai custar a partir de US$ 749, nos tamanhos 64 gb, 128 gb e 256 gb) e estará disponível nos EUA a partir de 26 de outubro.

O iPhone Xs começa custando US$ 999. O iPhone Xs Max, US$ 1099. Ambos terão opções nos tamanhos 64gb, 256gb e 512 gb.

Eles estarão disponíveis nas lojas dos EUA a partir do dia 21 de setembro. A data de chegada dos modelos no Brasil não foi anunciada.

O evento começou mostrando o novo Apple Watch, que está com a tela 30% maior, mais fino, e se chamará S4.

O botão lateral foi refeito, e agora é possível girá-lo para rolar a tela. Segundo a Apple, o gadget está oito vezes mais rápido.

Um dos maiores destaques do novo sistema operacional (watchOS5) é o aplicativo ECG, que oferece um eletrocardiograma do usuário, por meio de um sensor de frequência cardíaca que o relógio. A Associação Americana de Cardiologia dos Estados Unidos e a FDA (agência regulatória de saúde dos EUA) reconheceram a funcionalidade do novo app.

O sensor de batimentos cardíacos também foi melhorado e ele passará a dar notificações nos casos de alterações imprevistas da velocidade e do ritmo dos batimentos cardíacos.

Com o reconhecimento de movimentos mais apurado, o relógio passa a conseguir perceber quando o usuário está andando ou correndo. E também se ele cair. No caso da queda, o aplicativo irá esperar cinco segundos por um movimento, se não houver, ele ligará para a emergência.

O Apple Watch S4 custará a partir de US$ 499 e estará disponível nos Estados Unidos a partir do dia 21 de setembro. A versão anterior (S3) passa a custar US$ 299, a partir desta quarta-feira (12), nos EUA.

Com informações da Folhapress e Notícias ao Minuto

PF encontra extratos bancários e cartão de crédito de Adelio Bispo que podem mudar investigação do ‘caso Bolsonaro’

A Policia Federal pretende abrir uma nova frente de investigação sobre as circunstâncias em que ocorreu o atentado contra o candidato a presidente da República Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado quinta-feira (6), durante um ato de campanha, em Juiz de Fora (Zona da Mata). Conforme revelou o Jornal O Globo, a nova linha de investigação tem como subsídios a localização pela PF de cartão de crédito internacional e extratos de contas bancárias de Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, autor confesso do atentado contra o presidenciável do PSL e que está preso preventivamente em um presídio federal no Mato Grosso do Sul.

Foram encontrados pela PF em um quarto de uma pensão onde Adelio estava hospedado em Juiz de Fora, um cartão de crédito internacional do Banco Itaú e dois cartões da Caixa Econômica Federal, sendo um de conta corrente e de outro de conta-poupança. Foram recolhidos extratos dos dois bancos em nome de Adelio. Também foi apreendido um recibo no valor de R$ 430,00 em nome dele.
A apreensão do material foi revelada pela revista “Crusoé” e confirmada ao ESTADO DE MINAS por fonte de Juiz de Fora nesta quarta-feira. O registro do material também consta em um auto de apreensão das buscas no quarto onde o esfaqueador vivia.
Com a apreensão, a PF deverá pedir a quebra de sigilo bancário das contas de Adelio. O objetivo da nova frente de investigação é descobrir de onde vinha o dinheiro que abastecia as contas e manter o cartão de crédito internacional  do agressor de Bolsonaro. Adelio passou por 12 empregos nos últimos sete anos e em nenhum deles permaneceu mais do que três meses. Ele estava desempregado quando cometeu o atentado a Bolsonaro.
Conforme revelou o ESTADO DE MINAS, Adelio Bispo de Oliveira é integrante de família pobre de Montes Claros (Norte de  Minas). Ele vivia a maior parte do tempo fora da cidade e esteve na cidade natal pela última vez há um ano e seis meses. Os quatro advogados que defendem o agressor de Bolsonaro disseram que foram contratados por igrejas evangélicas de Montes Claros ou pessoas ligadas a elas. Mas, as igrejas as quais teriam sido freqüentadas por Adelio e citadas pelos advogados negaram ligação com a contratação dos defensores dele, desmentindo também pagamento das custas processuais. Assim, surgiram outros questionamentos: sobre quem está pagando os advogados ou se eles apenas decidiram defender Adelio gratuitamente, para aparecer na mídia.
ESTADÃO CONTEÚDO
Comments

Ciro chama Haddad de Dilma

De manhã indaguei aqui no BR18 se nenhum dos adversários de Fernando Haddad chamaria Dilma Rousseff para dançar. Ciro Gomes foi o primeiro a fazê-lo de forma mais direta.

“O Brasil não aguenta uma nova Dilma Rousseff”, disse na sabatina do Globo, colando em Haddad o rótulo não de Lula, mas sim de Dilma — tudo que o PT quer evitar.

BR18 / ESTADÃO

Comments

MP vai apurar caso de advogada presa e algemada durante audiência

Ministério Público irá apurar caso de advogada presa e algemada durante audiência
A advogada Valéria Lúcia dos Santos foi algemada e presa enquanto participava de uma audiência no 3º Juizado Especial Cível de Duque de Caxias Foto: Bruno Marins/OAB/RJ

 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) informou nesta quarta-feira, 12, que vai apurar o caso da advogada Valéria Lúcia dos Santos, que foi algemada e presa durante uma audiência em juizado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na segunda-feira, 10.

O MP-RJ informou, em nota, que o órgão, por meio da Assessoria de Direitos Humanos e de Minorias (ADHM), vem acompanhando os desdobramentos do caso.

“A ADHM/MPRJ reuniu diferentes vídeos, reportagens e notas de repúdio emitidas pelas diversas instituições ligadas à área de Direitos Humanos no País e encaminhou à Promotoria de Justiça de Investigação Penal com atribuição para apurar o ocorrido.”

O órgão também afirmou que será apurado se houve violações de direitos humanos.

Algemada e presa

Valéria foi algemada e presa enquanto participava de uma audiência no 3º Juizado Especial Cível de Duque de Caxias. De acordo com vídeos gravados por pessoas que estavam no local, a advogada e a juíza leiga, Ethel de Vasconcelos, discutiram sobre uma contestação do processo. Juízes leigos são auxiliares da Justiça que possuem algumas funções, como tentar a conciliação entre as partes-papel de um processo, mas que não são togados.

Segundo as imagens, Valéria ainda tentava fazer as contestações do caso, mas a juíza leiga queria encerrar a audiência e determinou que a advogada saísse da sala. Valéria afirmou que não iria sair e que esperaria a chegada de um delegado da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), figura que atua em casos de suspeita de violação ao trabalho e direitos dos advogados.

“Eu estou indignada de vocês, como representantes do Estado, atropelarem a lei. Eu tenho direito de ler a contestação e impugnar os pontos da contestação do réu. Isso está na lei. Eu não estou falando nada absurdo”, disse Valéria em um dos vídeos.

No segundo vídeo, as imagens mostram Valéria, já algemada, sendo arrastada por policiais. “Eu estou trabalhando. Eu quero trabalhar. É o meu direito trabalhar. É meu direito como mulher, como negra”, gritou Valéria.

 

OAB

O presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB do Rio de Janeiro, Luciano Bandeira, anunciou, durante entrevista coletiva nesta terça-feira, 11, que a entidade pedirá punição máxima aos policiais militares e à juíza envolvidos no caso.

“O que aconteceu nesta segunda-feira em Duque de Caxias é algo que não ocorria nem na ditadura militar. Uma advogada no exercício da profissão presa e algemada dentro de uma sala de audiência”, afirmou Bandeira. “Isso é inconcebível, é uma afronta ao Estado de Direito, à advocacia brasileira e ao direito de defesa.”

A pedido da Ordem, o juiz titular do Fórum, Luiz Alfredo Carvalho Júnior, tornou sem efeito a audiência na qual Valéria foi algemada e uma nova sessão foi marcada para o dia 18. Dessa vez, será presidida por um juiz togado.

Durante a coletiva, Valéria contou a sua versão do caso. “Saí em busca de um delegado de prerrogativas da OAB. Quando voltei, ela (a juíza) comunicou que a audiência havia sido encerrada”, declarou a advogada. “Por isso minha resistência para não sair da sala, para que o delegado visse as violações que estavam ocorrendo. É meu direito como advogada impugnar documentos.”

Procurado, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro afirmou que os fatos estão sendo apurados. “O TJ vai se manifestar na conclusão da apuração”, informou, em nota.

ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsonaro passa bem após cirurgia de emergência para desobstruir intestino

O candidato do PSL à Presidência, deputado Jair Bolsonaro, foi submetido na noite desta quarta-feira, 12, a uma cirurgia de emergência. A nova intervenção durou pouco mais de uma hora e terminou por volta das 23h40. Segundo médicos, o procedimento foi bem-sucedido e um novo boletim será divulgado nesta quinta-feira, às 10.

De acordo com boletim médico divulgado às 23h da quarta-feira pelo Hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro está internado desde a última sexta-feira, a cirurgia foi feita após o presidenciável apresentar um quadro de distensão (inchaço) abdominal progressiva e náuseas ao longo do dia.

Com o aparecimento desses sintomas, os médicos decidiram realizar no início da noite desta quarta-feira uma tomografia de abdome, que evidenciou a presença de aderência obstruindo o intestino delgado e a necessidade da cirurgia. A equipe que cuida do presidenciável é chefiada pelo médico Antonio Luiz de Vasconcellos Macedo.

“A cirurgia correu bem, graças a Deus, dentro do previsto. Antes, eu perguntei ao médico quanto tempo duraria mais ou menos. Ele disse que não seria muito demorado, que deveria ser em torno de duas horas, mas acabou antes disso. Foi mais ou menos uma hora de cirurgia, talvez um pouco mais. Graças a Deus correu tudo bem”, afirmou o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, na porta do hospital. Segundo ele, Bolsonaro começou a se queixar de incômodo anteontem e, ontem, “passou o dia muito mal”.

“O maior receio nosso era a anestesia. Agora, ele retorna para o CTI porque foi um novo procedimento cirúrgico, uma nova incisão, abriram novamente o abdome dele e, de novo, a recuperação da anestesia geral é sempre complicada”, acrescentou ele.

Em mensagem publicada nas redes sociais às 23h10, Flávio Bolsonaro, filho do candidato do PSL, pediu orações e escreveu que o estado de saúde do pai “ainda é grave”. Ele voltou a escrever a 0h30; “A cirurgia de emergência acabou bem, graças a Deus!. Meu pai está pagando um preço muito alto por querer resgatar o Brasil, está literalmente dando seu sangue”.

Segundo cirurgiões ouvidos pelo Estado, a aderência pode ocorrer quando tecidos fibrosos gerados pelo processo de cicatrização se ligam, levando à obstrução do canal do intestino. O quadro é comum após cirurgias abdominais como a de Bolsonaro. Pessoas que estiveram com Bolsonaro nesta tarde afirmaram ao Estado que ele aparentava estar extremamente debilitado.

No boletim que havia sido divulgado pela manhã, os médicos informaram a suspensão da alimentação oral por causa do surgimento da distensão abdominal. Esse inchaço no abdômen teria rompido três pontos.

ESTADÃO CONTEÚDO

 

INTERNACIONAIS

CALOTE: Cuba atrasa parcela de financiamento dado pelo BNDES ao Porto de Mariel

O governo de Cuba deixou de pagar US$ 20 milhões (R$ 83 milhões) ao BNDES nos últimos três meses e corre o risco de ser levado a calote.

Pagamentos ao Banco do Brasil, no programa de apoio à exportação de alimentos, também estão falhando, e a conta em aberto já soma € 30 milhões (R$ 143,87 milhões).

No caso do BNDES, a maior parte da dívida se refere ao financiamento da obra do Porto de Mariel, conduzida pela Odebrecht durante os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

O Brasil, por meio do banco estatal, emprestou US$ 682 milhões (R$ 2,230 bilhões) para a construtora ampliar e modernizar o porto, em um financiamento até 2034.

Com isso, esperava-se impulsionar a presença de empresas brasileiras em Cuba no momento em que o país começava a abrir a economia.

O empreendimento se tornou um dos emblemas da política externa de Lula, que apostou na aproximação com países latino-americanos, africanos e com os Brics em um alinhamento que na época se chamou Sul-Sul.

Pessoas envolvidas na negociação afirmam que Cuba começou a atrasar os pagamentos em maio. A parcela de US$ 6,6 milhões (R$ 27,2 milhões) devida ao BNDES foi paga em duas vezes, em junho e em julho.

Dessa vez, porém, o atraso é mais longo (já chega a três meses) e técnicos do governo temem que os atrasos se convertam em calote.

Os valores devidos em junho, de cerca de US$ 10 milhões (R$ 41,3 milhões), começaram a pingar há cerca de duas semanas, após os bancos brasileiros intensificarem a pressão para receber e acionarem o Ministério da Fazenda e o Itamaraty.

O BNDES confirma o atraso e informa que Cuba pagou US$ 4 milhões (R$ 16,5 milhões) da parcela de junho. Com isso, o passivo atualizado com o banco está em torno de US$ 16 milhões (R$ 66 milhões). O Banco do Brasil não quis comentar.

O pagamento parcial, porém, não retira a obrigação sobre os bancos estatais de anotar um risco maior para as dívidas de Cuba em seus balanços.

Caso o país não pague os US$ 6 milhões (R$ 24,8 milhões) restantes da parcela de junho até o fim do mês, o BNDES terá de provisionar o equivalente a 30% da operação, congelando quantia equivalente do seu caixa.

Observadores afirmam que, até o fim do ano, Cuba tem mais US$ 50 milhões (R$ 206,8 milhões) a pagar ao BNDES. Além de obras, o banco financiou ainda a exportação de máquinas agrícolas e ônibus ao país.

O principal argumento apresentado pelo país pela falha nos pagamentos foram os efeitos negativos de tempestades tropicais sobre a economia.

Mas parte da dificuldade tem origem na piora da crise na Venezuela, importante financiador externo de Cuba e que irrigou o país com recursos via venda de petróleo abaixo do preço de mercado.

Só no fim do governo Barack Obama, em 2016, Cuba passou a buscar novos parceiros, com a flexibilização do embargo financeiro e comercial. A administração Donald Trump, no entanto, reverteu parte dessa abertura.

A herança de restrições levou o BB a operar uma linha de financiamento em euros para o país.

Pelo programa Mais Alimentos, de incentivo à exportação, o Brasil vendeu principalmente carnes a Cuba.

Todas as operações financiadas pelo BNDES e parte das que estão na carteira do BB foram feitas com seguro do FGE (Fundo de Garantia à Exportação), mantido pelo governo.

Em caso de calote, cabe ao Tesouro ressarcir os bancos, o que já está acontecendo em dívidas não pagas por Venezuela e Moçambique, também relativas a obras feitas pela Odebrecht e por outras construtoras, como Andrade Gutierrez.

Neste ano, o governo já pagou R$ 1,039 bilhão ao BNDES e ao Credit Suisse pela falta de pagamentos da Venezuela.

Em 2019, a proposta orçamentária reservou mais R$ 1,5 bilhão para honrar calotes.

No caso de Cuba, a formalização do calote só ocorre após seis meses de falta de pagamento. Ou seja, a falha de junho, se não revertida, recairá sobre o Tesouro em dezembro.

Procurado, o Ministério da Fazenda informou que tem conhecimento dos atrasos.

“O ministério foi notificado da ameaça de sinistro e está acompanhando os desdobramentos”, informou. “No entanto, no momento atual cabe ao credor (BNDES) fazer as gestões junto ao governo cubano.”

A pasta disse ainda que o BNDES lhe comunicou que “os atrasos de Cuba são comuns, mas sempre há pagamento”.

O BNDES informou que já financiou cerca de US$ 880 milhões (R$ 3,6 bilhões) em exportações a Cuba, desde os anos 1980, e que “atrasos pontuais, oriundos de problemas operacionais e climáticos, têm ocorrido, sem acarretar indenização do FGE”.

“Até o momento, o BNDES já recebeu cerca de US$ 490 milhões [R$ 2 bilhões] em pagamentos. O saldo devedor atual é da ordem de US$ 597 milhões [R$ 2,5 bilhões].”

FOLHAPRESS

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu