PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

Na reta final da campanha eleitoral, veja os números detalhados da mais nova pesquisa Ibope com as intenções de voto e os índices de rejeição para presidente. Saiba também os números por sexo, idade e renda da pesquisa para o governo de SP e do RJ. G1 e CBNentrevistam o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, e o candidato do PSB ao governo paulista, Márcio França. No México, a chegada do furacão Willa com ventos de 153 km/h. E o G1 já viu o novo filme de Lars von Trier; leia a crítica sobre ‘A casa que Jack construiu’. O que é notícia nesta quarta-feira:

NACIONAIS

Eleições 2018

Ibope divulga segunda pesquisa de intenção de votos para presidente

Ibope divulga segunda pesquisa de intenção de votos para presidente

O Ibope divulgou ontem o resultado da segunda pesquisa do instituto sobre o 2º turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado entre domingo (21) e terça-feira (23) e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 57%
  • Fernando Haddad (PT): 43%

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 50%
  • Fernando Haddad (PT): 37%
  • Em branco/nulo: 10%
  • Não sabe: 3%
 — Foto: Editoria de Arte / G1

— Foto: Editoria de Arte / G1

Veja hoje no G1 os resultados de pesquisas Ibope para presidente nos estados e também por sexo, idade, escolaridade, renda, região, religião e corE mais: Ibope aponta opinião dos eleitores sobre Bolsonaro e Haddad com índice de rejeição e certeza do voto.

G1 e CBN entrevistam Haddad

Fernando Haddad — Foto: Andre Penner / AP

Fernando Haddad — Foto: Andre Penner / AP

G1 e a CBN entrevistam hoje, a partir das 8 horas, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad. A entrevista será realizada no estúdio da CBN no Rio de Janeiro e transmitida ao vivo simultaneamente no G1 e na CBN, com meia hora de duração. Haddad será sabatinado pelos jornalistas Renato Franzini, do G1, Milton Jung, da CBN, e pelo comentarista Gerson Camarotti, do G1 e da CBN. Leitores do portal e ouvintes da rádio podem enviar perguntas usando a hashtag #cbng1 nas redes sociais. Só serão aceitas questões pertinentes ao processo eleitoral. A escolha será feita por jornalistas do G1 e da CBN. Perguntas que ofendam a honra e a moral dos candidatos serão desconsideradas.

O outro candidato no 2º turno da disputa pela Presidência, Jair Bolsonaro, do PSL, também foi convidado para uma entrevista no mesmo dia, mas não respondeu ao convite.

G1 e CBN entrevistam Márcio França

O candidato do PSB ao Governo de São Paulo, Márcio França — Foto: Reprodução/EPTV

O candidato do PSB ao Governo de São Paulo, Márcio França — Foto: Reprodução/EPTV

G1 e a CBN entrevistam hoje, a partir das 10h30, o candidato do PSB ao governo de São Paulo, Márcio França. A entrevista será transmitida ao vivo simultaneamente no G1 e na CBN e terá duração de uma hora. França será sabatinado pelos jornalistas Cíntia Acayaba e Bruno Tavares, do G1/TV Globo, Fernando Andrade e Débora Freitas, da CBN. Leitores do portal e ouvintes da rádio podem enviar perguntas antes e durante a transmissão usando a hashtag #cbng1.

O outro candidato no 2º turno da disputa pelo governo paulista, João Doria, do PSDB, também foi convidado para uma entrevista no mesmo dia, mas disse que não poderia comparecer por questão de agenda.

Tormenta

Rua alagada por chuvas trazidas pelo furacão Willa em Escuinapa, no estado de Sinaloa, no México — Foto: Alfredo Estrella / AFP

Rua alagada por chuvas trazidas pelo furacão Willa em Escuinapa, no estado de Sinaloa, no México — Foto: Alfredo Estrella / AFP

O centro do furacão Willa, de categoria 3, está na parte sul do estado de Durango, no México, a 90 km de Mazatlan, e se move, nesta quarta-feira (24) a 28 km/h para o nordeste e nas próximas horas alcançará os estados de Coahuila e Zacatecas. A tormenta tem ventos de 195 km/h. O G1 acompanha.

Cinema

Trailer do filme 'A casa que Jack construiu'

Trailer do filme ‘A casa que Jack construiu’

G1 já viu: Lars von Trier volta sádico como sempre e egocêntrico como nunca em filme sangrento. Veja análise do G1 sobre ‘A casa que Jack construiu’.

Curtas e Rápidas:

Futebol

  • 19h30: Cruzeiro x Ceará
  • 19h30: Fluminense x Nacional-URU
  • 21h45: Bahia x Atlético-PR
  • 21h45: Boca Juniors x Palmeiras

Ontem à noite, o Grêmio venceu o River Plate, no Monumental de Nuñez, por 1 a 0 (veja o gol no vídeo abaixo), e deu grande passo para ir à final do torneio. O time gaúcho recebe a equipe argentina na próxima terça-feira (30).

Fonte: G1

Ibope mostrou que Bolsonaro tem que ficar ligado e chamar nos carreteis turma da campanha

A poucos dias de cruzar a linha de chegada a penúltima pesquisa do Ibope, mostrou que coisas estanhas acontecem.

Bolsonaro (57%) oscilou dois pontos para baixo. Haddad (43%) moveu-se dois pontos para o alto. A taxa de rejeição do capitão, declinante na semana passada, saltou de 35% para 40%. O índice dos que rejeitam o petista, que subia, caiu de 47% para 41%.

Horas antes da divulgação da pesquisa, Bolsonaro e Haddad cumpriram suas agendas. Franco favorito, o capitão participou de um churrasco festivo na casa elegante do empresário Paulo Marinho, onde grava seus programas eleitorais, no Rio de Janeiro. A pretexto de se despedir da equipe, confraternizou à beira da piscina ao som violoncelos. Presentes, dois personagens que frequentam o noticiário como quase-futuros-ministros: Gustavo Bebianno (Justiça) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil).

Também no Rio, o azarão petista foi à favela da Maré. Discursou num centro de artes. Haddad disse à plateia que ainda é possível vencer a eleição mesmo sem ninguém acreditar. Rogou aos presentes que pedissem votos aos familiares e conhecidos. Anabolizando os números que a pesquisa revelaria mais tarde, agarrou o otimismo pelo colarinho e disse: “O povo começa a perceber, já estou no 45%, 46%. Falta quatro, cinco para ganhar a eleição. Tem que conversar com as pessoas.”

Há uma semana, Bolsonaro sentenciou: “Nós estamos com uma mão na faixa. Ele (Haddad) não vai tirar 18 milhões de votos daqui a dois domingos.” Bolsonaro entrou no segundo turno extremamente confiante. Jogando parado, administra sua vantagem. Ela já foi de 18 pontos, está em 14. A distância ainda é grande o bastante para que Haddad dependa de um milagre para alcançar o rival e Bolsonaro precisar chamar nos carreteis filhos e pessoas que fazem parte do seu Staff.

Com informações de Josias de Souza

Comments

Mano Brown critica PT em comício de Haddad, diz que a eleição estava decidida, é vaiado e defendido por Chico e Caetano

Caetano Veloso, Mano Brown, Fernando Haddad e Chico Buarque posam para foto em evento em apoio ao candidato do PT na Lapa, no Rio de Janeiro
FOTO Ricardo Stuckert/Divulgação

 

O rapper Mano Brown quebrou o clima festivo do comício de Fernando Haddad na noite desta terça (23). Em um discurso de pouco mais de três minutos, ele disse achar que a eleição já estava decidida e disse que se o PT “não conseguiu falar a língua do povo, tem que perder mesmo”. Diante de Fernando Haddad, ele criticou a falha de comunicação da campanha.

“Vim apenas me representar. Não gosto do clima de festa. A cegueira que atinge lá, atinge aqui também. Isso é perigoso. Não tá tendo clima pra comemorar”, disse o cantor, que calou o público nos arcos da Lapa.

“Tá tendo quase 30 milhões de votos pra tirar. Não estou pessimista. Sou realista. Não consigo acreditar pessoas que me tratavam com carinho, se transformaram em monstros. Se algum momento a comunicação falhou aqui, vai pagar o preço. A comunicação é alma. Se não conseguir falar a língua do povo, vai perder mesmo. Falar bem do PT para torcida do PT é fácil. Tem uma multidão que precisa ser conquistada ou vamos cair no precipício. Tinha jurado não subir no palanque de mais ninguém”, acrescentou Brown.

O rapper chegou a ser vaiado por parte do público, mas foi até o final.

“Não vim aqui ganhar voto. Acho que já tá decidido. Se errou, tem que pagar mesmo”, afirmou o cantor.

“Não gosto do clima de festa. O que mata a gente é o fanatismo e a cegueira. Deixou de entender o povão já era. Se somos o Partido dos Trabalhadores tem que entender o que o povo quer. Se não sabe, volta pra base e vai procurar entender. As minhas ideias são essas. Fechou”, completou.

O público ensaiou uma vaia a fala de Mano Brown. Caetano Veloso pegou o microfone e saiu em defesa do rapper.

Segundo Caetano, o discurso de Brown representa a complexidade do momento. Caetano disse que o país vive a “imbecilização da sociedade” e concordou com Brown que não seria hora de festa. “A fala do Mano traz a complexidade do momento”.

O Brasil tem sido bombardeado há décadas por discursos de sociólogos que usam palavrões em suas análises e apostam na imbecilização da sociedade. Temos que encontrar meios de dizer a esses eufóricos [eleitores do Bolsonaro] do perigo à democracia. Me oponho a ‘cafajestização’ do homem brasileiro”, disse. Caetano declarou apoio a Haddad na semana passada após ter declarado voto em Ciro Gomes (PDT) no primeiro turno.

Chico Buarque também aproveitou seu discurso para defender Mano Brown. Segundo o cantor, ele entende o sentimento de Brown, mas afirmou que ainda acredita na vitória de Haddad no segundo turno.

“Eu entendo o Mano Brown, tendo a concordar, sei que vai ser difícil, mas eu ainda acredito ser possível”, disse.

Chico disse que pode ocorrer de pessoas que votaram em Bolsonaro no primeiro turno se sensibilizem com discursos agressivos do capitão da reserva e episódios de violência política nas últimas semanas.

“Talvez aqueles eleitores que votaram em Bolsonaro, os chamados coxinhas, se sensibilizem com essa onda de boçalidade, com morte de gays, trans, travestis, mulheres, negros e capoeiras. Quem sabe o povo pobre, que votou em Bolsonaro, contra si mesmo porque a proposta dele vai contra essas pessoas, mude de ideia na hora do voto. Não queremos mais mentira, não queremos mais a força bruta. Queremos Fernando e Manuela”, disse ele, seguido de gritos de “eu acredito” do público.

FOLHAPRESS

Comments

Cúpula das Forças Armadas teme violência após 2º turno

Painel / FOLHA

Integrantes da cúpula das Forças Armadasdemonstram preocupação com a possibilidade de o clima de beligerância no país se intensificar após a eleição. Comandantes do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e outros nomes de alta patente militar têm conversado sobre o receio de que grupos radicais, de ambos os lados, pratiquem atos de violência após o segundo turno. Os militares pregam que o próximo presidente faça da conciliação nacional prioridade após a votação no domingo (28).

Comments

Bolsonaro defende reduzir número de deputados de 513 para 400 e fim da reeleição

O candidato a presidente da República pelo PSLJair Bolsonaro, defende a redução do número de deputados federais dos atuais 513 para 400, segundo afirmou em entrevista concedida à TV Bandeirantes e veiculada nesta terça-feira, 23. “Você baixar 20%, de 513 para 400, é um bom número”, afirmou.

Bolsonaro também defendeu o fim da reeleição: “Eu botaria na balança o fim do instituto da reeleição”. Questionado sobre a ampliação do mandato presidencial dos atuais quatro para cinco anos, ele afirmou ser uma ideia “bem-vinda”: “Você pode estudar, mas não começaria comigo. Não posso fazer nenhuma proposta em que eu seria beneficiado”.

Bolsonaro afirmou que vai estudar a privatização das empresas públicas caso a caso. “Aquelas que são onerosas, aquelas que encontram similares na iniciativa privada, essas daí você vai privatizar ou até mesmo extinguir. As outras você tem que analisar o modelo. Tem uma pequena parte que seria estratégica”, afirmou. “Faremos o melhor para o Brasil sem prejuízo aos funcionários e aos acionistas”, garantiu. Bolsonaro afirmou que os Correios “podem entrar nesse radar da privatização”.

Ele defendeu a necessidade de uma reforma da Previdência, mas “não a do (atual presidente Michel) Temer”.

candidato do PSL reiterou críticas ao PT e afirmou que está tomando cuidados para evitar novos atentados, como aquele de que foi vítima em setembro. “Tenho que (me) preservar, tomar cuidado para não sofrer um novo atentado, que existe a possibilidade sim”, afirmou.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comments

Gula do PSL surge antes da vitória de Bolsonaro

As urnas do segundo turno ainda nem foram computadas e o PSL já começou a dificultar a vida de Jair Bolsonaro. Todo mundo sabe que Rodrigo Maia (DEM-RJ) é candidato a permanecer no comando da Câmara. Mas um ala do partido do capitão avalia que desafiar Maia é uma prioridade. Em verdade, trata-se de uma temeridade, pois Rodrigo Maia arrasta consigo o apoio da maioria do centrão.

A ala mais gulosa do PSL sonha com a hegemonia política porque virou a segunda maior bancada da Câmara, com 52 deputados, atrás apenas do PT. Os correligionários de Bolsonaro confundem ingenuidade com autoconfiança. Em vez de hegemonia, podem obter isolamento político.

Bolsonaro já farejou o cheiro de queimado. Pediu moderação ao PSL. Mas alguns dos seus correligionários ainda não se deram por achados. O último partido que imaginou que poderia acumular as presidências da Câmara e da República foi o PT. Em 2014, o petismo decidiu cutucar o MDB lançando Arlindo Chinaglia como adversário de Eduardo Cunha na briga pelo comando da Câmara. A manobra custou o pescoço de Dilma Rousseff.

JOSIAS DE SOUZA

LOCAIS

Prefeita de Serra de São Bento anuncia apoio a Fátima e prefeito de Taipu deixa Carlos Eduardo e passa apoiar a Senadora na disputa pelo Governo

A prefeita Wanessa Morais (MDB) de Serra de São Bento resolveu nesta terça-feira apoiar a candidatura da senadora Fátima Bezerra ao governo do estado. Os ex-prefeitos Chico de Erasmo (MDB) e Ricardo Araújo (MDB) também, além da vice-prefeita Solange (PSDB), o presidente da Câmara Municipal, João Paulino (PP) e vereadores também passam a apoiar a candidatura de Fátima.

No Mato Grande, quem desembarcou do palanque de Carlos Eduardo (PDT) foi o prefeito de Taipu, Bastinho (PSB), que no primeiro turno apoiou o ex-prefeito de Natal. Bastinho teve uma conversa com Fátima Bezerra na noite desta terça-feira (23) e decidiu mudar para o lado de Fátima.

Carlos Eduardo falta ao debate da TV Ponta Negra após ir muito mal no debate da Band

Depois do péssimo desempenho no primeiro debate do segundo turno na Band Natal, Carlos Eduardo Alves num gesto de desprezo com a TV Ponta Negra e uma tremenda falta de atenção com a sociedade simplesmente faltou ao debate da TV Ponta Negra realizado na noite desta terça-feira.

Além de ter faltado, o candidato sequer justificou sua ausência.

A emissora lamentou a ausência e realizou uma sabatina com a candidata Fátima Bezerra, que respondeu perguntas de convidados de diversos segmentos da sociedade que estavam lá para fazerem perguntas aos dois candidatos.

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta

Fechar Menu