PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

22 de agosto, quarta-feira

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.


Por G1

 

INTERNACIONAIS

Estados Unidos

 Michael Cohen, ex-advogado de Donald Trump, deixa seu prédio para audiência em corte federal em Manhattan, Nova York, na terça-feira (21) (Foto: AP Photo/Richard Drew)

Michael Cohen, ex-advogado de Donald Trump, deixa seu prédio para audiência em corte federal em Manhattan, Nova York, na terça-feira (21) (Foto: AP Photo/Richard Drew)

 Fonte: G1

NACIONAIS

Eleições 2018

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (22) apontou os percentuais de intenção de voto para presidente da República em dois cenários com candidatos diferentes do PT: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no 1º cenário e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad no 2º. Veja os resultados:

E mais…

Alta do dólar

 (Foto: Dado Ruvic / Reuters)

(Foto: Dado Ruvic / Reuters)

dólar comercial disparou e fechou acima dos R$ 4 ontem, algo que não acontecia há mais de dois anos. A moeda terminou o dia vendida a R$ 4,0358, alta de 2%, com a divulgação de pesquisa para a eleição de outubro. Leia mais aqui. O G1 acompanha o mercado neste ano eleitoral.

Vacinação

Vacinação contra sarampo e poliomelite (Foto: Reprodução / EPTV)

Vacinação contra sarampo e poliomelite (Foto: Reprodução / EPTV)

O Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada “doença comum na infância” décadas antes de ser eliminada do Brasil em meados dos anos 1990. São dois surtos: em Roraima (296 casos confirmados) e no Amazonas (910 casos). Outros estados também apresentam casos da doença. O Ministério da Saúde acredita que conseguirá controlar os surtos, mas ressalta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença e que pode aplicar vacinas em adultos e crianças. Entenda hoje no G1.

Mega-Sena

 (Foto: Marcelo Brandt / G1)

(Foto: Marcelo Brandt / G1)

Festa do Peão

A dupla sertaneja Gian & Giovani (Foto: Divulgação)

A dupla sertaneja Gian & Giovani (Foto: Divulgação)

A noite da Festa do Peão de Barretos 2018 será marcada pelo retorno da dupla Gian & Giovani aos palcos. O Parque do Peão recebe ainda as duplas Pedro Paulo & Alex, Lucas Reis & Tachio e Túlio & Gabriel. Competidores entram na Arena para uma noite de rodeio. Os peões encaram a 3ª etapa da Liga Nacional de Rodeio (LNR) para a final, que acontece no sábado (24). Tem também as disputas do working penning e dos três tambores. O G1 transmite as provas a partir das 20h.

  • Jovens viajam em ônibus open bar até Barretos, SP, para curtir balada de três dias e sem intervalos

Curtas e Rápidas:

A cantora inglesa Jess Glynne (Foto: Divulgação/Warner)

A cantora inglesa Jess Glynne (Foto: Divulgação/Warner)

Futebol

  • 19h30: Paraná x São Paulo
  • 19h30: Bahia x Internacional
  • 19h30: Chapecoense x Atlético-PR
  • 21 horas: Palmeiras x Botafogo
  • 21 horas: Sport x América-MG
  • 21h45: Fluminense x Corinthians
  • 21h45: Grêmio x Cruzeiro
Fonte: G1

TODOS OS CENÁRIOS: Em segundo turno, Bolsonaro só venceria Haddad

O Datafolha também simulou resultados de segundo turno. Nele, Lula venceria em três hipóteses.

Sem o ex-presidente, Bolsonaro só conseguiria vencer o páreo contra Haddad.

Confira:

Comments

Datafolha: Metade dos que escolhem Lula diz que não vota em nome substituto; Haddad marca 4%

O nome ungido por Lula para substitui-lo em caso de inabilitação, o de seu candidato a vice Fernando Haddad (PT), não tem uma largada muito promissora na missão de herdar votos do mentor: tem apenas 4%, empatado com o senador Alvaro Dias (Podemos), no cenário sem o ex-presidente.

A explicação para isso pode estar no fato de que 48% dos ouvidos não votaria num candidato indicado por Lula. Já 31% o fariam, enquanto 18% anotam um “talvez” quando questionados sobre o tema.

Por fim, Haddad tem um potencial: não é conhecido por 27% dos eleitores, contra 59% que já ouviram falar do ex-prefeito paulistano. Em comparação, Lula é conhecido de 99% dos ouvidos, Marina, por 93% e Alckmin, por 88%. Assim, Haddad registra baixa rejeição: 21%.

Comments

Datafolha: Lula tem 39%, Bolsonaro 22% e Marina 8%

Preso condenado por corrupção e virtualmente inelegível, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 39% das intenções de voto na primeira pesquisa do Datafolha realizada após os registros das 13 candidaturas ao Palácio do Planalto.

No cenário mais provável, já que a condenação em segunda instância enquadra o petista na Lei da Ficha Limpa e deverá provocar sua inabilitação, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) surge à frente da disputa, com 22%.

O Datafolha ouviu 8.433 pessoas em 313 municípios, de 20 a 21 de agosto. A margem de erro do levantamento, uma parceria da Folha e da TV Globo, é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Na simulação da disputa com Lula, Bolsonaro mantém uma estabilidade no seu eleitorado, com 19% no segundo lugar. Aparecem embolados no terceiro posto Marina Silva (Rede, com 8%), GeraldoAlckmin (PSDB, 6%) e Ciro Gomes (PDT, 5%).

Sem Lula, Marina e Ciro dobram suas intenções de voto, ficando atrás de Bolsonaro com 16% e 10%, respectivamente. Alckmin também sobe para 9%, empatando na margem com Ciro.

Com o petista no páreo, brancos e nulos somam 11%, com 3% de indecisos. Sem ele, os índices sobem respectivamente para 22% e 6%.

O nome ungido por Lula para substitui-lo em caso de inabilitação, o de seu candidato a vice Fernando Haddad (PT), não tem uma largada muito promissora na missão de herdar votos do mentor: tem apenas 4%, empatado com o senadorAlvaro Dias (Podemos), no cenário sem o ex-presidente.

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5Otlnt400

Fernando Haddad vira réu em ação de improbidade por irregularidade em ciclovia

A Justiça de São Paulo aceitou uma ação de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público contra o candidato a vice-presidente pelo PT e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, por irregularidade na construção de trecho de ciclovia na capital paulista.
Além de Haddad, três pessoas e a empresa que construiu a ciclovia se tornaram rés.

Os promotores Nelson Sampaio e Marcelo Milani apontaram no inquérito civil “diversas irregularidades nas obras de implantação das ciclovias do município de São Paulo, denominada ‘Operação Urbana Consorciada Faria Lima’.
Segundo o documento, foram violadas as normas do direito público na implementação do trecho de ciclovia Ceagesp-Ibirapuera, com extensão de 12,4 quilômetros.

Por meio de nota, a assessoria de Fernando Haddad afirmou que, no despacho, o próprio juiz cita as medidas tomadas pelo ex-prefeito, via Controladoria Geral do Município, como argumento para afastar culpa ou dolo. A nota afirma, ainda, que o juiz diz que o ex-prefeito, ao criar a Controladoria, dava sinais de que não tinha qualquer intento ilegal.

Contratos analisados no inquérito

Seis contratos da Prefeitura de São Paulo com a empresa Jofege Pavimentação e Construção Ltda foram analisados. Neles, os promotores afirmam ter encontrado problemas como o custo do quilômetro da obra, que chegou a R$ 4,4 milhões.

Os promotores dizem que, na gestão anterior, a mesma obra realizada pela própria empresa Jofege Pavimentação e Construção Ltda, situada na Avenida Faria Lima, custou R$ 617 mil por quilômetro.

Além disso, os contratos, segundo os promotores, tiveram fracionamento da execução da obra com a utilização de Ata de registro de Preços, deficiência na execução do serviço e a sobreposição de obras na construção de um trecho de ciclovia já existente>

O inquérito usou como base um laudo do Tribunal de Contas do Município, conforme havia antecipado o SP2.

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5OtmreNYe

LOCAIS

Vereadores derrubam veto de Álvaro Dias e prosseguem com hospital veterinário

Em sessão ordinária realizada nesta terça-feira (21), a Câmara Municipal de Natal derrubou dois vetos integrais do Chefe do Poder Executivo.

Os parlamentares foram contra o veto ao Projeto de Lei 15/2017, de autoria do vereador Sandro Pimentel (PSOL), que dispõe sobre a autorização para a implantação do Hospital Público Veterinário em Natal.

O autor da matéria questionou o veto por se tratar de um Projeto autorizativo. “É um Projeto autorizativo que iremos inserir na Lei Orçamentária Anual para disponibilizar um montante que seja pelo menos suficiente para começar a Construção do Hospital Público Veterinário”, disse Sandro Pimentel.

O vereador ressaltou a importância da obra para a cidade. “Natal tem cerca de 20 mil animais abandonados porque muitas pessoas não têm condições de pagar consultas, cirurgias, por isso a necessidade desse hospital. Se não for possível inicialmente a construção que seja construída uma clínica pública veterinária oferecendo vacinas, exames e pequenas cirurgias”, concluiu.

Acesse a Postagem Original: http://www.blogdobg.com.br/#ixzz5OtnBfOfh

Agronegócio RN

Mossoró vira capital brasileira da fruticultura, que fatura R$ 1 bilhão no RN

Expofruit deve movimentar negócios na ordem de R$ 40 milhões com a participação de 300 empresas, além de atrair público superior a 15 mil pessoas nos próximos três dias

Eduardo Viana, do Sebrae; prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini; empresário Luiz Roberto Barcelos, presidente do Coex e vice-prefeita de Mossoró, Nayara Gadêlha, na abertura da Expofruit

A maior feira de fruticultura irrigada do país –a Expofruit – já começou e até quinta-feira, 23, deve prospectar negócios na ordem de R$ 40 milhões. Os 300 estandes montados na Estação das Artes, em Mossoró, atraíram – na noite de abertura – centenas de pessoas da região do interior do Rio Grande do Norte, dezenas de empresários de todo o país e até do exterior, além de autoridades do poder público.

Com o tema “Todo mundo vê o desenvolvimento da fruticultura. Está estampado na nossa cara”, a Expofruit transformará Mossoró – nesta semana – na capital brasileira da fruticultura irrigada. A feira ocupa uma área de 15 mil metros quadrados e promete trazer mais benefícios para o setor. Isso porque, só ano passado, este segmento da agricultura foi responsável por exportar US$ 130 milhões e colocar o estado do Rio Grande do Norte como o segundo maior exportador do país.

A 21ª edição da Expofruit é realizada pelo Coex – Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte –, em parceria com o Sebrae, governo do Estado e prefeitura de Mossoró e uma gama de empresas que compõe a cadeia produtiva, o que inclui produtores, empresas de melhoramento genético, embalagem, irrigação e produtos contra doenças e pragas. Hoje, a fruticultura gera 20 mil empregos diretos e 50 mil indiretos no estado. Fora o consumo interno, a produção é exportada para países como o Reino Unido, Holanda, Espanha, Emirados Árabes, Canadá e Argentina, entre outros.

O que faz a fruticultura potiguar ter a qualidade reconhecida no mercado internacional é o selo de Indicação de Origem Geográfica, que foi obtido em 2013. O presidente do Coex, empresário Luiz Roberto Barcelos, destacou que o Brasil é hoje o terceiro maior de frutas do mundo, ficando atrás apenas da Índia e China. Contudo, ele ressaltou que – em termos de exportação – o Brasil está apenas na 23ª posição. “Em nível de Brasil, não exportamos nem 3% do que produzimos, porém, uma parte significativa do que vendemos ao mercado internacional sai do Rio Grande do Norte. Portanto, o setor é importante para o país e frutas como melão e melancia são destaques”, disse Barcelos.

De acordo com o empresário, questões atribuídas ao poder público também contribuem para o desenvolvimento da fruticultura, como o processo de agilidade nas licenças ambientais e outorga da água. O resultado é um faturamento de R$ 1 bilhão ao ano, no qual R$ 250 milhões são voltados para o pagamento de salários. “Um quarto de nosso faturamento vai para os trabalhadores do setor”, acrescenta Barcelos.

O diretor de Operações do Sebrae no Rio Grande do Norte, Eduardo Viana, ressaltou que a instituição apoia a fruticultura de maneira direta desde 1991, a partir de projetos voltados para o plantio e comercialização do caju. De lá para cá, a participação do Sebrae no setor agropecuário só fez aumentar, com a presença na Festa do Boi, a partir de 1995; projetos voltados para a produção in natura e qualidade do produto, em 1998; qualidade total para produtos de maior valor agregado, em 2002; missões internacionais de negócios, em 2003; certificações, a partir de 2009, congresso brasileiro de fruticultura, em 2010; Certificação de Origem Geográfica, em 2013; Central de Comercialização de Agricultura Familiar, em 2014, além de estudos e projetos para o pequeno produtor, que foram intensificados de 2015 para cá.

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Vieira, destacou que a fruticultura no estado está “salvando” o setor. “Infelizmente, a situação geral não é das melhores porque o setor encolheu sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) do estado. O que antes era uma participação de 3,4%, hoje é de 2,8%”, disse Vieira. No entanto, ele disse que a fruticultura irrigada potiguar é motivo de orgulho, porque enquanto se empregam dois trabalhadores por hectare aqui, no estado do Mato Grosso – por exemplo – emprega-se apenas um cada 200 hectares de soja. “Com certeza, a Expofruit trará novos negócios para o setor e hoje faz a diferença no setor agrícola. Os números estão aí e em processo de crescimento”, completou Vieira.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca do estado, Guilherme Saldanha, participou da abertura da Expofruit representando o governador Robinson Faria, que, por está em campanha eleitoral, fica proibido pela legislação de participar de eventos. Saldanha ressaltou que não é fácil ser produtor rural no Brasil, e em especial no Rio Grande do Norte. “Estamos conseguindo desburocratizar o setor, porque os empresários são geradores de empregos e desenvolvimento. A transposição do Rio São Francisco, cujas obras estão em andamento na região do Assu, vão trazer novas oportunidades para o setor agrícola. Além disso, o porto de Natal é o maior exportador de frutas do Brasil, porque escoa a produção do Rio Grande do Norte e outros Estados ”, disse Saldanha.

A prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, também participou da abertura da Expofruit e destacou que o município é parceiro do setor. “Essa parceria ficou ainda maior com a participação da prefeitura de forma direta na realização da feira, que trará uma nova dinâmica para a economia da região”, frisou Ciarlini. A prefeita lembrou, ainda, que quando era governadora conseguiu garantir investimentos internacionais na ordem de US$ 540 milhões para dez cadeias produtivas no setor agropecuário e, entre elas, encontra-se a fruticultura. “Isso não é um projeto de um só governo, mas de várias gestões. Tenho certeza que a próxima Expofruit será ainda maior que esta”, destacou Rosalba Ciarlini. A Expofruit prossegue com a feira, realização de seminários, visitas a plantios e rodadas de negócios até quinta-feira, 23.

Eleições 2018

“Palanque da sabotagem continua de pé”, afirma Robinson Faria na Fiern

Durante discurso na Fiern, governador do Rio Grande do Norte e candidato à reeleição pelo PSD também disse que pretende incorporar o Mais RN ao seu programa de governo

21/08/2018 às 18:12
 Governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD)

O governador e candidato à reeleição, Robinson Faria (PSD), discursou nesta terça-feira, 21, na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), onde afirmou que durante seu primeiro mandato foi prejudicado por um “palanque da sabotagem”, que o impediu de conseguir recursos para viabilizar projetos de sua gestão.

“Assumi o Rio Grande do Norte falido. Os outros oito estados do Nordeste não estavam na mesma situação do RN quando eu o assumi”, disse. E acrescentou: “o palanque da sabotagem, que não sabota a mim mas ao RN, continua de pé e impediu viabilizar programas, operações de crédito e liberação de recursos, que dependiam de parcerias com o Governo federal”, afirmou.

O candidato enfatizou que, nos últimos quatro anos, trabalhou para garantir ao Estado um ambiente mais favorável aos negócios, com maior segurança jurídica para atrair novos investimentos em diversas áreas. “Só se investe num estado onde se tem segurança jurídica”, frisou.

Mais RN

“Estou na casa que pensa o Rio Grande do Norte, que pensa o emprego, que abriga grandes economistas, quero cada vez mais a Fiern próxima para trabalharmos juntos”. A afirmativa foi feita pelo candidato à reeleição ao governo do estado pelo PSD, Robinson Faria, na tarde desta terça-feira, 21, no Fórum Fiern Caminhos do RN. Disse que pretende incorporar o Mais RN ao seu programa de governo. “O Mais RN pensa o Rio Grande do Norte de amanhã”, frisa o governado, lembrando que a Macroplan, empresa que elaborou o Mais RN, também elaborou o Plano Plurianual da sua gestão.

O evento, realizado na Casa da Indústria, traz nos dias 20, 21 e 22, todos os candidatos do Executivo estadual para debater propostas para o Estado, junto aos empresários e representantes do setor produtivo. Uma oportunidade para conhecer os projetos de Governo, bem como ouvir do empresariado anseios e sugestões para os próximos quatro anos.

Em seu discurso de abertura, o presidente da Fiern, Amaro Sales de Araújo, mostrou dados do Mais RN que demonstram a trajetória de declínio do Estado projeções que alertam para necessidade ajustes e ações para reverter esta queda – da 14º posição em 2014 para 23ª em 2022, caso as medidas não sejam implementadas. O presidente ponderou que a conjuntura atual não é debitada no governo Robinson, mas resultado dos governos ao longo dos anos e situação macroeconômica do país.

O presidente da Fiern, Amaro Sales de Araújo, entregou ao governador a edição atualizada do Mais RN, que estabelece uma Agenda Potiguar com 44 metas para os próximos quatro anos. A agenda, explica ele, é a síntese, em curto prazo, de um plano estratégico de desenvolvimento para se chegar em 2035, com crescimento econômico e melhoria da qualidade de vida da população.

“É preciso retomar o momento de crescimento do Rio Grande do Norte, de retomarmos o Pacto político e social de todos os entes em prol do desenvolvimento do Estado. Esta é, desde a primeira edição do Mais RN, a primeira medida a ser implementada, o que não aconteceu e tivemos uma trajetória de perdas. A Fiern se coloca a disposição do próximo Governo para apoiar”, frisa Amaro Sales.

“Segurança passa por ações integradas”

Após sua explanação Robinson Faria respondeu perguntas dos empresários sobre segurança pública, saúde, ajuste fiscal, educação, e a Uern. Sobre a segurança, afirmou que a solução para a crise também passa pela mudança na legislação brasileira. Discorreu sobre os investimentos que fez no setor, em pessoal e equipamentos; defendeu a redução da maioridade penal; criticou as audiências de custódia; e a InterTV Cabugi, pela forma como noticia a violência no estado. “Segurança passa por ações integradas, de cidadania, sociais, de educação e esportes, pela presença do estado nos bairros, não é só ação policial ostensiva,” disse.

A saúde, afirmou Robinson, foi um dos setores em que o seu governo mais avançou, aumentando o número de leitos hospitalares, sobretudo de UTIs. “Criamos 150 novos leitos de UTIs e equipamos seis hospitais regionais para cirurgias”, disse. Com relação à educação, o candidato disse que aumentou o número de professores, através de concurso público e construiu novas escolas, mas que os resultados irão aparecer em médio prazo.

Uma das perguntas feitas durante a sabatina foi sobre os custos para o estado da Uern (Universidade Estadual do RN). Robinson disse que, se reeleito, não irá privatizar a instituição. “A culpa do estado ter quebrado não é da Uern, a Uern está criando e educando irmãos que não podem pagar pela educação”.

Com relação ao ajuste fiscal, o candidato do PSD disse que o seu governo tem os menores gastos do país com funcionários comissionados, que realizou auditoria na folha de pagamentos e enxugou a máquina administrativa. Afirmou que existe uma ação na justiça para que as “sobras” orçamentárias dos poderes retornem aos cofres do estado.

 

Carlos Alberto propõe universalização da educação integral e pactos regionais

Professor e candidato do PSOL é o quatro postulante ao Governo do Estado a participar do Fórum Caminhos do RN, promovido pelo Sistema FIERN

21/08/2018 às 16:21
Evento segue o mesmo formato do Fórum Caminhos do Brasil, que recebeu candidatos à presidência da República

Ampliar o investimento em segurança, universalizar o ensino integral e promover pactos regionais, entre municípios, para o desenvolvimento econômico do estado. Estas foram as principais propostas apresentadas pelo candidato do PSOL ao Governo do Estado, Carlos Alberto, durante o segundo dia do Fórum Caminhos do RN, na manhã desta terça-feira, 21, na Casa da Indústria.

O professor Carlos Alberto é o quatro postulante ao Governo do Estado a participar do Fórum Caminhos do RN, promovido pelo Sistema FIERN. As sabatinas, que acontecem de 20 a 22, trazem à Casa da Indústria, os oito candidatos ao Executivo estadual para apresentar ideias e propostas aos empresários e representantes do setor produtivo. O evento segue o mesmo formato do Fórum Caminhos do Brasil, que recebeu candidatos à presidência da República.

Carlos Alberto destaca que com investimentos em educação é possível reverter cenários de violência e ainda auxiliar no desenvolvimento econômico. O candidato defendeu a universalização do ensino integral, a reformulação dos projetos pedagógicos e a ampliação do número de creches, como forma de melhorar os indicadores de educação (IDEB) no Rio Grande do Norte, com qualidade e cobertura da estrutura de ensino.

Neste contexto, ele ainda propôs a criação de um pacto regional, para que municípios vizinhos, em conjunto, definam diretrizes para criação de cursos a partir de vocação e potencialidades de desenvolvimento regional.

“O desenvolvimento econômico deve ser pensado e trabalhado a partir de pactos, de consórcios regionais, para viabilizar serviços prestados, como também alavancar a economia com projetos que considerem potencialidades comuns a um grupo de municípios próximos”, explica Carlos Alberto.

O candidato elogiou a iniciativa da FIERN em elaborar um estudo do MAIS RN. Um dos maiores desafios, segundo ele, é garantir a segurança pública a partir da ampliação do orçamento, que garantam investimento.

Entre as propostas do PSOL em seu programa de Governo do Estado, ele pontua ainda a integração da malha local com a Transnordestina, com a construção de estradas, rodovias e linhas férreas alternativas que possam garantir o escoamento de cargas e alavancar as exportações, a partir do projeto de linha ferroviária nacional para o Nordeste.  “Vamos sentar, o Governo, a FIERN, os empresários e a União para definir o que pode ser feito para que essa integração da Transnordestina possa ter um resultado maior na pauta de exportações”, destacou.

Sobre a política de incentivos fiscais, ele pondera que precisa ser revista, de modo que os incentivos passem a ser dado a setores com maior vantagem competitiva que possam impulsionar a economia e gerar empregos no estado. Ele adiantou que o Proadi deverá ser mantido, mas não ampliado.

Entrega do MAIS RN

O presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, fez a entrega do exemplar da edição atualizada do MAIS RN – Agenda Potiguar 2019/2022, que traz 44 metas para os próximos quatro anos. Elaborado pela Macroplan, o estudo revisado está dividido em quatro eixos: o RN numa perspectiva comparada – com outros estados; Pontos fortes, potencialidades e melhorias recentes do RN; Debilidades, vulnerabilidades e estrangulamentos críticos; Propostas dos empresários para 2019/2022.

O presidente destacou, durante o seu discurso, a importância do relatório atualizado, com metas, gargalos e ações estratégicas que precisam serem implementadas pelo próximo Governo, para que o RN possa crescer. “O MAIS RN é um projeto para o Rio Grande do Norte, mas pensando nos próximos 20 anos, com um diagnóstico da situação e estrutura existente, recomendações e propostas para isto”, afirma.

Participaram do evento o vice-presidente da FIERN, Pedro Terceiro de Melo, os diretores Silvio Torquato, Heyder Dantas, Vilmar Pereira, Francisco Soares, Roberto Serquiz, o presidente da FCDL, Afrânio Miranda, e Mário Tavares do Sindicato de Mineração. Também estiveram presentes a superintendente do IEL, Angélica Teixeira, o diretor regional do SENAI, Emerson Batista Cunha, o superintendente do SESI, Juliano Martins, e o superintendente de articulação institucional, Hélder Maranhão.

Dário Barbosa defende foco em infraestrutura com investimento em ferrovias

Para o candidato, o pagamento de juros pelos Estados e municípios à União também cria dificuldades para o governo ter capacidade de investimento

Candidato também criticou a concentração das receitas tributárias na União

Candidato a governador pelo PSTU, o professor Dário Barbosa apontou, ao participar do Fórum Sistema FIERN Caminhos do RN, a necessidade do Estado retomar a capacidade de investimento para destinar recursos para ampliar e melhorar a infraestrutura.

Para Dário Barbosa, um dos pontos centrais destes investimentos em infraestrutura deve ser a instalação de uma sistema de linhas férreas que permitam o uso dos trens para transporte de cargas e passageiros.

“Como resolver o problema econômico do Estado? As funções do governo não podem ser transferidas. E houve um longo processo de desmonte do transporte ferroviário. Toda riqueza hoje é transportada por caminhões movidos ao diesel. No Rio Grande do Norte, houve uma desestruturação do pouco que se tinha de transporte ferroviário”, lamentou.

Ele criticou a concentração das receitas tributárias na União. Segundo o candidato a governador do PSTU, mais de 60% que se arrecada no país, com impostos e taxas, fica com o governo federal.

Para Dário Barbosa, o pagamento de juros pelos Estados e municípios à União também cria dificuldades para o governo ter capacidade de investimento.

O candidato negou que a Previdência seja deficitária. Ele disse que as contribuições dos trabalhadores, servidores públicos e empresas ao sistema previdenciário são administradas pelo Ministério da Fazenda, que concentra os valores arrecadados, e daria para cobrir aposentadorias e pensões.

Dário Barbosa recebeu – do presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo – uma edição impressa do MAIS RN, que destaca uma agenda com metas que, se forem atingidas, o Rio Grande do Norte poderá se desenvolver.

Ao ser indagado pelo presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales, sobre propostas para enfrentamento do déficit público estadual, Dario Barbosa disse que é preciso evitar a evasão de receitas e uma gestão mais competente, com planejamento voltado aos interesses da população.

Fonte: AGORA RN

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu