PONTO DE VISTA: FOLHA, PT E GLEISI HOFFMANN, O ABRAÇO DOS AFOGADOS

PONTO DE VISTA

Caro(a) leitor(a),

Quando vi o artigo abaixo publicado o no Jornal da Cidade, não pude deixar passar a oportunidade de comentar e dar o meu ponto de vista sobre o assunto. É que para quem viu o espetáculo explícito patrocinado pela Folha de São Paulo e pelo PT durante a campanha eleitoral para presidente da república, com uma verdadeira chuva de “fake news” contra o candidato e outros golpes baixos, agora vê o tom dos artigos e reportagens que tem saído da Folha nesses últimos dias nos deixa pasmos com a mudança da água para o vinho. Parece que a dura que o presidente eleito deu ameaçando retirar a verba publicitária do Governo Federal surtiu efeito, já que atualmente a maior parte das receitas dessa grande mídia vem do Governo Federal graças aos governos do PT. O que é uma vergonha para uma agência de notícias do porte e com a história da Folha de São Paulo ficar nessa dependência financeira. Quem quer se imprensa independente não pode jamais se vender para um partido, nem por dinheiro e nem por ideologia para não acabar nesse abraço dos afogados que se encontra hoje a Folha.

Por questão de sobrevivência, Folha e PT entram em confronto direto

A dobradinha do mal que o jornal Folha de S.Paulo e o PT montaram durante o período eleitoral parece viver momentos delicados.

A Folha atacou o partido e o candidato derrotado Fernando Haddad em editorial publicado nesta terça-feira (27). Gleisi respondeu, insultando o jornal, ‘parceiro’ de campanha.

Disse a Folha:

“Não há de ser fácil para um político o exercício público do desprendimento e da autocrítica diante do fracasso. Quando seu nome é Fernando Haddad e seu partido é o PT, a dificuldade apenas aumenta.

A mania de colocar nos outros a responsabilidade pelos próprios erros, de dividir o país entre mocinhos e bandidos, de menosprezar a inteligência de quem votou no rival e de ignorar dados que contradizem suas teses marca o candidato e a legenda derrotados em segundo turno em 28 de outubro.”

No dia anterior, a Folha havia promovido uma entrevista com o petista e no editorial definiu o que ele disse como “fantasia”.

“O eleitor brasileiro disse não ao partido associado ao maior escândalo de corrupção já descoberto no país. Negou apoio à legenda que não soube preservar a vida partidária das tribulações penais enfrentadas por seus maiores quadros e aceitou bovinamente ser comandada da cela de uma carceragem.”

Causa estranheza a nova postura do jornal que notabilizou-se na campanha pela disseminação de Fake News contra Jair Bolsonaro.

A Folha fez autocrítica ou agora luta pela sobrevivência?

Gleisi, a bisonha senadora e presidente do PT, em mais uma ato de insanidade, deu o troco:

“O PT tem 38 anos, governou por 12, debelou a fome no país. Perdeu a eleição pq prenderam Lula e usaram Whats ilegais c/ caixa 2. A FSP tem 97 anos, é da elite q comandou o país por 500 e nunca enfrentou a miséria, só concentrou renda. E quer q nós façamos autocrítica? Dá um tempo”.

É briga de náufragos…

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

Fechar Menu