PONTO DE VISTA: CAI A MÁSCARA DO PRESIDENTE DA PETROBRÁS, A REINCIDÊNCIA NA CORRUPÇÃO MOSTRA QUE NOSSAS LEIS SÃO MUITO BRANDAS

PONTO DE VISTA

Caro leitor,

É impressionante, mas a verdade é que não escapa um só burocrata dessa prática da gatunagem. A cara de pau é tão sem limite que mesmo depois de quatro anos de Lava Jato e centenas de sentenças condenatórias, muitos políticos, doleiros, operadores, tesoureiros de partido e delatores na cadeia os caras ainda assumem cargos de alto escalão, como é o caso do Pedro Parente, Presidente da Petrobrás para continuar a ladroagem, a gatunagem a falta de vergonha. Parece que cadeia pra essa corja é pouco. Talvez se instituíssem Pena de Morte a coisa melhorasse. Cada um que chega quer tirar uma casquinha da já combalida e sem credibilidade Petrobrás.

Volto a repetir aqui o que postei para todos vocês que me lêem no whatsapp: Os palavras CIDADANIA e COMPAIXÃO, que estão escritas em quase todas as Cartas Magnas do mundo não existe no vocabulário nem no dicionário do povo brasileiro.

Então vejam mais essa maracutaia contra o povo brasileiro:

Cai a máscara do presidente da Petrobras: sócio banqueiro recebeu R$ 2 bilhões

Tudo ia bem para Pedro Parente, afinal a Petrobras vinha se recuperando do violento saque sofrido na era PT.

Para tanto, o povo brasileiro aturava o sofrimento com os constantes aumentos nos preços de combustível.

Esta semana, o grito de socorro eclodiu, oriundo do Movimento dos Caminhoneiros e provocou eco generalizado.

A insatisfação da população colocou em xeque a gestão de Pedro Parente na Petrobras.

E uma denúncia gravíssima pode tornar a sua permanência no cargo praticamente insustentável.

Enquanto sacrificava a população com abusivos aumentos, Parente fazia pagamentos antecipados de cerca de R$ 2 bilhões para o banco JP Morgan.

A Petrobras tem uma dívida com a instituição financeira que só vence em 2022.

A situação de favorecimento explícito fica ainda mais grave quando se constata que Pedro Parente e o banqueiro José Berenguer, presidente do JP Morgan, são sócios.

Ambos são donos da empresa Kenaz Participações.

Na empresa, Berenguer tem 210.00 quotas, e uma outra a empresa, a Viedma Participações tem 810.000 quotas.

Os donos da Viedma são Pedro Parente e sua esposa Lúcia Hauptmann.

 

O fato mais escandaloso é de que o recebimento da bilionária quantia foi realizado por dona Lúcia, a esposa de Parente, através de procuração outorgada pelo banco.

Tudo junto e misturado!

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

Fechar Menu