PONTO DE VISTA: A VERDADE SOBRE O ATENTADO CONTRA BOLSONARO VIRÁ A TONA MAIS CEDO OU MAIS TARDE

PONTO DE VISTA

Caro(a) leitor(a),

Eu nunca tive dúvidas que o atentado contra a vida de Jair Bolsonaro foi um plano macabro do PT sob os auspícios do seu comandante Mor, Lula Ladrão. Qualquer pessoa com um mínimo de inteligência, após observar as ocorrências e conhecer melhor o autor do atentado sabe que este indivíduo não tem capacidade de espécie alguma (intelectual, psicológica e financeira)  para planejar e executar algo dessa natureza e dessa grandeza. É um pobre coitado, um militante cuja cúpula do PT o aliciou e fez uma lavagem cerebral, como fez e faz com muitos outros para servir aos seus ideais malignos. Também não é necessário que este artigo abaixo seja de todo verdadeiro, basta saber que tem um fundo de verdade, pois onde há fumaça há fogo. Isso sim é verdadeiro. O que é necessário é que as investigações sobre o assunto vá às últimas consequências para apurar todos os fatos e puna os verdadeiros culpados.

Mensagens de Adelio para Gleisi comprovam militância petista do criminoso

No processo crime movido contra Adelio Bispo de Oliveira, pela tentativa de homicídio praticada contra o candidato à presidente da República Jair Bolsonaro, um fato chama a atenção, o aparecimento nos autos do nome da senadora Gleisi Hoffmann.

O criminoso enviou três mensagens para a senadora e atual presidente do PT.

Nas mensagens, Adelio dá palpites sobre a escolha do candidato petista a presidente, alerta para o fato de que assim que as candidaturas fossem anunciadas, haveria uma caçada aos candidatos ordenada pelo juiz Sergio Moro e por “toda a maçonaria” e se opõe à possibilidade de uma aliança do PT com o candidato Ciro Gomes, do PDT.

Nas tais postagens dirigidas a presidente do PT, Adelio demonstra conhecimento dos fatos políticos, chegando a dizer que Jaques Wagner estava ‘equivocado’ quando pedia que o PT cedesse a Ciro, pois, no seu raciocínio, o partido cedeu ao chegar ao poder “e deu no que deu”.

O que se percebe de relevante é que Adelio, quando da prática do crime, era efetivamente um militante do PT, que se preocupava com as causas partidárias e que acompanhava o cenário político.

A Revista Veja que divulgou os fatos, maliciosamente tenta transformar as mensagens em um “retrato doloroso de uma mente perturbada”, alegando, para tanto, que ele se comunicava com perfis falsos.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

Fechar Menu