PONTO DE VISTA: A HASTEG ELE NÃO FOI O MAIOR ERRO QUE A ESQUERDA COMETEU NESSAS ELEIÇÕES

PONTO DE VISTA

Caro(a) leitor(a),

O texto abaixo do escritor e mensageiro Carlos Torres esclarece que, segundo a neurolinguística, a palavra “não” a nossa consciência não a reconhece. Por exemplo, na frase: “menino, “não” atravesse a rua sozinho!, 90% da frase é: menino, atravesse a rua sozinho! Exatamente por isso o menino não escuta o “não”. 

Logo, as pessoas que idealizaram a campanha #ELE NÃO, não entendem nada de neurolinguística, pois isso é básico, preliminar e trivial. A prova é o resultado da campanha. A intenção de voto de Jair Bolsonaro cresceu 4 pontos e a sua rejeição diminuiu dois pontos, bem como cresceu 6 pontos a sua intenção de voto entre as mulheres. Já a intenção de voto para Fernando Haddad estagnou, a sua rejeição aumentou 9 pontos.

Leia o texto abaixo e entenda o que estou falando!

#Não — A consciência não compreende essa palavra.

#Não Pense no Amarelo — #Não pense no amarelo…Repita isso várias vezes e tente pensar em outra cor. Isso é neurolinguística pura. Mesmo a pessoa pedindo para você não pensar em algo ou alguém, o foco da informação continua sendo o mesmo. Exemplo simples que muitos publicitários e governos erram quando usam slogans do tipo: “Diga não as drogas”. “Violência não” “Diga não as guerras” — nunca vai dar certo, porque o inconsciente não compreende a palavra “não”, ou seja, o foco continua sendo as drogas, a violência e o que seja ficará cada vez mais forte, porque a mensagem subliminar está intrínseca. Fica a dica. Propaganda baseada no “não” é um erro primário.
Outros exemplos: Criança esperança, eles continuarão esperando por eternos amanhãs que nunca chegam. O correto talvez seria, Criança Confiança. Outro: A Droga Mata, o foco continuará sendo sempre a droga e a morte, ou seja, há uma intenção oculta para aumentar o consumo das drogas e gerar cada vez mais violência. Outros exemplos: Campanha Contra o Câncer de mama, campanha contra o analfabetismo, infelizmente nada disso adianta, pois o foco continuará sendo a doença e o analfabetismo, e tende a aumentar cada vez mais. Ou seja, tudo o que gera negação e utiliza as palavras “não”, nunca, contra, etc, tem força inversa e poderosa. Isso cabe também para as palavras que você usa no seu dia a dia. Preste atenção e comece a mudar o foco. Exemplo: não quero ficar desempregado, nunca vou ficar pobre, não quero um namorado infiel, não posso ficar gorda, as pessoas não podem saber disso, não quero me irritar mais com problemas, não quero mais sofrer, odeio essa pessoa, odeio isso ou aquilo. Tudo gera uma energia e uma vibração, positiva ou negativa. Atraente ou repulsiva. Isso se for feito em conjunto, em massa, se transforma em uma egregora, um holopensene.

Autor: Carlos Torres, escritor e mensageiro

Fonte: medium.com

Deixe uma resposta

Fechar Menu