PONTO DE VISTA: A COMUNISTA DA FOLHA MONICA BERGAMO NUNCA ESTEVE TÃO EM EVIDÊNCIA. VEJA O PORQUÊ!

Caro(a) leitor(a),

É apropriado que o jornalismo seja exercido com imparcialidade para que o profissional conquiste ao longo de sua carreira a confiança e credibilidade do seu cliente: O leitor!

Entretanto, não é nenhum pecado ou falta de ética se um profissional ou órgão jornalístico externar com parcimônia um determinado viés ideológico em suas publicações. Afinal de contas o ser humano é um ente político. Até ai é compreensível, apesar de que este segundo profissional não será lido ou assistido (caso da mídia televisiva) pela gama de espectadores que o primeiro. Mas é uma opção pessoal. 

O que não é admissível, eticamente correto, nem honesto é o jornalista ou profissional da notícia fazer conluio, se vender ou as duas coisas juntas com escritórios de advocacia para dar a notícia, não a verdade como ela é, mas o que convier a esta banca que ao invés do leitor passa a ser o seu cliente. Isso é jogo duplo e jogo sujo. Desonesto e mau caratismo. É o que essa jornalista da Folha faz. Veja a reportagem e tire suas conclusões!

Entenda o jogo: a conexão João de Deus, Alberto Toron e Mônica Bergamo

Parece uma bobagem, uma dica pueril. Mas, a expressiva maioria das pessoas não leva essa assertiva em consideração ao longo de suas carreiras e, justo por isso, acabam infelizes e, não raro, malsucedidas.

Vejamos um case atualíssimo…

Ainda relativamente novo, Dr. Alberto Zacharias Toron é um dos advogados criminalistas mais respeitados nos bastidores do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Isso faz dele um dos advogados preferidos da República. Afinal, ter “trânsito” em Brasília representa 75% de um resultado positivo num processo. Por isso, Toron também é um dos mais caros do Brasil.

Seu escritório, sabiamente, possui importantes conexões com a imprensa, algo imprescindível para o melhor exercício de Advocacia. Afinal, via de regra, você precisa plantar notícias… e, muitas vezes, “versões da verdade”.

Não me julguem! O Direito não é maniqueísta como muitos gostam de romanticamente imaginar.

Direito é Hermenêutica… e Hermenêutica é uma “versão da verdade”, em suma.Sigamos…

Uma das “conexões” de Toron é a notória jornalista Monica Bergamo, colunista da Folha de S.Paulo.

Foi assim que Alberto Toron conseguiu ter enorme sucesso defendendo figuras como o banqueiro Daniel Dantas, o juiz Lalau, o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha e atuando na acusação da assassina juvenil Suzane Von Richtofen. Observem que todos esses casos tiveram imenso apelo e cobertura da mídia.

Não foi por acaso. É mérito. É expertise. Por isso é tão bem pago.

Neste momento, Alberto Toron foi contratado a peso de ouro para defender o médium goiano João de Deus, acusado de estuprar mais de 300 mulheres e de tentar ocultar, nos últimos dias, cerca de R$ 35 milhões de suas contas bancárias.Certamente não será uma defesa nada fácil, mas o médium está com O MELHOR ADVOGADO.

Adivinhem: quem conseguiu as imagens exclusivas do septuagenário procurado dentro carro e no meio do mato indo se entregar para a Polícia Civil do Estado de Goiás na tarde deste domingo? Ela mesma: Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Ele aproveitou para fazer seu discurso religioso emocionado:

“Me entrego à Justiça dos Homens e à Justiça da Terra”, como quem, de antemão, aguarda apenas o perdão da Justiça Divina.

Entenda o jogo antes de jogá-lo!

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Deixe uma resposta

Fechar Menu