JUSTIÇA: HOJE A JUÍZA GABRIELA HARDT, SUBSTITUTA DE MORO, INTERROGARÁ LULA

Caro(a) leitor(a),

Hoje a juíza substituta de Sérgio Moro, Gabriela Hardt, irá interrogar o detento Lula da Silva às 14:30 h na 13ª Vara de Curitiba. Na semana passada ela interrogou Marcelo Odebrescht e seu Pai, que pelas respostas confirmaram com firmeza e provas cabais a propriedade do sítio de Atibaia pelo condenado Lula da Silva. Em seguida o depoimento do Sr. Fernando Bittar terminou de comprometer totalmente a suposta frágil e combalida inocência do meliante. Hoje Lula vai precisar de toda a sua astúcia e habilidade de mentiroso como nunca precisou antes e ainda contar com a sorte pra escapar de uma condenação bem pesada.

Lula terá que responder hoje para Gabriela Hardt a pergunta que sempre fugiu (Veja o Vídeo)

Lula terá que responder nesta quarta-feira (14) a seguinte pergunta: O que motivou o amigo José Carlos Bumlai e as construtoras Odebrecht e OAS a investirem R$ 1 milhão no sítio em que o ex-presidente frequentava nos momentos lazer?

O proprietário legal do imóvel, empresário Fernando Bittar, já garantiu em seu depoimento nesta segunda-feira (12) que imaginava que Lula e dona Marisa estavam pagando pelos serviços.

Veja o vídeo:

Não, Fernando. Os serviços não foram pagos. Foram realizados ‘graciosamente’.

Por outro lado, a juíza Gabriela Hardt tem demonstrado ser extremamente minuciosa nos interrogatórios. É inteligente e perspicaz. Vai apertar Lula. E sabe fazer isso com extrema competência.

Lula disse certa feita: “Eu até brinco com os advogados. Se, no processo mais simples, os caras me deram 12 anos de cadeia, fico pensando nos mais difíceis”.

Nisso Lula tem razão. Sua situação processual cada vez fica mais difícil, mais complicada e indefensável.

Notadamente quando se tem como advogado um profissional da estirpe de Cristiano Zanin, que sabe ganhar dinheiro, mas não sabe advogar.

Zanin chutou Sepúlveda. Ali ele acabou com qualquer resquício de chance de Lula.

Fosse Sepúlveda o advogado, Lula hoje certamente estaria numa prisão domiciliar.

O presidiário foi incompetente até para escolher o seu defensor.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta

Fechar Menu