GEOPOLÍTICA: CABO DE GUERRA NA GEOPOLÍTICA EM TORNO DA CRISE DA VENEZUELA SÓ AUMENTA DOS DOIS LADOS

Infelizmente creio que a saída para o impasse na Venezuela não vai ser fácil, rápido nem amistoso. Os apoios das nações, tanto de esquerda quanto de direita aos dois governos que disputam o poder na Venezuela se intensificam em ambos os lados e duelo pode terminar com algo muito catastrófico se Maduro não renunciar. A situação é delicadíssima e enquanto isso o povo venezuelano que já sofre de desnutrição aguda com perda de, em média 11 kg per capita vai sucumbindo a mais cruel de todas as misérias humana: A Ambição, o Egoísmo e o Poder. Vamos torcer e orar muito para que o pior não aconteça para o já tão massacrado e humilhado povo Venezuelano.

Realização do cenário militar na Venezuela SE tornará uma catástrofe, diz Moscou

“Apelamos, não apenas aos EUA, mas a todos os que possam estar envolvidos na realização dessas ideias para se absterem dessas ações. O uso da força militar pode se tornar catastrófico”, disse o diplomata em uma entrevista à emissora americana CNN.

Além disso, Ryabkov acrescentou que as ações dos EUA em relação a Caracas atiçam ainda mais a crise na Venezuela.

“Estamos enfrentando um cenário que, se for realizado, pode levar a mais derramamento de sangue na Venezuela”, afirmou o vice-chanceler, acrescentando que uma intervenção militar apenas “colocará mais lenha na fogueira”.

Realização do cenário militar na Venezuela SE tornará uma catástrofe, diz Moscou

© REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

Em 23 de janeiro, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se proclamou presidente interino da Venezuela. Os EUA e uma série de outros países, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. O atual líder venezuelano, Nicolás Maduro, afirma se manter como chefe de Estado constitucional e chamou Guiadó de “marionete dos EUA”.

Os EUA, Brasil, Canadá, Argentina, Peru, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Chile e Geórgia reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. A Rússia, China, Cuba, México, Bolívia, Nicarágua, Turquia e Irã apoiam a permanência de Maduro.

Moscou declarou que seu posicionamento sobre o reconhecimento de Nicolás Maduro como presidente legítimo da Venezuela não mudaria, assinalando que a postura dos países ocidentais mostra a forma como eles encaram o direito internacional, a soberania e a não interferência nos assuntos internos dos outros países.

Fonte: va.newsrepublic.net

Deixe uma resposta

Fechar Menu