ELEIÇÕES 2018: “#ELE NÃO” FOI O MAIOR FIASCO, UM TIRO NO PÉ

Caro(a) leitor(a),

Agora que os movimentos do fim de semana passaram podemos avaliar o que realmente aconteceu. 

O movimento das mulheres contra Bolsonaro, no sábado, reuniu muita gente pelo Brasil afora, é verdade!

Mas no domingo, em reação às manifestações do sábado, o movimento a favor de Bolsonaro foi várias vezes maior. Isso é indiscutível. A Globo News e sua apresentadora Renata Loprete constataram com a ajuda do Corpo de Bombeiros que na Av. Paulista havia mais de 1.000.000 (hum milhão) de pessoas. No Rio de Janeiro a coisa se repetiu. não chegou a hum milhão de pessoas, mas a multidão era impressionante pelas imagens que nos chegou. Portanto o povo está realmente com Bolsonaro.  resposta veio nos números da Pesquisa do IBOPE com o crescimento de 4 pontos para Bolsonaro e a paralisia de Haddad. o mesmo tempo a rejeição de Bolsonaro caiu de 46 para 44 e a de Haddad subiu de 30 para 38 pontos. Isso mostra que o tiro saiu pela culatra!   Vejam os números abaixo.

O fiasco do “#EleNão”: Bolsonaro subiu seis pontos entre as mulheres

Foi um clamoroso erro estratégico da esquerda.

O “#EleNão” teve efeito contrário. Sem dúvida, uma demonstração inequívoca da falta de credibilidade dos tais artistas que encabeçaram o movimento.

De acordo com o Ibope, após a campanha ter sido desencadeada, Jair Bolsonaro subiu seis pontos no eleitorado feminino.

Na realidade, a imposição do “EleNão”, provocou um verdadeiro “levante” entre as mulheres que não concordam com o movimento, nem tampouco com a corrupção da era PT.

A luta maior é justamente contra a corrupção, a roubalheira e a distribuição de propina. A vã tentativa de mudar o foco do debate político despertou a ira das mulheres em favor do candidato que melhor representa esse anseio.

Foi um clamoroso erro estratégico da esquerda corrupta.

Assim, para tentar desviar o foco da repercussão da facada, criaram a tal página “Mulheres Contra Bolsonaro”, e como bordão, a infame hashtag.

“Ao fazer isso, criaram uma âncora mental em uma das palavras mais usadas da língua portuguesa, que fixa de forma indelével o nome de Jair Bolsonaro na cabeça das pessoas.” (*)

Foi o tiro no pé!

*Trecho retirado do artigo “Como a esquerda elegeu Jair Bolsonaro”, de Leonardo Thomé Pires.

da Redação

Fonte: Jornal da Cidade On Line

PESQUISA IBOPE REJEIÇÃO: Bolsonaro tem 44%; Haddad, 38%; Marina, 25%; Alckmin, 19%; Ciro, 18%

A pesquisa Ibope também analisou a rejeição dos candidatos, ou seja, aquele em que o eleitor não votaria de maneira alguma para presidente da República. Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram os seguintes

Bolsonaro: 44%
Haddad: 38%
Marina: 25%
Alckmin: 19%
Ciro: 18%
Meirelles: 10%
Cabo Daciolo: 10%
Eymael: 10%
Boulos: 10%
Vera: 9%
Alvaro Dias: 9%
Amoêdo: 8%
João Goulart Filho: 7%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 6%

Deixe uma resposta

Fechar Menu