BOAS NOTÍCIAS: CHEF BRASILEIRO, SUCESSO NA FRANÇA, DA LIÇÃO DE CIDADANIA NO RIO DE JANEIRO

Na nossa sessão de Boas Notícias desta sexta-feira uma história de vida emocionante e um altruísmo impressionante. Veja a reportagem:

Chef brasileiro, sucesso na França, ensina cidadania no Rio

Chef João e Diamantes da Cozinha – Foto: Eduardo Almeida/divulgação

Um brasileiro que nasceu na favela, se apaixonou pela cozinha e fez sucesso com seus pratos na França, hoje usa seu talento e conhecimento para formar cidadãos.

João Augusto, conhecido internacionalmente como João Diamante é chef executivo do Fazenda Culinária, o restaurante que fica dentro do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro 

Premiado como cozinheiro revelação de 2017, João Diamante é protagonista de uma história de superação, talento e o desejo de promover equilíbrio social.

Chef João e Diamantes da Cozinha – Foto: Eduardo Almeida/divulgação

Um brasileiro que nasceu na favela, se apaixonou pela cozinha e fez sucesso com seus pratos na França, hoje usa seu talento e conhecimento para formar cidadãos.

João Augusto, conhecido internacionalmente como João Diamante é chef executivo do Fazenda Culinária, o restaurante que fica dentro do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro 

Premiado como cozinheiro revelação de 2017, João Diamante é protagonista de uma história de superação, talento e o desejo de promover equilíbrio social.

Nascido na Bahia e criado no Rio de Janeiro, Diamante, começou precocemente na gastronomia, assando pães às escondidas em uma padaria no Complexo do Andaraí.

“Trabalho com cozinha desde os oito anos de idade, quando trabalhei em uma padaria da comunidade em que moro. Profissionalmente [estou na área] desde os 17 anos”, disse em entrevista ao SóNotíciaBoa.

No início, João misturava a paixão pela cozinha com a necessidade de ajudar nas contas casa.

“Com muito empenho e cobrança da minha mãe, consegui completar os estudos em escolas públicas. Quando cheguei aos 18 anos pude entrar para a Marinha. Foi lá que vi uma cozinha industrial pela primeira vez. No quartel trabalhei como ajudante de cozinheiro”, lembra.

Logo surgiu a primeira oportunidade.

“Certo dia o chef principal faltou e aí tive a oportunidade de cozinhar para comandantes e autoridades públicas. Felizmente a comida agradou a todos e o meu trabalho foi reconhecido”, conta o chef João Diamante.

Incentivo

Incentivado pelo comandante do batalhão, João decidiu se especializar no mundo da gastronomia.

Fez um curso técnico em Nutrição e com auxílio do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) se formou no curso de Gastronomia da Estácio de Sá/Alain Ducasse.

Enquanto estudava, passou pela cozinha do Iate Clube do Rio de Janeiro e foi selecionado entre os estudantes de Gastronomia, para atravessar o Atlântico e fazer um estágio no Le Junes Verne, o restaurante da Torre Eiffel, em Paris.

João Diamante não falava francês, mas seu trabalho despertou curiosidade no lendário chef Alain Ducasse.

Lá ele receber uma proposta de trabalho feita pelo próprio cozinheiro francês, mas preferiu voltar ao Brasil para realizar outro sonho: criar seu projeto social.

Chef João e Diamantes da Cozinha - Foto: Eduardo Almeida / divulgacao

Chef João e Diamantes da Cozinha – Foto: Eduardo Almeida / divulgacao

Projeto social

Nascia ali o Diamantes na Cozinha, no bairro do Méier, Rio de Janeiro.

“Há três anos nós tocamos o projeto. Desde 2015 começamos a bolar e em 2016, quando voltei da França, nós fizemos acontecer”, lembra.

“Meu objetivo com o projeto social é formar chefs que entendam desde o plantio dos alimentos até o modo como se portar no mercado de trabalho. É parte do nosso desejo formar cidadãos que sirvam de exemplo de conduta profissional no país”, explica João.

Deu certo. Centenas de pessoas que aprenderam com o chef já estão no mercado de trabalho.”Em média 300 pessoas direta e indiretamente. A grande maioria está no mercado….que está aquecido e absorvendo essas pessoas mais bem preparadas”, diz.

Custos

Para formar os novos cozinheiros, João faz ações, palestras e workshops e consegue levantar dinheiro para manter a causa e comprar equipamentos de cozinha.

“Nós temos um custo fixo mínimo que gira em torno de R$ 8 mil/mês. São gastos com luz, água, gás, insumos, aluguel, transporte para os voluntários e pagamentos de funcionários”.

“Ainda não temos um patrocinador-master, não temos uma coisa fixa que nos leva estar sempre na rua lutando e levando pessoas a entender o projeto. Hoje eu coloco muito do meu nome no projeto para chegar a essa meta. Mas o objetivo é que ele ande com suas próprias pernas”, afirma.

Museu do Amanhã

Convidado pela chef Flávia Quaresma, João Diamante foi trabalhar no Fazenda Culinária, restaurante do Museu do Amanhã, principal atração turística da Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Com a saída de Flávia, João assumiu a cozinha do restaurante e se tornou o chef executivo.

Em dezembro do ano passado, ele foi premiado pelo site Infood como o cozinheiro revelação do Prêmio Infood de Gastronomia – 2017.

Este ano, o projeto Diamantes da Cozinha vai abrir inscrições para novos candidatos.

João Diamante - cozinheiro revelação de 2017 - Foto: divulgação

João Diamante – cozinheiro revelação de 2017 – Foto: divulgação

Fonte:  SóNotíciaBoa

Deixe uma resposta

Fechar Menu